Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







10 de abr de 2013

2º TRIMESTRE DE 2013 - LIÇÃO Nº 02 - 14/04/2013 - "O CASAMENTO BÍBLICO"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 02 - DATA: 14/04/2013
TÍTULO: “O CASAMENTO BÍBLICO"
TEXTO ÁUREO – Gn 2.24
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Gn 1.27, 31; 2.18, 20-24
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO 
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/






I - INTRODUÇÃO:



A monogamia, a heterossexualidade e a indissolubilidade do casamento estão implícitas na história de Adão e Eva, visto que Deus criou apenas uma esposa para Adão e juntou, para formação de um casal, um macho e uma fêmea, até que a morte os separasse.



II – A POLIGAMIA:



A poligamia nunca foi estabelecida por Deus para nenhum povo, sob circunstância alguma.



De fato, a Bíblia diz que Deus puniu severamente aqueles que a praticaram, como se pode ver pelo seguinte:



(1) – A primeira referência à poligamia ocorreu no contexto de uma sociedade pecadora em rebelião contra Deus, na qual o assassino Lameque “... tomou para si duas esposas” – Gn 4.19, 23.



(2) – Deus, repetidamente, advertiu os polígamos quanto às consequências de seus atos - Dt 17.17; I Rs 11.2.



(3) – Deus nunca ordenou a poligamia; como o divórcio, Ele somente permitiu, por causa da dureza do coração do homem – Dt 24.1; Mt 19.8



(4) – Todo praticante da poligamia na Bíblia pagou um alto preço por seu pecado – I Cr 14.3



Aliás, a Bíblia demonstra que a poligamia trazia tribulação, e frequentemente leva ao pecado, como, por exemplo, nos casos de Abraão (Gn 16.1-9; 21.8-14); Jacó (Gn 30.1-24; 37.1-4, 17-36); Gideão (Jz 8:29-9:57); Davi (2 Sm 11; 13); Salomão (l Rs 11:1-11).



Ciúmes na família se originam daí, como no caso das duas esposas de Elcana, uma das quais se mostrava adversária da outra (l Sm 1:6 cf. Lv 18:18).



(5) – Deus odeia a poligamia, assim como o divórcio, porque destróem o Seu ideal para a família – Ml 2.16.





III – A MONOGAMIA:



A monogamia é o padrão de Deus para os homens. Isto está claro nos seguintes fatos:



(1) – Desde o princípio Deus estabeleceu este padrão ao criar o relacionamento monogâmico de um homem com uma mulher – Gn 1.27; 2.21-25.



(2) – Esta ficou sendo a prática geral da raça humana, seguindo o exemplo estabelecido por Deus, até que o pecado a interrompeu – Gn 4.1, 23.



(3) – A Lei de Moisés claramente ordena a proibição da multiplicação de mulheres – Dt 17.17.



(4) – A advertência contra a poligamia é repetida na própria passagem bíblica que dá o número das muitas mulheres de Salomão – I Rs 11.2 (- “Não caseis com elas, nem casem elas convosco”).



(5) – Jesus reafirmou a intenção original de Deus, e ao observar que Deus “os fez homem e mulher” e os juntou em casamento – Mt 19.4.



(6) – O N.T. enfatiza que “cada um tenha a sua própria esposa (no singular), e cada uma, o seu próprio marido (no singular)” – I Cor 7.2.



(7) – De igual forma, Paulo insistiu que o líder da Igreja deveria ser “esposo de uma só mulher” – I Tm 3.2, 12.



(8) – Na verdade, o casamento monogâmico é uma prefiguração do relacionamento entre Cristo e Sua noiva, a Igreja – Ef 5.31-32.





IV – O PRINCÍPIO DA HETEROSSEXUALIDADE:



Gn 1.26-27; 2.24 – Deus criou um ser masculino e um feminino.



Ele não uniu dois machos ou duas fêmeas; Ele não criou para Adão um outro homem; Ele não trouxe Eva para se unir a outra mulher; Ele uniu um homem e uma mulher, um macho e uma fêmea, Adão e Eva.



Após uni-los, Deus os abençoou e, só então, disse: “Crescei e multiplicai-vos”. Isto é, o Senhor estabeleceu que Adão e Eva teriam atração sexual um pelo outro e que, da relação sexual entre eles, nasceriam filhos – Gn 1.27-28.



Aliás, é por causa desse princípio que a espécie humana tem subsistido. Se não houvesse casamento entre homem e mulher, não seria possível a perpetuação da espécie.



Por isso, devemos seguir os princípios éticos, morais e espirituais baseados no conhecimento que temos da lei e da vontade soberana de Deus para que o ser humano tenha uma vida plena, feliz e eterna em seu matrimônio.





V – O CASAMENTO É INDISSOLÚVEL:



Vejamos duas definições de casamento, que mostram que a vida conjugal é indissolúvel:



(1) - O casamento é um ato solene pelo qual duas pessoas de sexos diferentes se unem PARA SEMPRE, sob a promessa recíproca de fidelidade no amor e da mais estreita comunhão de vida.



(2) - Casamento é um contrato bilateral e solene, pelo qual um homem e uma mulher se unem INDISSOLUVELMENTE, legalizando por ele suas relações sexuais, estabelecendo a mais estreita comunhão de vida e de interesses e comprometendo-se a criar e a educar a prole que de ambos nascer.



Gn 2.24 cf Mt 19.5-6 – A natureza indissolúvel do casamento vem desde a sua origem. Jesus disse que a passagem bíblica de Gn 2.24 significa a indissolubilidade do casamento. É uma união íntima entre duas pessoas de sexos opostos, que assumem publicamente o compromisso de viverem juntas.



Ml 2.14 - O voto de fidelidade que se ouve dos nubentes numa cerimônia de casamento, não é mera formalidade; tem implicações profundas diante de Deus. Ou seja, o compromisso que os noivos assumem é diante de Deus, independentemente de o casal ser ou não evangélico. Isso diz respeito ao casamento “per si”, vinculado de maneira intrínseca à sua natureza, pois assim Deus estabeleceu essa aliança, “até que a morte os separe”.





VI - CONSIDERAÇÕES FINAIS:



Além das leis brasileiras não permitirem o casamento com mais de um cônjuge simultaneamente, Deus também condena a poligamia.



Mc 10.7-8 – Nesse texto bíblico não é dito que o homem se unirá a “suas mulheres”. Está no singular! Jesus enfatizou o casamento de um homem com uma só mulher, e não o de um homem com várias mulheres, ou vice-versa.



Logo, defendemos que o casamento monogâmico, heterossexual e indissolúvel deva ser incentivado, apoiado e honrado nas esferas públicas de relacionamento.


FONTES DE CONSULTA:



(1) – Lições Bíblicas CPAD – 2º Trimestre de 2013 – Comentarista: Pastor Elinaldo Renovato.



(2) – O Novo Dicionário da Bíblia – Edições Vida Nova



(3) – Pastor Silas Malafaia Responde – Central Gospel



(4) – Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” Bíblicas – Mundo Cristão – Norman Geisler e Thomas Howe