Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







27 de set de 2011

4º TRIMESTRE DE 2011 - LIÇÃO Nº 01 - 02/10/2011 - "QUANDO A CRISE MOSTRA A SUA FACE"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 01 - DATA: 02/10/2011
TÍTULO: “QUANDO A CRISE MOSTRA A SUA FACE”
TEXTO ÁUREO – Ne 1:3
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Ne 1:1-7
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/


I - INTRODUÇÃO:

Neemias foi um homem simples, caracterizado, principalmente, por humildade e pureza de intenções, e revelando o vigoroso poder que pode ser exercido por alguém que não tem outro propósito na vida nem outro poder que não estejam centralizados em Deus. O segredo de sua eficiência estava em seu hábito de constantemente apresentar todos os problemas a Deus.


II - QUANDO A CRISE MOSTRA A SUA FACE, FICAMOS DESANIMADOS:

Ne 1:4 - Quando Neemias ouviu a notícia da situação em que se encontravam os judeus que escaparam, ele "... ASSENTOU-SE..."

Embora vivendo no palácio real, o coração de Neemias era profundamente sensível a tudo que afetava seu povo.

Todos nós também já experimentamos e nos sentimos afetados por algum desânimo e abatimento, ante notícias recebidas ou momentos difíceis pelos quais passamos. 

Aliás, temos exemplos bíblicos disto:

JÓ - amaldiçoou o seu dia natalício (Jó 3:3-10); ansiou pela morte (Jó 3:11-19); deplorou a vida (Jó 3:20-23) e terminou o seu discurso com um gemido (Jó 3:24-26);


MOISÉS (Nm 11:11-15) - Vemos o grande líder de Israel demonstrando imensa tristeza diante das murmurações dos israelitas.


ELIAS (I Rs 19:4) - Após ter matado os profetas de Baal e Aserá, Elias, ameaçado por Jezabel, pediu a morte.


Mas, leiamos II Cor 1:3-10; Ef 3:13; Cl 1:24 - Por meio destes versículos bíblicos, podemos ver o porquê de, às vezes, passarmos por períodos de desânimo e abatimento: Somos portadores de luz e, por onde quer que formos, muitas vezes teremos que passar por vales escuros para iluminá-los com a presença gloriosa de Deus em nossas vidas.

Os fiéis podem louvar a Deus nas provas, porque:

(1) - DEUS DETERMINA A CONTINUAÇÃO DELAS E TAMBÉM AS MANDA PARAR - Gn 15:13-14; Is 29:10-11, 22-23

(2) - AS PROVAS DOS FIÉIS SÃO APENAS TEMPORÁRIAS - Sl 30:5

(3) - EXIBEM O AMOR E A FIDELIDADE DE DEUS - Sl 119:75

(4) - SÃO PARA LOUVORES A DEUS - Sl 71:20-24

(5) - FAZEM NOS MANTER HUMILDES E DE JOELHOS - O sofrimento aumenta nossa vida de oração. Nada nos porá de joelhos mais depressa do que os sofrimentos. - Dt 4:30-31; Sl 78:34-35


II - QUANDO A CRISE MOSTRA A SUA FACE, DEVEMOS CHORAR:

Ne 1:4 - Depois de "assentar-se", Neemias "... CHOROU..."

Neemias sentou-se e chorou por Jerusalém e quando soube da situação de seus irmãos.

Está na hora dos solos das Igrejas ficarem banhadas de lágrimas!

Muitos homens de Deus choraram:

(1) - Jó testemunhou - Jó 30:25;

(2) - Moisés e outros filhos de Deus choraram sobre o pecado do povo - Nm 25:6;

(3) - Davi testemunhou ter chorado e jejuado pelo povo de Deus - Sl 69:10;

(4) - Isaías chorou pela necessidade de seu povo - Is 16:9;

(5) - Deus disse ao rei Josias - II Rs 22:19;

(6) - Quando Esdras chorou pelo povo, todos choraram e oraram - Ed 10:1;

(7) - Jeremias ficou conhecido como o profeta pranteador por causa do grande peso de oração que sentia carregar pelo seu povo - Jr 8:21; 9:1; 13:17; 14:17; Lm 2:11; 3:48-51;

(8) - Paulo, o apóstolo-missionário, era também conhecido pelo seu ministério de lágrimas - At 20:18-19, 31; II Cor 2:4;

(9) - Eliseu, o homem de Deus que chorou – II Rs 8:7-11.

(10) - O nosso Deus vê e registra nossas lágrimas – Sl 56:8.


III - QUANDO A CRISE MOSTRA A SUA FACE, DEVEMOS LAMENTAR:

Ne 1:4 - Após Neemias "assentar-se... e chorar...", a Palavra de Deus diz que ele "... LAMENTOU...".

Esta palavra indica o senso interior de tristeza, lamentação, bater no peito, rasgar, cortar.

Na Palavra de Deus, vemos algumas razões pelas quais devemos lamentar:

(1) - DIANTE DA MORTE - Gn 23:1-2; 37:34-35; 50:3, 10; II Sm 3:31, 35; Jo 11:31

(2) - EM FACE DAS CALAMIDADES JÁ SOFRIDAS OU APENAS ANTECIPADAS - Jó 1:21-22; Ex 33:4; Jn 3:5; Jr 14:2; Et 4:3

(3) - POR CAUSA DO ARREPENDIMENTO PELO PECADO - Lv 23:27; I Sm 7:6; Zc 12:10-11; At 26:9

IV - QUANDO A CRISE MOSTRA A SUA FACE, DEVEMOS JEJUAR E ORAR PERANTE O DEUS DOS CÉUS:

Ne 1:4 - Depois de "assentar-se", "chorar" e "lamentar", a Palavra do Senhor registra que Neemias "... JEJUOU E OROU PERANTE O DEUS DOS CÉUS..."

Grandes crises são vencidas quando o crente se humilha, ora e jejua. A Bíblia prova isto.

(1) - O JEJUM DA RAINHA ESTER E DE TODO O POVO JUDEU - Et 3:13; 4:1-3, 16 – Todos os judeus haviam sido condenados à morte. Isso ocorreria em um mesmo dia e já estava com data marcada. A única saída para os judeus era a de uma reconciliação unânime com Deus. E isto foi feito através de JEJUM e ORAÇÃO, além de uma humilhação geral de todo o povo. Deus ouviu as orações e viu o quebrantamento de Seu povo e deu-lhe a vitória que precisavam. No dia em que deveriam ser exterminados, foram os judeus que destruíram os seus inimigos. Cerca de 75 mil (Et 9)

(2) - O JEJUM FEITO POR MOISÉS – Ex 24:12-18; 34:1-28 – A Bíblia destaca dois grandes jejuns de Moisés, durante quarenta dias, cada um. O primeiro jejum ocorreu quando Moisés estava no Monte Sinai recebendo da parte de Deus as duas tábuas com os Dez Mandamentos. A segunda vez, Deus manda que Moisés faça, agora ele mesmo, outras duas tábuas para nelas escrever os mesmos mandamentos contidos nas duas primeiras tábuas quebradas por Moisés em protesto ao bezerro de ouro feito pelo povo para receber honra e adoração em lugar de Jeová.

(3) - O JEJUM DE ESDRAS – Ed 8:21-31; 10:1 – Com a ordem do rei Artarxerxes para edificar o templo em Jerusalém, Esdras e seus auxiliares diretos precisavam ir de Babilônia a Jerusalém. Havia risco de encontrarem inimigos pelo caminho, mas tiveram vergonha de pedir ao rei guardas para os acompanhar neste percurso, pois tinham falado ao rei dizendo: A MÃO DO NOSSO DEUS É SOBRE TODOS OS QUE O BUSCAM PARA O BEM. A solução para manterem a fé em dia foi o uso do jejum e da oração. Houve aceitação por parte de Deus quanto ao que pediram. Todo o período de consagração durou enquanto persistiu a crise.

(4) - O JEJUM DA PROFETISA ANA – Lc 2:36-38 – Era viúva de quase oitenta anos e não se afastava do templo, servindo a Deus em jejuns e orações de noite e de dia. Por esse motivo, teve a alegria de ver o menino Jesus, aos oito dias de nascido, quando foi levado ao templo para ser apresentado a Deus. Esta mulher mantinha uma vida de íntima comunhão com Deus servindo-O fielmente, NÃO ESPERANDO UM MOTIVO SÉRIO PARA PARTICAR O JEJUM. Ela o fazia como uma maneira de melhor servir ao Senhor, espontaneamente.

- "E há de ser que, QUANDO ESTES SINAIS TE VIEREM, FAZE O QUE ACHAR A TUA MÃO, porque Deus é contigo" - I Sm 10:7

Logo, não existem na Bíblia mandamentos ou regras determinando tipo ou duração do jejum. Aprendamos, porém, que, em alguns casos, o jejum é necessário. Não existe uma regra fixa e firme. O HOMEM DE ORAÇÃO FARÁ O QUE A OCASIÃO PEDIR E DEUS DETERMINAR.

JEJUM E ORAÇÃO SÃO SINÔNIMOS DE FORÇA, PODER E VITÓRIA NA VIDA DE QUEM OS PRATICA. NÃO DEIXEMOS QUE TAIS PRÁTICAS DESAPAREÇAM DE NOSSAS VIDAS E DA VIDA DE NOSSAS IGREJAS.

Neemias começou seu trabalho em oração (Ne 1:4) e não cessou de orar, até que terminou sua jornada (Ne 13:31).

V - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Servos do Deus Altíssimo, assim o Senhor vos diz:

QUANDO A CRISE MOSTRAR A SUA FACE...

- "Cingi-vos e LAMENTAI-VOS, SACERDOTES; GEMEI, MINISTROS DO ALTAR; entrai e passai, vestidos de panos de sacos, durante a noite, MINISTROS DO MEU DEUS... SANTIFICAI UM JEJUM... e CLAMAI AO SENHOR" - Jl 1:13-14

- "... e isso com JEJUM, E COM CHORO, E COM PRANTO... CHOREM OS SACERDOTES, MINISTROS DO SENHOR... e digam:... POUPA O TEU POVO, Ó SENHOR..." - Jl 2:12, 17 .

Que assim seja para todo sempre.

18 de set de 2011

3º TRIMESTRE DE 2011 - LIÇÃO Nº 13 - 25/09/2011 - "A PLENITUDE DO REINO DE DEUS"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 13 - DATA: 25/09/2011
TÍTULO: “A PLENITUDE DO REINO DE DEUS”
TEXTO ÁUREO – Is 11:1
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Is 11:1-9
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/



I – INTRODUÇÃO:

Mt 6:10a - O Milênio será a resposta às milhões de orações do povo de Deus através dos tempos: “VENHA O TEU REINO!”



II - O QUE É O MILÊNIO:

É o maravilhoso reinado de Cristo na terra, por mil anos (Apc 3:26-27). Cristo reinará sobre as nações (Zc 14:9) e os santos reinarão com Ele (Dn 7:18, 22, 27; Apc 20:4). O Messias governará com justiça, misericórdia, e verdade (Is 2:2-4; 9:6-7; 11:1-10; 35:1-10) sobre a terra (Apc 5:10 cf Mt 19:28; 2 Tm 2:12)

Reino com duração de mil anos a ser instaurado na terra pelo Senhor Jesus logo após o arrebatamento da Igreja e do término da grande tribulação (Apc 20:1-6). Trata-se de reino literal, cujo principal objetivo é a exaltação de Jesus como Messias de Israel e das outras nações.

Portanto, o Milênio não é uma fantasia nem uma criação poética. É o Reino de Deus que o Senhor Jesus Cristo, juntamente com a sua Igreja, implantará neste mundo logo após a Grande Tribulação.



III – O MILÊNIO E O REINO DE DEUS:

O Reino de Deus refere-se ao governo divino sobre toda a criação.

Jesus veio a fim de estabelecer o reino prometido aos judeus, porquanto nasceu como Rei deles (Mt 2.2).

No entanto, o evangelista João afirma que Jesus veio para o que era seu, mas os seus não o receberam (Jo 1.11).

Caso os judeus tivessem recebido a Cristo, Ele estabeleceria esse reino (Mt 23.37-39); porém, rejeitaram-No e crucificaram-No.

Então, o Espírito Santo usou os apóstolos para pregarem aos judeus as “boas novas” do Reino (At 2.14; At 3.26; Rm 1.16-17). Entretanto, eles (os judeus) também rejeitaram aquela mensagem.

Em seguida, os discípulos se voltaram para os gentios (At 13.46; 18.6; 28,28). Aí foi diferente! Deus visitou os gentios, tirando dentre eles um povo para o Seu nome: A IGREJA (At 15.14). Ela reinará futuramente nesse Reino, juntamente com o Senhor.

Portanto, a Igreja substituiu Israel como Nação. No entanto, para Israel, o reino simplesmente foi adiado, posto que esta Nação não ficará fora do Reino de Deus.



IV – OBJETIVOS DO MILÊNIO:

(1) – EXALTAR A CRISTO (Ap 19.11-16) – Estar montado em um “Cavalo Branco” é uma expressão de honra, pois era um animal de montaria real e bélica. A cor desse cavalo fala de vitória e exaltação. Nos antigos tempos, depois de uma conquista, os generais romanos participavam de uma parada triunfal, montados em cavalos brancos, na frente de inimigos capturados. Assim, o fato de Jesus aparecer montado em um cavalo dessa cor indica que esta será a ocasião dEle ser exaltado no mundo. Ele voltará em glória e assumirá Sua posição de exaltação como Rei no Milênio.


(2) – MANIFESTAR O REINO DE DEUS NA SUA PLENITUDE - A terra será regida por uma teocracia: O próprio Deus regerá o mundo na pessoa do Seu Filho (Lc 1.32,33; Dn 7.13,14). Será um período de completa glória divina no Seu domínio, governo, justiça e reino (Is 9.6; Sl 45.4; Is 11.4; Sl 72.4; Dt 18.18,19; Is 33.21,22; At 3.22).


(3) – MOSTRAR QUE ESTE MUNDO PODE SER ADMINISTRADO COM JUSTIÇA E EQUIDADE (Dt 32.4; Jr 10.10) - Mediante o reino milenial de Cristo, Deus mostrará ao homem de que o único caminho para a justiça, a paz, a fraternidade e a felicidade é a obediência à Sua Palavra.


(4) – DEIXAR BEM CLARO QUE OS REINOS DESTE MUNDO PERTENCEM A CRISTO (Ap 11.15) - Quando Deus criou o homem Ele entregou a administração deste mundo em suas mãos (Gn 1.27-30; Sl 115.16). Infelizmente, porém, por causa do pecado, o homem entregou esta autoridade nas mãos do diabo (1 Jo 5.19; Lc 4.5,6). O reino de Deus no mundo será exercido, não de uma forma limitada, mas de forma completa.



V – AS BÊNÇÃOS DERRMADAS DURANTE O MILÊNIO:

Serão bênçãos tanto materiais, quanto espirituais. Vejamos:

(1) – HAVERÁ UM GRANDE DERRAMAMENTO DO ESPÍRITO SANTO - (Zc 12.10) - Sendo o Milênio o reino do Messias, e sendo o Espírito Santo aquele que glorifica a Cristo (Jo 16.14), é de se esperar um sublime e incomparável derramamento do Espírito. Haverá, portanto, uma realização plena na profecia de Joel 2.28,29, quando o Espírito Santo será derramado em toda Sua plenitude sobre Israel e sobre as demais nações (Ez 36.25-27).


(2) – HAVERÁ UM GRANDE CONHECIMENTO DA PALAVRA DE DEUS (Is 2.3) - O conhecimento do Senhor será universal durante o Milênio (Is 11.9; Jr 31.34; Zc 8.22,23). Naquele tempo a justiça prevalecerá e todas as nações conhecerão o nome do Senhor (Ml 1.11). Esse conhecimento será obtido através de um grande movimento missionário a ser realizado pelos judeus remanescentes (Is 66.19). Este trata-se-á do Evangelho Eterno.


(3) – SERÁ UM TEMPO DE PAZ UNIVERSAL (Mq 4.3) - Durante esse período não haverá mais os poderosos armamentos bélicos e nucleares pelos quais as nações são ameaçadas. Haverá um desarmamento total (Is 2.4). Na verdade, a preciosa paz tão almejada só será obtida quando reinar aqui na terra o “Príncipe da Paz” (Is 9.6).


(4) – SERÁ UMA ERA DE ABUNDANTE SAÚDE FÍSICA E MENTAL (Is 35.3-6) - No que tange à saúde humana, diz a Palavra de Deus que “morador nenhum dirá: Enfermo estou” (Is 33.24). Os principais fatores contribuintes para isso serão abundantes: A presença divina, mudanças climáticas, redução do efeito do pecado, ausência do diabo e de seus demônios e melhor nutrição pela fartura que haverá. Alguns dos defeitos físicos serão corrigidos (Is 35.5,6; Zc 13.1). Também as doenças de caráter psíquico e as perturbações mentais serão banidas (Is 65.23). Moléstias já não ceifarão vidas, como acontece nos dias de hoje (Is 30.26).


(5) – SERÁ UMA ERA DE PROSPERIDADE, SEGUNRANÇA E VIDA LONGA (Is 65.22) - A ciência e o progresso atingirão o seu apogeu e alcançarão o fim a que se propuseram. Todos possuirão casas (Is 65.21). Hipotecas, aluguéis e dívidas de casas serão coisas do passado (Mq 4.4; Zc 14.4,10 - O hebraísmo constante dessas últimas referências denota prosperidade geral). O grande profeta messiânico fala a respeito da longevidade que haverá nesse tempo (Is 65.20). Uma vez que o mal estará detido, a vida física, durante o Milênio, não estará tão reduzida como hoje. É verdade que as pessoas não estarão isentas da morte. Mas viverão muito mais. Os homens em todas as épocas procuram o sonhado “Elixir da vida”; os laboratórios procuram uma química que dê ao homem o prolongamento da vida física. Isso acontecerá no Milênio (Is 65.22).


(6) – SERÁ UM PERÍODO DE PLENA RECUPERAÇÃO ECOLÓGICA (Gn 3:17 cf Is 35.1,2) - Durante a Era Milenar esta e outras maldições impostas por Deus serão removidas (Is 55.13). Assim, tanto o reino vegetal como a própria estrutura terrestre, serão modificados por ocasião do retorno de Cristo à Terra com poder e grande glória.


(7) – ISRAEL HABITARÁ SEGURO E ESTARÁ DE POSSE DE TODO O TERRITÓRIO QUE O SENHOR PROMETEU A ABRAÃO (Gn 15:18) – Na verdade, a terra que o Senhor prometeu a Abraão nunca foi ocupada em sua totalidade pelos seus descendentes, nem mesmo durante o próspero reinado de Davi e Salomão. Esse território vai do Mediterrâneo ao rio Eufrates (Gn 17.8; Êx 23.31). O extenso território será repartido em doze faixas iguais e paralelas, uma para cada tribo de Israel (Ez 48). Atualmente, a maior parte da terra é um deserto seco e estéril. A fim de restaurá-lo, Deus fará fluir de sob o templo milenar um volumoso rio (Ez 47.1-12), o qual juntamente com as copiosas chuvas que cairão, fará esse deserto florescer (Is 35.1). Haverá grande aumento de população, tornando a nação forte (Is 60.22). Para cumprir essas profecias, Israel precisará ocupar um território bem maior do que o que hoje possui. E isso se cumprirá no Milênio. Nessa época, de Jerusalém sairão tanto as diretrizes religiosas como as leis civis para o mundo. Desta forma Israel estará seguro.



VI - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

- Façamos um resumo dos propósitos do milênio:


- No início do seu ministério, Jesus deu a sua plataforma de governo em Mateus do capítulo 5 ao 7 (O Sermão do Monte), ou seja:


a) Fazer convergir em Cristo todas as coisas, isto é, toda a criação (Ef 1:10)


b) Estabelecer a justiça e a paz na terra, eliminando toda rebelião contra Deus (I Cor 15:24-28; Mq 4:3) – “ENTÃO VIRÁ O FIM”, REFERE-SE AO MILÊNIO


c) Fazer convergir nele (no milênio) todas as alianças da bíblia.


d) Fazer Israel ocupar toda a terra que lhe pertence e fazê-lo cabeça das nações (Gn 15:18; I Cr 16:15-18; Is 11:10)


e) Cumprir as profecias a respeito do reino do Messias (Dn 9:24; At 3:20-21)


f) O Pai dará o trono de Davi e as nações como sua herança (Lc 1:32; Sl 2; 110; Apc 11:15-18)


FONTES DE CONSULTA:

O Milênio – João de Oliveira - CPAD

O Plano divino através dos séculos – Lawrence Olson - CPAD

O calendário da profecia – Antônio Gilberto - CPAD

BEP - CPAD

Estudo Bíblico “O MILÊNIO – O REINO DO MESSIAS” de: Roberto José da Silva e José Roberto da Silva

Anotações pessoais

11 de set de 2011

3º TRIMESTRE DE 2011 - LIÇÃO Nº 12 - 18/09/2011 - "A INTEGRIDADE DA DOUTRINA"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 12 - DATA: 18/09/2011
TÍTULO: “A INTEGRIDADE DA DOUTRINA CRISTÔ
TEXTO ÁUREO – II Tm 3:16-17
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: II Tm 3:14-17; Tt 2:1, 7, 10
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/


I – INTRODUÇÃO:

O diabo perturba a Igreja, tanto através do erro, quanto do pecado. Quando ele não consegue atrair os cristãos para o pecado, engana-os com falsas doutrinas.

II - AVISOS BÍBLICOS SOBRE OS FALSOS MESTRES - Tt 1:10-16:


Tt 1:10 - Vemos aqui três características dos falsos mestres:

(1) - Insubordinados contra a autoridade;

(2) - Faladores frívolos, cabeças vazias com discursos vãos;

(3) - Enganadores, vigaristas em matéria de religião


Tt 1:11 - Tapar a boca significa NÃO TER MEDO DE RESISTIR, DE DEFENDER O REBANHO, MESMO QUE TENHA DE ENFRENTAR ALGUÉM - Mt 23; At 4:9-10, 20; 7:51-53; 13:9-11. É o mesmo que AMORDAÇAR como se faz com um cão (Is 56:11). 


O ensino falso desses homens foi e sempre é prejudicial porque visam tão-somente a lucros e vantagens materiais (Mt 23:14; II Tm 3:6-8 cf I Tm 6:9-10; Ex 23:8; Dt 16:19)

Tt 1:12 - Dois grandes nomes que se destacavam como profetas e ensinadores entre os cretenses, eram: EPIMÊNIDES e CELEMATOS. 


Esses homens foram os principais ensinadores e idealizadores do altar AO DEUS DESCONHECIDO. Foi em Creta que se fez pela primeira vez esta inscrição.


Tt 1:13 - Esta recomendação é dada a Tito, destinando-a aos crentes de Creta. O desejo de Paulo era edificar a Igreja na verdade (II Cor 13:10)


Tt 1:14 - Exemplos de fábulas judaicas:

(1) - Tamuz - Um deus babilônico, que era considerado O DEUS SOL, cuja suposta morte era lamentada anualmente pelas mulheres israelitas (Ez 8:14)


(2) - Rainha dos céus - Uma deusa assírio-babilônica, denominada ISTAR, cuja adoração predominava no Sul de Canaã; atingiu Israel (Jr 7:18; 44:17-19). 


Josias, o rei de Judá, aboliu a idolatria, destruindo tudo, inclusive as imagens do sol (II Cr 34:3-7)


Tt 1:15 - É uma doutrina da liberdade cristã (Jo 8:31-34; Rm 6:14-23; 8:1-2; Tg 1:25; 2:12-13 cf Lc 11:33-36; I Cor 10:23; 16:22; Gl 5:13; I Pe 2:16) - Aqui não se está ensinando a participação nas coisas ilícitas, nem a doutrina do NÃO FAZ MAL, comumente adotada em muitas Igrejas. Esta doutrina da liberdade cristã está firmada no ensino de Jesus (Mt 6:22-23)


Tt 1:16 - Esta é a atitude dos falsos obreiros, para os quais Paulo chama a atenção. Leiamos com cuidado Rm 1:21-25; II Pe 82:17-22; Jd 16, 19



III - PAULO EXORTA OS CRENTES EM ROMA CONTRA OS FALSOS MESTRES (Rm 16:17-20)

Rm 16:17 - Como em todo lugar, também em Roma surgiram entre os crentes elementos carnais, disfarçados de cristãos, que ensinavam heresias contra a fé recebida. Contra os tais faz esta advertência, pois são elementos perniciosos que torcem o sentido original da doutrina bíblica a favor de sutis e enganadoras heresias.


Rm 16:18 - Neste versículo, Paulo afirma que tais elementos NÃO SERVEM AO SENHOR JESUS CRISTO, mas gostam de iludir os símplices na fé.


Rm 16:19 - Paulo regozija-se por causa da obediência e da devoção dos crentes romanos, mas sente-se na obrigação de chamar-lhes a atenção para tais perigos


Rm 16:20 - Está declarada a derrota final e total de Satanás, mediante a fidelidade a Cristo. Paulo procura despertar a fé e a confiança dos romanos para perseverarem e resistirem aos falsos ensinos enviados por Satanás.


IV - AS INCUMBENCIAS DE TIMÓTEO

(1) - Deter os falsos mestres - (I Tm 1:3-11);

(2) - Acusá-los - I Tm 6:3-10;

(3) - Tê-los em mente - II Tm 3:1-9


V - AS FALSAS DOUTRINAS:

São Destruidoras da fé - II Tm 2:18


São Odiosas para Deus - Apc 2:14-15


São Sem proveito e vãs - Tt 3:9; Hb 13:9


Devem ser evitadas pelos ministros - I Tm 4:1; 6:20


Devem ser evitadas pelos santos - Ef 4:14; Cl 2:8


Devem ser evitadas por todos - Jr 23:16; 29:8-9


Os ímpios, amam-na - II Tm 4:3-4


Os ímpios são entregues à sua crença - II Ts 2:11


VI - OS FALSOS MESTRES:

Não devem ser tolerados - II Jo 10


Devem ser evitados - Rm 16:17-18


Trazem vergonha sobre a religião cristã e atraem a muitos - II Pe 2:1-2


Falam coisas perversas - At 20:30


Enganam a muitos - Mt 24:5


Serão numerosos nos últimos dias - I Tm 4:1


Pervertem o Evangelho de Cristo - Gl 1:6-7


São cruéis - At 20:29


São enganadores - II Cor 11:13


São avarentos - Tt 1:11; II Pe 2:3


São ímpios - Jd 4, 8


São orgulhosos e ignorantes - I Tm 6:3-4


Devemos testá-los pelas Escrituras - Is 8:20; I Jo 4:1


Maldição contra os que ensinam as falsas doutrinas - Gl 1:8-9


Punição daqueles que ensinam as falsas doutrinas - Mq 3:6-7; II Pe 2:1-3


Serão finalmente expostos - II Tm 3:9

Desta forma, temos de nos perguntar: - "Que efeitos os ensinamentos dos falsos mestres estão produzindo nos discípulos?". 

Isto porque, às vezes, a falsidade de um ensino não aparece imediatamente; apenas mais tarde percebemos que seus resultados foram desastrosos: Perturba a fé das pessoas, promovendo a impiedade e divisões dolorosas (II Tm 2:16-18 cf I Tm 6:4-5; II Tm 2:23; Tt 1:1).


Por outro lado, o bom e verdadeiro ensinamento produz fé, amor e piedade (I Tm 1:4-5; 4:7; 6:3; II Tm 3:16-17; Tt 1:1)


VII - DEZ DIFERENÇAS ENTRE O VERDADEIRO E O FALSO EVANGELHO

(1) – O VERDADEIRO EVANGELHO consiste em pregar as boas novas de salvação, permitindo ao salvo entrar no Reino de Deus (Hb 4:2; Lc 4:43);

O FALSO EVANGELHO consiste em pregar o Reino da Terra, isto é, bens materiais, riquezas, prosperidade, as boas coisas do reino deste mundo, isto é, de Satanás.


(2) – O VERDADEIRO EVANGELHO prega o arrependimento, mudança de vida, a mensagem da cruz de Cristo, que é loucura para os que perecem (1 Co 1:18);

O FALSO EVANGELHO prega uma mensagem que soa bem aos ouvidos e às necessidades do homem atual.


(3) – O VERDADEIRO EVANGELHO apresenta um evangelho cristocêntrico, centrado unicamente no Senhor Jesus Cristo (1 Co 2:2; 2 Co 2:17);

O FALSO EVANGELHO apresenta um evangelho antropocêntrico, centrado no homem e em suas vontades.


(4) – O VERDADEIRO EVANGELHO convence que aqueles que estão em Cristo passarão por aflições e que terão de estar dispostos em sofrer pelo Evangelho (Jo 16:33; Lc 9:23; Mt 5:11-12);

O FALSO EVANGELHO consiste em dizer que estamos livres de problemas; não se pode sofrer, pois isto é falta de fé.


(5) - O VERDADEIRO EVANGELHO prega a ajuda do alto (Rm 1:16);

O FALSO EVANGELHO prega mensagens de autoajuda.


(6) – O VERDADEIRO EVANGELHO afirma que, no culto coletivo a Deus, devemos adorá-lo, voluntariamente, em espírito e verdade; não pelo que Ele pode nos dar, mas sim pelo que Ele é, sem segundas intenções (Jo 4:23-24; Tg 1:17);

O FALSO EVANGELHHO leva as pessoas a achar que Deus é um “Papai Noel”, fazendo as pessoas ser apenas interesseiras.


(7) - O VERDADEIRO EVANGELHO faz o pecador prostrar-se, humilhar-se e quebrantar-se diante da grandeza de Deus, adorando-o (2 Cr 7:14, 20:18; Mt 15:25; Lc 8:47);

O FALSO EVANGELHO faz o pecador adorar e idolatrar “cantores gospel”, “pastores”, “apóstolos” e “missionários fraudulentos”, fazendo com que a palavra destes tenham mais peso do que a própria Bíblia.


(8) – O VERDADEIRO EVANGELHO ensina que devemos examinar tudo e reter o que é bom, (1Ts. 5.19-22; At.17. 11);

O FALSO EVANGELHO ensina que somente pastores, ou líderes são os “ungidos do Senhor”, fazendo destes inquestionáveis, mesmo estando em pecado e fazendo o povo de Deus pecar.


(9) – O VERDADEIRO EVANGELHO ensina que somos servos de Deus e que temos que obedecê-Lo, acatando a vontade de dEle (Mc 14:36; Lc 11:2; Jo 9:31);

O FALSO EVANGELHO ensina que podemos mandar em Deus, determinando o que quisermos; ou seja, ensina que podemos colocar Deus contra a parede, tornando-O nosso servo.


(10) – O VERDADEIRO EVANGELHO incentiva o cristão a estudar e buscar o conhecimento da Palavra de Deus (Os 4:6; Mt 22:27; Jo 5:39; At 17:11; 2 Pe 3:18);

O FALSO EVANGELHO não incentiva o ensino das Sagradas Escrituras; ao contrário: deturpando-o, conforme seus interesses.


VIII - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Devemos provar os espíritos para saber se é de Deus (1 Jo 4.1-3).

Devemos ser verdadeiros mestres da Palavra de Deus, evitando os falatórios profanos dos falsos mestres (II Tm 2:15-21)

Devemos fugir, não só da doutrina errônea, mas também da vida má, seguindo não só a verdadeira doutrina, mas também a verdadeira vida (II Tm 2:22)

Ct 2:15 - Finalmente, devemos ter muito cuidado com “as raposas”. Este tipo de animal simboliza em nossos dias os falsos mestres, os falsos obreiros, as falsas doutrinas, as heresias, o falso pentecoste baseado na imitação. Só há um remédio eficaz para cambatê-los: 

ZELARMOS PELA INTEGRIDADE DA DOUTRINA CRISTÃ! 

ISTO SÓ CONSEGUIREMOS ADOTANDO UMA DOUTRINA SADIA E APLICANDO O FOGO PENTECOSTAL, COM A MARCA REGISTRADA PELO ESPÍRITO SANTO.


FONTES DE CONSULTA:

1) Pearlman, Myer - ATRAVÉS DA BÍBLIA LIVRO POR LIVRO - EDITORA VIDA

2) Apolônio, José - Sintetizando a Bíblia – CPAD

3) Stott, John R. W. - A Mensagem do Sermão do Monte - ABU Editora

4) Estudo Bíblico: “Acautelai-vos dos Falsos Profetas” – Antônio Carlos Barro

5) A Mensagem do Sermão do Monte - ABU Editora – John R. W. Stott

6) Site na internet "http://www.lucianosantos.net/jovens/o-perigo-do-falso-evangelho"

7) Bíblia Vida Nova

8) Introdução e Comentário à Carta de Tito - CPAD - Armando Chaves Cohen

9) Carta Aos Romanos - CPAD - Elienai Cabral

10) Novo Comentário Bíblico Contemporâneo 1ª e 2ª Timóteo e Tito - Editora Vida - Gordon D. Fee

7 de set de 2011

3º TRIMESTRE DE 2011 - LIÇÃO Nº 11 - 11/09/2011 - "A INFLUENCIA CULTURAL DA IGREJA"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 11 - DATA: 11/09/2011
TÍTULO: “A INFLUENCIA CULTURAL DA IGREJA”
TEXTO ÁUREO – Gn 1:28
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Gn 1:26-30
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/


I – INTRODUÇÃO:

CULTURA = Conjunto das realizações materiais, filosóficas e espirituais, incluindo conhecimentos, crenças, artes, princípios morais, leis, costumes e quaisquer outras capacidades e hábitos adquiridos pelos homens, como membros da sociedade.


II – A CULTURA DO CERTO E ERRADO:

Uma pesquisa do Instituto Gallup revelou que, hoje, 65% dos americanos crêem não existir verdade absoluta. Noutras palavras, o certo e o errado variam de situação para situação. O que é errado para mim pode ser certo para você, e vice-versa.


As consequencias desta postura são terríveis: não há verdade absoluta; não existe padrão para o certo e o errado; ficamos insensíveis ao pecado; toleramos a toda e qualquer crença em nossa cultura e a Bíblia (a penetrante espada de dois fios), está sendo substituída por um relativismo diabólico. Se continuarmos a rejeitar os valores absolutos, a moral e os bons costumes simplesmente desaparecerão. Se não formos cuidadosos, seremos sufocados até a morte pelo consenso público (Rm 12:2).


Este foi o aperto e o sufoco que as Igrejas de Pérgamo e Tiatira sentiram: deixaram de ser intolerantes numa sociedade tolerante. Infelizmente, o mundo influenciava a congregação mais que eles ao mundo. Ingenuamente, criam que poderiam viver como o mundo e ainda ser Igreja. Jesus advertiu-as energicamente, declarando que não tolerava o que elas toleravam – Apc 2:14-15, 20-23.


III – A CULTURA DO “É PROIBIDO PROIBIR”:

No passado, principalmente na Idade Média, segundo a Igreja Católica Romana, “tudo era proibido”. Só havia uma verdade única e absoluta, que era aquela ditada pelos Teólogos da “Igreja”, os quais tiravam esta “verdade absoluta e única”, de suas próprias imaginações, e não da Palavra de Deus. A simples leitura da Bíblia era proibida ao povo.


Contrapondo-se a esta ditadura espiritual, o homem proclamou a sua independência, passando a viver segundo os princípios de que “é proibido proibir”. Cada um poderia ter o seu “modus vivendi” que, por mais estranho e até mesmo por mais pecaminoso que pudesse ser, deveria ser visto com respeito, pois o homem era livre para determinar o que era certo e o que era errado. Cada um deveria ser tolerado em sua opção de vida.


É claro que, para que isto fosse possível, era necessário negar a existência de Deus, ou, admitindo-se Sua existência, mantê-Lo afastado, distante e alheio em relação ao homem e à terra. Pensando e vivendo segundo esta Filosofia, é possível ser tolerante com o mundo, com o diabo e com a carne.



IV – ANTES DA QUEDA, DEUS ORDENOU A SEPARAÇÃO ENTRE A LUZ E AS TREVAS:

“...e fez Deus separação entre a luz e as trevas”. Esta é a Palavra de Deus e ela reproduz a vontade Soberana do Altíssimo, daquele “...em quem não há mudança, nem sombra de variação”- Tg 1:17.


Numa rápida síntese, na sociedade ante-diluviana cada um tinha sua maneira de viver e ninguém vivia para servir a Deus. Todos os interesses do Povo estavam centrados nas coisas materiais. Naqueles dias havia tempo para tudo – menos para Deus. Contudo, quando encheu Seu cálice, Deus executou sobre toda a raça humana o Seu juízo – Gn 6:9.


Lc 17:26-30 – Pelo que temos na Bíblia, Ló não era um crente indicado para ser imitado. Era um homem mais ligado às coisas materiais, um crente em busca de riquezas, preocupado com as coisas da terra. Apesar da Palavra de Deus afirmar ser Ló um homem justo - II Pe 2:7-8, - ele não teve força suficiente para levar um só habitante de Sodoma a uma mudança de vida; conviveu pacificamente com eles.


A Sociedade de Sodoma era uma Sociedade muito semelhante à nossa. Vejamos:


ERAM DIAS DE MATERIALISMO - Lc 17:28 - É o que podemos deduzir das palavras ditas por Jesus. Uma Cidade em franco progresso material! A Cidade trabalhava, prosperava, se divertia. No entanto, nada se diz sobre Deus, Altar, Adoração! Nada! Materialismo puro! Mais uma prova bíblica de que progresso na vida material não significa estar bem com Deus.


Na descrição feita por Jesus, não se pode afirmar que aquelas coisas fossem pecaminosas. Comer, beber, comprar, vender, plantar, edificar eram sinais de progresso! Porém, ao que tudo indica, não havia lugar para Deus naquela cidade: Ele era o grande esquecido.


Sodoma ficou conhecida na História pela sua permissividade sexual. Lá o sexo era livre e podia ser praticado sem qualquer regra, ou escrúpulo. Cada homem fazia sua opção sexual, e isto era visto com naturalidade. Homem com homem, mulher com mulher?! Tudo considerado normal. Ninguém se lembrava de que, no principio, o Senhor Deus, vendo que o homem estava só, tomou uma decisão de fazer-lhe uma adjutora – Gn 2:21-22 - Esta foi uma decisão de Deus – fazer para o homem, uma mulher. Deus podia fazer quantas mulheres ele quisesse fazer. Porém, a Bíblia diz que Ele fez uma.


Deus podia fazer para Adão, um amigo, um irmão, um outro homem igual a ele. Mas, para suprir a necessidade afetiva e sexual do homem, Deus fez uma mulher.


O Espírito de Deus foi muito detalhista quando, talvez, para que não pairassem dúvidas, fez Moisés escrever que Deus “...macho e fêmea os criou”- Gn 1:27. Não ficou espaço para um “terceiro sexo”. Biblicamente, a criatura humana ou é macho, ou é fêmea; ou é homem, ou é mulher. Para Adão, Deus fez uma Eva, não fez um Ivo.


Para o casamento, o próprio Deus, disse – “Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne”- Gn 2:24.


No Novo Testamento nada mudou. O Senhor Jesus confirmou o mesmo principio estabelecido por Deus, lá no Éden – Mt 18:4-5 - Desta forma, o casamento bíblico é entre um homem e uma mulher.


Ao unir o primeiro casal, Deus, antes de tudo, os abençoou. Esta é a regra numa sociedade não permissiva – o sexo será abençoado, porém, depois do casamento, pois que assim está escrito – “E Deus os abençoou e Deus lhes disse: frutificai...”- Gn 1:28: Primeiro a benção nupcial depois o “frutificai”.


Hoje, está muito pior! Para nossa “cultura”, o sexo antes do casamento está liberado. Hoje, seguindo o exemplo de uma famosa apresentadora de Televisão, tornou-se até honroso e sinal de independência, uma moça tornar-se mãe, sendo solteira. Trata-se de um direito de opção. Toda pessoa é livre para fazer sua escolha. O sexo para solteiros e casados está amplamente liberado. Porém, a Bíblia Sagrada, A Palavra de Deus, continua sendo a mesma – ela não muda e Ele também não mudou! – Hb 13:4; Gl 5:19, 21, Cl 3:5; Apc 22:15.


Portanto, a liberdade sexual, ou sexo livre, é taxativamente, condenado pela Palavra de Deus.


Pela Bíblia sabemos que Deus ama o pecador, porém, aborrece o pecado. Isto significa que a Igreja deve, também, amar os pecadores, mas, sem fazer concessões ao pecado, ao mundo, ao diabo, e à carne. A Igreja não pode conviver pacificamente com o pecado. Ela precisar ter uma influencia positiva na cultura na sua área de atuação.



V - ESTAMOS VIVENDO NA “MEIA-NOITE”

Simbolicamente, tomando por base A Parábola das Dez Virgens, o Senhor Jesus virá à Meia Noite – Mt 25:6.


Meia-noite significa o momento de maior escuridão. Como trevas significa o pecado, então será este o momento em que a Raça Humana atingirá o seu ponto mais alto quanto à prática do pecado. Foi assim no tempo de Noé, quando Deus mandou o Dilúvio.


Se é verdade que estamos vivendo dias da “Meia-Noite”, também é verdade que existe na terra algumas lâmpadas acesas, porque, tal como Noé, existem homens fiéis que não se misturam, mas, mantem-se ligados e em comunhão com Deus. O Senhor não tem compromisso com os ímpios. Deus não faz concessões; Ele não alarga o caminho que conduz ao céu; Ele não diminui o peso e o tamanho da Cruz.



VI – CONSIDERAÇÕES FINAIS

Conta-se que a filha de Billy Graham estava sendo entrevistada no "Early Show", quando a apresentadora Jane Clayson, perguntou-lhe :


- “Como DEUS permitira algo tão terrível assim acontecesse no dia 11 de setembro de 2001?”


Anne Graham deu uma resposta profunda e esclarecedora. Ela disse:


- "Eu creio que DEUS ficou profundamente triste com o que aconteceu, tanto quanto nós. Por muitos anos, nós temos dito para DEUS não interferir em nossas escolhas, sair do nosso governo e sair de nossas vidas. Sendo um cavalheiro como DEUS é, eu creio que Ele calmamente nos deixou. Como poderemos esperar que DEUS nos dê a Sua bênção e Sua proteção, se nós exigimos que Ele não se envolva mais conosco?


À vista dos acontecimentos recentes... ataque dos terroristas..., tiroteio nas escolas..., etc. Eu creio que tudo começou desde que Madalyn Murray O'Hair, uma ateísta, se queixou de que era impróprio fazer orações nas escolas americanas como se fazia tradicionalmente, e nós concordamos com a sua opinião. Depois disso, alguém disse que seria melhor também não ler mais a Bíblia nas escolas... A Bíblia, que nos ensina que não devemos matar, não devemos roubar e que devemos amar o nosso próximo como a nós próprios. E nós concordamos.


Logo depois, o Dr. Benjamin Spock disse que não deveríamos corrigir nossos filhos quando eles se comportassem mal, porque suas personalidades em formação ficariam distorcidas e poderíamos prejudicar sua auto-estima . E nós dissemos: "um perito nesse assunto deve saber o que está falando", e concordamos com ele. O filho do Dr. Spock, depois, cometeu suicídio.


Depois alguém disse que os professores e os diretores das escolas não deveriam disciplinar os nossos filhos, quando eles se comportassem mal. Os administradores escolares então decidiram que nenhum professor em suas escolas deveria tocar em um aluno quando se comportasse mal, porque não queriam publicidade negativa e não queriam ser processados. (Há uma grande diferença entre disciplinar e tocar, corrigir, dar socos, humilhar e chutar, etc.). E nós concordamos com tudo.


Aí alguém sugeriu que deveríamos deixar que nossas filhas fizessem aborto, se elas assim o quisessem, e que nem precisariam contar aos pais. E nós aceitamos essa sugestão sem ao menos questioná-la. Em seguida, algum membro da mesa administrativa escolar muito sabido, disse que, como rapazes serão sempre rapazes, e que como homens iriam acabar fazendo o inevitável, que então deveríamos dar aos nossos filhos tantas camisinhas quantas eles quisessem, para que pudessem se divertir à vontade, e que nem precisaríamos dizer aos seus pais que eles as tivessem obtido na escola. E nós dissemos, "está bem".


Depois, alguns dos nossos políticos mais importantes disseram que não teria importância alguma o que nós fizéssemos em nossa privacidade, desde que estivéssemos cumprindo com os nossos deveres. Concordando com eles, dissemos que para nós não faria qualquer diferença o que uma pessoa fizesse em particular, incluindo o nosso presidente da República, desde que o nosso emprego fosse mantido e a nossa economia ficasse equilibrada.


Então alguém sugeriu que imprimíssemos revistas com fotografias de mulheres nuas, e disséssemos que isto é uma coisa sadia, e uma apreciação natural da beleza do corpo feminino. E nós também concordamos. Depois, uma outra pessoa levou isto a um passo mais adiante e publicou fotos de crianças nuas e foi mais além ainda, colocando-as à disposição na Internet. E nós dissemos, "está bem, isto é democracia, e eles têm direito de ter a liberdade de se expressar e fazer isso".


A indústria de entretenimento então disse: "Vamos fazer shows de TV e filmes que promovam profanação, violência e sexo ilícito. Vamos gravar música que estimule o estupro, drogas, assassínio, suicídio e temas satânicos." E nós dissemos: "Isto é apenas diversão, e não produz qualquer efeito prejudicial. Ninguém leva isso a sério mesmo, então que façam isso!"


Agora, nós estamos nos perguntando por que nossos filhos não têm consciência, e por que não sabem distinguir entre o bem e o mal, o certo e o errado, por que não lhes incomoda matar pessoas estranhas ou seus próprios colegas de classe, ou a si próprios... Provavelmente, se nós analisarmos tudo isto seriamente, iremos facilmente compreender que nós estamos colhendo exatamente aquilo que semeamos!".


E aí, Igreja do Senhor, o que achamos??????:


ESTAMOS INFLUENCIANDO, DE FORMA POSITIVA, A CULTURA, OU A CULTURA ESTÁ INFLUENCIANDO, NEGATIVAMENTE, A TODOS NÓS?


Lembremo-nos do que disse o nosso Deus:


“POR QUE EU, O SENHOR, NÃO MUDO; POR ISSO, VÓS, Ó FILHOS DE JACÓ, NÃO SOIS CONSUMIDOS”! – Ml 3:6


Deus continue tendo misericordia de todos nós. Amém.


FONTES DE CONSULTA

Alerta Final - CPAD - Steven J. Lawson

Estudo bíblico: “A Permissividade Pessoal e Social” – autor: Prof. Antonio Sebastião da Silva

Dicionario Teológico – CPAD – Claudionor Corrêa de Andrade