Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







28 de nov de 2009

LIÇÃO Nº 10 - 06/12/2009 - "DAVI E O PREÇO DA NEGLIGÊNCIA NA FAMÍLIA"


IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM ENGENHOCA - NITERÓI - RJ
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
LIÇÃO Nº 10 - DIA 06/12/2009
TÍTULO: "DAVI E O PREÇO DA NEGLIGÊNCIA NA FAMÍLIA"
TEXTO ÁUREO: I Tm 3:4
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: II Sm 13: 2, 5, 10-12, 14-15
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br





I – INTRODUÇÃO:


1)      O primeiro pastor de uma criança são os pais cristãos;





2)      A primeira cartilha da criança é o exemplo dos pais;



3)      O primeiro templo da criança são os braços dos pais;


4)      O primeiro altar da criança são os joelhos dos pais.



II – O QUE A SABEDORIA DE DEUS ENSINOU A SALOMÃO:


·         O Livro de Provérbios foi, em grande parte, escrito por Salomão, filho de Davi. Sendo então o autor principal de Provérbios, como conseguiu escrever tanto sobre disciplina física de crianças? Foi por causa do exemplo de seu pai, o rei Davi? Foi com o que aprendeu em seu lar na infância? 


· Por algum motivo, Davi nunca corrigia a teimosia e desobediência de seus filhos. Ele foi um homem justo em muitas áreas, porém a Palavra de Deus mostra seu fracasso no desempenho de seu papel como pai. Vejamos:


·  (1) - II Sm 13:21 – Quando seu filho Amnom estuprou a própria irmã, Davi ficou muito irado. Porém, onde está a aplicação da correção e da disciplina?


·  (2) - Absalão, que nunca apanhou, tentou tomar o trono de Davi e quase o matou, agindo com extrema violência, estuprando as concubinas do próprio pai! Ainda matou o seu irmão, Amnom.



·  (3) - Adonias tentou tomar o governo das mãos de Salomão; estava disposto a matar seu irmão, Salomão, para ficar com o trono; o papai Davi não fez nada - I Rs 1:6


·  (4) - Provavelmente, o próprio Salomão nunca colocou em prática os princípios de disciplina de filhos que ele escreveu em Provérbios. Isto porque, este livro bíblico orienta os homens a ter:

·  (A) - somente uma esposa (Pv 5:18-19), porém Salomão teve muitas (I Rs 11:1-6); 

·  (B) - seu filho, Roboão, seguiu a tradição da família de Davi de filhos mimados e maus. Leiamos I Rs 12:1-11; II Cr 11:21-23.


·   Desta forma, os casos de Amnom, Absalão, Adonias e Roboão MOSTRAM O ENGANO DOS QUE ACREDITAM QUE AS CRIANÇAS CRIADAS COM DISCIPLINA SE TORNAM VIOLENTAS! O OPOSTO É QUE É VERDADE! Nos referidos casos, aqueles filhos, criados sem nunca levarem uma surra, cometeram atos violentos, estupros, adultérios,  fratricídio, rebeldias!




· A chave para não sofrermos problemas semelhantes não é seguirmos a moda de hoje de evitarmos a disciplina física, mas adotarmos uma postura equilibrada: 

· (A) - uma criança criada de modo violento ou sem castigo físico pode acabar cometendo violências; mas 

· (B) - uma criança criada com o uso sábio da disciplina física terá muito mais chance de levar uma vida marcada por um comportamento bom e correto.

· Será que nós, homens e mulheres de Deus, também não conseguiremos ter somente um (a) esposo (a) e educar e corrigir os filhos conforme os excelentes princípios da Palavra do Senhor?



III – FILHOS SÃO BÊNÇÃOS DE DEUS:



· Temos visto pais crentes tratarem seus filhos como verdadeiros tropeços em suas vidas. Culpam os filhos por tudo de errado que acontece. Os filhos por sua vez se sentem um lixo, e aí começa a tragédia familiar. Porém, a Palavra de Deus mostra-nos o que são exatamente os filhos. Vejamos:

·  (1) - Os filhos são a alegria enviada por Deus - O nascimento de um filho traz alegria aos pais (Sl 113:9).


·  (2) - Deus deu-nos os filhos como bênçãos - Nunca os pais devem encarar os filhos como um empecilho, escória ou coisa semelhante. Eles são a herança do Senhor (Sl 127.3).


· (3) – Os filhos são comparados à “PLANTAS DE OLIVEIRAS” – Sl 128:3b, ou seja:


·   (A) - dão fruto: Gl 5:22-23;


·   (B) - dão azeite (unção do Espírito Santo);


·   (C) - dão sombra (amparo e abrigo contra o desconforto);


·   (D) - As plantas (crianças) precisam ser cuidadas com amor, com afeto e com tempo.






IV – OS DEVERES DOS PAIS:

-        Os pais devem se comprometer a ensinar e disciplinar seus filhos de modo agradável a Deus - Pv 13:24; 19:18; 23:13; 29:17; Hb 12:7.

· Disciplinar significa, literalmente, TORNAR DISCÍPULOS. Deste modo, toda autêntica autoridade para disciplinar os filhos procede de Deus. O próprio Deus disciplina Seus filhos (Hb 12:5). A DISCIPLINA POSSUI DOIS ASPECTOS: 


-  (A) INSTRUÇÃO: Ensino que tem o alvo de instruir, moldar, fortalecer e aperfeiçoar; e 


- (B) CORREÇÃO: Castigar com amor e com propósito. Disciplinar os filhos não é puni-los impiedosamente, é corrigi-los e isto implica amor.  


IV.1 - POR QUE DISCIPLINAR?:


-  (1) - PARA DESENVOLVER O SENSO E RESPEITO À AUTORIDADE; 


-  (2) - PARA ESTABELECER A PRÁTICA DA OBEDIÊNCIA; 


-    (3) - PARA FORMAR BONS HÁBITOS; 


-    (4) - PARA CORRIGIR MAUS HÁBITOS. 


IV.2 - COMO DISCIPLINAR?:


- (1) - COM CONSELHO (Pv 19:25) – Se não der resultado, discipline...; 


- (2) - ... COM CASTIGO (Pv 19:18; 29:17) – Se não der resultado, discipline...; 


-  (3) - ... COM VARA (Pv 13:24; 22:5)


V - CONSIDERAÇÕES FINAIS:


·  Escritos em um cartaz no Juizado de Menores do Fórum de Bremen, na Alemanha, transcrevemos abaixo 

. OS DOZE MANDAMENTOS DESTRUTIVOS PARA QUE SEU FILHO SE TORNE UM MARGINAL”:

- (1) - Desde cedo, dê ao seu filho tudo o que quer. Ele crescerá com a convicção de que o mundo todo lhe pertence.


- (2) - Se a criança utilizar expressões impróprias, dê risadas. Ela vai então se considerar especialmente espirituosa.


- (3) - Não lhe dê nenhuma educação espiritual;  “Quando ele crescer, escolherá que caminho irá seguir”.


- (4) - Nunca lhe diga: “Isso não está certo!”. Ele poderá ficar com complexo de culpa!


- (5) - Arrume toda a sua desordem. Assim, a criança ficará convicta de que a responsabilidade é sempre dos outros.


- (6) - Permita que ele leia o que quiser! Preocupe-se em esterilizar as louças da sua casa, mas deixe que a mente de seu filho fique com bactérias.


- (7) - Desenvolva toda desavença conjugal diante da criança. Se mais tarde houver o divórcio, pelo menos ela não ficará surpresa.


- (8) - Dê-lhe todo o dinheiro que pedir; ele não deve ganhar o seu próprio. Que terrível seria para a criança compreender que não passa melhor do que você mesmo.


- (9) - Cuide para que a criança receba todo o imaginário em comida, bebida e conforto. Do contrário, poderá ficar facilmente deprimida.


- (10) - Sempre lhe dê razão: Os vizinhos, os professores e a polícia apenas visam o mal da pobre criança.


- (11) - Se finalmente se tornar um marginal, simplesmente explique que você não pode fazer nada!


-  (12) - Prepare-se a tempo para uma vida espinhosa. Com toda a certeza, você a terá!




FONTES DE CONSULTA:


1)       A Bíblia de Estudo Pentecostal - Edições CPAD
2)       A Bíblia Shedd - Edições Vida Nova
3)       Como devo educar meus filhos – Chamada da Meia-Noite – Wim Malgo
4)       A Bíblia de Estudo Vida - Editora Vida
5)       Lições Bíblicas Maturidade Cristã – CPAD – 3º Trimestre de 1987 – Comentarista: Estevam Ângelo de Souza
6)       Estudo Bíblico: “O Relacionamento dos Pais Cristãos com os Filhos” – Pastor Valtair Freitas

21 de nov de 2009

LIÇÃO Nº 09 - 29/11/2009 - "A RESTAURAÇÃO ESPIRITUAL DE DAVI"

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM ENGENHOCA – NITERÓI - RJ 
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 
LIÇÃO 09 - DIA 29/11/2009 
TÍTULO: “A RESTAURAÇÃO ESPIRITUAL DE DAVI” 
TEXTO ÁUREO – II Sm 12:13 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Sl 51:1-4, 7-12, 17 
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO 
e.mail: geluew@yahoo.com.br  



I – INTRODUÇÃO:  

• Quando um servo de Deus cai, principalmente em se tratando de um líder, o diabo, os demônios e todo inferno festejam. Entretanto, quando um filho de Deus se arrepende sinceramente, o Senhor estende sobre ele o manto do perdão, havendo grande alegria no céu. O arrependimento nos leva ao perdão de Deus. Nem o adultério, nem assassinato ou qualquer outro tipo de pecado estão acima da misericórdia divina (Rm 5:20).


II – A ORAÇÃO DE UM PECADOR ARREPENDIDO: 

• Repreendido por Natã devido ao gravíssimo pecado, Davi não se fez de inocente. De imediato, confessou: “PEQUEI CONTRA O SENHOR” – II Sm 12:13a. Passemos, pois, a estudar e meditar no Salmo 51: 

• Esse salmo é uma escada que começa em um poço horrível de lama suja e vai até às alturas de ensolarada alegria, onde brota o cântico do pecador arrependido e perdoado.

• (1) - A SÚPLICA: UM GRITO POR MISERICÓRDIA – Sl 51:1-2 - Davi começou a suplicar a Deus por misericórdia. Ele não procurou desculpas para justificar o seu ato; não pediu inocência, tampouco lançou a culpa sobre outros. Uma vez que sabe que não merece perdão, Davi primeiro roga por misericórdia, com base na bondade divina. De acordo com esta misericórdia, rogou ao Senhor que lhe apagasse as transgressões; ainda implorou que o Senhor lhe lavasse a terrível iniqüidade e o purificasse do horrendo pecado.

• (2) - A CONFISSÃO – Sl 51:3-6 – “EU CONHEÇO AS MINHAS TRANSGRESSÕES” – Amargurado, Davi confessa reconhecer as suas transgressões, pois o seu pecado está continuamente diante de si. Ao mesmo tempo, Davi reconhece a tendência universal para o pecado, mas não se desculpa com base nisso. A profundeza da sua confissão está visível no seu desejo de descobrir o íntimo e o escondido do seu ser. Quando alguém peca, o faz contra Deus, que jamais terá o culpado por inocente – Na 1:3

• (3) - O CLAMOR PELA RESTAURAÇÃO – Sl 51:10-12 – “APAGA AS MINHAS TRANSGRESSÕES” (Sl 51:1, 9); “LAVA-ME” e “PURIFICA-ME” (Sl 51:2, 7) - Davi não conhecia o poder purificador do sangue de Jesus. Mas sabia que, quando alguém era considerado imundo ou leproso, precisava, de acordo com a lei, passar pela cerimônia de purificação (Lv 14:4; Nm 19:6). Assim, Davi considerava-se tão imundo, que precisava passar por esse processo. 

• Davi começa pedindo purificação externa. Purificar com hissopo e lavar estão relacionados com o ritual. Com o pedido de um coração regenerado e um espírito constante renovado, a ênfase passa para a purificação interior. 

• Hoje, na Nova Aliança, “o sangue da aspersão”, ou seja, o sangue de Cristo, purifica as nossas consciências das obras mortas e de todo o pecado – Hb 12:24 cf Hb 9:14; 10:2; I Jo 1:7. 

• (A) - Ó DEUS, CRIA EM MIM UM CORAÇÃO PURO – Somente aquele que reconhece o seu pecado é que consegue sentir a sujeira deste na alma. Por isso, Davi arrepende-se de sua transgressão e a confessa. O verdadeiro arrependimento faz com que aborreçamos o pecado.

• (B) – NÃO ME LANCES FORA DA TUA PRESENÇA – Desta forma Davi clamou, porque sentia falta da presença de Deus. Sem a presença do Espírito Santo deixamos de ser espirituais e passamos à condição de meras criaturas; deixamos de ser novas criaturas e retornamos à velha natureza. 

• (C) – TORNA A DAR-ME A ALEGRIA DA SALVAÇÃO – Davi clama ao Senhor para que lhe restitua a bênção perdida: A alegria da salvação. 

III – O PERDÃO DIVINO: 

- O perdão dos pecados é uma prerrogativa divina (Sl 130:4; Dn 9:9). 

- Os pecados cometidos contra o Senhor, somente Ele tem o poder de perdoar (At 8:22).

- O perdão divino está alicerçado sobre a misericórdia, a bondade e a veracidade de Deus (Ex 33:18-23; 34:6-9). 

- O perdão dado por Deus é completo (Sl 51:1, 9; 103:12; Is 38:17; 43:25; Mq 7:19);

- O recebimento desse benefício deve criar o senso de temor em nossos corações (Dt 29:16-20; II Rs 24:1-4; Jr 5:1-7; Lm 3:41-42). 

III.1 - COM O PERDÃO DIVINO, O QUE ACONTECEU COM NOSSOS PECADOS? 

- (1) - FORAM ANIQUILADOS, APAGADOS, DESFEITOS (Is 44:22) 

- (2) - FORAM AFASTADOS, REMOVIDOS DE NÓS (Sl 103:12)

- (3) - DEUS OS LANÇOU PARA TRÁS DE SI (Is 38:17)

- (4) - FORAM LANÇADOS NAS PROFUNDEZAS DO MAR (Mq 7:18-19) 

- (5) – FORAM ESCONDIDOS COMPLETAMENTE (Jr 5:20) 

- (6) - FORAM ESQUECIDOS PARA SEMPRE (Is 43:25; Jr 31:34; Hb 8:12; 10:16-17) 

- Leiamos ainda Apc 7:13-14 cf Apc 12:11 

IV – O COMPROMISSO DIANTE DO PERDÃO DIVINO: 

• Após sentir-se perdoado, Davi promete a Deus fazer algo que ficara impedido de realizar por causa de sua transgressão:

• (1) – ENSINAR AOS TRANSGRESSORES – Sl 51:13 – Tendo experimentado o que é transgredir a lei divina, o salmista assume o compromisso de levar os transgressores a aprender os caminhos do Senhor, e a se converterem de seus pecados. Este voto de testemunhar aos outros dá evidências do perdão recebido por Davi e sua natureza modificada. 

• (2) – UM PARÊNTESE DE TEMOR – Sl 51:14 – Atingido pelo medo de voltar a pecar, Davi abre um parêntese na sua oração e pede a Deus que o livre dos crimes de sangue. Está claro que a morte de Urias continuava a ferir-lhe a consciência. 

• (3) – LOUVOR A DEUS – Sl 51:15 – Davi pediu a Deus que abrisse os seus lábios para que a sua boca pudesse entoar louvores ao Senhor.


V – CONSIDERAÇÕES FINAIS: 

• Para nossa meditação: "O CAMINHO PARA O CÉU NÃO ATRAVESSA UM PONTE ONDE SE PAGA PEDÁGIO; ATRAVESSA, SIM, UMA PONTE LIVRE, A SABER: A GRAÇA IMERECIDA DE DEUS!” 

• “A GRAÇA DO SENHOR SEMPRE NOS ENCONTRARÁ POBRES E SEMPRE NOS DEIXARÁ DEVEDORES, PORQUANTO TEMOS UMA DÍVIDA IMPAGÁVEL COM DEUS!” 



FONTES DE CONSULTA: 

• Lições Bíblicas CPAD – 3º Trimestre de 1997 – Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima 

• Comentário Bíblico Devocional V.T. – Editora Betânia – F. B. Meyer 

• Comentário Bíblivo Moody – Vol 2 – Imprensa Batista Regular – Charles F. Pfeiffer e Everett F. Harrison 

• Teologia Elementar – E. H. Bancroft – Imprensa Batista Regular

14 de nov de 2009

LIÇÃO Nº O8 - 22/11/2009 - "O PECADO DE DAVI E SUAS CONSEQÜÊNCIAS"

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM ENGENHOCA – NITERÓI - RJ
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
LIÇÃO 08 - DIA 22/11/2009
TÍTULO: “O PECADO DE DAVI E SUAS CONSEQÜÊNCIAS”
TEXTO ÁUREO – II Sm 11:1
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: II Sm 11:2, 4-5, 14-17
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e.mail: geluew@yahoo.com.br





– INTRODUÇÃO:



• “Porque semeiam ventos e segarão tormentas...” – Os 8:7a - Davi pecou porque estava afastado do Senhor, em conseqüência da falta de vigilância e da soberba que tomara conta do seu coração. Apesar de Deus o ter perdoado, não deixou de colher o fruto da semente que plantou. Isto porque o pecado oferece prazer, mas traz aflição – Rm 2:9.




II – UM GRANDE HOMEM; UM GRANDE PECADO:



• TEMPERANÇA = DOMÍNIO PRÓPRIO; AUTO-CONTROLE; MODERAÇÃO – Significa senhorio forte e pesado, capaz de controlar firmemente nossos pensamentos, ações, desejos e paixões. É o indivíduo que sabe restringir, racionalmente, todos os seus impulsos naturais, inclusive a fidelidade aos votos conjugais e também a pureza.

• A temperança leva o homem à humildade e para bem próximo de Deus, evitando a queda no pecado. Davi perdeu a temperança.

• Logo, a INTEMPERANÇA LEVA O SERVO DE DEUS A PECAR. Vejamos:

• (1) – ERA TEMPO DE SAIR – II Sm 11:1-2 – Exatamente quando devia orar, vigiar e procurar saber como estavam seus soldados no campo de batalha, Davi “ficou em casa”, “se pôs a dormir à hora da tarde”, “levantou-se do seu leito” e “foi passear no terraço real da sua casa”. Enquanto assim procedia, viu uma mulher se banhando e esta era formosa à vista.

• (2) – UM PASSEIO FORA DE TEMPO - Este passeio custou muito caro ao soberano de Israel: levou-o à tentação, à cobiça da mulher do próximo e, por fim, ao adultério. O pecado da cobiça leva o homem ou a mulher a perder a temperança e a ficar sob o desejo da carne.

• (3) – UMA PESSOA PODE LEVAR OUTRA A PECAR – II Sm 12:2-4 – Bateseba, que fora tomar banho em local inapropriado, contribuiu para a queda de Davi. O exibicionismo nudista da esposa de Urias levou Davi a quebrar um dos maiores preceitos de Deus (Lv 18:20). Os cristãos devemos ser cuidadosos com nosso modo de vestir e de andar diante do sexo oposto.

• (4) – QUER CONHECER O SER HUMANO? DÊ-LHE UM POUCO DE PODER – II Sm 11:4 - Às vezes uma pessoa numa posição de muito poder acha que pode fazer o que quiser. Davi não era mais o humilde pastor de Belém; era o poderoso rei de Israel! Sendo assim, lançou mão de sua posição para fazer o que era errado.

• (5) – DAVI ENCOBRIU O PECADO – Tentou encobrir sua falta, maquiar seu pecado (II Sm 11:10). Mas, assim como aconteceu com Davi, nosso pecado um dia será exposto (Nm 32:23).

• (6) – PECADO GERA PECADO – Bateseba ficou grávida (II Sm 11:5). Davi, com medo de seu pecado ser exposto, cometeu outro: Tirou a vida de Urias (II Sm 11:15).

OBSERVAÇÃO: Bateseba era filha de Eliã e esposa de Urias (II Sm 11:3). Tanto o seu pai quanto o seu marido faziam parte dos 30 heróis de Davi (II Sm 23:8, 34, 39).

• (7) – DAVI FICOU INSENSÍVEL – Continuou a vida como se nada houvesse acontecido (II Sm 11:25, 27). Quando um homem de Deus chega a esta ponto é sinal de que sua consciência já está totalmente cauterizada (I Tm 4:2).




III – A PARÁBOLA PROFERIDA POR NATÃ:



• II Sm 12:1-15 – O homem mais santo é capaz de pecar, de transgredir. Davi era um homem segundo o coração de Deus. Porém, o Deus Santo não faz acepção de pessoa e não tem o culpado por inocente – Dt 10:17; Na 1:3; At 10:34.

• (1) – A TENTAÇÃO BATE À PORTA – II Sm 12:4 – Simbolicamente, o “viajante” era a “tentação” que bateu “à porta de Davi”. Tenhamos cuidado com este “viajante perigoso”, que bate em todas as portas: do rico, do pobre, do pastor, do presbítero, do diácono, do solteiro, do casado, do jovem..., de todos os servos do Senhor.

• (2) – UM JULGAMENTO PRECIPITADO – II Sm 12:5-6 – O furor de Davi se acendeu contra aquele homem. Nem notou que a mensagem era para si! Condenou à morte o que tomara a única ovelha do pobre. É sempre assim! AQUELE QUE VIVE A PECAR, NÃO SUPORTA AS FALTAS DOS SEUS IRMÃOS; ESTÃO SEMPRE A ACUSAR OS OUTROS!

• (3) – A TENTAÇÃO NÃO VEM DE DEUS – Tg 1:13-14 – Às vezes o Senhor a consente (a título de provação), para convencer o homem de seus erros e trazê-lo para mais perto de Si. Aconteceu assim com Davi, sendo necessário o envio de um profeta para levar-lhe uma mensagem de arrependimento.

• Ao contrário, o que vem do Senhor são bênçãos! Anotemos quatro dádivas concedidas por Deus ao rei Davi: II Sm 12:7-8

• (A) – EU te ungi rei sobre Israel;

• (B) – EU te livrei das mãos de Saul;

• (C) – EU te dei a casa de teu Senhor; e

• (D) – EU te dei a casa de Israel e de Judá. 



IV – O PECADO TEM SUAS CONSEQÜÊNCIAS:



• Depois de cometer o pecado, Davi foi repreendido por Deus, ouvindo a sentença por sua transgressão – II Sm 12:101-2. Apesar de ser perdoado pelo Senhor, Davi colheu o fruto de seu pecado:

• (1) – Morreu seu primeiro filho com Bateseba (II Sm 12:14-18);

• (2) – Sua filha, Tamar, foi desonrada por Amnon, também seu filho (II Sm 13:12-14);

• (3) – Amnon foi assassinado por Absalão (II Sm 13:28-29);

• (4) – Absalão se revoltou contra seu pai (II Sm 15:10-14);

• (5) – Absalão adulterou com as mulheres do pai em plena praça pública (II Sm 16:20-23)

• (6) – Absalão foi morto por ter se rebelado contra seu pai (II Sm 18:9-17); e

• (7) – Tempos depois, já no final do reinado de Davi, Adonias, seu filho, também seria morto à espada (I Rs 2:24-25).



V - O PROCESSO DA TENTAÇÃO:



- É importante entendermos o terrível processo da tentação, a fim de que nos resguardemos dele. A tentação em si não é pecado. Pecado é praticar o que a tentação sugere. A tentação se constitui num processo que tem os seguintes passos:

- (1) - ATRAÇÃO DO DESEJO (Tg 1:14a) - Primeiro vem a atração pelos sentidos: visão (I Jo 2:16); audição (I Cor 15:33); olfato, gosto e tato (Pv 6:17).

- (2) - ENGODO ou ISCA - (Tg 1:14b) – Engodada pela própria consciência, a pessoa é atraída, seduzida.

- (3) - CONCEPÇÃO DO DESEJO (Tg 1:15a)  - Na mente e nos pensamentos o desejo é concebido. Só se faz o que se pensa (Mc 7:21-23). Neste ponto, ainda se pode evitar o pecado.

- (4) - O PECADO É GERADO - (Tg 1:15b) - Ainda na mente, já nasce o pecado. Alguém pode adulterar só na mente (Mt 5:27-28).

- (5) - A CONSUMAÇÃO DO PECADO (Tg 1:15c) – A morte aqui, é morte espiritual. Nesse ponto, só há solução se houver arrependimento, em vida.



VI - COMO VENCER A TENTAÇÃO?:



- (1) - EVITEMOS OPORTUNIDADE DA TENTAÇÃO E PERMANEÇAMOS NO SENHOR - Não pulemos a cerca para o terreno do diabo (At 11:22-23; I Cor 7:37 cf Dn 1:8; Rt 1:16-18). Não precisamos lutar com nossa força, pois recebemos forças de Deus (II Ts 1:11; Hb 13:21 cf Sl 39:1; I Tm 6:11; II Tm 2:22; I Jo 5:18). Tenhamos disciplina pessoal - (I Cor 9:25, 27).

- (2) - RESISTAMOS AOS COMEÇOS E MATENHAMOS O MAL À DISTÂNCIA - Muitos se sentiram livres para começar e depois presos para sair. O diabo tem arruinado muitas pessoas que se acham curiosas para ver como é o pecado (Pv 22:5; 4:14-15; Sl 119:101; Pv 7:8; Lc 22:54-55 cf Sl 63:8)

- (3) - ENCHAMOS O CORAÇÃO E A MENTE COM AQUILO QUE É BOM E SADIO PARA NÃO DEIXARMOS LUGAR ALGUM PARA O MAL - Muitos enchem suas mentes com revistas pornográficas, conversas imorais, etc. (Pv 4:23). Devemos saber utilizar a Palavra de Deus - (Mt 4: 1-11 cf Ef 6:17), ocupando a mente com as coisas espirituais. Isso se consegue através da oração, jejum, estudo da Palavra de Deus e leitura de bons livros; servindo, evangelizando, louvando, participando da obra do Senhor, santificando a mente, a vida e o corpo (I Ts 4:1-7).

- (4) - VIGIEMOS E OREMOS - (Apc 16:15 cf Sl 40:11; Lc 22:40; I Ts 5:17) - Precisamos vigiar e orar em todo o tempo diante dos ataques constantes de satanás (Mt 13:33; Ef 6:18; I Pe 4:7; Lc 21:36; Mt 24:43). Não conhecemos de antemão a natureza e o tempo de uma tentação. Ela chega sem aviso prévio. Mediante a oração regular, armazenamos forças para os conflitos da vida. A oração faz com que o crente não entre em tentação (Sl 27:8, 14; 31:20-24; Mt 26:41)

- (5) - EVITEMOS A COMPANHIA DAQUELES QUE DÃO MAU EXEMPLO - (I Cor 15:33; Pv 22:24; 20:19; Sl 1:1; Js 23:12-13) – Não nos impressionemos com a maioria para fazermos o mal errando com os que erram (Ex 23:1-2; Ez 44:10 cf Pv 16:17).

- (6) - RESISTAMOS AO DIABO - O inimigo sabe qual é o ponto fraco de cada crente. Mas, com determinação e resistência no Espírito, é possível sairmos vitoriosos (Tg 5:17; I Pe 5:8-9).

- (7) - BUSQUEMOS A SANTIFICAÇÃO - É preciso que o crente viva a separação integral para Deus (I Ts 5:23; Hb 12:14; I Pe 1:15)


VII - CONSIDERAÇÕES FINAIS:



• Davi jamais teria dado uma segunda olhada, mesmo que ligeira, em BateSeba, se pudesse ter antevisto os resultados arrasadores. No entanto, tudo isso está expresso na poderosa Palavra do Senhor, não apenas para nos instruir e para que tenhamos temor a Ele, mas também para espantar de nossas vidas a luxúria e a sensualidade, que podem derrubar um homem e uma mulher segundo o coração de Deus!




FONTES DE CONSULTA:


- A Mensagem do Sermão do Monte - ABU EDITORA - John R. W. Stott

- Revista Obreiro Aprovado – CPAD - Nº 63 – ANO XVI

- Disciplinas do Homem Cristão – CPAD – R. Kent Hughes

- Lições Bíblicas CPAD – 4º Trimestre de 1993 – Comentarista: José Apolônio

- Lições Bíblicas CPAD – 3º Trimestre de 1997 – Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima

- Anotações pessoais






7 de nov de 2009

LIÇÃO Nº 07 - 15/11/2009 - "A EXPANSÃO DO REINO DAVÍDICO"

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM ENGENHOCA – NITERÓI - RJ
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
LIÇÃO 07 - DIA 15/11/2009
TÍTULO: “A EXPANSÃO DO REINO DAVÍDICO”
TEXTO ÁUREO – II Sm 5:10
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: II Sm 5:6-10
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e.mail: geluew@yahoo.com.br





I – INTRODUÇÃO:

 • - Jerusalém aparece na Bíblia e na História como a cidade escolhida pelo Senhor para ser a revelação do único e verdadeiro Deus, o centro do Seu culto, de Suas leis e Sua revelação pessoal, com a missão de proclamá-Lo a todo o mundo.

 • - Leiamos Ex 25:8; Ez 37:26-28. 


• - Desta forma...

• (1) - Israel é o centro do mundo;

• (2) - Jerusalém é o centro de Israel;

• (3) - o Templo é o centro de Jerusalém;

• (4) - o Santo dos Santos é o centro do Templo; 

• (5) - A Arca da Aliança (aspergida com o sangue do Cordeiro), é o centro do Santuário;


• (6) - o Santuário é o Cordeiro de Deus! (Apc 21:22)


• - Isto porque, simbolicamente falando, o Santuário representa a presença de Deus no meio (centro) de Seu povo:


• (1) - Mt 18:20 ("... aí estou eu NO MEIO deles"); 


• (2) - Lc 24:36 ("... Jesus se apresentou NO MEIO..."); 


• (3) - Jo 20:19, 26 ("... chegou Jesus e pôs-se NO MEIO..." e "... apresentou-se NO MEIO...");  


• (4) - Apc 1:13 ("... NO MEIO dos candeeiros..."); 




• (5) - Apc 2:1 ("... anda NO MEIO dos sete candeeiros...").



II - A JERUSALÉM TERRESTRE:

• - A vontade e o conselho de Deus nunca são mudados! Por isso, sob todos os aspectos, Jerusalém era, é e será o centro deste mundo. Até mesmo geograficamente o Senhor localizou Jerusalém em posição central. Veja no mapa abaixo:


"ASSIM DIZ O SENHOR JEOVÁ: ESTA É JERUSALÉM; PU-LA NO MEIO DAS NAÇÕES E TERRAS QUE ESTÃO AO REDOR DELA" - (Ez 5:5)

• - Ela é a mesma cidade conhecida por muitos nomes, tais como:

• (1) – Salém, onde reinava Melquisedeque (Gn 14:18 cf Sl 76:2);

• (2) - Sião, uma das colinas onde está edificada Jerusalém (I Rs 8:1; Sl 87:2; Zc 9:13);

• (3) - Jebus (Js 18:28; Jz 19:10);

• (4) - Ariel ou Lareira de Deus (Is 29:1);

• (5) - Cidade de Justiça (Is 1:26);

• (6) – Cidade de Deus (Sl 46:4; 48:1; 87:3);

• (7) - Cidade do Grande Rei (Sl 48:2; Mt 5:35);

• (8) - Cidade de Davi (II Sm 5:7; Is 22:9);

• (9) - Cidade Santa (Ne 11:1; Is 48:2; 52:1; Jl 3:17; Mt 4:5);

• (10) - Cidade de Judá (II Cr 25:28);

• (11) – Cidade da Verdade (Zc 8:3);

• (12) – Cidade Fiel (Is 1:21, 26);

• (13) – Cidade Inesquecível (Is 62:12);

• (14) – Monte Santo (Dn 9:16);

• (15) – Perfeição da Formosura (Lm 2:15);

• (16) – Trono do Senhor (Jr 3:17);

• (17) - Sião monte santo - e que muitas vezes tem o sentido de toda a Jerusalém - (Sl 9:11; 76:2; Is 8:18);

• (18) – Sião do Santo de Israel (Is 60:14);

• (19) – Cidade das Solenidades (Is 33:20);

• (20) – Oolibá = "Minha Tenda Está Nela" (Ez 23:4)


• - COMO TIPO DE IGREJA, TEM AINDA OS SEGUINTES TÍTULOS:

• (1) - Nova Jerusalém (Apc 21:2);

• (2) - Jerusalém que é lá de cima (Gl 4:26);

• (3) - Cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus (Hb 11:10);

• (4) - Jerusalém celestial e Cidade do Deus Vivo (Hb 12:22)

• - É uma cidade amada por todos os judeus – Sl 122:2

• - Mesmo estando no Cativeiro, em Babilônia, os judeus não esqueciam Jerusalém - Sl 137:5-6.

• - É uma cidade odiada pelos seus inimigos - Salmo 137:7.


• - HAVIA DOZE PORTAS NO MURO DE JERUSALÉM. Vejamos:

• (1) - Porta Superior de Benjamim (Jr 20:2; 37:13);

• (2) - Porta do Peixe (II Cr 33:14; Ne 3:3; 12:39);

• (3) – Porta das Ovelhas (Ne 3:1; 12:39; Jo 5:2);

• (4) – Porta da Guarda ou da Prisão (Ne 3:31; 12:39);

• (5) – Porta de Efraim (II Rs 14:13; Ne 12:39);

• (6) – Porta do Vale (II Cr 26:29; Ne 2:13);

• (7) - Porta das Águas (Ne 3:26; 8:3);

• (8) – Porta dos Cavalos (II Cr 23:13; 3:28);

• (9) – Porta Velha (Ne 3:6; 12:39);

• (10) – Porta da Esquina (II Rs 14:13; II Cr 26:9);

• (11) – Porta do Monturo (Ne 3:13-14; 12:31);

• (12) – Porta da Fonte (Ne 3:15).

• - Não esqueçamos: A JERUSALÉM CELESTE TAMBÉM TEM UM GRANDE E ALTO MURO COM DOZE PORTAS – Apc 21:12.

• - Durante o reinado de Davi, Jerusalém tornou-se o centro de adoração a Deus para toda nação israelita. Isto foi possível devido à sábia decisão daquele rei, que ordenou aos sacerdotes e levitas transportarem a Arca de Deus para Jerusalém, abrigando-a em um Tabernáculo. Desta forma, podemos identificar o legado de Davi para a história bíblica e para a Igreja (I Cr 15:17-27; II Cr 10; 11:1-17).

• - Enfim, totalmente destruída no ano 70 da nossa era, quando capturada pelas forças romanas comandadas pelo general Tito, Jerusalém voltará a ser a cidade central em Israel e no mundo, no reino milenar de Cristo.


III – O CRESCIMENTO E A EXPANSÃO DA IGREJA DE JERUSALÉM:

• - Da cidade onde Jesus terminou o Seu ministério saiu o Evangelho para transformar a terra, mudando o rumo da História do Mundo. Leiamos At 2:42-27; 4:32-35:

• - Há informações históricas de que a população de Jerusalém naquela época era de 200 mil pessoas, DAS QUAIS A METADE CONSTITUÍA-SE DE CRISTÃOS. Como explicar esse avanço?


• -  Resposta: A IGREJA DE JERUSALÉM ERA CHEIA DO ESPÍRITO SANTO! Analisemos:


• (1) - HAVIA ESTUDO DA PALAVRA DE DEUS (At 2:42) - Esta Igreja não se orientava pelas “novas revelações”. Era, sim, submissa à doutrina dos apóstolos.

• (2) - HAVIA COMUNHÃO (At 2:42) - A palavra grega é KOINONIA, cujo significado é duplo:

• (A) - Compartilhar nossos recursos materiais e nossas potencialidades inatas, inclusive trocando serviços na comunidade; e

• (B) - Princípio de caridade ao pobre, tendo como base At 2:45 e 11:29, ou seja, DAR NA MEDIDA DA POSSE; NA MEDIDA QUE ALGUÉM TENHA NECESSIDADE. Se pretendemos ser uma Igreja como a de Jerusalém, não podemos estar alheios às necessidades dos irmãos e às do nosso próximo

• (3) - HAVIA ADORAÇÃO (At 2:42) - “...no partir do pão e nas orações” - No culto a Deus deve haver lugar para os hinos, as manifestações de louvor e a liturgia ( = SERVIÇO DIVINO - Significa, primariamente, o serviço que prestamos a Deus. Com a evolução dos séculos, passou a designar a linguagem, os gestos e cânticos usados no culto cristão).

• (4) - HAVIA EVANGELISMO (At 2:47) - A evangelização da Igreja de Jerusalém tinha cinco dimensões:

• (A) - A DIMENSÃO DA SOBERANIA DE DEUS - “...acrescentava-lhes o Senhor”

• (B) - A DIMENSÃO DA COERÊNCIA E AUTORIDADE - Eles aglutinavam serviço social e evangelismo. Era uma Igreja que evangelizava todo o homem e cuidava do “homem todo”.

• (C) - A DIMENSÃO DA NATURALIDADE - “... dia a dia” eles evangelizavam. Não precisavam de grandes eventos ou apresentações especiais; estavam sempre disponíveis e a Igreja crescia naturalmente aonde iam.

• (D) - A DIMENSÃO DO LOUVOR - “... louvando a Deus” - Esta deve ser a maneira do cristão viver. O mundo não se deixará convencer pela razoabilidade da nossa doutrina, mas por um estilo de vida.

• (E) - A DIMENSÃO DA SIMPATIA - Às vezes, pensamos que se orarmos, jejuarmos, formos sinceros e piedosos, teremos sucesso automaticamente quando evangelizarmos. Mas precisamos ter a estratégia, também. A Igreja de Jerusalém usava o método certo: A SIMPATIA.

• (5) - O CRESCIMENTO SE DEU PELA MULTIPLICAÇÃO (At 6:7) - Na obra do crescimento, não podem existir as operações de diminuir ou dividir.

• (6) - O CRESCIMENTO SE DEU PELA EVANGELIZAÇÃO DOS LARES (At 5:42) - Aqui está o ponto de maior importância relacionado com a expansão da Igreja. As casas são locais ideais para o trabalho de evangelização objetivando o crescimento da Igreja.

• (7) - O CRESCIMENTO SE DEU PELA IMPLANTAÇÃO DE NOVAS IGREJAS (At 9:31) - Mais uma vez vemos o verbo “MULTIPLICAR” que vem ressaltar a descentralização do trabalho. Onde quer que os novos crentes chegassem, uma nova Igreja era implantada.

• - Em suma: A evangelização, no poder do Espírito Santo, propiciou o crescimento e a expansão da Igreja em proporções geométricas. Analisemos:

• (1) - (At 1:13 - doze apóstolos);

• (2) - (At 1:15 - quase 120 pessoas);

• (3) - (At 2:41 - quase 3000 pessoas);

• (4) - (At 2:47 - Todos os dias almas eram salvas);

• (5) - (At 4:4 - quase 5000 almas);

• (6) - (At 5:14 - multidão crescia cada vez mais);

• (7) - (At 5:28 - Jerusalém foi evangelizada);

• (8) - (At 6:1 - crescia o número de discípulos);

• (9) - (At 6:7 - multiplicava-se o número de discípulos);

• (10) - (At 8:4 - os que fugiram de Jerusalém, pregaram em toda Samaria);

• (11) - (At 9:31 - Igrejas se multiplicavam em toda Judéia, Galiléia e Samaria);

• (12) - (At 9:35 - Todos os habitantes de Lida e Sarona se converteram ao Senhor);

• (13) - (At 9:42 - Por toda Jope muitos creram no Senhor);

• (14) - (At 11:19 - Evangelização dos judeus na Fenícia, Chipre e Antioquia);

• (15) - (At 11:20-21 - Grande número de salvos em Antioquia);

• (16) - (At 11:24 - Muita gente salva em Antioquia);

• (17) - (At 12:24 - A palavra de Deus crescia e se multiplicava);

• (18) - (At 14:1 - Uma grande multidão foi salva em Icônio);

• (19) - (At 16:5 - As Igrejas cresciam em número);

• (20) - (At 17:4 - Grande multidão creu em Tessalônica);

• (21) - (At 17:12 - Muitos salvos em Beréia);

• (22) - (At 18:10 - Muita gente salva em Corinto);

• (23) - (At 19:10 - Todos os habitantes da Ásia ouviram a Palavra);

• (24) - (At 21:20 - Milhares de judeus creram)


IV- CONSIDERAÇÕES FINAIS:

• (1) - Os três relacionamentos de uma Igreja cheia do Espírito Santo são: COM DEUS, COM O PRÓXIMO e COM O MUNDO.

• (2) - A Igreja cheia do Espírito Santo ESTUDA A PALAVRA, ADORA A DEUS, EVANGELIZA e PRATICA O FRUTO DO ESPÍRITO.

• (3) - Assim, se uma Igreja deseja realizar a obra do crescimento e expansão de modo dinâmico e efetivo, TERÁ DE CONTAR PRIMORDIALMENTE COM O ESPÍRITO SANTO E A METODOLOGIA CERTA PARA CANALIZAR SUAS AÇÕES EVANGELÍSTICAS.





FONTES DE CONSULTA:

1) A Bíblia Vida Nova – Edições Vida Nova

2) Esboço de A a Z - Editora Vinde - Autor : Caio Fábio

3) Lições Bíblicas - Edições CPAD - 1º Trimestre de 1993 - Comentarista: Geremias do Couto

4) Lições Bíblicas – Edições CPAD – 2º Trimestre de 1992 – Comentarista: Geziel Nunes Gomes

5) Apostila do Pr. Isaías Gomes de Oliveira “CRESCENDO NA GRAÇA E NO CONHECIMENTO”

6) Dicionário Teológico - Edições CPAD - Autor: Claudionor Corrêa de Andrade

7) Não é possível contornar Jerusalém – Chamada da Meia-noite – Wim Malgo

8) Site na Internet - Colaboração para o Portal EscolaDominical: Prof. Antonio Sebastião da Silva

9) Sombras, Tipo e Mistério da Bíblia - CPAD - Joel Leitão de Melo