Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







19 de mar de 2014

1º TRIMESTRE DE 2014 - LIÇÃO Nº 12 - 23.03.2014 - "A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 12- DATA: 23/03/2014
TÍTULO: “A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES”
TEXTO ÁUREO – Hb 9.22
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Ex 29.1-12

PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/









I – INTRODUÇÃO:





A consagração dos sacerdotes incluía: lavagem cerimonial, paramentação e unção, e a oferta de três sacrifícios em favor dos sacerdotes. Isto porque, aquele que fosse ministrar diante de Deus precisava antes experimentar em sua própria vida aquilo que procuraria levar os outros a experimentar.





II – A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES:




Ex 29.1-37 – Nesta passagem tem-se a descrição da cerimônia de consagração dos sacerdotes, estabelecida por Deus e que teve dois efeitos práticos:




(1º) – Levou todo o povo a impressionar-se com a importância do sacerdócio; e




(2º) – Levou os próprios homens que seriam consagrados a tomarem consciência do valor e da importância das funções que estavam recebendo de Deus.




A cerimônia de consagração constava dos seguintes atos, todos eles simbólicos:




(1) – LAVAGEM DOS SACERDOTES COM ÁGUA – Ex 29.4 – A água tinha dois sentidos:




(1.1) – O de travessia de uma situação para outra, para entrada numa situação de privilégio. Foi neste sentido que o povo foi batizado em Moisés e na água ao atravessar o Mar Vermelho, deixando para trás a escravidão do Egito para alcançar a terra prometida por Deus; e




(1.2) – Lembrava aos sacerdotes o seu dever de serem zelosos, buscando ser espiritualmente puros diante de Deus – Hb 10.22.




A grande necessidade e a importância da pureza moral ou santidade, podem ser avaliadas nas seguintes passagens bíblicas: Is 52.11; Jo 13.10; II Cor 7.1.




(2) – VESTIDURA COM AS VESTES ESPECIAIS, PREPARADAS SEGUNDO ESPECIFICAÇÕES FEITAS PELO PRÓPRIO DEUS – Ex 29.5-9 – Com essas roupas os sacerdotes seriam investidos em funções e vistos pelo povo como separados para o ofício sacerdotal. Cada parte das vestes e da ornamentação tinha um sentido espiritual, simbolizando realidades eternas, prefigurando as belezas e a dignidade eternas de Cristo. Enfim, os sacerdotes de Deus devem estar adornados conforme a beleza da santidade.




(3) – A UNÇÃO DOS SACERDOTES – Ex 29.7; Lv 8.12, 24, 30; 10.7 cf Sl 132; I Jo 2.27 – O óleo da unção devia ser derramado sobre a cabeça do sacerdote. Esse ato seria o símbolo da presença, aprovação e capacitação do Espírito Santo para o desempenho de uma missão especial. Não basta termos o Espírito de Deus para a formação do nosso caráter cristão; precisamos da Sua unção para que possamos exercer os serviços do Senhor.





III – OFERTAS DE SACRIFÍCIOS PARA EXPIAÇÃO DOS PECADOS E DEDICAÇÃO DA VIDA A DEUS:




Ex 29.10-21 – Os sacrifícios seriam três: Um novilho ou bezerro para o sacrifício pelo pecado (Ex 29.10-14); um carneiro para a oferta queimada (Ex 29.15-18); e outro carneiro para a consagração (Ex 29.19-21).




(1) – O BEZERRO DA CONSAGRAÇÃO - Ex 29.10-14 – Aponta para a pessoa de Jesus como o servo sofredor, cheio de mansidão.




O fato de Arão e seus filhos porem as mãos sobre a vítima indica a sua identificação com ela.




O bezerro degolado, cujo sangue derramava-se à base do altar, aponta para Jesus – Is 53.12 cf Lv 17.11.




As entranhas do animal eram queimadas sobre o altar, dentro do arraial. Jesus deixou-se gastar em favor do Seu povo Israel.




Ex 29.14 cf Hb 13.11, 15-16 - O restante, como a carne, a pele, o esterco, etc., tudo deveria ser queimado fora do arraial, por ser oferta pelo pecado. Jesus foi morto fora das portas de Jerusalém. Se queremos oferecer a Deus verdadeiros sacrifícios de louvor, nos quais Ele se compraz, temos de seguir o exemplo de Jesus, que ofereceu-Se em sacrifício na cruz, fora dos muros de Jerusalém.




(2) – OS CARNEIROS DA CONSAGRAÇÃO – Ex 29.15-21 – Depois de imporem as mãos sobre o primeiro carneiro, que é um tipo de Cristo como ofertante, degolam-no, partem-no em pedaços, lavam-lhe as entranhas e pernas e em seguida queimam-no totalmente.




As entranhas, bem como as pernas lavadas com água, falam da plena santidade de Cristo, tanto íntima como exterior. Indicam, portanto, a nossa correta maneira de andar – Hb 13.20-21.




Ex 29.19-22 - Depois, tomava-se outro carneiro – tipo de Cristo como oferta -, qual, mediante imposição de mãos, era degolado e com o seu sangue ungia-se a orelha direita e o dedo polegar da mão e do pé direito de Arão e de seus filhos.  




A orelha direita indica que os ouvidos dos sacerdotes estavam ungidos e prontos para ouvir a Palavra de Deus.




Os polegares da mão direita de Arão e seus filhos indicam a prática do bem as boas obras – Ef 2.10.




Os polegares dos pés indicam preparação para caminhar pelo reto caminho – Sl 1.1.




Esta unção da orelha à ponta dos dedos dos pés, indicando as extremidades do corpo, nos ensina a empregarmos toda a nossa vida a serviço de Deus – Sl 103.1-2.




O fato da unção com sangue apenas no lado direito, identifica os sacerdotes com os escolhidos de Cristo, os quais estão à direita – Mt 5.33-34.





IV – CRISTO, PERPÉTUO SUMO SACERDOTE:









MELQUISEDEQUE significa “REI DA JUSTIÇA”; “O REI É JUSTO”; “MEU REI É JUSTIÇA”; “O MEU REI É ZEDEQUE (JUSTIÇA)”.









Melquisedeque não é Jesus, pois este é superior àquele - Gn 14:18-24 cf Hb 6:19-20 cf Hb 7:1-2 – Observemos:









(1) - Não houve nenhuma adoração de Abraão a Melquisedeque;









(2) – “SEGUNDO A ORDEM DE MELQUISEDEQUE” - Ou seja, assumiu a posição de Melquisedeque, isto é, nivelou-se a Melquisedeque. Porém, JESUS FOI O “PRECURSOR” e “feito ETERNAMENTE SUMO-SACERDOTE” (At 7:55-56).









(3) - Hb 7:1-2 - Melquisedeque “ERA” rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo. “E, primeiramente, é POR INTERPRETAÇÃO, rei de Justiça e depois também rei de Salém, que é rei da Paz”.









(3.1) - Jesus nunca “ERA”; Ele sempre “É” - Sl 23:1; Mc 2:28; Jo 1:49; 12:12-16; 18:33-40; 19:1-5, 12-16; 17-22; Fp 2:10-11; I Tm 1:17; 6:15; Apc 1:5; 15:3; 17:14; 19:16









(3.2) - Hb 7:1-2 - O nome MELQUISEDEQUE é citado ANTES DOS TÍTULOS. De igual modo, Jesus veio primeiro para dar a JUSTIÇA DE DEUS aos homens. Na segunda vinda, Jesus dará PAZ UNIVERSAL. Assim também, em nossa experiência pessoal, primeiro recebemos a JUSTIÇA com a purificação dos pecados e, em segundo, experimentamos Sua PAZ.









(3.3) - Hb 7:3 - SEM GENEALOGIA - Não quer dizer, na verdade, que Melquisedeque não tinha pai, mãe, nem fim de governo, mas está fazendo UMA COMPARAÇÃO LITERÁRIA, ou seja, DA MESMA FORMA COMO MELQUISEDEQUE APARECE SUBITAMENTE EM Gn 14, sem genealogia e sem menção de sua morte, assim  Cristo, na verdade, NÃO TEVE PRINCÍPIO E NEM FIM, POIS CRISTO É ETERNO (Apc 1:8).









Ainda mais: Ed 2:1-2, 36, 40-42, 61-63 - SERÁ QUE TODOS ESTES SACERDOTES QUE NÃO TINHAM GENEALOGIAS ERAM JESUS PRÉ-ENCARNADO?









(3.4) - Melquisedeque apareceu de repente. Assim, o Rei Jesus aparecerá de repente para arrebatar a sua Igreja.









(3.5) - Abraão era profeta (Gn 20:7), Melquisedeque era sacerdote e rei, JESUS É PROFETA (Dt 18:18; Is 42:1 cf Rm 15:8; At 3:22-23; Mc 1:27; 6:4, 15; Jo 4:16-19; 6:14; 9:17; Lc 7:16; 24:19), SACERDOTE (Hb 8:1-3) E REI (Sl 110:1-4; Zc 6:13 cf Hb 10:13; Is 11:1-9; Sl 72; Jo 18:36; Mt 25:31; Lc 23:42;).









(4) - REI DE JUSTIÇA - REI DE PAZ - (Is 9:6; 32:1; Ef 2:13-16; I Tm 6:13-16).









(5) - Gn 14:18-20 cf Gn 15:1; 17:1.









(6) - Gn 14:23 - NÃO TOMAREI COISA ALGUMA DO QUE É TEU - Será que o rei de Sodoma é SATANÁS ENCARNADO?









(7) - REI e SACERDOTE - Melquisedeque era maior que Abraão e, por isso, o abençoou (Hb 7:1, 4, 6) - JESUS É MAIOR DO QUE TODOS E NELE ALCANÇAMOS TODAS AS BÊNÇÃOS ESPIRITUAIS (Zc 9:9; Jr 23:5-6; Hb 4:15; 5:4-10 cf Hb 7:4; Ef 1:3).









(8) - PÃO E VINHO - Melquisedeque trouxe pão e vinho para Abraão, após este ter alcançado uma vitória. Cristo nos convida à Sua mesa para, com o pão e o vinho, SÍMBOLOS DE SUA MORTE, fortificar a vida daqueles que estão empenhados numa luta espiritual.









(9) - Não houve mais cumulação dos cargos de SACERDOTE-REI - Nm 3:10 cf II Cr 26:16-21.











V – CONSIDERAÇÕES FINAIS:









O sacerdócio instituído por Deus para o povo hebreu era provisório. Os sacerdotes prefiguravam a pessoa do eterno e perfeito Sumo Sacerdote, que Deus manifestaria no mundo para a nossa redenção, para ser o único e perfeito Mediador entre homens e Deus: Jesus Cristo. Ele mesmo se deu em sacrifício pela nossa salvação. Como eterno Sumo Sacerdote, Jesus entrou no santuário de Deus, no céu, tendo se oferecido a Si mesmo como perfeito sacrifício, o do Filho e Cordeiro de Deus, e abriu, inaugurando para nós, um novo caminho, pelo qual podemos entrar até à presença de Deus – Hb 10.19-21.









FONTES DE CONSULTA:


Lições Bíblicas - CPAD - 2º Trimestre de 1995 - Comentarista: Valdir Nunes Bícego 

Conhecendo as Doutrinas da Bíblia - CPAD - Myer Pearlman 

Títulos e Dons do Ministério Cristão - CPAD - Estêvam Ângelo 

O Tabernáculo e a Igreja – CPAD – Abraão de Almeida

Comentário Bíblico Devocional – Editora Betânia – F. B. Meyer