Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







19 de jul de 2010

LIÇÃO Nº 04 - 25/07/2010 - "PROFECIA E MISTICISMO"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA IGREJA EVANGÉLICA
ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA - NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 04 - DATA: 25/07/2010
TÍTULO: “PROFECIA E MISTICISMO”
TEXTO ÁUREO – Jr 29:8
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Dt 13:1-5; 18:10-12
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/


I – INTRODUÇÃO:

• “... SABENDO QUE FUI POSTO PARA DEFESA DO EVANGELHO” – Fp 1:16 - Faz parte do trabalho cristão o combate às falsas doutrinas que frequentemente surgem no meio do povo de Deus. Combatê-las é proteger o rebanho do Senhor. Através da exposição sadia do Evangelho, o Obreiro do Senhor vai formando uma Igreja composta de crentes sadios na fé, a saber: Uma Igreja sem formalismo e fanatismo; Uma Igreja que rejeita as fábulas artificialmente compostas, tais como imaginações humanas, superstições e temores infundados; Uma Igreja que combate as heresias e corrige os ensinamentos antibíblicos que aparecem; e Uma Igreja que tem uma vida digna do Evangelho perante Deus e os homens.


II – PROFECIA E MISTICISMO:

• PROFECIA = Revelação do conhecimento e da vontade de Deus. De forma genérica, toda Bíblia consiste de matéria profética. Sem profecia, o conhecimento de Deus tornar-se-ia impossível.

• MISTICISMO = ESPIRITUAL - Conjunto de normas e práticas que tem por objetivo alcançar uma comunhão direta com Deus. Nessa busca, não raro, os místicos são induzidos a prescindir da Bíblia para ficar apenas com as suas experiências.

• Os misticismo so é benéfico enquanto não se sobrepõe à Palavra de Deus. Caso contrário, ei-lo como a fonte de todas as heresias e mentiras. Nada, em absoluto, pode contrariar as Sagradas Escrituras.


III - ENSINAMENTOS SOBRE “ESPÍRITOS TERRITORIAIS”:

• A ênfase dada atualmente à batalha espiritual trouxe consigo a crença nos espíritos territoriais. Tal ensino defende que há demônios específicos sobre determinada área ou região geográfica que dificultam a pregação do Evangelho, o progresso da Igreja e até o progresso de uma cidade ou nação. Torna-se necessário então identificar tais espíritos maus e expulsá-los para que a vitória se concretize.

• Este movimento ensina:

• “Satanás delega aos membros de elevada posição de hierarquia dos espíritos maus o controle de nações, regiões, cidades, tribos, grupo de pessoas, vizinhanças e outros grupos sociais importantes de pessoas através do mundo. O principal trabalho deles é de impedir que Deus seja glorificado em seus territórios, o que eles fazem ao dirigir a atividade dos demônios nas posições inferiores”.

• As passagens bíblicas usadas para defenderem a territorialidade dos espíritos, são: Is 14:12-14; Ez 28:12-19; Ef 3:10; 6:12; Dn 10:13; Mc 5:10


III.1 - REFUTAÇÕES:

• (1) - Is 14:12-14; Ez 28:12-19 – Certos exegetas crêem que estes versículos referem-se não apenas aos reis de Babilônia e de Tiro, mas também, DE UM MODO VELADO, a Satanás.

• (2) - Ef 3:10 – Não ensina que a Igreja anuncia a mensagem a poderes demoníacos. Ao invés do envolvimento ativo na guerra contra as potestades espirituais, a própria existência da Igreja expõe a impotência do domínio das trevas para impedir o trabalho de Deus.

• (3) - Ef 6:12 – Embora exista a menção de uma variedade de maus espíritos nesta passagem bíblica, a ênfase de Paulo não permite especulação esotérica sobre a natureza, nomes ou funções dessas potestades demoníacas. Sua posição é de que o Evangelho fornece tudo o que é necessário para resistir à atividade tentadora das forças espirituais das trevas. A batalha em Efésios Cap. 6 não é territorial, mas pessoal.

• (4) - Dn 10:13 - Embora Daniel apoie a ideia de identificação territorial de certos anjos, ele não apoia qualquer tipo de envolvimento humano numa guerra angelical.

• (4.1) - Longe de encontrar Daniel envolvido em oração de guerra, discernindo e orando contra espíritos regionais, vamos encontrá-lo frustrado pela ausência de resposta a sua oração a Deus.

• (4.2) - Daniel encontra-se totalmente alheio à batalha angelical até a explicação apologética do anjo para a demora da resposta de Deus a sua oração. Não há qualquer alusão quanto a discernir, amarrar ou orar contra os maus espíritos cósmicos.

• (5) - Mc 5:10 – Este texto deve ser entendido à luz daquele paralelo de Lc 8:31. Jesus ameçava mandá-los para o abismo. Por isso, eles preferiram ficar naquela região.


IV – UM NOVO ELEMENTO NO ASSUNTO DE GUERRA ESPIRITUAL: “O MAPEAMENTO ESPIRITUAL”:

• Os que defendem este ensinamento, dizem:

• “Mapeamento espiritual é a reunião de informações do mundo visível que pode nos auxiliar a entender o que fica abaixo da superfície, nas dimensões espirituais. O mapeamento espiritual pode nos ajudar a entender os aspectos invisíveis, tanto do reino da luz, quanto do reino das trevas”.

• O que é necessário para se fazer o mapeamento espiritual? Ensinam os defensores deste ensinamento:

• “Há necessidade de fazer algumas perguntas quanto à situação:

• (1ª) - QUAL O SIGNIFICADO DO NOME ORIGINAL DA CIDADE?

• (2ª) - O NOME FOI MUDADO?

• (3ª) - EXISTEM OUTROS NOMES OU DENOMINAÇÕES POPULARES DA CIDADE?

• (4ª) - ESTES NOMES SIGNIFICAM ALGO?

• (5ª) - SIGNIFICAM BÊNÇÃO OU MALDIÇÃO?

• (6ª) - FAZEM DESTACAR O DOM REDENTOR DE DEUS PARA A CIDADE?

• (7ª) - ELES REFLETEM O CARÁTER DO POVO DA CIDADE?”

• Para defenderem tal ensino, citam o exemplo da cidade de PARATI, no Rio de Janeiro:

• “A cidade foi fundada como uma plataforma para aventureiros gananciosos em busca de ouro e pedras preciosas em Minas Gerais e em seus cumes hospedavam-se os traficantes de escravos e os comerciantes de tabaco e pinga... Nestes dias, mais de trezentos anos depois, Parati é conhecida como a CAPITAL DA CACHAÇA DO BRASIL e certamente do mundo. Infâmia deste tipo pode dar a Satanás a oportunidade de trabalhar em nossas comunidades”.


IV.1 – REFUTAÇÕES:

• (1) - Se aplicássemos o exemplo de Parati à cidade de PARIS, poderíamos dizer que os moradores da Capital da França vão muito bem espiritualmente, POIS PARIS É CONHECIDA COMO CIDADE DE LUZ.

• (2) - A cidade do RIO DE JANEIRO não teria os problemas ou os pecados que lhe são atribuídos, pois é conhecida como A CIDADE MARAVILHOSA.

• (3) - A cidade de SALVADOR, um nome tão bíblico e com um significado espiritualmente fantástico, deveria fazer da Capital Bahia o centro evangélico do Brasil. Entretanto, essa não é realidade.

• (4) - E o que dizer do Estado do ESPÍRITO SANTO, cuja Capital é VITÓRIA? E da comunidade na cidade do Rio de Janeiro, denominada CIDADE DE DEUS? Com esses nomes, não deveriam ser paraísos de santidade? No entanto, não é o que acontece naquelas localidades.

• (5) - At 19:1-20 - Não se destrona principados e potestades para depois pregar a Palavra de Deus, mas primeiro se prega a Palavra do Senhor, pois ela, sim, tem o poder para vencer as potestades malignas

• (6) - Mt 10:1-14 - O Senhor Jesus nunca instruiu seus discípulos sobre espíritos territoriais ou mapeamento espiritual quando os enviou às cidades e aldeias para evangelizar.

• (7) - Gl 1:11-12; At 20:27 – Se o ensino da territorialidade dos espíritos fizesse parte do Evangelho que lhe foi revelado pelo Senhor, Paulo o teria ensinado, pois nunca deixou de anunciar todos o desígnio de Deus.

• (8) - At 16:16-17 – Se Paulo estivesse envolvido com a crença de espíritos territoriais e se tal ensino fosse bíblico, ele teria orado antes de chegar a Filipos, já teria identificado o espírito mau da região, já o teria amarrado e teria entrado na cidade sem enfrentar qualquer oposição ao seu labor evangelístico. Porém, não foi isso que aconteceu.

• (8.1) - Paulo enfrentou o demônio, expulsou-o e ainda encontrou muita oposição ao seu trabalho missionário em Filipos.

• (8.2) - Observemos que Paulo nunca deu instruções aos irmãos para que descobrissem quem era o espírito territorial em Roma ou de qualquer outra região.

• Sem dúvida, a crença da territorialidade de espíritos não fazia parte dos ensinamentos de Paulo.


V – FANEROSE (CAIR SOB O PODER DE DEUS ou MINISTRAR A QUEDA NO PODER):

• FANEROSE vem do grego “PHANERÓS” e quer dizer VISÍVEL.

• Trata-se de um tipo de ensinamento prático em que as pessoas que estão sentindo a presença de Deus, caem. Isso seria a MANIFESTAÇÃO VISÍVEL da presença do Espírito Santo.

• A base bíblica dos simpatizantes da fanerose são: Gn 2:21; Gn 15:12; Nm 24:4; I Sm 19:23-24; II Cr 5:14 cf Ex 40:34-35; Apc 15:8; Dn 10:8-9; Jo 20:22 cf Gn 2:7; At 9:4-8; Apc 1:17.


V.1 – REFUTAÇÕES:

• (1) - Gn 2:21 - Deus fez Adão DORMIR. Mas DO SONO DE ADÃO, DEUS CRIOU EVA

• (2) - Gn 15:12 - Deus falou a Abraão, quando este estava em PROFUNDO SONO, SOBRE A PROMESSA DE SUA DESCENDÊNCIA.

• (3) - Nm 24:4 - Balaão caiu em êxtase. Mas, não se pode esquecer de que Pedro se referiu a Balaão como alguém que amou o prêmio da injustiça e perverteu o caminho do Senhor (II Pe 2:15).

• (3.1) - Judas fala daqueles que caíram no erro de Balaão (Jd 11).

• (3.2) - Na carta à Igreja de Pérgamo, a referência que o Senhor faz sobre Balaão não é nada recomendável (Apc 2:14).

• (3.3) - Foi Balaão quem levou o povo de Israel a prostituir-se em Baal-Peor (Nm 25:1-3; 31:16).

• (3.4) - Balaão é tido na Bíblia como adivinho e foi morto pelo exército do Senhor como inimigo de Israel (Js 13:22).

• (3.5) - Assim, a experiência de Balaão não deve servir de exemplo para qualquer cristão.

• (4) - I Sm 19:23-24 – Saul na casa dos profetas em Ramá profetizou diante de Samuel e ficou nu deitado em terra durante um dia inteiro e uma noite inteira.

• (4.1) - Quanto a este versículo, comenta a Bíblia de Estudo Nova Versão Internacional, pg. 405:

• “Saul ficou tão prostrado pelo poder do Espírito de Deus a ponto de ser impedido de levar adiante a sua intenção de tirar a vida de Davi”.

• (4.2) - O registro bíblico informa que Saul já havia se rebelado contra Deus quando viveu essa experiência.

• (4.3) - O texto diz ainda que Saul ficou nu. Ora, se essa passagem for usada para ensinar o fenômeno de cair no Espírito, deve ser um procedimento normal o cristão ficar nu também!

• (5) - II Cr 5:14 - Quando se compara esta passagem com outras semelhantes - Ex 40:34-35; Apc 15:8 - torna-se claro que a presença de Deus era tão intensa que os sacerdotes não podiam ENTRAR NO TEMPLO. Não há, portanto, qualquer base bíblica para se instituir a prática da fanerose na Igreja.

• (6) - Ez 1:28; 3:23; 44:4; Dn 8:17-18 - Devido a manifestação da glória do Senhor, estes homens de Deus caíram com seus rostos em terra. Entretanto, quando acontecia tal manifestação na Bíblia, ela era geralmente acompanhada de temor, reverência e atitude de adoração.

• (6.1) - Num dos eventos, a Bíblia diz que os homens que estavam com Daniel sentiram muito medo, fugiram e se esconderam (Dn 10:7)

• (7) - Dn 10:8-9 - Ao ter uma visão, Daniel caiu sem sentidos. Porém, falta completar a leitura com os versos 10 e 11 - "... E LEVANTA-TE SOBRE OS TEUS PÉS..."

• (8) - Jo 20:22 - O único exemplo no Novo Testamento de alguém soprando sobre outros é o de Jesus quando aparece para os discípulos depois da ressurreição.

• (8.1) - O verbo SOPRAR que aparece neste versículo é, no grego, ENEPHYSESEN, o mesmo empregado em Gn 2:7. Deus formou o homem do pó da terra e SOPROU NELE o fôlego de vida para que ele se tornasse um ser vivo.

• (8.2) - Jesus SOPROU sobre os discípulos o sopro da nova criação que lhes deu vitalidade espiritual. Ao primeiro homem foi dada a responsabilidade da criação material. Mas aos discípulos, a responsabilidade pela nova criação. ISTO QUER DIZER QUE VIDA NATURAL E ESPIRITUAL DEPENDEM DO SOPRO (ESPÍRITO) DE DEUS.

• (8.3) - Assim, pode ser observado na Bíblia que é somente Deus e não o homem quem sopra, não existindo, portanto, qualquer instrução bíblica para se soprar sobre as pessoas a fim de derrubá-las.

• (8.4) - Além do mais, este foi um enchimento temporário dos discípulos com o Espírito Santo para capacitá-los até que seu relacionamento normal com o Espírito Santo começasse em Pentecostes.

• (9) - Mt 17:5-6 e At 9:4-8 - Os discípulos caíram sobre seus rostos com grande medo e Saulo caiu diante da luz de Deus - Pode ser que o medo e o fato de serem inesperadamente envolvidos por uma luz mais resplandecente que o sol tenha provocado a queda dos discípulos, de Paulo e dos que o acompanhavam. Mas, certamente, não é por causa dessa mesma luz que as pessoas estão caindo nas Igrejas, através dos movimentos pentecostais e carismáticos.

• (9.1) - Além disso, estas passagens bíblicas devem ser completadas com Mt 17:7-8 e At 9:3-4, 6, 8, 10-11, 17-18; 26:13-14

• (10) - Apc 1:17 - João caiu ante a visão do Cristo glorificado - João, apesar de cair como morto diante de Cristo, com um gesto e com uma só palavra do Mestre, ficou encorajado. Aliás, além de cair, João teve medo reverente, pois o Senhor lhe disse: NÃO TEMAS.

• (11) - II Cor 12:1-4 - O relato bíblico nada diz sobre Paulo cair. Pode ser que tal fato tenha ocorrido quando ele foi apedrejado e tido como morto em Listra (At 14:19-20)

• Ante tudo isso, basta uma simples observação das passagens bíblicas acima para compreendermos que não há qualquer base na Palavra de Deus para para estabelecermos a prática da fanerose na Igreja. Isto porque, A BÍBLIA ENSINA:

• (A) - QUEM DERRUBA É O DIABO QUE QUER NOS VER SEMPRE PROSTRADOS E CAÍDOS:

• - Is 14:12 - "... CAÍSTE... FOSTE LANÇADO POR TERRA..."

• - Mc 9:17-18, 20, 25-26 - "... E CAINDO O ENDEMONHINHADO POR TERRA... O TEM LANÇADO NO FOGO, E NA ÁGUA, PARA O DESTRUIR..."

• Lc 4:33-35 - "... E O DEMÔNIO, LANÇANDO-O POR TERRA..."

• (B) - QUEM RECUA E CAI POR TERRA SÃO OS INIMIGOS DE JESUS; BASTOU A VOZ DO MESTRE PARA QUE ISSO ACONTECESSE:

• Jo 18:4-6 - "... Quando pois lhes disse: Sou eu, RECUARAM, E CAÍRAM POR TERRA".

• (C) - Segundo registros bíblicos, NÃO CAÍMOS COM O PODER DO ESPÍRITO SANTO; este é que “CAI” ou “VEM SOBRE NÓS”:

• Ez 8:1 - "... A MÃO DO SENHOR CAIU SOBRE MIM";

• Ez 11:5 - "CAIU POIS SOBRE MIM O ESPÍRITO DO SENHOR..."

• At 10:44 - "... CAIU O ESPÍRITO SANTO SOBRE TODOS OS QUE OUVIAM A PALAVRA";

• At 11:15 - "... CAIU SOBRE ELES O ESPÍRITO SANTO..."

• (D) - Os servos de Deus sempre se levantam e põem-se em pé:

• Ez 1:28 - 2:1-2 - "... VENDO ISTO, CAÍ SOBRE O MEU ROSTO... FILHO DO HOMEM, PÕE-TE EM PÉ... ENTROU EM MIM O ESPÍRITO... E ME PÔS EM PÉ";

• Ez - 3:22-24 - "E a mão do Senhor estava SOBRE MIM ALI... LEVANTA-TE... E LEVANTEI-ME... ENTÃO ENTROU EM MIM O ESPÍRITO, E ME PÔS EM PÉ...";

• Ez 8:1-3 - "... ALI A MÃO DO SENHOR CAIU SOBRE MIM... E O ESPÍRITO ME LEVANTOU...";

• Ez 11:1, 24 - "Então ME LEVANTOU O ESPÍRITO... DEPOIS O ESPÍRITO ME LEVANTOU...";

• Ez 37:8-10 - "... ENTÃO O ESPÍRITO ENTROU NELES E VIVERAM, E SE PUSERAM EM PÉ...";

• Ez 43:3-5 - "... E CAÍ SOBRE O MEU ROSTO... E LEVANTOU-ME O ESPÍRITO...";

• Dn 8:15-18 - "... FIQUEI ASSOMBRADO, E CAÍ SOBRE O MEU ROSTO... CAÍ COM O MEU ROSTO EM TERRA, ADORMECIDO; ELE, POIS, ME TOCOU, E ME FEZ ESTAR EM PÉ";

• At 9:10-18 - "... Para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo... e recuperou a vista; e, LEVANTANDO-SE, FOI BATIZADO".

• (E) – Quando Jesus tocava alguém, era para levantar, exaltar e restaurar os que são fiéis a Ele; ninguém caía com o toque de Jesus:

• Mt 8:14-15 - O toque de Jesus não derruba ninguém, mas expulsa a enfermidade, nos levanta do leito de enfermidade, dando-nos ânimo para servir;

• Mt 9:27-30 - O toque de Jesus não derruba ninguém, mas abre os nossos olhos e ilumina;

• Mt 17:1-8 - O toque de Jesus não derruba ninguém, mas nos ergue e nos encoraja;

• Mc 7:31-35 - O toque de Jesus não derruba ninguém, mas restaura fazendo ouvir a sua voz e falar coisas celestes;

• Mc 9:14-27 - O toque de Jesus não derruba ninguém, mas liberta, dá apoio e consolação;

• Mc 10:13-16 - O toque de Jesus não derruba ninguém, mas transmite ricas bênçãos para nós e nossos filhos;

• Lc 5:12-13 - O toque de Jesus não derruba ninguém, mas traz-nos purificação e perdão;

• Lc 8:40-42, 49-56 - O toque de Jesus não derruba ninguém, mas transmite vida;

• Lc 22:47-51 - O toque de Jesus não derruba ninguém, mas transmite cura.

• (F) - Finalmente: “MAS O FRUTO DO ESPÍRITO É... CONTRA ESTAS COISAS NÃO HÁ LEI” – Gl 5:22-23 – Ou seja, a manifestação visível da presença de Deus na vida de um cristão não deve ser caracterizada por atitudes e gestos emocionais, mas, sim, por aquilo que pode ser visível em sua vida: O FRUTO DO ESPÍRITO! O FRUTO É AQUILO QUE É VISÍVEL; TODOS PODEM E DEVEM VER O FRUTO DO ESPÍRITO SANTO EM NOSSAS VIDAS!


VI - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

• Poderíamos ainda dizer outras inúmeras inovações que têm aparecido nos últimos tempos. São todas práticas que misturam feitiçaria, meninice, despreparo espiritual e, o que é primordial, AUSÊNCIA DA EXPOSIÇÃO DA GENUÍNA PALAVRA DE DEUS.

• "... PORQUE TODO O POVO CHORAVA, OUVINDO AS PALAVRAS DA LEI" - Ne 8:9 

• “... LERAM NO LIVRO DA LEI DO SENHOR SEU DEUS UMA QUARTA PARTE DO DIA; E NA OUTRA QUARTA PARTE FIZERAM CONFISSÃO E ADORARAM AO SENHOR SEU DEUS” - Ne 9:3

• Os israelitas CHORAVAM AO OUVIREM AS PALAVRAS DA LEI; LERAM o Livro da Lei do Senhor durante três horas e passaram outras três horas confessando os seus pecados e adorando o Senhor.

• Em nome de Jesus, IMITEMOS OS BONS EXEMPLOS REGISTRADOS NA SANTA PALAVRA DE  DEUS E CRESÇAMOS NA GRAÇA E NO CONHECIMENTO QUE HÁ EM CRISTO JESUS, NOSSO SENHOR!




FONTES DE CONSULTA:

1) A Bíblia Vida Nova - Edições Vida Nova



2) Estudo Bíblico “A Escola Dominical e o seu enfrentamento às Heresias” – Pr. João Miranda



3) Silva, Severino Pedro da - Os Anjos, Sua Natureza e Ofício - CPAD



4) Romeiro, Paulo - Evangélicos em Crise – Editora Mundo Cristão



5) Revista Educação Cristã - Volume III - SOCEP



6) BEP



7) Andrade, Claudionor Corrêa de - Dicionário Teológico - CPAD