Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







25 de jul de 2011

3º TRIMESTRE DE 2011 - LIÇÃO Nº 05 - 31/07/2011 - "O REINO DE DEUS ATRAVÉS DA IGREJA"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 05 - DATA: 31/07/2011
TÍTULO: “O REINO DE DEUS ATRAVÉS DA IGREJA”
TEXTO ÁUREO – Mc 11:5
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Lc 17:20-21; Mt 18:1-5; Mc 10:42-45
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/


I – INTRODUÇÃO:

A Igreja é o único organismo existente no mundo, cuja preocupação essencial não é o bem-estar de seus próprios membros. A razão de ser, existir e agir da Igreja na terra é ministrar em nome de Cristo ao mundo.


II – MISSÃO PRIORITÁRIA DA IGREJA NO MUNDO:

(1) – A FIEL PREGAÇÃO DA PALAVRA – Jo 8:31-32, 47; 14:23; I Jo 4:1-3; II Jo 9 - Esta é a mais importante missão da Igreja e uma das suas características. Atribuir esta característica à Igreja não significa que a pregação da Palavra terá que ser perfeita. Tal ideal é inatingível na Terra. Mas há um limite além do qual a Igreja não pode ir na apresentação errônea da verdade ou em sua negação, sem perder o seu verdadeiro caráter e tornar-se uma Igreja falsa. É isso que acontece quando artigos fundamentais de fé são negados publicamente, e a doutrina e a vida já não estão sob o domínio da Palavra de Deus.


(2) – ZELAR PELA SÃ DOUTRINA DA PALAVRA – Apc 2:14-15, 20 - Jesus criticou severamente as Igrejas de Pérgamo e Tiatira. A primeira por ser demasiadamente tolerante para com os falsos mestres, e a segunda por tolerar uma mulher chamada Jezabel, que se chamava profetiza, e que ensinava os membros da Igreja a praticar a imoralidade. Devemos ser pacientes, tolerantes e verdadeiros, mas nunca ao preço de comprometermos o ensino claro da Palavra de Deus.


(3) – MINISTRAR CORRETAMENTE OS SACRAMENTOS – Mt 28:19; Mc 16:15-16; At 2:42; I Cor 11:23-30 – Jamais devemos separar os sacramentos da Palavra, pois eles não tem conteúdo próprio, mas extraem o seu conteúdo da Palavra de Deus: são de fato uma pregação visível da Palavra. Uma negação das verdades centrais do Evangelho, naturalmente afetará a adequada ministração dos sacramentos. Que a reta administração dos sacramentos é uma característica da Igreja verdadeira, segue-se da sua inseparável conexão com a pregação da Palavra de Deus.


(4) – EXERCER FIELMENTE A DISCIPLINA – Mt 18:18; I Cor 5:1-5, 13; 14:33, 40; Apc 2:14-15, 20 – É deveras essencial para a manutenção da pureza da doutrina e para salvaguardar a santidade dos sacramentos. As Igrejas que relaxarem na disciplina, descobrirão, mais ou cedo ou mais tarde em sua esfera de influencia, um eclipse da luz da verdade e abusos nas coisas santas. Daí, a Igreja que quiser permanecer fiel ao seu ideal, na medida em que isto é possível na Terra, deverá ser diligente e conscienciosa no exercício da disciplina cristã. A Palavra de Deus insiste na adequada disciplina a ser exercida na Igreja de Cristo.


(5) – TRATAR O PECADO COM SERIEDADE - I Jo 1:8; 2:6 - Nada arruína mais depressa a vida espiritual da Igreja do que permitir que os pecados dos seus membros permaneçam sem ser tratados como deveriam. Analisemos algumas situações:

a) Quando há pecado grave, ou tolerância de pecado grave entre o povo de Deus, a bênção do Senhor diminui, fica impedida ou a sua perda é total. Deus não abençoará um povo que se recusa a tirar o pecado do seu meio (Js 7:1, 11-13, 20, 21, 25 cf I Cor 5:1-13).


b) O pecado permitido na congregação do povo de Deus expõe seus membros à influência destruidora do inimigo (por exemplo - Satanás e o mundo - Js 7:4-13).


c) Se tal pecado for tolerado, quando devia ser corrigido, resultará em juízo (Js 7:13). Se, no entanto, o pecado for declarado, confessado e removido, voltarão as bênçãos, a presença e a graça de Deus (Js 7:22-26; 8:1, 18-19 cf At 4:31-5:11).


d) O pecado entre o povo de Deus, portanto, deve ser tratado como assunto da máxima gravidade. É preciso preservar a pureza e demandar a obediência. Doutra forma, o crescimento espiritual de uma congregação ou será minguado ou cessará totalmente (Apc 3:1-3, 14-18).


(6) - ESTAR PRONTA A SER CORRIGIDA E MUDAR DE ATITUDE - Apc 2:5, 16, 21; 3:3, 19 - Jesus determinou às Igrejas que estavam erradas a que se arrependessem e retornassem aos retos caminhos de Deus. Elas precisavam ser reformadas e mudar o que estava errado. Existe grande perigo para uma Igreja quando ela se fecha em si mesma e deixa de ouvir a voz do seu Senhor, que deseja corrigi-la e trazê-la de volta aos caminhos da sã doutrina bíblia.


III – SETE CARACTERÍSTICAS DE UMA IGREJA FUNDAMENTADA NA PALAVRA DE DEUS:

1 - UMA IGREJA CENTRALIZADA EM CRISTO - Cl 1:18 cf Apc 5:9 - Cristo tem primazia em tudo; Ele nos comprou. O pastor não é a cabeça da igreja; Grupos dentro da Igreja não podem ser cabeça. Todos devem se sentir parte vital do todo, pois somos membros de um só corpo.


2 - UMA IGREJA FUNDAMENTADA NA PALAVRA – Mt 24:45,46; Lc 16:10 – Toda festividade dela precisa ter a marca da Palavra do Senhor. Para se ter uma Igreja assim, é preciso obreiros dedicados à Palavra (aprovados, corajosos e dedicados - II Tm 2:15).


3 - UMA IGREJA AVIVADA - At 2:4,39 - Uma Igreja morna ou fria é uma Igreja morta; não gera novos crentes. Ao contrário, uma Igreja avivada atrai pessoas, é uma Igreja com entusiasmo (frequenta os trabalhos, participa, se envolve).


4 - UMA IGREJA FIEL - Ap 2:10 - Fidelidade é essencial para o sucesso. Nenhum negócio prospera sem fidelidade. Se somos fiéis no nosso serviço, nunca faltaremos ao trabalho. Algo vai mal, se o nosso trabalho ou nossa vida social pode contar conosco, mas a Igreja não.


5 - UMA IGREJA AMÁVEL - I Jo 4:7,8,12 - Ama a Deus acima de todas as coisas, ama ao seu próximo como a si mesma (perdidos e caídos: devemos ajudá-los e não fazê-los cair).


6 - UMA IGREJA GENEROSA - Nos dízimos, que pertencem ao Senhor; Nas ofertas, para os projetos da Casa do Senhor; Na ajuda aos necessitados. Muitas vezes estamos usando malabarismos como alternativas ao invés de seguirmos o plano de finanças de Deus.


7 - UMA IGREJA TOTALMENTE EVANGELÍSTICA - Mc 16:15 - Uma Igreja não-evangelística é uma Igreja em decadência. A Evangelização nos faz parecer com a Igreja Primitiva. A Igreja Evangelizadora é uma Igreja frutífera.


IV - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Todos nós somos indistintamente responsáveis pela imagem da Igreja. Cada um tem que cumprir com a sua parte no corpo de Cristo para que o todo seja aperfeiçoado. Ajudaria muito se falássemos menos da Igreja de maneira negativa e gastássemos o mesmo tempo orando por ela.

Se a Igreja de Cristo for o que Deus tem em mente, então somos a instituição mais influente no mundo. Os cansados se voltam para ela, para que o Salvador lhes tire a carga; os tristes nela encontram conforto e paz; os solitários, a doce comunhão; os problemáticos, a solução como socorro. É lindo ver uma Igreja cheia de pessoas, mas é melhor ver as pessoas cheias da Igreja.



FONTES DE CONSULTA:

Berkhof, Louis – Teologia Sistemática – Luz Para o Caminho Publicações

Sites na Internet com mensagens dos pastores Jesimiel Gomes e Arnildo Klumb