Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







2 de jun de 2014

2º TRIMESTRE DE 214 - LIÇÃO Nº 10 - 08.06.2014 - "O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ 
LIÇÃO Nº 10- DATA: 08/06/2014 
TÍTULO: “O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR”
TEXTO ÁUREO – Rm 12.6-7
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Mt 7.28-29; At 13.1; Rm 12.6-7; Tg 3.1
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/










I – INTRODUÇÃO:




I Cor 11:23a - Um mestre realmente dado por Cristo e ungido pelo Espírito Santo pode ser de inestimável bênção para a Igreja, como fator contribuinte para o aperfeiçoamento dos santos para a obra do ministério e a edificação do corpo de Cristo. Portanto, o dom de mestre se revela através da divina capacidade para transmitir conhecimentos espirituais, vindos diretamente do Senhor.





II – JESUS, O MESTRE DOS MESTRES:




Jo 3:2 – Nicodemos chamou Jesus de “RABI”, que significa UM GRANDE HOMEM EM MATÉRIA DE ENSINO. E Jesus de fato o é. Ele é o Mestre Supremo e sem igual. Os conhecimentos que O tornaram verdadeiramente grande e maravilhoso foram recebidos diretamente de Deus (Jo 7:16-17). Vejamos o exemplo de didática deixado pelo Mestre dos mestres, o Senhor Jesus:




(1) - JESUS ERA SIMPLES NO ESTILO E LINGUAGEM - Tendo sido o maior de todos os mestres, os ensinos de Jesus foram os mais simples, ao alcance de todas as classes ouvintes. Em frases curtas, expunha as verdades mais profundas a respeito do futuro, da eternidade, do céu e do inferno. As Suas palavras, em forma de paradoxo, produziam nos ouvintes impacto capaz de despertar as consciências adormecidas, conduzindo-os à realidade dos deveres para com Deus (Jo 7:46).




(2) - JESUS POSSUÍA ENSINOS UNIVERSAIS – Cada País tem a sua própria legislação e costumes. Por isto, há diferentes métodos de ensino, para as diferentes regiões. Os ensinos de Jesus, entretanto, são universais: Servem para todo mundo, para todos os lugares, para todas as épocas. Muito longe de serem filosofias complicadas, os ensinos de Jesus apontavam a solução para o problema de todas as classes: crianças e velhos; pescadores e mestres da lei; no Seu tempo e em nossos dias.




(3) - JESUS ENSINAVA COM AUTORIDADE – Mt 7:28-29 – As palavras dos escribas eram simples produto do que tinham na mente; destituídas de vida e poder. As palavras de Jesus, porém, tinham força de um decreto emanado da autoridade competente. Suas lições eram leis; Suas palavras, mandamentos divinos. A doutrina de Jesus era transmitida no poder do Espírito, ao espírito dos homens, desfazendo-lhes as dúvidas e implantando-lhes profunda convicção da verdade (Jo 6:63).





III – EFEITOS DO ENSINO DO MESTRE DOS MESTRES NO CAMINHO PARA EMAÚS:




Leiamos  Lc 24:17-20, 25-27, 32-35, e vamos meditar:




(1) - OS OLHOS DOS DISCÍPULOS FORAM ABERTOS E RECONHECERAM JESUS– Lc 24:31 - É vazia a mensagem que não traz ao ouvinte o conhecimento de Jesus – Sl 119:130; II Pe 3:18.




(2) - A MENSAGEM DE CRISTO FEZ ARDER O CORAÇÃO DOS ALUNOS – Lc 24:32 – A mensagem do Mestre dos mestres, dada por Ele mesmo, não alcança somente o ouvido, alcança também o coração.






(3) - OS APRENDIZES PASSARAM A TER UMA VISÃO MISSIONÁRIA – Lc 24:33 – A mensagem que ardia no coração libertou os discípulos do medo e do pessimismo, fazendo com que voltassem a Jerusalém com a missão de contar o que lhes acontecera no caminho para Emaús.




(4) - ABRIU-SE O ENTENDIMENTO DOS ALUNOS PARA COMPREENDEREM AS ESCRITURAS – Lc 24:44-45 – Para muitos, a Escritura é um livro misterioso e a exposição dos falsos mestres simplesmente gera confusão e até mesmo conduz a uma maior incredulidade. Se o mestre é de fato portador do dom divino para ensinar, os resultados de sua mensagem são os mesmos da mensagem de Cristo aos discípulos desanimados.




IV – FINALIDADES DO DOM DE MESTRE:




Mestre é o ministro que recebe de Deus o dom de ensinar. Aqueles que possuem este importante dom devem dedicar-se em fazê-lo com diligência, não esquecendo que os dons espirituais, não obstante a sua procedência divina, dependem também do cuidado e do zelo de quem o recebe - Rm 12:6-8; I Cor 12:28; Ef 4:11 cf I Cor 14:12; I Tm 4:14; II Tm 1:6.




(1) - PREVENIR CONTRA A TENTAÇÃO E O PECADO – A sã doutrina não é apenas remédio curativo; é, antes, preventivo. A falta de mestre é a causa da instabilidade das Igrejas. Onde a doutrina é ministrada com segurança, há crentes sempre firmes e fiéis - Sl 119:9, 11 cf Ed 8:1-3, 8-9.




(2) - CORRIGIR ATITUDES E COSTUMES ERRADOS – Tg 1:21; Ef 5:25-26 – A palavra de Deus ensinada com habilidade do Espírito Santo fertiliza e vivifica a vida espiritual do rebanho e cria nos corações ódio ao pecado e desejo de santidade.




(3) - PRODUZIR CONVICÇÕES FORTES – II Tm 4:1-5 - Crentes sem convicção são como árvores sem raízes. Igrejas sem mestres da parte de Deus são edifícios sem alicerces. A falta de convicção gera a incerteza da vida futura e abre caminho para toda sorte de fracassos morais e espirituais (I Rs 18:21).




(4) - PREPARAR PARA O SERVIÇO CRISTÃO – II Tm 3:16-17 – Felizes são os crentes que têm oportunidade de aprender com um mestre da parte de Deus. A resposta a isso pode ser encontrada nos insucessos de muitas Igrejas que desconhecem e desprezam o dom de mestre. Tais Igrejas produzem poucos obreiros e estes com pouco preparo espiritual.





V – CONSIDERAÇÕES FINAIS:




A doutrina cristã uma vez ensinada e vivida na prática, dá origem a santos e bons costumes, que por sua vez confirmam a doutrina bíblica - Tt 2:10 - I Cor 6:20; 10:31-32; Fp 1:27 I Pe 1:15; 3:1-7. Logo, se a Igreja ensinar a doutrina na unção do Espírito Santo, os bons costumes virão sem legalismo, como uma expressão de submissão à referida doutrina (Lc 14:33; Rm 12:2; Ef 2:10; Tg 2:14, 17, 26; I Jo 2:15; I Pe 2:19) cf (Ml 3:16; Is 40:6-8; Mt 5:18; 24:35).






FONTES DE PESQUISA E DE CONSULTA:


·          Títulos e Dons do Ministério Cristão – CPAD – Estêvam Ângelo de Souza
·          Lições Bíblicas – CPAD – 2º trimestre de 1994 – comentarista: Estêvam Ângelo de Souza