Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







20 de fev de 2010

LIÇÃO Nª 09 - 28/02/2010 - "O PRINCÍPIO BÍBLICO DA GENEROSIDADE"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO 09 - DIA 28/02/2010
TÍTULO: “O PRINCÍPIO BÍBLICO DA GENEROSIDADE”
TEXTO ÁUREO – II Cor 9:7
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: II Cor 8:1-5; 9:6-7, 10-11
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e.mail: geluew@yahoo.com.br



I – INTRODUÇÃO:

· Mt 4:23 - JESUS É O MODELO E A INSPIRAÇÃO PARA A AÇÃO SOCIAL! Ele pregava (evangelização); ensinava (educação) e curava (cuidado do corpo – mantendo-o saudável). Nem todas as dimensões da obra do Senhor nos atraem com a mesma intensidade, mas todas foram deixadas como missão da Igreja de Jesus.

II – SIGNIFICADO DA PALAVRA GENEROSIDADE:

. GENEROSIDADE = Liberalidade de espírito, especialmente na contribuição aos necessitados. A generosidade é considerada a nobreza do caráter. Ela se manifesta de duas maneiras principais:

· (1) – LIBERALIDADE – Pv 19:17 – Qualidade daquele que gosta de fazer doações, de repartir o que tem com o que não tem. O crente deve ser liberal, tanto em contribuir para a obra de Deus, como em ajudar os necessitados. Se alguém tem compaixão pelos pobres, tudo o que ele oferece aos necessitados, é como se emprestasse a Deus. O próprio Senhor é quem pagará tal benefício. Cristo deu o exemplo máximo de liberalidade (II Cor 8:9, 13-15; Ml 3:10).

· (2) – LONGANIMIDADE – Pv 19:11 – A generosidade também se manifesta em perdoar com facilidade. A longanimidade é o adiamento da ira, para se tolerar mais um pouco. Deus é longânimo conosco, ao perdoar nossos grandes e frequentes pecados. Perdoar é ter um caráter semelhante ao de Cristo que sempre esteve pronto a perdoar (I Tm 1:16 cf Ef 4:32).

III - CARACTERÍSTICAS DE UMA IGREJA QUE PERDEU A SENSIBILIDADE SOCIAL:

·  A Igreja deve ser encarada como comunidade de pessoas que tem problemas sociais e materiais, os quais precisam ser amenizados pela participação de todos os membros. Por isso, Paulo ensinou à Igreja de Corinto o modo de cooperar na obra do Evangelho, financeiramente – I Cor 16:1-3

·  Leiamos Lc 10:25-37:

·  (1) - ELA IGNORA QUEM SEJA SEU PRÓXIMO – No íntimo, aquele doutor nunca creditaria a um samaritano (uma raça, a seu ver, impura e maculada) a condição de próximo. Nem seria misericordioso com alguém que pertencia a um povo cujas relações com os judeus estavam cortadas. Muitas Igrejas vivem assim! Voltam-se para dentro de si mesmas, sem nenhum interesse real pelo próximo. Em muitas Igrejas não se conhece o amor ao próximo e muito menos o próximo, porquanto o lema é: “CADA UM POR SI E DEUS POR TODOS”. Então, quem é o meu próximo? - É todo aquele que estiver ao alcance da minha ação abençoadora, da minha misericórdia. Enfim, o próximo não é somente aquele que está perto dos nossos olhos, mas todos os que estão perto do nosso coração.

·  (2) - ELA É INSENSÍVEL ÀS NECESSIDADES HUMANAS - Os próprios líderes religiosos viram uma pessoa precisando de socorro e passaram sem dar a mínima importância! O sacerdote e o levita não puderam ver o necessitado como seu próximo porque tinham medo que fosse samaritano. Quantas pessoas não despedimos sem lhes dar socorro, porque achamos que não merecem nossa ajuda? Mas, para todos os efeitos, QUEM É MERECEDOR? SE ELES NÃO SÃO, TAMPOUCO NÓS! (Lm 3:22; I Cor 15:10).

IV – CARACTERÍSTICAS DE UMA IGREJA VIVA, QUE POSSUI SENSIBILIDADE SOCIAL:


. A Parábola do Bom Samaritano tem um final feliz, porque um samaritano foi usado para nos ensinar o modo correto de praticar nossa missão social.

·  (1) -  ELA AGE COM MISERICÓRDIA – O samaritano parou, desceu do seu cavalo e socorreu. Não se preocupou em saber se o necessitado era judeu ou não. Apenas o viu como alguém necessitado, ou seja, seu próximo que precisava ser socorrido. Antes de procurarmos ver de quem se trata, nosso amor cristão deve nos impulsionar a ações abençoadoras. A bem da verdade, não faz nenhuma diferença para o coração genuinamente cristão quem é que está precisando de ajuda, quem é o próximo. Por definição cristã, quem está necessitado é meu próximo e deve ser alvo do meu amor. O levantamento de ofertas nas Igrejas da Macedônia, Acaia e Corinto, foi para atender os santos de Jerusalém que estavam empobrecidos (Rm 15:26; II Cor 8:1-4). O objetivo do levantamento das ofertas era claro: IGUALDADE SOCIAL. Por duas vezes o apóstolo cita a expressão PARA QUE HAJA IGUALDADE (II Cor 8:13-15).

·  (2) -  ELA AGE COM LIBERALIDADE – O samaritano usou seu próprio remédio, colocou o ferido em sua condução, levou-o a um hospital e pagou a despesa. Ele não tirou nenhum folheto do bolso e o pôs na mão do enfermo, deixando-o à própria sorte. Ele tirou remédio, dinheiro e o abençoou. O que estava no interior do samaritano é que o constrangeu a servir o próximo: O AMOR DE DEUS! AÇÃO SOCIAL NÃO É MÉTODO EVANGELÍSTICO, MAS REFLEXO DO AMOR DE DEUS NOS CORAÇÕES DOS CRENTES (Mc 2:1-11)!

·  (3) - ELA NÃO DEIXA DE AGIR FACE AOS RISCOS – O caminho de Jerusalém para Jericó era muito perigoso, pois havia muitos assaltantes à espreita. Era uma região violenta e não convinha parar no meio da estrada. Quem o fizesse, corria perigo de vida e de ser assaltado. Não era recomendável parar o cavalo e descer naquele lugar. O risco era grande! Mas graças a Deus que há cristãos e Igrejas que estão enfrentando esses riscos. Vão a lugares pouco amistosos, inclusive nas madrugadas, levando roupas, cobertores e remédios, entre outras coisas. Estão empenhados num grande projeto de socorrer o necessitado que vive nessas ruas perigosas. Somente quando a Igreja de Jesus neste país assimilar essa consciência de missão, é que poderemos transformar a história.

. Paulo forneceu uma pequena demonstração da forma pela qual a Igreja de Corinto deveria realizar a doação:

. (A) - Da sua pobreza - II Cor 8:2;

. (B) - Generosamente - II Cor 8:3;

. (C) - Proporcionalmente - II Cor 8:12-14;

. (D) - Abundantemente - II Cor 9:6; e

. (E) - Espontaneamente e alegremente - II Cor 9:7;

V - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

· O Salmo 41 destaca as seguintes BÊNÇÃOS DECORRENTES DA MISERICÓRDIA PARA COM OS NECESSITADOS:

·  (1) - O LIVRAMENTO DE DEUS - (Sl 41:1-2) – Atitude de misericórdia para com o pobre é um negócio de Deus através de nós. E a certeza que temos é de que se cuidarmos dos negócios de Deus, Ele cuidará dos nossos.

·  (2) - CONFORTO NA DOENÇA - (Sl 41:3) - É extremamente consolador saber que quando os recursos humanos já nada mais podem fazer para ajudar-nos, o conforto do Senhor nos assiste, mesmo que seja em nossas enfermidades.

·  (3) - TRIUNFO SOBRE A TRAIÇÃO - (Sl 41:9-11) - Deus busca homens e mulheres de espíritos desarmados da violência, a transbordar de compaixão e que gozem no cotidiano a bem-aventurança da misericórdia, ensinada no Evangelho (Mt 5:7).

· “O QUE É DE BONS OLHOS SERÁ ABENÇOADO, PORQUE DEU DO SEU PÃO AO POBRE” – Pv 22:9 - As bênçãos de Deus repousam sobre o generoso. Além de contar com a justiça divina, o que estende sua mão para ajudar os necessitados terá sempre a acompanhá-lo a gratidão e as orações daqueles a quem ele ajudou. Assim, ser generoso é contemplar com alegria a felicidade de alguém, é alegrar-se com o que se alegra. Ainda que não tenha muita abundância, o generoso pode viver feliz e desfrutar bem o que possui.

· Leiamos com atenção Dt 15:9-10; Pv 28:27 e II Cor 9:7-8.


FONTES DE CONSULTA:

· Lições Bíblicas CPAD - 1º Trimestre de 1987 - Comentarista: Raimundo F. de Oliveira


· Lições Bíblicas CPAD – 3º Trimestre de 1996 – Comentarista: Esequias Soares


· Revista Campeões da Fé – CPAD – 3º Trimestre de 1997 – Comentarista: Arézia Lessa Cabral


· José Armando S. Cidago - Um Grito pela Vida da Igreja - CPAD


· Revista Educação Cristã – Vol. IX – Os Ministérios da Igreja – SOCEP – Sociedade Cristã Evangélica de Publicações Ltda