Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







10 de jul de 2012

3º TRIMESTRE DE 2012 - LIÇÃO Nº 03 - 15/07/2012 - "A MORTE PARA O VERDADEIRO CRISTÃO"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 03 - DATA: 15/07/2012
TÍTULO: “A MORTE PARA O VERDADEIRO CRISTÃO”
TEXTO ÁUREO – Fp 1.25
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: I Cor 15.51-57
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/



I – INTRODUÇÃO:

- Muitos acham que a morte física não deve ser considerada como uma conseqüência do pecado adâmico, uma vez que, no dia em que Adão e Eva pecaram, não morreram fisicamente, de imediato. Daí, sustentam a idéia de que a morte física não é conseqüência ou pena do pecado, mas, antes, o resultado natural da constituição física do homem.

- No entanto, a bíblia ignora esta exceção (Rm 5:12; 6:23). A pena foi executada efetivamente no dia em que o homem pecou, embora sua plena execução tenha sido sustada temporariamente pela graça de Deus (Gn 3:21)

- Apesar dos corpos de Adão e Eva não morrerem no dia da transgressão, para todos os efeitos, morreram. Ficaram imediatamente sujeitos à lei da mortalidade.


II - O CRENTE E A MORTE:

- A penalidade do pecado além de incluir os sofrimentos da vida, inclui também a morte física, a morte moral, a morte espiritual e a morte eterna.

- As mortes física, moral e espiritual são discutidas em conexão com a doutrina do pecado.

- A morte eterna é considerada mais particularmente na escatologia geral.

- Vejamos cada um deste item de forma separada:


II.1 – A MORTE FÍSICA:

- Num sentido amplo e mais universal possível é a cessação do processo vital em um organismo vivo.

- Na linguagem biológica molecular, a morte é a dissolução da estrutura molecular necessária para o fenômeno da vida.

- Do ponto de vista filosófico e na linguagem bíblica, a morte é a separação da alma e do corpo. Neste sentido, costuma-se distinguir dois tipos principais de morte: A CLÍNICA e a ABSOLUTA ou CERTA

- (A) - A MORTE CLÍNICA se dá quando o coração cessa de bater, a pressão sangüínea torna-se ilegível e a temperatura do corpo cai. Em geral, diz-se que o paciente está morto quando as funções vitais cessam de vez. No entanto, na morte clínica não há necessariamente a separação da alma e do corpo.

- (B) – A MORTE ABSOLUTA ou CERTA é a separação definitiva da alma e do corpo. É a total ausência de atividades das ondas celebrais. Quatro critérios são enumerados para uma pessoa ter morte celebral:

- (1ª) FALTA DE RECEPTIVIDADE DE REAÇÃO;

- (2ª) AUSÊNCIA DE MOVIMENTOS OU RESPIRAÇÃO;

- (3ª) AUSÊNCIA DE REFLEXOS; e

- (4ª) ELETROENCEFALOGRAMA RETO.

- A mais completa definição de morte física parece ser uma perda irreversível das funções vitais. Esta morte, assim, é definida como o estado no qual a ressurreição física é impossível.

- Na Santa Palavra de Deus, a morte física é apresentada de várias maneiras:

- (1) - DORMIR (Dt 31:16; Mc 5:39; Jo 11:11; At 7:60);

- (2) - DESFAZER DA CASA TERRESTRE DESTE TABERNÁCULO (II Cor 5:1)

- (3) - DEIXAR ESTE TABERNÁCULO (II Pe 1:4);

- (4) - DEUS PEDINDO A ALMA (Lc 12:20);

- (5) - SEGUIR O CAMINHO POR ONDE NÃO TORNARÁ (Jó 16:22)

- (6) - SER CONGREGADO AO SEU POVO (Gn 49:33)

- (7) - DESCER AO SILÊNCIO (Sl 115:17)

- (8) - EXPIRAR (At 5:10)

- (9) - TORNAR-SE EM PÓ (Gn 3:19)

- (10) - FUGIR COM A SOMBRA (Jó 14:2)

- (11) - PARTIR (Fp 1:23)

- Porém, em outras passagens, a morte aparece como um ser personificado (Jó 28:22; Rm 5:11, 17; 6:9; I Cor 15:26, 55; Apc 6:8) - A morte e o inferno são vistos personificados como os guardiães respectivamente dos corpos e das almas dos homens sem Deus, entre a morte e a ressurreição (Apc 20:13-14)


II.2 - MORTE MORAL:

- Este gênero de morte está restritamente ligado ao mundo moral. E dela temos notícia de vítimas em ambos os testamentos (Gn 3:9-10; 20:3; I Tm 5:5-6; Apc 3:1).


II.3 - MORTE ESPIRITUAL:

- Pode ser contraída em vida ou antes da morte física (Mc 3:29).

- Ocorre quando Deus abandona o espírito do homem. O pecado separa de Deus o homem e esse rompimento da união e da comunhão é uma calamidade tão grande que sua designação mais apropriada é morte, pois é só na comunhão com o Deus vivo que o homem pode viver de verdade (Jo 5:24; Ef 2:1; 2:5).

- Este estado de morte, apesar de ser detestável, não é, todavia, um estado de morte definitivo. Há ainda esperança mediante o arrependimento para a salvação (I Jo 3:14 cf Jo 11:25).


II.4 - A MORTE ETERNA:

- A consumação das mortes física e espiritual é a morte eterna. Este gênero de morte é teologicamente conhecido como A SEGUNDA MORTE (Apc 2:11; 20:6). É aquela que primariamente costumamos dizer ETERNA SEPARAÇÃO DE DEUS. Há angústias de consciência e sofrimentos físicos (Apc 14:11). Isto sucederá depois dos homens rejeitarem todo e qualquer esforço que Deus tenha feito para salvá-lo.

- Por estrita justiça, Deus poderia ter imposto a morte ao homem, no mais completo sentido da palavra, imediatamente após sua transgressão. Mas, por Sua graça comum, restringiu a operação do pecado e da morte, e por Sua graça especial em Jesus Cristo, venceu estas forças hostis (Rm 5:17; I Cor 15:45; II Tm 2:10; Hb 2:14; Apc 1:8; 20:14)


III - ALUSÕES FIGURATIVAS SOBRE A BREVIDADE DA VIDA:

- Leiamos Gn 47.9 e vejamos algumas alusões bíblicas sobre a brevidade da vida. Ela é....

- (A) - Como uma sombra e erva – I Cr 29:15; Jó 8:9; Sl 102:11; Ec 6:12

- (B) - Como uma lançadeira – Jó 7:6;

- (C) - Como o vento – Jó 7:7

- (D) - Como mensageiros rápidos, como navios veleiros e como águias que voam na comida – Jó 9:25-26

- (E) - De bem poucos dias, como flor e como a sombra – Jó 14:1-2, 5

- (F) - Como a relva – Sl 103:15-16

- (G) - Tem apenas a extensão de um palmo – Sl 39:4-7

- (H) - Breve – Sl 89:7

- (I) - Como um conto ligeiro – Sl 90:9-10

- (J) - Como a urdidura de um tecelão – Is 38:12

- (K) - Como um vapor passageiro – Tg 4:13-14


IV – O QUE É A MORTE PARA O CRENTE:

(1) - LUCRO (Fp 1:21, 23)

(2) - UMA COROAÇÃO (II Tm 4:7-8)

(3) - UM DESCANSO DA LABUTA (Apc 14:13)

(4) – VITÓRIA, QUANDO TUDO PARECE DERROTA (I Pe 4:12-13)

(5) - ELA COMPLETA A SANTIFICAÇÃO DAS ALMAS DOS CRENTES (Hb 12:23; Apc 21:27)

(6) – É AQUELA QUE O SEU AGUILHÃO JÁ FOI TIRADO; É A PORTA OU O PASSO PARA O CÉU (I Cor 15:53-58)

(7) - ATRAVÉS DELA DORMIMOS NO SENHOR (I Ts 4:14; Apc 14:13)

(8) - É UMA PARTIDA (II Tm 4:6) - a palavra partir quer dizer IÇAR ÂNCORA e ZARPAR.

(9) - É UMA TRANSIÇÃO (II Cor 5:1-2) – TABERNÁCULO corresponde a TENDA ou MORADA TEMPORÁRIA.

(10) - É UM ÊXODO (Lc 9:31; II Pe 1:13-16) – ÊXODO significa SAÍDA. Israel saiu do Egito para Canaã terrestre, a terra prometida. O crente sairá do “mundo” (Egito) e partirá para a Canaã celestial.

(11) - É ESTAR COM CRISTO (Lc 23:43; Fp 1:23)


V - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

- A morte realiza agora plenamente a sua obra só nas vidas dos que recusam a libertação de seu jugo, libertação oferecida em Jesus. Os que crêem em Cristo estão livres do poder da morte, foram restaurados à comunhão com Deus e foram revestidos de uma vida sem fim (Jo 3:36; 6:40; Rm 5:17-21; 8:23; I Cor 15:26, 51-57; Apc 20:14; 21:3-4).


FONTES DE CONSULTA:

O Plano Divino Através dos Séculos – CPAD – Lawrence Olson

Mil Esboços Bíblicos - Editora Evangélica Esperança - Georg Brinke

Apocalipse Versículo por Versículo – CPAD – Severino Pedro da Silva

Escatologia – Doutrina das Últimas Coisas – CPAD – Severino Pedro da Silva

4 comentários:

Anônimo disse...

Excelente texto,vou utilizar com certeza na minha aula nesse domingo.
Obrigado pastor Geraldo.

Joab de Sousa
AD-Extremoz-RN

GERALDO CARNEIRO FILHO disse...

Irmão Joab. A Paz do Senhor.

Mais uma vez, muito obrigado, em nome de Jesus, pelo comentário aqui postado.

E permaneça Deus derramando a sua unção e a sabedoria dos altos céus sempre que o irmão estiver realizando a obra do Senhor, em especial, quando estiver ministrando a Palavra de Deus.

Um abraço fraternal e permaneçamos na Paz do Senhor

nazareno magalhaes disse...

paza e graça meu irmão ! gostaria de te agradecer pela imensa contribuição que os seus estudos me tem trazido, é bem verdade que me identifico muito com seu pensamento, motivo esse que lhe tenho acompanhado já um bom tempo. o desejo da minha alma é que Deus continue derramando uma unção poderosa sobe sua vida. Deus abençoe !

GERALDO CARNEIRO FILHO disse...

Prezado irmão Nazareno Magalhães,

Graça e paz do nosso Senhor Jesus Cristo.

Também agradeço o irmão as palavras que muito vem nos incentivar para continuarmos neste humilde trabalho de divulgação da Palavra do Senhor.

Continue o nosso Deus também derramando dos altos céus o Seu poder, a Sua graça e a Sua misericórdia sobre sua vida ministerial.

Muito obrigado, em nome de Jesus.

Permaneçamos na paz do Senhor.