Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







2 de abr de 2014

2º TRIMESTRE DE 2014 - LIÇÃO Nº 01 - 06.04.2014 - "E DEU DONS AOS HOMENS"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ 
LIÇÃO Nº 01 - DATA: 06/04/2014 
TÍTULO: “E DEU DONS AOS HOMENS”
TEXTO ÁUREO – Ef 4.8
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Rm 12.3-8; I Cor 12.4-7
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/







I – INTRODUÇÃO:








DONS – É a capacidade dada pelo Espírito Santo, visando ao ministério. São aptidões sobrenaturais superiores aos talentos naturais. Em alguns casos, porém, podem resultar da dinamização espiritual das habilidades naturais de uma pessoa.





II – OS DONS ESPIRITUAIS SÃO ATUAIS E BÍBLICOS:




Dons espirituais são dotações sobrenaturais do ESPÍRITO SANTO sobre o crente, capacitando-o para glorificar a CRISTO e realizar a obra de DEUS.




Não há nenhuma evidência no Novo Testamento de que os dons espirituais foram restritos à era apostólica, nem que eles sejam habilidades naturais aos mais inteligentes, ou mesmo que sejam tão santos em si a ponto de ninguém se achar em condição de recebê-los. Noutras pa­lavras: os dons do Espírito Santo são habilidades divinas destinadas a todos os crentes e em todas as épo­cas, até se consumar o arrebata­mento da Igreja.




A compreensão da atualidade dos dons do Espírito Santo deverá nos conduzir a uma série de assun­to na primeira carta de Paulo aos coríntios, considerando os seguintes pontos:





(1) – OS CRENTES NÃO DEVEM IGNORAR OS DONS ESPIRITUAIS - (I Cor 12:l) - Se queremos ser sinceros e realistas, te­mos de admitir a ignorância que a grande maioria dos membros das Igrejas pentecostais tem quanto a este assunto. Na verdade temos vis­to com tristeza muitos ministros di­tos "pentecostais" combatendo mais do que promovendo o conheci­mento dos dons espirituais.




É certo que existem exageros. Mas é devido à ausência de ensino siste­mático sobre o assunto. Todos os membros de nossas Igrejas merecem e precisam o que de melhor existe em termos de ensinamentos acerca dos dons espirituais.




(2) – OS DONS SÃO UMA CONCESSÃO DO ESPÍRITO SANTO – I Cor 12:7 - A torneira não pode dizer de si mesma: "Eu produzo água", pois seria uma inverdade. Quem produz água é a fonte. A torneira é apenas o canal através do qual flui a água.




Os dons são do Espírito Santo, e, através deles, o Espírito opera em quem quer, como quer, quando quer e onde quer, com a finalidade precípua de edificar a Igreja, o corpo vivo de Cristo.




(3) – OS DONS ESPIRITUAIS VISAM A UNIDADE DA IGREJA – I Cor 12:25-26 - No corpo de Cristo, nenhum de seus membros tem o seu valor resultante dalgum padrão de comparação. Uma vez que cada membro tem sua função específica, todos têm valor próprio dentro da escala de valores divinos. Deste modo ninguém tem maior valor do que o outro só porque tem um dom a mais ou um dom diferente. Para que haja operação na edificação da Igreja, os dons espiri­tuais comunicam primeiramente a ideia de unidade. Não é assim que funciona um corpo humano saudá­vel?




(4) – OS DONS ESPIRITUAIS DEVEM SER BUSCADOS COM ZELO – I Cor 12:31 - Parte do valor daquilo que desejamos e buscamos é proporcio­nal a quanto em dinheiro e em es­forços estamos prontos a dar para conquistá-lo. De igual modo aconte­ce com respeito à busca dos dons es­pirituais. Se eles têm algum valor para nós, devemos buscá-los com zelo, com empenho através duma vida de constante comunhão com Deus e de submissão total ao senho­rio de Jesus Cristo – I Pe 3:15.




(5) – OS DONS ESPIRITUAIS DEVEM SER EXERCITADOS COM AMOR – I Cor 13 - O elemento aferidor da espiritualidade do crente é o amor e não quantas vezes ele fala em línguas por dia ou quantas profecias ele tem por semana. Se faltasse o amor tudo isto "seria como o metal que soa ou como o sino que tine... nada seria... nada disso me aproveitaria" – I Cor 13:1-3.




Para muitos pentecostais os dons espirituais são tudo; o amor não passaria dum adereço, um en­feite na sua roupa de festa. Mas, qual não será a surpresa daqueles que no dia do ajuste de contas final, ao dizerem a Jesus: "Senhor, Se­nhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsa­mos demónios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?" - hão de ouvir da parte do Senhor: "Nun­ca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade" (Mt 7.22,23).





III – PEQUENA ANÁLISE DOS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS:




Temos na Bíblia a descrição dos:




(1) - DONS DA GRAÇA OU DE SERVIÇO - Rm 12:6-8:




(1.1) - PROFECIA – É uma palavra do Senhor dada por intermédio de um membro de Seu corpo, inspirada pelo Espírito de Deus e concedida para a edificação, exortação e consolação do restante do corpo (At 21:8-11 ). Se alguém posuir este dom, deve exercê-lo não em arrogante asserção própria ou com o vão esforço de ser original, mas dentro dos limites de sua própria crença e de acordo com a fé que Deus lhe concedeu.




(1.2) - MINISTRAR - "Ministrar" ou "ser­vir" é a disposição, capacidade e poder, dados por Deus, para alguém servir e prestar assistência prática aos membros e aos líderes da igreja, a fim de ajudá-los a cumprir suas responsabilidades para com Deus (cf. At 6.1-3).




(1.3) - ENSINAR - é a disposição, capacidade e poder dados por Deus para o crente examinar e estudar a Sua Palavra, esclarecendo, expondo, defendendo e proclamando suas verdades de tal maneira que outras pessoas cresçam em graça e em piedade (l Co 2.10-16; l Tm 4.16; 6.3; 2 Tm 4:1-2)




(1.4) - EXORTAR - é a disposição, capacidade e poder dados por Deus, para o crente proclamar a Palavra de Deus de tal maneira que ela atinja o coração, a consciência e a vontade dos ouvintes, estimule a fé, produzindo nas pessoas uma dedicação mais profunda a Cristo e uma separação mais completa do mundo (ver At 11.23; 14.22; 15.30-32; 16.40; l Co 14.3; l Ts 5.14-22; Hb 10.24,25).




(1.5) - REPARTIR - é a disposição, capacidade e poder, dados por Deus a quem tem recursos além das necessidades básicas da vida, para contribuir livremente com seus bens pessoais, para suprir necessidades da obra ou do povo de Deus (2 Co 8.1-8; Ef 4.28). Quem possui este dom, torna-se apto para a obra de proporcionar ajuda aos necessitados.




(1.6) - PRESIDIR - é a disposição, capacidade e po­der dados por Deus, para o obreiro de liderar, pastorear, conduzir e administrar as várias atividades da igreja, visando ao bem espiritual de todos (Ef 4.11,12; l Tm 3.1-7; Hb 13.7,17,24)




(1.7) - MISERICÓRDIA - é a disposição, capacidade e poder da­dos por Deus para o crente ajudar e consolar os neces­sitados ou aflitos. É conferido ao portador deste dom o espírito de alegria pura, de júbilo intenso e de vivacidade animosa que o qualifica especialmente para a visitação aos enfermos e aos pobres e acabrunhados (cf. Ef 2.4). 




(2) - DONS ESPIRITUAIS - I Cor 12:8-11 – Para uma melhor didática, os dons espirituais são subdivididos em DONS DE REVELAÇÃO; DONS DE PODER e DONS DE INSPIRAÇÃO.




(2.1) - DONS DE REVELAÇÃO - Revelam algo oculto ou desconhecido sobrenaturalmente.




(2.1.1) – PALAVRA DA SABEDORIA – “Palavra” significa pequena parte da sabedoria de DEUS; acontecimento futuro; só DEUS sabe; tem a ver com onisciência.




(2.1.2) – PALAVRA DO CONHECIMENTO ou DA CIÊNCIA – “Palavra” significa pequena parte do conhecimento de DEUS, revelação de coisa conhecida (pode ser coisa conhecida por pessoas em outra parte ou localidade, que é revelada aqui onde estamos); tem a ver com onipresença.




(2.1.3) – DISCERNIMENTO DE ESPÍRITOS - Saber de onde vem e o que está operando numa pessoa. Este dom pode revelar ao povo de Deus cheio do Espírito a origem de qualquer manifestação sobrenatural.




(2.2) – DONS DE PODER - Dão poder para se fazer algo sobrenatural.




(2.2.1) – DOM DA FÉ - É um dom do Espírito para que o crente possa RECEBER milagres. É acreditar que o impossível de acontecer já aconteceu.




(2.2.2) – DONS DE CURAS - No grego original, cada vez que esse dom de poder é mencionado, tanto a expressão “DONS” quanto a expressão “CURAS” ficam no plural: DONS DE CURAS. Não existe, portanto, “o dom da cura”; “dons de cura”; “dom de curar”; etc. O propósito do Dons de Curas é libertar os enfermos e destruir as obras do diabo no corpo humano.




(2.2.3) – DOM DE OPERAÇÃO DE MARAVILHAS – Também é denominado de Dom de Operação de Milagres, Dom de Operações Milagrosas ou Dom de Poderes Milagrosos. É um dom do Espírito Santo, dado ao servo de Deus para que este possa OPERAR MILAGRES.




(2.3) - DONS DE INSPIRAÇÃO, ou DA FALA, ou de EXPRESSÃO VOCAL ou de ELOCUÇÃO – São os dons que DIZEM algo de sobrenatural.




(2.3.1) – DOM DE PROFECIA - É uma expressão vocal inspirada e sobrenatural num idioma conhecido. Pode vir de 3 fontes: Deus, homem e satanás.




(2.3.2) – DOM DE LÍNGUAS ou VARIEDADE DE LÍNGUAS - É a expressão vocal mediante o Espírito Santo, em idiomas nunca aprendidos pela pessoa que fala, não compreendidos pela pessoa que fala, nem, necessariamente, sempre compreendidos pelos ouvintes.




(2.3.3) – INTERPRETAÇÃO DE LÍNGUAS – É a revelação sobrenatural pelo Espírito Santo do significado de uma expressão vocal em outras línguas. Não é TRADUÇÃO das línguas; É INTERPRETAÇÃO DAS LÍNGUAS, isto é, REVELAÇÃO sobrenatural, pelo Espírito de Deus, do significado daquilo que foi dito em línguas. Este dom não entra em operação A NÃO SER SE O DOM DE LÍNGUAS TENHA ESTADO EM OPERAÇÃO.




(3) - DONS MINISTERIAIS (Ef 4.10-15) – Estes versículos alistam os dons de ministério, isto é, líderes espirituais dotados de dons, que cristo deu à Igreja. Paulo declara que o Senhor deu estes dons para preparar o povo de Deus ao trabalho cristão e para o crescimento e desenvolvimento espirituais do corpo de Deus, segundo o plano de Deus – Ef 4.12-16.




(3.1) – APÓSTOLO - Significa enviado. É aquele que lança os fundamentos da vida da Igreja e atualmente trabalha edificando-a.




(3.2) – PROFETA – Pessoas que recebem uma mensagem específica de Deus, diretamente ou mediante Sua Palavra. O ofício do profeta existe, não para acrescentar outra verdade que não tenha base nas Escrituras, mas para edificar, exortar e consolar nas verdades já reveladas na Bíblia.




(3.3) – EVANGELISTA – A definição mais óbvia é Pregador do Evangelho. O Evangelista é enviado pela Igreja, para sair em busca dos perdidos, levando-os ao conhecimento de Jesus como Salvador e traze-os à casa do Pai Celestial para que os pastores e mestres possam desenvolver os seus ministérios.




(3.4) – PSTORES – No grego, o real significado é GUARDADOR DE OVELHAS. O ministério pastoral inclui outros títulos que representam a mesma função de pastor, tais como ancião, presbítero e bispo.




(5) – MESTRES ou DOUTORES ou ENSINADORES – Até certo ponto, o pastor tem um ministério acompanhado do ensino. Ele pode exercer as duas funções. Entretanto, a função de MESTRE é específica no ministério cristão, que é ensinar a Palavra de Deus de forma lógica.





IV - CONSIDERAÇÕES FINAIS:




Ninguém deve esperar possuir todos os talentos e realizar toda a obra necessária à vida da Igreja. Como no corpo humano, há muitos membros, cada um com sua função especial, da mesma forma todos os crentes, em razão de sua relação comum para com Cristo, formam um corpo no qual cada membro tem um papel definido a cumprir e uma obra especial a realizar. Os dons conferidos aos membros devem ser exercidos não com vistas a alcançar louvor ou a satisfazer a vaidade própria, mas ao benefício do corpo inteiro.

FONTES DE CONSULTA:

As Grandes Doutrinas da Bíblia – CPAD – Raimundo Oliveira
Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – Editora Vida  - Myer Pearlman
Lições Bíblicas CPAD – 3° trimestre de 1988 – Comentarista: Raimundo de Oliveira
Lições Bíblicas CPAD – 3º Trimestre de 2006 – Comentarista: Antônio Gilberto