Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







26 de set de 2009

LIÇÃO Nº 01 - 04/10/2009 - "DAVI E A SUA VOCAÇÃO"

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM ENGENHOCA – NITERÓI - RJ
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
LIÇÃO 01 - DIA 04/10/2009
TÍTULO: “DAVI E A SUA VOCAÇÃO”
TEXTO ÁUREO – I Sm 13:14
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: I Sm 16:1, 3 10-13
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
I – INTRODUÇÃO: • “E NINGUÉM TOMA PARA SI ESTA HONRA, SENÃO O QUE É CHAMADO POR DEUS...” – Hb 5:4. Ser servo de Deus e exercer um ministério é uma honra que o Senhor dá a um ser humano; para isso, é necessário que haja VOCAÇÃO e CHAMADA, ambas dependentes de Deus e manifesta pelo Espírito Santo. II - QUANDO O SENHOR ESCOLHEU DAVI COMO SEU INSTRUMENTO?: • Resposta: Quando houve rejeição da Palavra do Senhor por parte do então líder (rei Saul). Assim, grande era a aflição! (I Sm 13:14) • O próprio Deus, por meio do profeta Samuel, já havia declarado a sentença para o rei Saul: “... Visto que já rejeitaste a palavra do Senhor, já ele te rejeitou a ti, para que não sejas rei sobre Israel” – I Sm 15:26b. • À vista disso, analisemos alguns acontecimentos na vida do rei Saul: Leiamos I Sm 9; 10; 28:6-9. (A) Saul foi um homem escolhido, chamado e ungido para ser rei; (B) profetizou; (C) foi cheio do Espírito de Deus; (D) Mandou matar aqueles que consultavam espíritos. No entanto, procurou uma feiticeira. (E) Não era um homem qualquer; era o rei de Israel: capaz de causar grandes benefícios ou prejuízos (como de fato causou), no relacionamento do povo com Deus. (F) Saul não se envolveu com mulheres e não tinha amor pelas riquezas. Entretanto, era um homem obstinado pelo poder, determinado a não perder o trono, tinha idéia fixa de permanecer como rei. (G) Isto fez dele um homem: 1. amante de si mesmo, ou egoísta (depois dele, seria ele, novamente); 2. presunçoso, ou pretensioso (capaz de fazer qualquer coisa para se manter no cargo); 3. soberbo, ou arrogante; ingrato (nunca pode demonstrar gratidão a Davi); 4. irreconciliável (por mais que Davi buscasse a paz, Saul fez questão de ser seu inimigo); 5. incontinente (incapaz de se controlar); 6. orgulhoso ou auto-suficiente (independente de Deus). • Conseqüência: Assim, vemos traçado o caminho de Saul para a perdição. • (1) Sua obediência foi incompleta para com Deus (I Sm 15); • (2) Seu orgulho, sua inveja e seu ciúme eram ilimitados (I Sm 18:6-16); • (3) Seu ódio era grande contra Davi, o vocacionado pelo Senhor (I Sm 18:25; 19:8-11); • (4) Chacinou os sacerdotes de Deus (I Sm 22:6-19); • (5) Envolveu-se com a feitiçaria (I Sm 28); • (6) Seu fim foi trágico: suicidou-se (I Sm 31). • Antes de todos esses acontecimentos, o Deus Eterno já havia dito ao profeta Samuel: “... Até quando terás pena de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche um chifre de azeite e vem; enviar-te-ei a Jessé, o belemita; porque, dentre os seus filhos, ME PROVI DE UM REI” – (I Sm 16:1) • Desses acontecimentos aprendemos que o Eterno sempre chama indivíduos para assim transmitir Sua salvação a muitos. O nosso Deus não realiza Sua obra através de comissões, mas por meio de indivíduos! III - CONDIÇÕES PARA UMA VERDADEIRA VOCAÇÃO DIVINA: 1. QUANDO TUDO PARECE PERDIDO E GRANDE É A AFLIÇÃO, DEUS VOCACIONA ALGUÉM – Analisemos algumas circunstâncias do chamado divino e suas finalidades: • Deus chamou Moisés quando o povo hebreu era escravo no Egito; Deus utilizou Moisés para libertar o povo hebreu da escravidão (Ex 3.8-10) • Deus chamou Gideão quando Israel ficou debilitado com a presença dos inimigos midianitas; Deus utilizou Gideão para libertar os hebreus das mãos dos midianitas (Jz 6.14) • Deus chamou Isaías quando havia guerra Siro-efraimita e houve a morte do rei Uzias; Deus usou Isaías para resgatar, no rei Acaz e no povo de Judá, a fé em Javé (Is 7.9) • Deus chamou Jeremias quando havia luta entre Egito e Babilônia pela posse de Canaã; Deus usou Jeremias para derrubar o inútil e construir e plantar a vida plena (Jr 1.10). 2. OS VOCACIONADOS PELO SENHOR SEMPRE ESTAVAM TRABALHANDO – Um verdadeiro servo chamado por Deus sempre está ocupado, fazendo algo. Os verdadeiros vocacionados por Deus NUNCA DÃO TRABALHO, sempre estarão trabalhando e fazendo a obra. • Davi: “apascentava as ovelhas” (I Sm 16:11) • Moisés: "apascentava o rebanho de Jetro" (Ex 3.1-6); • Gideão: "... malhava o trigo no lagar..." (Jz 6.11); • Isaías: “meditava no Templo de Jerusalém” (Is 6.1-2); • Jeremias: “envolvido em atividades e pensamentos de adolescentes, ou seja, considerou que não tinha idade necessária para participar ativamente na vida pública” (Jr 1:6) OBS: No antigo Israel, era muito apreciada a sabedoria dos anciãos, e as pessoas de pouca idade deveriam ficar em silêncio na presença dos mais velhos (Jó 32:4, 6). Por isso, Jeremias argumenta que as suas palavras careciam de autoridade, por ser ele ainda uma criança. 3. OS VOCACIONADOS RECONHECEM QUE NADA SÃO DIANTE DO SENHOR - Nosso Deus age através de pessoas fracas, por meio da Sua Palavra. • Davi compreendeu isso, quando disse, entre outros, à sua esposa Mical: “... ainda mais desprezível me farei e me humilharei aos meus olhos” (II Sm 6:21-22). • Moisés disse: "quem sou eu para ir... e tirar do Egito os filhos de Israel?" (Ex 3.11); • Gideão disse: "... a minha família é a mais pobre em Manassés, e eu, o menor na casa de meu pai" (Jz 6.15); • Isaías disse: " Sou um homem de lábios impuros..." (Is 6.5); • Jeremias disse: "...não sei falar, porque não passo de uma criança" (Jr 1.6). • Leiamos I Cor 1:26-29 e façamos o seguinte resumo: • (1) A vocação divina, segundo a Bíblia, ocorre em um momento de grande crise e angústia do povo; • (2) Deus não leva em consideração a condição social e econômica, nível de cultura, idade e pureza do vocacionado para exercer a missão; • (3) A missão de uma pessoa vocacionada é destruir a maldade e a injustiça e construir a vida plena na sociedade humana. IV – A VOCAÇÃO PERTENCE ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE A DEUS: • Deus ordenou ao profeta Samuel que fosse à casa de Jessé, porquanto dentre os filhos daquele belemita, tinha provido um rei – I Sm 16:1; • Na casa de Jessé, formaram-se duas filas: UMA HUMANA (composta por sete pessoas); UMA DIVINA (composta por apenas um homem); A FILA HUMANA ESTAVA PRESENTE; A DIVINA, AUSENTE!; • Samuel, mesmo sendo um homem de Deus, pendeu logo para o lado da vantagem e disse consigo mesmo, quando viu a Eliabe, o primogênito de Jessé: “Certamente está perante o Senhor o seu ungido”. (I Sm 16:6); • Porém o Senhor disse a Samuel: “Não atentes para sua aparência, nem para a altura da sua estatura, porque o tenho rejeitado...” (I Sm 16:7); • Samuel então resolveu fazer uma contagem regressiva para ver onde encontrava o escolhido do Senhor para aquele cargo de tanta envergadura; • Mas a rejeição divina foi de SETE a ZERO: “... o Senhor não tem escolhido a estes” (I Sm 16:10); • Se a vocação estivesse na mão humana, um daqueles mancebos a teria recebido. • Entretanto, a vocação pertence única e exclusivamente a Deus e não ao homem. Não nos esqueçamos: DAVI ESTAVA AUSENTE! NEM SEQUER FOI CONVIDADO PARA O BANQUETE! • No entanto, O NOME DE DAVI CONSTAVA NA LISTA DIVINA como sendo o vocacionado predileto do Senhor. • Com a chegada de Davi à presença de Samuel, o Espírito do Senhor fez o santo homem de Deus sentir que de fato era aquele! • Não foi Samuel quem disse: “EU PROFETIZO”; “EU DECLARO”; “EU DETERMINO”. Samuel era apenas um ser humano; uma criatura de Deus; era apenas servo e não "Senhor"! • A vocação e a chamada para cargos na obra do Senhor não pertencem ao homem, tampouco estão subordinadas à vontade humana. • Mas o Deus Todo-Poderoso disse à Sua criatura, ao homem e apenas servo, o profeta Samuel: “... LEVANTA-TE, E UNGE-O, PORQUE ESTE MESMO É” – (I Sm 16:12). • A vocação é obra exclusiva do Senhor nosso Deus! Quem manda é Ele; quem escolhe é Ele; quem vocaciona é Ele; quem chama é Ele; • Ele é o Senhor da seara; • Deus continua o mesmo, ontem, hoje e eternamente. Ele é o Eterno "EU SOU O QUE SOU". • Nós não somos nada, mas ELE É TUDO EM TODOS! TUDO ELE É!
A bênção na vida daquele que é chamado por Deus só será completa e vista por todos quando o Senhor da Seara verdadeiramente o vocacionar. • E foi este exatamente o resultado: DAVI FOI UNGIDO NA PRESENÇA DO SEU PAI E NA DE SEUS SETE IRMÃOS, PARA GLÓRIA E HONRA DO NOSSO DEUS.
V – CONSIDERAÇÕES FINAIS: • Quando um servo do Senhor é verdadeiramente vocacionado por Deus, não se precipita; ele espera. Tem convicção que, no devido tempo, todos os planos do Eterno Deus a seu respeito hão de se cumprir da maneira mais maravilhosa possível. • Davi confiava inteiramente em Deus! E do verdadeiramente vocacionado por Deus são estas palavras no Sl 118:8-9: “É MELHOR CONFIAR NO SENHOR DO QUE CONFIAR NO HOMEM. É MELHOR CONFIAR NO SENHOR DO QUE CONFIAR EM PRÍNCIPES" • Que assim seja, para honra e glória do nosso Deus e em nome de Jesus.
Fontes de consulta: A Bíblia de Estudo Almeida - SBB Estudo bíblico “O chamado de Isaías para ser profeta” – de Tércio Machado Siqueira Estudo bíblico “No Coração do Vocacionado” – de Antonio Carlos Barro Lições Bíblicas – CPAD – 3° Trimestre de 1991 – Comentarista: Adilson Faria Soares A Espada do Senhor – Chamada da Meia-Noite – Wim Malgo O Crente e a Prosperidade – CPAD – Severino Pedro da Silva Mil Esboços Bíblicos – Editora Evangélica Esperança – Georg Brinke Ética Pastoral – CPAD – Nemuel Kessler

19 de set de 2009

LIÇÃO Nº 13 - 27/09/2009 - "A SEGURANÇA EM CRISTO"

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM ENGENHOCA – NITERÓI - RJ ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL LIÇÃO 13 - DIA 27/09/2009 TÍTULO: “A SEGURANÇA EM CRISTO” TEXTO ÁUREO – I Jo 5:13 LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: I Jo 5:13-21 PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO e.mail: geluew@yahoo.com.br
I – INTRODUÇÃO:
• O avião voa com segurança quando tudo está normal com o aparelho e as circunstâncias atmosféricas. O mesmo acontece em relação ao navio e a outras embarcações, quando navegam. Mas, não obstante o tempo mau ou bom, o crente, apoiado em Jesus Cristo pela fé, navega com toda segurança para o céu de glória.
II - CONDIÇÕES PARA SE OBTER SEGURANÇA:
• A nossa segurança está em Deus, mas a nossa parte para obtê-la tem de ser feita. A seguir, veremos algumas coisas que devemos fazer para ter essa segurança garantida. 1) CUIDADO COM O PERIGO DA QUEDA – I Cor 10:12; Hb 4:11 - É preciso perseverar na fé, em obediência à Palavra de Deus, vivendo na dependência do Espírito Santo, para não cairmos. 2) CUIDADO COM O PERIGO DO ESCÂNDALO – Mt 18:7 - Quanto maior a influência do servo do Senhor, maior o seu destaque na obra, mais cuidado ele precisa ter, mais precisa vigiar. Isso porque o fracasso espiritual de um líder é escândalo da mais alta proporção, trazendo maiores prejuízos. Mas o crente menos conhecido e de menor influência também está incluído na expressão: "ai daquele homem por quem o escândalo vem". 3) A BLASFÊMIA E A APOSTASIA - O crente que cai na fé pode reerguer-se espiritualmente. Temos visto muitos exemplos. Mas aquele que chegar a blasfemar contra o Espírito Santo e apostatar da fé, a Bíblia não dá esperança de salvação (Lc 12.10; Hb 6.4-6). Muitas vezes o crente desanima e deixa de dar valor à sua salvação. Está correndo o risco de se desviar; se continuar nesse estado indiferente e endurecendo o coração, poderá ingressar no caminho da blasfêmia e da apostasia. 4) A PERSEVERANÇA DOS FÍÉIS - A Bíblia é muito rica na doutrina da perseverança, como veremos: • Em Isaías está escrito que a operação da justiça é repouso e segurança para sempre (Is 32.17); • Paulo disse que herdaremos com Cristo, se sofrermos com Ele (Rm 8.17); o mesmo escritor também disse que nos resta um pouco do sofrimento de Cristo (Cl 1.24); e diz mais que se sofrermos com Cristo, também com Ele reinaremos (2 Tm 2.12); • Jesus disse que seríamos odiados por causa do Seu nome (Mt 10.22); mas disse também: aquele que perseverar até o fim será salvo (Mt 24.13); • Paulo e Barnabé exortavam os crentes a permanecerem na fé (At 13.43).
III - O OBJETIVO DA SEGURANÇA DOS SALVOS:
• Deus tem interesse na segurança do cristão tanto como na salvação dos pecadores. Não seria bastante salvar um pecador se depois ele novamente se perdesse. Nosso Deus é sábio e não providenciaria salvação para o pecador sem providenciar também a segurança do salvo. Ele salva o pecador e o conserva, para a Sua glória. 1) A LEI TORNOU-SE FRACA E IMPOTENTE - A lei foi dada pelo ministério dos anjos (At 7.53; Hb 2.2), mas ficou enfraquecida pela incapacidade dos homens de pô-la em prática por causa do pecado. Então Deus apresentou o plano de redenção em Cristo e enquanto permanecermos com fé nas promessas estaremos seguros e garantidos. 2) A RECUPERAÇÃO DA OBRA DE DEUS - Depois de criado à imagem e semelhança de Deus, o homem caiu no pecado. O Filho de Deus foi enviado para recuperar a sua criatura, resolvendo o problema do pecado e assim levantar o gênero humano decaído (Lc 19.10; Hb 6,13,14). A nossa esperança em Jesus é qual âncora segura e firme, pela qual podemos viver de modo inabalável. a) A âncora serve para segurar o navio. Sendo tão pequena, dá segurança e estabilidade a um navio de grandes proporções. Agora, imaginemos quão grande é a nossa segurança, tendo Jesus Cristo como nossa garantia, ou seja, a nossa âncora tem como força o poder de Jesus; b) A âncora fica presa no fundo do mar, fincada em substância sólida. O cristão está ancorado no próprio Deus e na Sua santa Palavra; c) A âncora é presa por uma corrente de aço para garantir a segurança do navio. A corrente da âncora de nossa alma é a Palavra de Deus (Hb 6.19); d) Precisamos estar seguros nessa âncora, que é a esperança em Deus, apoiando a nossa fé na graça de Senhor. Assim, a nossa vida estará apoiada no firme fundamento (Hb 11.1). 3) A HERANÇA DO CÉU - Este um dos mais importantes objetivos da segurança que Deus nos dá. Ele nos alcançou com a Sua graça para nos levar para o céu. Esta verdade é tão clara que nem exige maiores comentários. A igreja permanece na terra com o único objetivo de conquistar almas para Deus, para que "possam entrar na cidade (a Nova Jerusalém) pelas portas" (Ap 22.14). • A herança é o resultado natural da condição de filhos de Deus recebida por aqueles que são salvos. Jesus Cristo é o herdeiro legítimo, sendo o único Filho de Deus gerado por obra do Espírito Santo, conforme as palavras do anjo Gabriel a Maria (Lc 1.35), pelo que é chamado unigênito, que significa "Único gerado". • Os crentes somos herdeiros de Deus, porque fomos adotados por Deus como filhos. A segurança que temos de Deus nada mais é que a proteção que o Pai dá aos Seus filhos. • Leiamos Hb 7:22, 24-25 – O escritor sagrado chamou Jesus de fiador da nossa herança, isto é, aquele que oferece garantia de que havemos de receber a herança prometida aos filhos de Deus por adoção. 4) O GALARDÃO PARA OS FIÉIS - O crente ser salvo por Jesus e tornar-se herdeiro do céu é algo infinitamente ditoso. Mas as Escrituras ainda afirmam que haverá galardão para os santos que servirem na obra do Senhor nesta vida (l Co 3.14; Ap 22.13).
IV – UM GRANDE E PODEROSO SEGURO QUE DEUS PREPAROU PARA OS QUE NELE CRÊEM:
• O seguro de vida que os homens fazem não é perfeitamente seguro, pois as empresas seguradoras são criações humanas e falíveis. O dinheiro delas pode ser roubado, seus bens imóveis são susceptíveis de sinistros que os destróem ou desvalorizam. Mas o seguro de Jesus não está sujeito a calamidades, à ação de ladrões ou de qualquer outra coisa, mas as suas garantias são reais, absolutas e eternas – Mt 6:20. Vejamos as “cláusulas” deste seguro elaborado por Deus: 1. Protege diante da falta de serviço (Mc 16:15) 2. O próprio Segurador é o nosso Médico na nossa enfermidade (II Cor 12:9) 3. O próprio Segurador é o nosso Refúgio em qualquer situação (Is 41:10) 4. O nosso Segurador nos salva da ira de Deus (Jo 3:36; Rm 5:9) 5. O nosso Segurador nos salva do pecado (Mt 1:21; Lc 7:50; At 13:38-39) 6. O nosso Segurador nos salva do temor (Rm 8:15; II Tm 1:7; Lc 12:32) 7. O nosso Segurador nos livra de cairmos em tentação (I Cor 10:13) 8. O nosso Segurador nos salva das dificuldades (Sl 27:5; 40:2) 9. O nosso Segurador nos salva da morte (I Cor 15:54-57; Fp 1:21) 10. O nosso Segurador nos salva do juízo (Jo 3:18; 5:24) 11. Garante suprimento, pois o nosso Segurador é o nosso fiel sustentador nas necessidades (II Rs 17:5-6; Fp 4:19) 12. O nosso Segurador nos concede um grande prêmio (Lc 19:17) 13. O prêmio é gratuito (Rm 6:23; Is 55:1) 14. Este seguro garante a vida eterna (Jo 3:16) 15. Este seguro nos guarda diante do fogo eterno (Mt 25:34-41) 16. Todos podem obter este seguro (Jo 3:16) 17. Façamos hoje mesmo este seguro (Sl 95:8; Hb 3:8, 15) • O salvo por Jesus está assegurado física, moral e espiritualmente pela obra redentora realizada na cruz do Calvário.
V – CONSIDERAÇÕES FINAIS:
• Deus é quem tomou a iniciativa da nossa salvação; é Ele quem nos proporciona forças para vencermos as provas; Ele é quem nos garante a nossa herança no céu e ainda promete galardão pelo trabalho amoroso. Ele só deseja "que cada um seja achado fiel" (I Cor 4.2).
FONTES DE CONSULTA:
• Lições Bíblicas – CPAD – 2º Trimestre de 1983 – Comentarista: João de Oliveira • Mil Esboços Bíblicos – Editora Evangélica Esperança – Georg Brinke

5 de set de 2009

LIÇÃO Nº 11 - 13/09/2009 - "O AMOR A DEUS E AO PRÓXIMO"

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM ENGENHOCA –
NITERÓI - RJ
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
LIÇÃO Nº 11 - DIA 13/09/2009
TÍTULO: “O AMOR A DEUS E AO PRÓXIMO”
TEXTO ÁUREO – Jo 13:35
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: I Jo 4:7-16
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO

I – INTRODUÇÃO:

• Rm 15:1-7 - O cristão é um ser social como qualquer outra criatura humana. Isto deve impeli-lo agir com sabedoria, buscando compreensão, bom relacionamento, sempre objetivando servir ao invés de ser servido.

II – O AMOR A DEUS:

• Mc 12:30 – Esse é o amor que parte de nós para Ele. Deve ser sincero, não só por palavras e língua. Esse amor representa a disposição plena de cada pessoa de envolver o seu ser nas relações com o Senhor.

• O texto em análise destaca quatro coisas que representam o ser humano no seu todo, conforme o pensamento judaico da época. Vejamos:

CORAÇÃO – Em hebraico, expressa o centro do pensamento do homem, bem como a vida física e o “eu” pessoal de cada ser humano. Isto que dizer que Deus deve permear nosso pensamento, porquanto é o nosso Sustentador – Dt 8:1-4; Is 41:10 comparar com At 17:22-28.

ALMA – É a sede ou fonte das emoções, da vontade, dos desejos e dos sentimentos do homem. Portanto, todos os poderes da alma devem comprometer-se com Ele e ser executados para Ele - Sl 42:1-2; 63:1-4

ENTENDIMENTO – Fala do intelecto, da mente, da inteligência, ou seja, o elemento racional que torna o ser humano ímpar no reino animal. Significa dizer que a nossa inteligência deve ser empregada não somente para o conhecimento de Deus, mas também em benefício de Sua obra. – Ex 31:1-11

FORÇA ou PODER – Fala de atividade, serviço; enfatiza o poder físico que ajuda na execução dos itens anteriores - I Cr 29:1-5, 11-14.

• Essas palavras podem ser citadas separadamente, mas o uso dos quatro termos tem a intenção de dar a entender que: “PRECISAMOS AMAR O SENHOR COM TODO O NOSSO SER, SEM RESERVAS NA DEVOÇÃO”.

III – SETE PROMESSAS DE DEUS PARA COM AQUELES QUE O AMAM:

• Leiamos Sl 91:14-16 – Nesta passagem bíblica, podemos vislumbrar sete coisas realizadas pelo Altíssimo em favor daqueles que se apegam a Ele com amor. Meditemos.

• “Pois que tão encarecidamente me amou, EU...”

(1) - O LIVRAREI – Gn 15:13-14 comparar Ex 3:6-10 - Deus não se esquece das Suas promessas: 430 anos depois do cativeiro de Israel ter iniciado no Egito, o Senhor suscitou Moisés e Arão para de lá tirar o Seu povo. Deus assim o fez com mão forte e braço estendido! Hoje, Ele continua sendo o mesmo Deus Libertador – II Sm 22:1-3; Sl 18:2; 40:17; 70:5; 144:1-2.

(2) - PÔ-LO-EI NUM ALTO RETIRO ou PÔ-LO-EI A SALVO, PORQUE CONHECE O MEU NOME – Sl 76:1; Ex 34:5-7; Jo 17:25-26 - Em várias ocasiões, Israel, oprimido por outras nações, tinha de ir à guerra para vencer e manter sua liberdade. Nesses combates, a nação se voltava para Deus em busca de ajuda. Os israelitas acreditavam que o resultado da batalha pertencia a Jeová. Por isso, eles se lançavam ao combate na certeza da vitória. (I Sm 17:47 cf Ex 14:30-31 cf I Sm 4:5-8; Sl 106:8; Dt 20:4; 33:29).

• À medida que a nação de Israel ia crescendo em poder e em prestígio, tornava-se imperativo que o rei e o povo percebessem que a salvação não vem através de um exército poderoso, mas unicamente pelo poder de Deus. Conquanto Deus, em geral, empregasse agentes humanos para trazer salvação, os obstáculos vencidos eram tão impressionantes que, sem dúvida alguma, tinha de haver ajuda especial da parte do próprio Deus (II Cr 20:17 cf Os 1:7; Sl 44:1-8; Pv 21:31).

(3) - ELE ME INVOCARÁ e EU LHE RESPONDEREI – Deus sempre tem sido um Deus que atende as orações – Jr 33:3; At 4:29-31.

• No entanto, há um ponto de equilíbrio nesta questão: Não podemos esquecer que a resposta à oração nem sempre é a concessão das coisas que pedimos. Leiamos I Cor 12:7-10, onde o Senhor atendeu a oração do Apóstolo Paulo, não da forma que ele (apóstolo) desejava, mas dentro da soberana vontade de Deus.

(4) - NA SUA ANGÚSTIA, EU ESTAREI COM ELE, LIVRA-LO-EI – Deus não disse que ficaremos isentos de sofrimentos e aflições. Ao contrário: Ele dá a entender que teremos problemas, porque somos Seus servos. Porém, Ele não está apenas conosco; ESTÁ PRESENTE PARA LIVRAR-NOS! – Sl 34:19; 46:1

(5) - E O GLORIFICAREI ou O HONRAREI – O mundo honra aos políticos, aos estadistas, aos artistas, aos generais, aos educadores, aos cientistas, etc.

• Se chegar a honrar algum servo de Deus, o fará a um crente mundanista e modernista, que não crê em Deus nem no poder ou na autenticidade da Sua Palavra – Jo 17:14-16 comparar Apc 3:21.

• Diferentemente, vejamos o QUE SE FARÁ AO HOMEM DE QUE CUJA HONRA O REI SE AGRADA - Et 6:1-11.

(6) - SACIÁ-LO-EI COM LONGEVIDADE - A vida longa é considerada uma recompensa especial pela retidão - Ex 20:12; Dt 5:16; II Rs 20:5-6; Sl 21:1, 4; Pv 3:1-2, 13, 16; Ef 6:1-3; I Pe 3:10.

• Depois de uma vida longa em espiritualidade na terra, passaremos a contemplar a glória celestial - Sl 17:15.

(7) - EU LHE MOSTRAREI A MINHA SALVAÇÃO - Quando surgem oposições, é possível esconder-se num refúgio em busca de proteção (Sl 62:7-8).

• Assim, aquele que ama o Senhor experimenta salvação (libertação, ajuda, segurança, recebimento de vitória) e não precisa ficar atormentado pela ansiedade íntima. É verdade que ele terá de suportar a oposição, mas Deus assegurará que seus adversários não o destruam (Sl 18:35; Is 59:15-18)

• Assim, a salvação (libertação, ajuda, segurança, recebimento de vitória) daqueles que amam a Deus não é apenas uma vitória momentânea no campo de batalha; é, também, a segurança e tranqüilidade necessárias para levar uma vida sem receio, apesar de numerosos perigos (Is 26:1; 60:18)

IV – AMOR AO PRÓXIMO:

• Lc 10:29-37 – O nosso próximo é qualquer pessoa em necessidade a quem temos a oportunidade de ajudar e socorrer, movidos pelo amor.

• Com o auxílio do Espírito Santo, vamos discorrer na Parábola do Bom Samaritano, objetivando ilustrar as personagens que a compõem:

(1) - A VÍTIMA – Jesus não disse quem era a vítima. Não declinou as suas qualidades, suas condições financeiras, sua religião, sua nacionalidade, sua cor, sua idade, o seu sexo...

• A vítima descia de Jerusalém (local do Templo do Senhor e da santidade - I Cr 23:25; Is 52:1) para Jericó (a cidade maldita, uma figura do mundo e suas más obras sob satanás – Js 6:26; I Rs 16:34 comparar Jo 3:19);

• Em outras palavras: ela descia espiritualmente: É a estrada do mundo moral, pecaminoso, sempre de descida.

• Os historiadores antigos chamavam aquela estrada de “ESTRADA SANGRENTA”.

• Aí está uma das "estradas" em que temos oportunidade de socorrermos o próximo.

(2) - SALTEADORES CRUÉIS – Não eram apenas ladrões de objetos; eram assaltantes. Eles roubaram, feriram e deixaram a vítima quase morta na estrada.

• Hoje também multiplicam-se os assaltantes das mentes incautas e simples, com seus falsos ensinos, aparentemente bons, mas destruidores da fé e da sã doutrina – Is 1:6; Apc 3:1.

(3) - O SACERDOTE – Este também descia pelo caminho (Rm 3:10-12) .

• Os sacerdotes cuidavam do altar, dos sacrifícios, do povo diante de Deus. Juntamente com os levitas, representavam a religião organizada (sacerdotes) e a religião prática (levitas).

Seja qual for a forma da religião, ela não salva um só perdido!

• O sacerdote, como todo judeu, tinha o dever de socorrer até os animais, quanto mais o ser humano! (Dt 22:4 comparar Hb 5:1-2)

• O fato é que o sacerdote não socorreu o ferido.

•Talvez pensasse que aquilo fosse trabalho do levita; não de um sacerdote.

• Ou pensasse que tocar em um morto era ficar imundo – Lv 22; Nm 19.

• No entanto, a vítima estava meio morta.

• E nós? O que estamos fazendo pelos os que estão descendo pela "ESTRADA SANGRENTA", caídos no caminho, à beira da morte?

(4) - O LEVITA – Este também descia pelo caminho.

Os levitas cuidavam dos sacerdotes, das orações, do incenso, da limpeza, dos suprimentos, da música, das ofertas, etc. O levita fala de boas obras.

• Porém, tanto o sacerdote quanto o levita passaram de largo. Olharam, mas não viram com o espírito de misericórdia; olharam sem visão interior (Mt 13:15; Ef 1:17-18)

(5) - O BOM SAMARITANO – É a figura central desta Parábola e simboliza o Senhor Jesus na Sua compaixão e bondade infinitas – At 10:38.

Vejamos em que consiste a bondade do Bom Samaritano:

(A) - ESQUECEU-SE DE SI MESMO PARA SERVIR – Ele ia de viagem. Tudo ficou para trás: viagem, negócios, perigo de assaltantes, para salvar a Vítima agonizante. Jesus desceu do céu à terra para nos salvar.

(B) - CHEGOU PERTO, “AO PÉ DELE” e VIU O SEU ESTADO – O sacerdote e o levita também olharam, mas não viram nada. Diferentemente, o Bom Samaritano viu o estado da vítima, sem procurar saber quem era o necessitado.

(C) - MOVEU-SE DE ÍNTIMA COMPAIXÃO – Ou seja, teve solidariedade. Sentiu o que se passava como se fosse com ele mesmo ou um dos seus.

(D) - FICOU JUNTO AO FERIDO ou APROXIMOU-SE – Isto é, desceu ao nível do necessitado. Quando temos este amor de Deus, servimos bem a todos, servimos bem à obra do Senhor, sem interesse de qualquer recompensa.

(E) - ATOU-LHE AS FERIDAS, APLICANDO-LHES AZEITE E VINHO - O Bom Samaritano não apenas moveu-se de íntima compaixão; ele também agiu.

• Algumas das ilustrações do vinho são: O SANGUE DE CRISTO (Mt 26:27-29) e AS BÊNÇÃOS DO EVANGELHO (Is 55:1-3).

• Já o azeite, pode ilustrar: A UNÇÃO DO ESPÍRITO SANTO (Sl 45:7; At 4:8-13); A CONSOLAÇÃO DO EVANGELHO (Is 61:1-3) e A REPREENSÃO BRANDA (Sl 141:5)

(F) - PAGOU AO HOSPEDEIRO DOIS DENÁRIOS – Além de bom, o Samaritano era generoso.

• Pagou do seu bolso uma quantia razoável, equivalente ao salário de dois dias (Mt 20:1-2). Este era exatamente o valor do resgate de uma pessoa quanto ao tributo do Templo, que era de meio siclo (Ex 30:12-13).

• Ora, meio siclo hebreu equivalia a dois denários romanos do tempo de Jesus. Portanto, figuradamente, o ato do Bom Samaritano está relacionado à redenção ou resgate da alma do homem (Sl 49:6-8).

V - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

• Infelizmente, muitos que se dizem e se acham "bons" têm esquecido do vinho, do azeite, do dinheiro e mesmo da vítima!

• Por isso, encerramos este esboço, transcrevendo, para nossa meditação, a frase seguinte: "NÃO EXISTE O AMOR A DEUS SEM O AMOR AO PRÓXIMO E NÃO SE PODE AMAR O PRÓXIMO SEM LHE FALAR DE DEUS".

FONTES DE CONSULTA: • Comentário Bíblico Broadman – Vol. 8 – JUERP • Dicionário Ilustrado da Bíblia – Vida Nova • Comentário Bíblico de Matthew Henry – CPAD • Lições Bíblicas CPAD – 1º Trimestre de 1990 – Comentarista: Antônio Gilberto •Espada Cortante Vol. 2 - CPAD - Orlando Boyer • Artigo na internet - "A fé em ação" - do Pastor Wagner Tenório de Almeida •A Bíblia de Estudo Vida Nova