Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







23 de mai de 2013

2º TRIMESTRE DE 2013 - LIÇÃO Nº 08 - 26/05/2013 - "EDUCAÇÃO CRISTÃ - RESPONSABILIDADE DOS PAIS"

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM ENGENHOCA
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
LIÇÃO Nº 08 - 26/05/2013
TÍTULO: - “EDUCAÇÃO CRISTÃ, RESPONSABILIDADE DOS PAIS”
TEXTO ÁUREO: Pv 22.6
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Dt 6.1-9
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
Email: geluew@yahoo.com.br



I - INTRODUÇÃO:

· Educar os filhos é mais do que um direito dos pais: É um dever.


II – DEVERES DOS PAIS EM RELAÇÃO AOS FILHOS:


· (1) - DISCIPLINAR - Pv 13:24; 19:18; 23:13; 29:17; Hb 12:7 - Disciplinar significa, literalmente, TORNAR DISCÍPULOS. Deste modo, toda autêntica autoridade para disciplinar os filhos procede de Deus. O próprio Deus disciplina Seus filhos (Hb 12:5).


· A DISCIPLINA POSSUI DOIS ASPECTOS:


· (A) - INSTRUÇÃO: Ensino que tem o alvo de instruir, moldar, fortalecer e aperfeiçoar; e

· (B) - CORREÇÃO: Castigar com amor e com propósito. Disciplinar os filhos não é puni-los impiedosamente, é corrigi-los e isto implica amor.


· POR QUE DISCIPLINAR?:

· (A) - Para desenvolver o senso e respeito à autoridade.


· (B) - Para estabelecer a prática da obediência.


· (C) - Para formar bons hábitos.


· (D) - Para corrigir maus hábitos.


· COMO DISCIPLINAR?:

· (A) – Com conselho (Pv 19:25).

· (B) - Com castigo (Pv 19:18; 29:17).

· (C) - Com vara (Pv 13:24; 22:5).


· Disciplinar um filho é mais do que corrigir um mau comportamento, substituindo o errado pelo certo. Implica levá-lo à reflexão sobre seus atos e ao arrependimento sincero. A finalidade da disciplina é não apenas ensinar a criança a obedecer aos pais e às autoridades; é permitir que ela assimile valores e princípios éticos e morais, entendendo que estes são fundamentais a uma vida plena e saudável e a relacionamentos construtivos.


· A arma mais poderosa da educação é o amor dos pais pelos filhos. Existem gestos, olhares e atitudes que os pais podem usar para demonstrar ao filho que não estão gostando do que ele está fazendo e impor-lhe limites. Na maioria dos casos, basta uma conversa. Somente em alguns momentos extremos precisarão usar a amorosa correção física, punindo o mau comportamento do filho, pois, se não o fizerem, a vida o fará.


· A disciplina, é claro, deve ser apropriada a cada fase em que o filho se encontra. Mas, qualquer que seja a idade dele, não convêm gritar, fazer gestos obscenos ou bater boca com ele, para que não se torne uma pessoa nervosa, violenta ou briguenta.


· Pv 23.13 – Este tipo de disciplina – “com vara” – só deverá ser aplicada à criança com mais de três anos de idade, após seus anos formativos (aproximadamente de um a três anos).


· É evidente que, mesmo quando um filho tem condições de entender a correção que está recebendo, os pais não devem aplicar castigos despropositados nem exagerados. Em texto algum da Bíblia é recomendado aos pais infligir abusos físicos, emocionais ou morais aos filhos. Não é isso que é fustigar com vara.


· Nenhum pai ou mãe tem o direito de espancar seu filho, de tirar-lhe a comida, promover humilhações morais, etc. Isso não é disciplinar; é abusar física e emocionalmente da criança, traumatizando-a; é prova de desequilíbrio dos pais e, de acordo com as leis civis, podem até perder a guarda do filho, se for comprovado o abuso e/ou violência doméstica.


· (2) – CUIDAR... - Jó 1:5:

· (A) - Da saúde dos filhos.

· (B) - Do desenvolvimento escolar, auxiliando-os na escolha de uma profissão.

· (C) – Da orientação na escolha das amizades.

· (D) - Da orientação de seus envolvimentos sentimentais.

· (E) – De lavá-los a Cristo, ganhando-os para Ele - Esta é a ação mais valiosa nesta vida. Os pais têm quatro maneiras de se ganhar um filho para Cristo:

· (E.1) - Levando-o desde pequenino ao templo - Mt 19:14.

· (E.2) - Ensinando-lhe as sagradas letras - II Tm 3:14-15.

· (E.3) - Dando bom testemunho - II Tm 3:10.

· (E.4) - Disciplinando-o com amor e justiça.


· (3) – TER TEMPO PARA OS FILHOS - Uma das reclamações mais constantes na maioria das famílias é o fato dos pais não terem tempo para os filhos.

· As muitas atividades na Igreja, o corre-corre na manutenção do lar, tem sido causas principais para que isto aconteça.

· Entretanto, necessário se faz uma tomada de decisão onde a família assuma o seu devido lugar na lista de prioridades.

· (1) – Voltem a almoçar e jantar juntos (em família).

· (2) – Promovam, no mínimo duas vezes ao ano, um passeio com todos juntos.

· (3) – Conversem, dialoguem.



III – ANÁLISE DE ALGUNS VERSÍCULOS BÍBLICOS SOBRE O TEMA:

· Um tema recorrente na Bíblia é a educação dos filhos por meio dos ensinamentos e do exemplo. A Palavra de Deus ensina que os pais têm a responsabilidade de treinar e disciplinar seus filhos, para que eles possam ser criados conhecendo a Bíblia e honrando o Senhor.

· Vejamos, pois, algumas responsabilidades dos pais, relativamente à criação dos filhos:

· (1) - ENSINAR - Pv 22:6 - Os pais devem comprometer-se a ensinar e disciplinar seus filhos de modo agradável a Deus (Pv 22:15; 13:24; 19:18; 23:13-14; 29:17).

· (1.1) - A palavra hebraica para “INSTRUIR” significa “DEDICAR”. Assim sendo, o ensino bíblico no lar tem como propósito a dedicação dos nossos filhos a Deus, o que é possível, separando-os das influências malignas deste mundo e instruindo-os nas coisas de Deus.

· (1.2) - A mesma palavra original também pode significar “GOSTAR DE”. Os pais devem, pois, motivar seus filhos a buscarem a Deus e assim desfrutarem de experiências espirituais que nunca se esquecerão.

· (1.3) – “NÃO SE DESVIARÁ DELE” - O princípio geral é que uma criança devidamente ensinada pelos pais nos caminhos do Senhor, não se afastará desses caminhos. Contudo, não se trata aqui de uma garantia absoluta de que todos os filhos de pais salvos permaneçam fiéis ao Senhor e à sua Palavra. Em meio a uma geração ímpia como a atual, em que até dentro das igrejas deparamos com infiéis, os filhos de crentes podem ser influenciados a ponto de pecarem e de cederem diante das tentações.

· Ez 14:14-20 - Deus fala de uma apostasia tão grande que até mesmo homens justos como Noé, Daniel e Jó não preservariam seus próprios filhos e filhas.

· Dt 6:6-9 – “ESTAS PALAVRAS ESTARÃO NO TEU CORAÇÃO” - O firme propósito de Deus é que Sua Palavra esteja no coração do seu povo (Sl 119:11; Jr 31:33 cf Cl 3:16 II Tm 3:15-17).

· Esse preceito somente pode ser cumprido se, diária e continuamente, examinarmos as Escrituras (Sl 119:97-100; Jo 8:31-32; Is 29:13; Tg 1:21).

· “E AS INTIMARÁS AOS TEUS FILHOS” - Uma forma vital de expressar amor a Deus é cuidar do bem-estar espiritual dos filhos e esforçar-se para levá-los a um real relacionamento com Deus:

· (A) - O ensino da Palavra de Deus aos filhos deve ser uma tarefa altamente prioritária dos pais (Sl 103:13; Lc 1:17; II Tm 3:3).

· (B) - O ensino das coisas de Deus deve partir do lar, e, nisso, tanto o pai como a mãe deve participar. Cultuar a Deus no lar não é uma opção; pelo contrário, é um mandamento direto do Senhor (Ex 20:12; Lv 20:9; Pv 1:8; 6:20; cf II Tm 1:5).

· (C) - O propósito da instrução bíblica pelos pais é ensinar os filhos a temer ao Senhor, a andar em todos os seus caminhos, a amá-lo e ser-lhe grato e a servi-lo de todo coração e alma (Dt 10:12; Ef 6:4).

· (D) - O crente deve proporcionar sabiamente aos seus filhos uma educação teocêntrica, em que tudo se relacione com Deus e às suas coisas (Dt 4:9; 11:19; 32:46; Gn 18:19; Ex 10:2; 12:26-27; 13:14-16; Is 38:19).



IV - O QUE OS FILHOS PRECISAM APRENDER:

· (1) - A obediência (Ef 6:1; Lc 2:51);

· (2) - O temor a Deus (Pv 1:7);

· (3) - A ofertar ao Senhor (Gn 4:3-4);

· (4) - Respeitar as autoridades;

· (5) - Respeitar os idosos (I Pe 5:5);

· (6) - Praticar a oração e louvor;

· (7) - A trabalhar.



V - EM RELAÇÃO AOS FILHOS CASADOS:

· Evidentemente, um filho ao se casar, não perde suas obrigações para com seus pais.

· Porém, a partir do momento do casamento, a primeira obrigação do marido é para com sua esposa e da esposa para com seu marido. Ambos devem se lembrar que, a partir da celebração do ato matrimonial, marido e mulher são parentes mais chegados do que mesmo seus pais.

· Portanto, os pais ajudarão muito mais a seus filhos já casados se:

· (1) - Não se colocarem ao lado dele (a), quando aparecer reclamação por causa de desentendimentos havidos entre os cônjuges;

· (2) - Não permitirem que, após casados, continuem residindo na casa paterna, sem se preocuparem com trabalho.

· (3) - Não aprovarem atos de rebeldia, ciúmes e infidelidade conjugal.



VI - RESPONSABILIDADES DOS AVÓS:


(1) - Sejam conselheiros imparciais.

(2) – Não se coloquem ao lado do neto (a), quando estiver sendo disciplinado (a) pelos pais.

(3) – Procurem não dar ao neto (a) uma educação que não tenha a aprovação dos pais.



VIII – CONSIDERAÇÕES FINAIS:


Aos pais cabe educar e zelar pelo bem-estar físico, emocional e espiritual dos filhos. Recomendamos, pois, que oremos pedindo ao Altíssimo amor e sabedoria para criá-los no temor a Deus, e que cultivem o hábito de ler a Bíblia em casa, ouvir louvores e ir à Igreja.



FONTES DE CONSULTA:

1) Retratos de Família - Editora Sepal - Jaime Kemp

2) A Bíblia de Estudo Pentecostal - Edições CPAD

3) A Bíblia Shedd - Edições Vida Nova

4) A Bíblia de Estudo Vida - Editora Vida

5) Billy Graham Responde – CPAD – Billy Graham

6) Pastor Silas Malafaia Responde – Editora Central Gospel Ltda