Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







20 de abr de 2016

2º TRIMESTRE DE 2016 - LIÇÃO Nº 04 - 24.04.2016 - OS BENEFÍCIOS DA JUSTIFICAÇÃO

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ 
LIÇÃO Nº 04 - DATA 24/04/2016
TÍTULO: “OS BENEFÍCIOS DA JUSTIFICAÇÃO”
TEXTO ÁUREO – Rm 5.8
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Rm 5.1-12
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO





I – INTRODUÇÃO:



Nos quatro primeiros capítulos da Epístola aos Romanos, Paulo já havia escrito a respeito das origens e das bases da nossa justificação. Faltava agora falar dos resultados. Que benefícios ela nos trouxe? Quais seriam as bênçãos a ela associada? Paz, alegria, esperança são algumas dessas bênçãos associadas à justificação. Todavia, Paulo vai além, ele mostra que tudo isso só foi possível porque Deus nos fez participante de uma bênção maior - sermos parte da nova criação.




II – AS BÊNÇÃO DA GRAÇA JUSTIFICADORA:



1. A bênção da paz com Deus. No capítulo cinco de Romanos, Paulo mostra os benefícios da justificação pela fé – Rm 5.1 - O uso que Paulo faz da palavra paz aqui é diferente daquele usado no mundo antigo. No geral, o termo significava ausência de guerra. Porém, Paulo se refere ao vocábulo paz conforme ele aparece no Antigo Testamento e cujo significado era a salvação dos piedosos, prosperidade e bem-estar. Deus tem paz para todos os que foram justificados em Cristo Jesus e deseja que desfrutemos dela.



2. A bênção de esperar em Deus. Antes de falar da bênção de esperar em Deus, Paulo fala como se deu esse acesso: - Rm 5.2 - A fé no Cordeiro de Deus nos abriu a porta da graça. William Barclay faz a respeito desse texto:



"O próprio Jesus nos introduz na presença de Deus; nos abre a porta de acesso à presença do Rei dos reis. E quando se abre essa porta o que encontramos é a graça; não condenação, nem juízo, nem vergonha; senão o intocado e imerecido amor de Deus".



3. A bênção de sofrer por Jesus. Na lista dos benefícios ou bênçãos vindos da cruz, encontramos uma que, no contexto atual, escandaliza muita gente. Paulo tem no sofrimento uma motivação para se gloriar! - Rm 5.3,4 - A palavra grega thlipsis, traduzida em português como tribulação, significa pressões, dificuldades e sofrimentos. Que tipo de fé era essa que se alegrava no sofrimento? Era a fé pura, sem os resquícios da Teologia da Prosperidade, sem os paliativos espirituais criados para entreter os cristãos modernos.




III – OS RESULTADOS DA JUSTIFICAÇÃO:



(A) - Remissão (perdão) da culpa do pecado - At 13:38-39; Rom 4:7 (= Sal 32:1-2, acima); 2Cor 5:19,21;  Efé 1:7;



Ler depois: Rom 6:23; 8:1,33-34; Efé 4:32; Col 2:13. A condenação foi definitivamente afastada Rom 8:33-34; a paz com Deus foi definitivamente estabelecida Rom 5:1; ler depois: Efé 2:14-17.

   

(B) - Restauração ao favor divino - Rom 5:1-11; 4:6 (= Sal 32:1-2, acima); ler depois: 1Cor 1:30; 2Cor 5:21.



(C) - Imputação da justiça de Cristo - Rom 4:5; 1Cor 1:30; 2Cor 5:21; ler depois: Mat 22:11 (as vestes de núpcias garantiam e eram necessárias para aceitação); Luc 15:22



(D) - Herança - Tt 3:7; ler depois: 1Pe 1:3-4; Rom 8:17.



(E) - Viver transformado, em justiça - Fp 1:11; ler depois: 1Jo 3:7.



(F) - Confiança de que está definitivamente salvo da vindoura ira de Deus - Rom 5:9; 1Ts 1:10.



(G) - Definitiva confiança de que será glorificado - Mat 13:43; Rom 8:30; Gál 5:5.




IV - O QUE ACONTECEU COM NOSSOS PECADOS?:



(1) - Foram aniquilados, apagados, desfeitos (Is 44:22)



(2) - Foram afastados, removidos de nós (Sl 103:12)



(3) - Deus os lançou para trás de  Si (Is 38:17)



(4) - Foram lançados nas profundezas do mar (Mq 7:18-19)



(5) - Foram esquecidos para sempre (Is 43:25; Jr 31:34; Hb 8:12; 10:16-17)



Cf Apc 7:13-14; 12:11




V – CONSIDERAÇÕES FINAIS:



O homem justifica somente o inocente, mas Deus somente o culpado.



O homem se justifica na base do auto-merecimento, mas Deus na base do mérito do Salvador.



Demos toda a glória à Trindade, exclusivamente a ela! Exultemos! Adoremos!