Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







14 de set de 2015

3º TRIMESTRE DE 2015 - LIÇÃO Nº 12 - 20.09.2015 - "EXOTAÇÕES GERAIS"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 12 - DATA: 20/09/2015
TÍTULO: “EXORTAÇÕES GERAIS"
TEXTO ÁUREO – Tt 2.7
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Tt 2.1-8

PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO





Queremos, mais uma vez, agradecer a ajuda à oração em meu favor de todos os irmãos que assim tem procedido. Em especial, agradeço as palavras do nosso irmão Tiago Calado, postadas em seus comentários, o que muito tem me fortalecido e animado para confiarmos cada vez mais em nosso Deus e na minha cura. O meu muito obrigado, em nome de Jesus.




I - INTRODUÇÃO:




O conselho pode ser muito sábio; porém, só terá valor se for acatado.




II - A BÍBLIA É O   MANUAL   INDIVIDUAL DO CRISTÃO:



A Bíblia é indispensável à vida de cada filho de Deus neste mun­do. Ela deve ser lida cotidianamente. Devemos examiná-la, estudá-la e amá-la profundamente. Ela é o nosso manual para todas as situações.       Vejamos:



(1) Em Nossa Conduta - é na Bíblia que descobrimos o padrão divino e a verdadeira inspiração para atingi-lo. Nossa aversão ao pecado é um resultado de guardar­mos a Palavra em nosso coração, Sl 119.11. Ela nos indica o verda­deiro modo de viver, II Tm 3.10, e quando a observamos, o nosso ca­minho prospera, Js 1.8.



(2) Em Nosso Relacionamento Com Deus - é a Bíblia que nos fixa as diretrizes. Ela fala sobre o per­dão, Mt 6.12-15; Lc 11.4;sobre a adoração, Jo 4.23,24; Fp 3.3; sobre a oração da fé, Jo 14.12; Tg 5.17 e sobre nossa comunhão com Deus, I Co 1.9; I Jo 1.6,7.



(3) Em Nossa Esperança da Vida Futura - a verdadeira moti­vação vem também das Escritu­ras, Hb 6.18,19; At 28.20; Cl I.5,6,23,27; Ap 22.12.



Usemos este bendito manual como peregrinos do Senhor até chegarmos ao desejado porto ce­lestial.




III - O MANUAL DO CRISTÃO NO LAR:



Deus tem cuidados especiais com a família. As grandes provi­dências salvadoras de Deus sem­pre incluem a família (Gn 7.1; At 16.30,31, etc). É digno de conside­ração o fato de que a Bíblia é, em verdade, o manual do lar cristão. Observemos:



1. O Manual das Crianças -. "Deixai os meninos, e não os estor­veis de vir a Mim; porque dos tais é o reino dos céus", Mt 19.14,15. "Os filhos são herança do Se­nhor..." Sl 127.3. "Instrui ao me­nino no caminho em que deve an­dar..." Pv 22.6.



2. O Manual dos Filhos - A Bíblia está cheia de conselhos e exortações aos filhos, visando a sua felicidade e o prolongamento de seus dias aqui na terra: Êx 20.12; Lv 19.3,32; Dt5.16; Ef6.1-3; Cl 3.20; I Tm 3.4; Lc 18.20; Mt 15.4; Mc 10.19; Pv 1.8,9; os filhos também são exortados a buscar ao Senhor, louvando-O e obedecendo os seus mandamentos, Sl 148.12,13; Pv 3.1-3; 6.20-25.



3. O Manual dos Jovens - Cada jovem cristão deve reconhe­cer que a Bíblia é um livro para a juventude. Em João encontramos isto mui claramente: "Eu vos es­crevi, jovens..." I Jo 2.14. A Bíblia está repleta de vidas jovens, fonte de inspiração para a mocidade de todos os tempos. Por exemplo: Da­vi, Daniel, Josias, Timóteo, José e muitos outros que são verdadeiras colunas no grande templo da His­tória Universal do Povo de Deus. A Bíblia apresenta advertências, exortações, conselhos, manda­mentos e mensagens diretamente aos jovens: Tt 2.6; I Tm 4.12;Pv 4.23; Lc 15.11-23; Ec 12.1; Pv 10.1; I Jo 2.13-17; Pv31.1-3.



Deus ajude à juventude de nos­sa querida Igreja a permanecer fiel e consagrada a Deus e a sua preciosa Palavra.



4. O Manual dos Esposos - O primeiro casamento foi efetuado pessoalmente pelo Pai, Gn 2.24; Mt 19.4,5. O primeiro milagre, Je­sus o efetuou em uma festa de casamento, em Cana da Galiléia, Jo 2.11. A Bíblia defende o casamen­to. Eis algumas palavras da Escritura para os maridos cristãos: Ef 5.28; Ec 9.9; Cl 3.19; I Pe 3.7; I Tm 5.8; I Co 11.3.



5. O Manual das Esposas - A seriedade com que a Bíblia expõe o matrimônio chega ao ponto de ilustrá-lo como um retraio do rela­cionamento de Cristo com a Igre­ja. Por isso, recomenda o escritor: "Venerado seja entre todos o ma­trimônio e o leito sem mácula", Hb 13.4. Eis aí alguns textos que Deus oferece às esposas: Ef 5.22,31; Pv 31.10-30; Gn 2.18,20; Sl 128.3; Pv 19.14; I Co 14.34,35; Cl 3.18; Tt 2.5; I Pe 3.1,6; Gn 18.6; Pv 14.1.



Louvemos a Deus neste dia por todos os lares onde reina a graça, a paz e o poder do Senhor Jesus. Amém.



6. O Manual das Mulheres Novas - As senhoras recém-casadas também são favorecidas com mensagens específicas da Bíblia, por exemplo: "Para que ensinem as mulheres novas a se­rem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos, a serem moderadas, castas, boas do­nas de casa, sujeitas a seus mari­dos..." Tt 2.4,5.



Elas devem estar prepara­das, em humildade para aprender.     



Elas devem ser prudentes, castas e moderadas. Isto envolve o cuidado no falar (as donas de casa devem guardar consigo e com Deus as fraquezas e os defeitos de seus maridos), o espírito simples (os excessos de despesas feitos por pressão da esposa têm sido a causa de destruição de muitos lares) e a dedicação ao lar.       



Elas devem amar os filhos e não evitá-los através de meios que podem afetar a saúde, provocar a solidão e entristecer o Espírito Santo. Leiamos cuidadosamente I Tm 5.14,15.



Se isso acontecer, diz o apósto­lo, a Palavra de Deus não será blasfemada, Tt 2.5.



7. O Manual das Mulheres Idosas - A Bíblia põe uma grande responsabilidade nos ombros das senhoras idosas, Tt 2.3,4. Muitas recém-casadas   têm   destruído  o seu  lar  por causa de conselhos ímpios e levianos de senhoras mais idosas. Devemos dar atenção à Pa­lavra de Deus!



Mas também é verdade que muitas senhoras, como verdadei­ras santas de Deus têm sido ami­gas, conselheiras e ajudadoras evi­tando, com suas experiências, gra­ves problemas na casa de Deus! Graças a Deus por elas!



8. O   Manual   das   Viúvas - Deus é amigo das viúvas. As igre-jas devem cuidar "das que são verdadeiramente viúvas", I Tm 5.3-13; Dt 10.18; Sl 68.5; 146.9; Pv 15.25; Jr 49.11; At 6.1-7; Tg 1.27; I Tm 5.3.



9. O MANUAL DO OBREIRO: - Não se admite um verdadeiro obreiro sem que a Bíblia Sagrada seja uma prioridade em sua vida, Js 1.7,8.



O Obreiro deve ler a Bíblia diariamente, fazendo dela "o pão nosso de cada dia". Ele deve pesquisá-la mais que todos os compêndios seculares. Ela é a fonte principal de seu conhecimento e a base de suas mensagens. Os conselhos, a doutrina, as exortações e o ensino do Obreiro devem todos fundamentar-se na Palavra. Ele deve aceitá-la integralmente. Ele deve crer com perseverança no que ela afirma. O marechal Ferdinando Foch escreveu: "A Bíblia é com certeza o melhor preparo que se pode dar a um soldado que vai combater". E que dizer do Obreiro como soldado de Jesus Cristo? Tt 2.1; II Tm 4.2.



A recomendação de Deus sobre este assunto é abundante: Dt 6.6-9; SI 37.30,31; Is 59.21; Mt 12.35; Ef 4.29; Lc 11.28.



Ao prestar contas do seu ministério, Jesus orou ao Pai e disse: "Porque lhes dei as palavras que tu me deste..." Jo 17.8.



Que cada Obreiro hoje, possa dizer o mesmo.




IV - O MANUAL DA IGREJA:



Enquanto a Igreja estiver neste mundo, ela há de depender da Bíblia Sagrada, porque:



1. Ela é a base de nosso conhecimento, I Jo5.13.



2. Ela é a base de nossa iluminação, Sl 119.105.



3. Ela é a base do nosso consolo, I Ts 4.18.



4. Ela é a base de nossa vitalidade, Mt 4.4.



5. Ela é a base de nosso conhecimento, I Pe 2.2.



6. Ela é a base de nossa boa conduta, II Tm 3.16.



7. Ela é a base de nossa santificação, Sl 119.9.



8. Ela é a base de nossa sabedoria, I Co 1.18-24; Sl 19.7.



9. Ela é a base de nosso conforto, Rm 15.4.



10. Ela é a base de nossa vitória, Ef 6.17.



"A Bíblia é o Livro de todos os séculos, de todos os povos e de todas as idades". (César Cantu)




V - CONSELHO AOS VELHOS (Tt 2:2)



QUE SEJAM SÓBRIOS - Temperantes, moderados nos hábitos (I Ts 5:8; II Tm 4:5)



GRAVES - Respeitáveis, sérios no viver, honestos. Não quer dizer carrancudos ou grosseiros, tampouco que não devem conversar com ninguém, nem serem alegres e expansivos. Quer dizer, sim, que o homem adulto da Igreja deve manter-se na sua posição como verdadeiro cristão: não ser mexeriqueiro, boateiro, caçoador, anarquista, etc.



PRUDENTES - Sensatos, calmos na solução de quaisquer problemas, comedidos, cautelosos, discretos.



SÃOS NA FÉ - Uma fé pessoal sadia surge de um ensino bíblico são. O obreiro, de um modo geral, deve servir de modelo (II Tm 2:7 cf Tt 1:15). Ser sempre sincero, isto é, apresentar sua vida sem a cobertura da hipocrisia (Lc 6:42-45; 12:1).



SÃOS NA CARIDADE - Caridade é o amor em ação.



SÃOS NA PACIÊNCIA - São na paciência - ter uma resignação perfeita, o mesmo que exercer o ministério da piedade (I Tm 6:6-7 cf Hb 13:5).




VI - CONSELHOS ÀS MULHERES IDOSAS (Tt 2:3):



QUE SEJAM SÉRIAS NO SEU VIVER, COMO CONVÉM ÀS SANTAS - A designação de MULHERES IDOSAS = MAIS AMADURECIDAS; MAIS EXPERIENTES (I Tm 5:3-13). Além das prerrogativas como discriminadas aos velhos, devem viver uma vida de santidade. Uma vida santificada é uma vida separada para Deus e cheia do Espírito Santo (Lv 20:26; Ef 5:8 cf Jo 14:23; I Cor 6:19).



NÃO CALUNIADORAS - Levantar falso testemunho, aleivosa, desleal, traidora, pérfida, inventora de estórias, mexeriqueiras, etc (Pv 19:5, 9).



NÃO DADAS A MUITO VINHO - Escravizadas pelo vinho. Esta expressão é mais forte do que I Tm 3:11, dada a corrupção moral na ilha de Creta, significa BÊBADAS.



MESTRAS DO BEM - A mulher idosa deve servir de exemplo às mulheres novas, em todo o seu proceder como cristã. Paulo, aqui, está dando uma incumbência especial, que é de grande responsabilidade.




VII - SETE DEVERES OU OBRIGAÇÕES QUE AS MULHERES IDOSAS TERÃO DE ENSINAR ÀS MULHERES NOVAS (Tt 2:4-5)



A SEREM PRUDENTES - Cautelosas na realização de qualquer coisa (Pv 14:1; 19:14).



A AMAREM SEUS MARIDOS - O amor conjugal é a razão da felicidade no lar (Ct 8:7). Lar não é a casa onde reside a família, em se tratando de edifício. Lar é a união da família em amor. Pode a família morar debaixo de uma árvore, numa masmorra, ou em um esplêndido castelo. Havendo união e verdadeiro amor, aí está o lar, o doce lar. Isto muito depende da mulher.



A AMAREM SEUS FILHOS - (Sl 127:3) - Hoje, as mulheres não querem mais filhos: tomam drogas ou fazem abortos (que é o mesmo que matar). (Gn 33:5; 48:4-6; Dt 28:4). A mulher nova que procede como o mundo ensina, que contas vai dar a Deus por seus filhos perdidos? Temos na Bíblia vários exemplos de amor materno: O amor de Hagar por Ismael (Gn 21:16); Joquebede, a mãe de Moisés (Ex 2:3); Ana, a mãe de Samuel (I Sm 2:19); o amor de Rispa por seus filhos (II Sm 21:9-10); e o amor de Deus (Is 49:15).



A SEREM MODERADAS - Temperantes, não exageradas na disposição do lar e serem calmas nas soluções dos problemas da família (Rt 4:11).



CASTAS (de castidade) - Puras, virtuosas (Rt 12:4; Pv 12:4; 31:10)



SUJEITAS A SEUS MARIDOS - O marido é a cabeça da mulher e a mulher é o corpo; da mesma maneira como Cristo é a cabeça da Igreja e a Igreja o corpo (I Cor 12:27; Ef 5:23; Cl 1:18 cf Pv 25:24; I Tm 5:8; Pv 31:10-31).



BOAS DONAS DE CASA - Temos visto hoje mulheres idosas deixarem as suas obrigações e aconselharem as mulheres novas a fazerem o contrário deste ensinamento da Palavra de Deus. Deus não fez uma criação diferente, mas formou a mulher de uma costela do homem e pronunciou uma sentença (Gn 2:22-24 cf Ef 5:22; I Tm 2:13-15; I Pe 3:1-6).




VIII - CONSELHOS À MOCIDADE (II Tm 2:6-8)



A mocidade é o termômetro da Igreja; quando a mocidade está enferma, fria ou atingida por algo contrário à vontade de Deus, toda a Igreja se ressente no mesmo mal. Caso contrário, quando a mocidade está viva, sadia ou em plena atividade espiritual em tudo o que lhe diz respeito, também toda a Igreja vive a mesma bênção (I Jo 2:14).



A QUE SEJAM MODERADOS - Temperantes em tudo. A Bíblia ensina que é má a busca de prazeres mundanos e que seus resultados são: pobreza (Pv 21:17); segurança falsa (Is 47:8-9); esterilidade espiritual (Lc 8:14); presunção (Lc 12:19); morte espiritual (I Tm 5:6); desejo de orgia incessante (II Pe 2:13).



DEVERES ESPECIAIS NA FAMÍLIA - Obedecer a Deus (Dt 30:20); temer a Deus (Pv 24:30); lembrar-se de Deus (Ec 12:1); dar ouvidos à instrução paterna (Pv 1:8-9); honrar a seus pais (Ex 20:12; Hb 12:9); respeitar e cuidar de seus pais (I Tm 5:4); honrar os idosos (Lv 19:32); obedecer a seus pais (Pv 6:20; Ef 6:1); não imitar os maus pais (Ez 20:18-19).




XI - CONSELHOS AOS MINISTROS:



EM TUDO TE DÁ POR EXEMPLO DE BOAS OBRAS; NA DOUTRINA MOSTRAR INCORRUPÇÃO, GRAVIDADE, SINCERIDADE - Paulo exige de Tito, como jovem ministro que era, ser o exemplo em tudo, provando com os seus feitos (obras) as palavras que pregava e vivendo a doutrina que ensinava. Sim, o ministro deve viver o que ensina, mostrar a todos, crentes ou não, incorrupção e pureza na doutrina, com toda perseverança (At 2:42).



LINGUAGEM SÃ E IRREPREENSÍVEL, PARA QUE O ADVERSÁRIO SE ENVERGONHE NÃO TENDO NENHUM MAL QUE DIZER DE NÓS - Devemos ter cuidado com o linguajar. Não devemos soltar palavras ociosas e muitas vezes ofensivas à moral. (Ef 4:29; Mt 12:36; Cl 4:5-6).




X - CONSELHOS AOS EMPREGADOS (II Tm 2:9-10)



SUJEITEM-SE A SEUS SENHORES - Servos não se refere somente aos escravos; todos os que servem a alguém são servos desse alguém. Um bom empregado, seja um serviçal (braçal) ou que venha exercer um função de destaque, sempre é um bom servo. Auxiliar ou cooperador, no escritório, na fábrica, na construção e em qualquer trabalho, público ou particular, todos os que trabalham ali são servos naquele serviço, e tem senhores ou superiores (Fm ).



EM TUDO AGRADEM, NÃO CONTRADIZENDO - Nada é demais ser servo agradável. O contradizente é um rebelde, um inconformado. Contradizer é murmurar e os murmuradores estão incluídos em Jd 16 e Rm 1:30. Até Deus lutou contra os contradizentes (Is 62:1-3; Rm 10:21 cf Mt 5:37).



NÃO DEFRAUDANDO, ANTES MOSTRANDO TODA BOA LEALDADE, PARA QUE SEJAM ORNAMENTO DA DOUTRINA DE DEUS, NOSSO SENHOR - Defraudar é roubar às escondias ou à mão armada. ROUBADOR ou FRAUDULENTO é o que rouba iludindo a boa fé do próximo, é um vigarista, caloteiro, etc., o qual, aproveitando-se do que lhe vem às mãos, rouba (Ex 23:1-9; Lv 19:11; Lc 3:14; 19:7-8 cf I Cor 6:10).




XI - CONSIDERAÇÕES FINAIS:



(Jo 16:7) - O ministério do aconselhamento pertence ao Espírito Santo. Sem Ele não há aconselhamento eficaz. Jesus Cristo, o Maravilhoso Conselheiro, enviou-nos o Espírito Santo para substitui-Lo no aconselhamento das nossas necessidades. O Espírito de Deus, por meio da palavra do Senhor, e pela instrumentalidade dos pastores e conselheiros cristãos, ministra conforto e mudanças no coração do aflito.



A Igreja local manifesta e evidencia a presença do Espírito Santo em seu meio, através do ministério eficaz do aconselhamento.





FONTES DE PESQUISA E CONSULTA:

Lições Bíblicas Maturidade Cristã - 3º Trimestre de 1991 - CPAD - Comentarista: Adilson Faria Soares

Lições Bíblicas - 2º Trimestre de 1996 - CPAD - Comentarista: Valdir Bícego 

Introdução e Comentário à Carta à Tito - CPAD - Armando Chaves Cohen

Revista Educação Cristã - Vol. IX - SOCEP - Sociedade Cristã Evangélica de Publicações Ltda