Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







28/10/2014

4º TRIMESTRE DE 2014 - LIÇÃO DE Nº 05 - 02.11.2014 - "DEUS ABOMINA A SOBERBA"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 05 - DATA: 02/11/2014
TÍTULO: “DEUS ABOMINA A SOBERBA"
TEXTO ÁUREO – Dn 4.37
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Dn 4.10-18

PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/









I - INTRODUÇÃO:




Diz a Bíblia: "Caiu a coroa da nossa cabeça; ai de nós porque pecamos" (Lm 5.16). Veremos nesta lição alguns exemplos de pessoas, mencionadas nas Escrituras, que perderam a sua coroa. Começamos pelo caso do rei Nabucodonosor.





II - O EXEMPLO DO REI NABUCODONOSOR:




Dn 4 - O rei Nabucodonosor teve um sonho que muito o perturbou (v.5). Fez chegar a sua presença os magos, astrólogos, caldeus e adivinhadores, mas ninguém conseguiu interpretar a revelação (v.7). Finalmente, foi convocado Daniel, e este, ao ouvir do rei o relato, ficou perturbado, e disse: "O sonho seja contra os que te têm ódio, e a sua interpretação para os teus inimigos" (v. 19).




(1) - A interpretação de Daniel:




(a) - No sonho, o rei viu uma grande árvore cuja altura chegava até o céu, observada por todos os povos, cujas folhas eram formosas, e cujo fruto abundante. Ela representava o rei Nabucodonosor, que cresceu e se fez forte, e estendeu o seu domínio até as extremidades da Terra.




(b) - No sonho, foi visto um vigia, um santo, que descia do Céu, e dizia: "Cortai a árvore, e destruí-a, mas o tronco com as suas raízes deixai na terra, e com cadeias de ferro e de bronze, na erva do campo; e seja molhado do orvalho do céu,e a sua porção seja com os animais do campo, até que passem sobre ele sete tempos" (v.23).




(c) - Daniel aproveitou a oportunidade, para, amorosamente, aconselhar o rei a levar a sério o aviso de Deus, através do sonho. Livrasse-se também dos seus pecados, e usasse de misericórdia para com os pobres (v.27).




(2) - O cumprimento do sonho do rei - Ao fim de doze meses, no dia em que o rei passeava em seu palácio, ele disse: "Não é esta a grande Babilônia que eu edifiquei para a casa real, com a força do meu poder, e para glória da minha magnificência? (vv.29,30).




No mesmo momento, ouviu-se uma voz do céu: "A ti se diz, ó rei Nabucodonosor: passou de ti o reino. Serás tirado de entre os homens, e a tua morada será com os animais do campo; far-te-ão comer erva como os bois, e passar-se-ão sete tempos sobre ti, até que conheças que o Altíssimo tem domínio sobre os reinos dos homens, e os dá a quem quer" (w.31,32).




A palavra teve cumprimento imediato. Nabucodonosor morou com os animais, comeu erva como boi, e seu corpo foi molhado pelo orvalho.




(3) - O rei entendeu que tudo aconteceu, por causa de seu orgulho - Depois de restabelecido, Nabucodonosor declarou: "Agora eu, Nabucodonosor, louvo, e exalço o Altíssimo, ao rei do céu; porque todas as suas obras são verdade,e os seus caminhos juízo, e pode humilhar os que andam na soberba" (v.37).




Ele aprendeu que Deus não aceita o orgulho, uma forma de insubordinação contra o Senhor. Também é uma manifestação da natureza caída do homem. A Bíblia expressa isto em Romanos 8.7: "A inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, e nem em verdade o pode ser".




(4) - A Bíblia dá exemplo de outros reis que caíram nesta fraqueza:




(a) - O rei Herodes discursou, assentado no tribunal, e o povo, que o ouvia, exclamou: "Voz de Deus, e não de homem" (At 12.21,22). Na mesma hora, um anjo o feriu, porque não deu glória a Deus, e comido de bichos expirou (At 12.23).




(b) - O rei Uzias, soberano de Judá nos anos 757 a 697 a.C., era temente a Deus, e a bênção do Senhor fê-lo prosperar grandemente. Mas, após fortificar-se, exaltou-se o seu coração, e transgrediu contra o Todo-Poderoso. Entrou no Templo, para queimar o incenso. Foi repreendido pelo sacerdote Azarias, porque não lhe competia aquele ofício, uma vez que era atribuição exclusiva dos levitas. O monarca não aceitou a repreensão, e indignou-se contra o oficiante. Na mesma hora, a lepra lhe saiu à testa e, apressadamente, saiu do recinto sagrado. Ficou leproso até o dia da sua morte, e morou em casa separada (2 Cr 26.3-21).




(5) - Todos devemos ter cuidado, para que o orgulho não nos domine - A Bíblia relata a queda de Lúcifer, o querubim ungido (Ez 28.14), que se tornou o Diabo. Ele disse em seu coração: "Subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo" (Is 14.14). E, com esta mesma arrogância, conseguiu derrubar Eva, no jardim do Éden. Satanás lhe disse: "...sereis como Deus" (Gn 3.5). O conselho da Bíblia é válido para todos os tempos: "Andes humildemente com teu Deus" (Mq 6.8).





III - O EXEMPLO DO REI SAUL:




Saul, benjamita de família respeitada, teve um bom início. O profeta Samuel transmitiu-lhe a chamada de Deus para o cargo de rei, e ungiu-o para esta função. Foi bem recebido pelo povo (l Sm 9.26; 10.1).




Logo no início de seu governo, Deus lhe ordenou que executasse o castigo divino sobre Amaleque (l Sm 15.2,3). A ordem era destruir tudo, mas ele poupou o melhor das ovelhas e das vacas (l Sm 15.9). O Senhor considerou a desobediência de Saul como rebelião (l Sm 15.23). Ele foi repreendido pelo profeta Samuel: "Porquanto tu rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti para que não sejas rei" (l Sm 15.23).




Logo depois, o profeta recebeu de Jeová a incumbência de ungir Davi rei sobre Israel (l Sm 16.1).




Todos corremos o risco de tomar algo que Deus condenou ou rejeitou. A palavra divina diz: "Saí do meio deles, e apartai-vos diz o Senhor, e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei" (2 Co 6.17).




Recebemos, pela salvação, uma nova natureza (2 Pe 1.4), que só deseja aquilo aprovado por Deus. A Bíblia diz: "Porei as minhas leis em seus corações, e as escreverei em seus entendimentos" (Hb 10.16).




O crente vitorioso é aquele que admite em sua vida o que é aceito por Deus. E quando, por algum descuido, algo errado acontece, imediatamente sua consciência acusa a falta cometida. Ele, então pede perdão, e afasta-se do mal. Deste modo, a paz e a comunhão com Deus continuam inalteradas.




Se, porém, este pronto rompimento com o erro não ocorrer, a comunhão com o Senhor fica impedida, e a coroa corre perigo de ser perdida.





IV - O EXEMPLO DA RAINHA VASTI:




Assuero, rei persa sobre 127 províncias, convocou todos os príncipes e os maiorais do seu reino, para, por um período de cento e oitenta dias, exibir as riquezas de sua glória (Et l.3,4).




No final daquele período, deu um banquete com uma semana de duração e, no último dia, ordenou que a rainha Vasti viesse a sua na presença, para mostrar a todos a sua formosura (Et 1.10,11).




Ela, porém, recusou-se a comparecer. O motivo da rejeição não está na Bíblia.




O soberano sentiu-se muito humilhado perante seus súditos. Receoso de que o exemplo de Vasti fosse seguido em todo o vasto império, o rei, após ouvir seus conselheiros, decretou que ela não mais fosse rainha, e que, para seu lugar, fosse escolhida uma outra jovem (Et 1.13-19).




A rainha perdeu sua coroa, por ter desobedecido ao seu esposo. Se a desobediência a um rei terrestre trouxe tão sérias consequências, quanto mais, se não atendermos ao Rei dos reis e Senhor dos senhores! "É melhor obedecer do que sacrificar" (l Sm l5.22).




Aqueles que foram resgatados pelo sangue de Cristo, purificam as suas almas na submissão à verdade. A operação do Espírito nas nossas vidas está vinculada à obediência (At 5.32).




Ajude-nos o Senhor a sempre vivermos cm sujeição a Cristo (2 Co 10.5), para garantimos assim a nossa coroa.





V - "GUARDA O QUE TENS, PARA QUE NINGUÉM TOME A TUA COROA":




O mais precioso que o crente tem para guardar é a salvação. É Jesus em nós: "Cristo vive em mim" (Gl 2.20); "Cristo em nós, esperança da glória" (Cl 1.27). E, para esta comunhão com o Filho, somos chamados por Deus, que é fiel (l Co 1.9).




Quatro forças querem nos derrubar, mas podemos vencê-las por Jesus Cristo:




(a) - O pecado - "O pecado jaz à porta, para ti é o seu desejo, e tu sobre ele dominarás" (Gn 4.7). Somos participantes da vitória de Jesus sobre o pecado (Rm 6.3-5). Por isso, "não reine o pecado em vosso corpo
mortal" (Rm 6.12). Ele não terá domínio sobre nós, pois que estamos debaixo da graça (Rm 6.14).




(b) - A carne - É a nossa velha natureza da qual nos despimos no ato da nossa conversão (Ef 4.22). Pela salvação, o Espírito passa a habitar em nós (l Co 6.19). Se andarmos em Espírito, não cumpriremos as concupiscências da carne (Gl 5.16).




(c) - O mundo - Precisa ser dominado em nós (l Jo 2.15-17). Pela salvação, o mundo fica crucificado para nós, e todos para ele (Gl 6.14). Quando o vencemos, acontece o que diz a Bíblia: "Tornem-se eles para ti, mas não voltes tu para eles" (Jr 15.19).




(d) - O Diabo - Precisa ser dominado pelo crente. Jesus já venceu o Diabo (Cl 2.15). Cristo nos dá a sua vitória (l Co 15.57). Pela fé em Jesus, lhe resistimos e ele foge de nós (l Pe 5.9; Tg 4.7). O nome de Jesus faz com que os demônios se nos sujeitem (Lc 10.17).




A vitória sobre estes quatro inimigos não é mérito nosso. Somos fracos, mas em Cristo somos mais do que vencedores (Rm 8.37).





VI - CONSIDERAÇÕES FINAIS:




Jamais esqueçamos que a humildade é uma virtude imprescindível na vida do cristão. Se desejamos viver vitoriosamente, tenhamos muito cuidado, para não sermos contagiados pelo orgulho, que tem levado muitos à queda, pois Deus abate os soberbos e eleva os humildes.



FONTE DE PESQUISA E CONSULTA:

Lições Bíblicas CPAD - 3º TRIMESTRE DE 1995 - Comentarista: Eurico Bergsten