Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







24 de abr de 2010

LIÇÃO Nº 05 - 02/05/2010 - "O PODER DA INTERCESSÃO"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO 05 - DIA 02/05/2010
TÍTULO: “O PODER DA INTERCESSÃO”
TEXTO ÁUREO – I Sm 12:23
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Jr 14:3, 7-8, 10: 15:1
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e.mail: geluew@yahoo.com.br
http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/



I - INTRODUÇÃO:

• O que alguns autores anônimos falaram sobre a oração:

• (1) – “Os homens podem desprezar os nossos apelos, rejeitar as nossas mensagens, opor-se aos nossos argumentos, fazer pouco caso da nossa pessoa. Mas eles não tem defesa contra as nossas orações”.

• (2) – “Antes, prefiro ensinar um homem a orar, a dez homens a pregar”.

• (3) – “A principal preocupação do diabo é esta: evitar que os crentes orem. Ele não vê nada de temer em estudos, em obras e práticas religiosas, quando não acompanhados pela oração. Ele ri do nosso esforço, zomba da nossa sabedoria, mas treme quando oramos”.

• (4) – “Nunca pedi coisa alguma em oração sem um dia, afinal, recebê-la de alguma maneira, de alguma forma”.

• (5) – “Deus dá maior valor à nossa oração e comunhão com Ele, do que ao nosso serviço. O celeste Noivo procura uma esposa, não uma empregada. A oração faz com que Deus venha do Seu esconderijo para operar maravilhas na terra, entregando-se, por intermédio do crente, a um mundo de almas perdidas”.

• (6) – “Como um vasto mar sem limites, assim é a vontade que Deus tem de responder ao mais fraco sussurro do mais débil santo, uma vez que proceda de um coração contrito e purificado, e que seja inteiramente apoiado no irresistível nome do Senhor Jesus Cristo”.

• (7) – “Um dia sem oração é um dia sem bênção; uma vida sem oração é uma vida sem poder”.

• (8) – “Uma hora passada com Deus vale por uma vida passada com os homens”.

• (9) - “Daniel, antes, queria passar uma noite com os leões famintos do que passar um dia sem oração. Por outro lado, Pedro encontrou mais facilidade em escapar do cárcere do que entrar numa reunião de oração”.

• (10) - “A fé é onipotente só quando está de joelhos”.

• (11) - “Muitos acreditam no poder da oração e gostam de ouvir falar nele, mas poucos oram”.

• (12) - “O Evangelho progride a passos lentos e tímidos, quando os crentes deixam de se entregar, cedo, tarde e prolongadamente, à oração”.

• (13) – “A oração é tão simples que a criança pode orar, porém é a mais alta e santa obra do homem, a essência da religião verdadeira, aquilo que nos leva até o trono de Deus”.


II - SIGNIFICADOS DA PALAVRA INTERCESSÃO:

- No latim significa FICAR ENTRE; APELAR EM FAVOR DE ALGUÉM. 

- No hebraico, significa ASSEDIAR COM PETIÇÃO. 

- Leiamos Jó 1:5; 42:8; Sl 25:22

- Este tipo de oração pode ser designada ORAÇÃO INTERCESSORA ou INTERCESSÓRIA.

III - EXEMPLOS BÍBLICOS DE ORAÇÕES INTERCESSÓRIAS:


- (1) - Quem orou: ABRAÃO

- (1.1) - Assunto ou natureza da intercessão: A FAVOR DE ISMAEL

- (1.2) - Passagem bíblica: Gn 17:18-20


-
- (2) - Quem orou: ABRAÃO

- (2.1) - Assunto ou natureza da intercessão: A FAVOR DE SODOMA E GOMORRA

- (2.2) - Passagem bíblica: Gn 18:20-32


-
- (3) - Quem orou: ABRAÃO

- (3.1) - Assunto ou natureza da intercessão: A FAVOR DE ABIMELEQUE E SUA FAMÍLIA

- (3.2) - Passagem bíblica: Gn 20:17


-
- (4) - Quem orou: MOISÉS;

- (4.1) - Assunto ou natureza da intercessão: A FAVOR DE FARAÓ (POR QUATRO VEZES)

- (4.2) - Passagens bíblicas: Ex 8:12, 13, 30, 31; 9:33; 10:18-19


-
- (5) - Quem orou: MOISÉS 

- (5.1) - Assunto ou natureza da intercessão: A FAVOR DOS FILHOS DE ISRAEL (POR CINCO VEZES)

- (5.2) - Passagens bíblicas: Ex 32:11-14, 31-34; 33:15-17; Nm 11:2; 14:13-20; 21:7-8 cf Sl 106:23


-
- (6) - Quem orou: MOISÉS 

- (6.1) - Assunto ou natureza da intercessão: A FAVOR DE MIRIÃ

- (6.2) - Passagem bíblica: Nm 12:11-14


-
- (7) - Quem orou: SAMUEL 

- (7.1) - Assunto ou natureza da intercessão: A FAVOR DOS ISRAELITAS

- (7.2) - Passagem bíblica: I Sm 7:5-12



-
- (8) - Quem orou: SALOMÃO

- (8.1) - Assunto ou natureza da intercessão: PEDE O FAVOR DE DEUS PARA O TEMPLO E O POVO

- (8.2) - Passagem bíblica: I Rs 8:1 - 9:3



-
- (9) - Quem orou: UM PROFETA

- (9.1) - Assunto ou natureza da intercessão: PELA CURA DA MÃO DO REI JEROBOÃO

- (9.2) - Passagem bíblica: I Rs 13:6



-
- (10) - Quem orou: ELIAS 

- (10.1) - Assunto ou natureza da intercessão: PELA RESTAURAÇÃO DA VIDA DO FILHO DA VIÚVA

- (10.2) - Passagem bíblica: II Rs 17:20-23



-
- (11) - Quem orou: ELIAS 

- (11.1) - Assunto ou natureza da intercessão: PEDE QUE DEUS TRIUNFE SOBRE BAAL 

- (11.2) - Passagem bíblica: II Rs 18:36-38



-
- (12) - Quem orou: ELISEU 

- (12.1) - Assunto ou natureza da intercessão: PELA RESTAURAÇÃO DA VIDA DO FILHO DA SUNAMITA

- (12.2) - Passagem bíblica: II Rs 4:33-35



-
- (13) - Quem orou: REI EZEQUIAS 

- (13.1) - Assunto ou natureza da intercessão: A FAVOR DAQUELES QUE HAVIAM PARTICIPADO A PÁSCOA SEM A DEVIDA PURIFICAÇÃO

- (13.2) - Passagem bíblica: II Cr 30:18-20



-
- (14) - Quem orou: OS LEVITAS 

- (14.1) - Assunto ou natureza da intercessão: A FAVOR DO POVO

- (14.2) - Passagem bíblica: II Cr 30:27


-

- (15) - Quem orou: ESDRAS 

- (15.1) - Assuntou ou natureza da intercessão: CONFISSÃO EM NOME DO POVO

- (15.2) - Passagem bíblica: Ed 9


-

- (16) - Quem orou: NEEMIAS 

- (16.1) - Assunto ou natureza da intercessão: PELO REMANESCENTE DO POVO

- (16.2) - Passagem bíblica: Ne 1


-

- (17) - Quem orou: JEREMIAS 

- (17.1) - Assunto ou natureza da intercessão: PEDE SOCORRO PARA O POVO DURANTE A GRANDE FOME (HOUVE RESPOSTA DESFAVORÁVEL)


- (17.2) - Passagem bíblica: Jr 14




-
- (18) - Quem orou: JEREMIAS 

- (18.1) - Assunto ou natureza da intercessão: A FAVOR DO REMANESCENTE DE JUDÁ

- (18.2) - Passagem bíblica: Jr 42



-
- (19) - Quem orou: DANIEL 

- (19.1) - Assunto ou natureza da intercessão: PELA RESTAURAÇÃO DE JERUSALÉM

- (19.2) - Passagem bíblica: Dn 9:20-23



-
- (20) - Quem orou: HABACUQUE 

- (20.1) - Assunto ou natureza da intercessão: PELO REAVIVAMENTO DA OBRA DE DEUS

- (20.2) - Passagem bíblica: Hb 3

IV - EXEMPLOS DE RESPOSTA À ORAÇÃO INTERCESSÓRIA:

- (1) - de Abraão (Gn 17:18, 20; 18:22-33; 20:7, 17-18)

- (2) - de Moisés por Faraó (Ex 8:12-13, 30-31; 9:33)

- (3) - de Moisés pelos israelitas e Arão (Ex 17:11-13; 32:11-14, 31-34; Nm 21:7-9; Dt 9:18-20, 25-29)

- (4) - de Moisés por Miriã (Nm 12:13-15)

- (5) - de Samuel (I Sm 7:5-12)

- (6) - de Elias (I Rs 17:20-23)

- (7) - de Eliseu (II Rs 4:33-37)

- (8) - de Isaías (II Rs 19)

- (9) - de Jeremias (Jr 42:1-10)

- (10) - de Pedro (At 9:40)

- (11) - da Igreja (At 12:5-12)

- (12) - de Paulo (At 28:8)

- (13) - Deus menciona Moisés e Samuel como homens que se põem diante dEle – Jr 15:1

- (14) - Deus também menciona Noé, Daniel e Jó como homens de oração – Ez 14:13-14

- (15) - Elias era um homem semelhante a nós, mas que lutou com Deus em oração e Ele o ouviu – Tg 5:17

- (16) - Ana orou ao Senhor com muitas lágrimas, e Ele lhe deu um filho, que se tornou um instrumento sumamente útil na mão de Deus – I Sm 1:10, 19

- (17) - Senaqueribe, rei da Assíria, sitiou Jerusalém. Judá estava em perigo. Mas o rei Ezequias e o profeta Isaías oraram e alcançaram vitória – II Cr 32:20-21

V - JESUS, NOSSO INTERCESSOR:

• Não é pecado algum termos doutorado e mestrado em Divindade, em Filosofias e Letras, em Teologia...

• Mas, graças a Deus, nenhum de nós podemos nos gabar de sermos DOUTORES OU MESTRES EM ORAÇÃO! Isto porque, NA “ESCOLA DA ORAÇÃO”, NINGUÉM PASSA ALÉM DO “JARDIM DE INFÂNCIA”!

• O único Doutor e Mestre na oração é JESUS. Por isso, um de seus discípulos lhe pediu: “SENHOR, ENSINA-NOS A ORAR...” – Lc 11:1

- Os discípulos não pediram que Jesus os ensinasse a PREGAR, A MINISTRAR ESTUDOS BÍBLICOS, A FAZER MILAGRES ou CURAR DOENTES. ELES QUERIAM APRENDER A ORAR! Assim procederam, porque sabiam que Jesus, o Mestre  e Doutor da oração... :

- (1) - NASCEU ORANDO (Hb 10:5-7); 

- (2) - INICIOU SEU MINISTÉRIO ORANDO (Lc 3:21-22; Jo 14:16); 

- (3) - DESISTIU DE CURAR OS ENFERMOS PARA ORAR NO DESERTO (Lc 5:15-16); 

- (4) - VIVEU ORANDO (Hb 5:6-7); 

- (5) – ROGOU JUNTO AO PAI PARA O ENVIO DO CONSOLADOR (Jo 14:16);

- (6) – ROGOU AO PAI EM FAVOR DA IGREJA (Jo 17:9);

- (7) – LEVANTAVA-SE DE MADRUGADA PARA ORAR (Mc 1:35); 

- (8) - PASSOU NOITES INTEIRAS NO DESERTO ORANDO (Lc 6:12); 

- (9) – TRANSFIGUROU-SE ENQUANTO ORAVA (Lc 9:29); 

- (10) – ROGOU EM FAVOR DOS FRACOS (Lc 22:32);

- (11) - SEU SUOR TORNOU-SE EM GRANDES GOTAS DE SANGUE, ENQUANTO ORAVA INTENSAMENTE (Lc 22:44); 

- (12) - MORREU ORANDO, INCLUSIVE EM FAVOR DOS INIMIGOS (Mt 27:46; Lc 23:34, 46); e 

- (13) - INTERCEDE POR NÓS EM ORAÇÃO (Lc 22:31-32; Hb 7:25)

- Durante Sua existência terrena, foi JESUS, sem dúvida, o homem mais dedicado à oração que o mundo já conheceu. 

- Os discípulos ao olharem para Ele em oração, ardiam com o desejo de orar. Da mesma maneira, se contemplarmos Jesus nas Escrituras, o nosso coração será abrasado com o desejo de orar no poder do Espírito. 

VI - A ORDEM BÍBLICA PARA A ORAÇÃO INTERCESSÓRIA:

- I Tm 2:1; Tg 5:14, 16; I Jo 5:16 - A oração intercessória é ordenada na Palavra de Deus. Ela deve ser feita a favor de:

- (1) – Reis e autoridades – I Tm 2:2;

- (2) – Ministros – II Cor 1:11; Fp 1:19;

- (3) – Igreja – Sl 122:6; Is 62:6-7;

- (4) – Todos os santos – Ef 6:18;

- (5) – Patrões – Gn 24:12-14;

- (6) – Servos – Lc 7:1-3;

- (7) – Pelos filhos – Gn 17:18; Mt 15:22;

- (8) – Amigos – Jó 42:8;

- (9) – Compatriotas – Rm 10:1;

- (10) – Enfermos – Tg 5:14;

- (11) – Pelos que nos maltratam e perseguem – Mt 5:44;

- (12) – Inimigos entre os quais habitamos – Jr 29:7;

- (13) – Os que nos invejam – Nm 12:13;

- (14) – Os que nos abandonam – II Tm 4:16;

- (15) – Os que murmuram contra Deus – Nm 11:1-2; 14:13, 19;

- (16) – Pelos ministros, em favor de seus rebanhos – Ef 1:16; 3:14-19; Fp 1:3-6;

VII - ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DA ORAÇÃO INTERCESSÓRIA:

- (1) – Beneficia àquele que ora – Jó 42:10;

- (2) – É pecado negligenciá-la – I Sm 12:23;

- (3) – Devemos também solicitar este tipo de oração em nosso favor – I Sm 12:19; Hb 13:18;

- (4) – Será uma oração inútil, se o beneficiado pela oração não quiser deixar o pecado e voltar-se para Deus – Jr 7:13-16; 14:10-11

VIII - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

• Mt 6:5-7 - Jesus ensinou aos seus discípulos o princípio da intimidade na oração, qual seja: O objetivo da oração não é o aplauso dos homens. A oração tem como propósito a intimidade com Deus-Pai, pois Ele não se impressiona com o volume de nossas vozes, mas, sim, com a sinceridade dos nossos corações. 

• Encerramos este subsídio com as palavras de John Wesley: - “Parece que Deus é limitado por nossa vida de oração; que Ele nada pode fazer em prol da humanidade, a não ser que alguém Lhe peça. Porque é assim, eu não sei”.


FONTES DE CONSULTA


1) Boyer, Orlando – Espada Cortante – Vol. 1 – Ed. CPAD

2) Boyer, Orlando – Espada Cortante – Vol. 2 - Ed. CPAD

3) Tippit, Sammy - O Fator Oração - Ed. Juerp

4) Thompson, Cameron – Um Estudo da Doutrina da Oração – Editora Fonte de Luz

5) Malgo, Wim – Chamado a Orar – Chamada da Meia-Noite

6) A Bíblia de Estudo Vida Nova – Edições Vida Nova

17 de abr de 2010

LIÇÃO Nº 04 - 25/04/2010 - "CHORANDO AOS PÉS DO SENHOR"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO 04 - DIA 25/04/2010
TÍTULO: “CHORANDO AOS PÉS DO SENHOR”
TEXTO ÁUREO – Tg 4:9
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Jr 9:1-2, 5-9
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e.mail: geluew@yahoo.com.br
http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/


I – INTRODUÇÃO:

• Gemido é um lamento doloroso, um som inarticulado. No sentido bíblico, é alguém estar sofrendo uma tristeza muito profunda, quase sem esperança humana de socorro. Assim, por meio de um poema comovente, Jeremias expressou:

• (1) - Sua simpatia para com o povo atingido (Jr 8:18 – 9:1);

• (2) – Seu lamento, ante a traição do povo (Jr 9:2-9); e

• (3) – Seu gemido, por causa da destruição de Judá (Jr 9:10-22).

II – DEUS USOU JOSIAS PARA AVIVAR SEU POVO, ANTES DO JUÍZO:

- AVIVAMENTO – É a aquisição, o retorno e a conservação da vida espiritual em toda sua plenitude – Hc 3:1-2.

- Os capítulos 2 a 6 de Jeremias resumem sua pregação durante os dias do rei Josias. Os ataques vigorosos deste rei na idolatria formam o contexto da época – II Cr 4:1-7. Os primeiros cinco anos de ministério de Jeremias estão registrados aqui.

- Josias começou a consertar e limpar o templo, quando uma cópia da Lei foi achada, cuja Leitura muito preocupou o bom rei – II Cr 34:18-32. Os capítulos 7 a 9 de Jeremias cobrem esse período.

- Segundo o achado da Lei, mais reformas extremamente drásticas foram feitas, culminando com a comemoração da grande Páscoa (II Cr 35:1-9).

- Estudemos um pouco deste avivamento:

- A época do rei Josias era de grande corrupção moral e negligência espiritual em Jerusalém e Judá. Os filhos de Israel deixaram o Senhor e passaram a adorar outros deuses, tais como:

- BAAL (deus do sucesso, da prosperidade e da abundância);

- ASTAROTE (deusa da fertilidade, do amor livre e da sexualidade); e

- O EXÉRCITO DOS CÉUS (representado pelo sol, a lua e as estrelas que, diziam, eram manifestações de deuses que direcionavam e influenciavam a Terra e a vida dos homens – a superstição).

- Enquanto isso, no Templo, o serviço do Senhor virara comércio, como nos dias de hoje, quando temos encontrado sermões superproduzidos, pedidos de dízimos, de “trízimos” e de ofertas, que mais parecem cobrança de impostos; 

- Havia ainda um descaso com a Palavra do Senhor, onde pessoas comuns desconheciam totalmente a sua existência; e, o mais grave de tudo: Mesmo sem a presença de Deus e da Sua Palavra, a adoração no Templo acontecia! (II Tm 3:5).

- Em meio a este universo de problemas, surgiu o rei Josias (II Rs 22:1-2).

- II Rs 22:3-7 – Josias soube do péssimo estado de conservação do Templo. Enviou o seu escrivão pessoal ao sumo-sacerdote, a fim de que pegasse o dinheiro e pagasse os trabalhadores para que iniciassem o processo de restauração - O avivamento começou com renovado interesse pela Casa de Deus, com pessoas sinceras e honestas!

- II Cr 34:14 – Ao tirar o dinheiro que se trouxera à Casa do Senhor, foi encontrado o livro da Lei - Quando redescobrimos a Palavra de Deus, mudanças começarão a acontecer.

- II Rs 22:8 – O sacerdote entregou as escrituras ao escrivão, que rapidamente retornou para casa e as leu - O avivamento começa com a Leitura da Palavra de Deus.

- II Rs 22:9-14 – Safã informou a Josias sobre a descoberta e leu as Escrituras. Ouvindo-as, o rei rasgou as suas vestes, convocou Hilquias e os outros sacerdotes a que buscassem o Senhor.

- Eles procuraram a profetisa Hulda. Como sempre, nos piores momentos, há pessoas que ainda sabem como falar com Deus e ouvir dEle a resposta! Não pode haver avivamento sem que haja oração.

- II Rs 22:15-20 – A resposta de Deus foi de ira e, mesmo assim, a profetisa Hulda não ficou com medo de falar aquilo que o Senhor tinha a dizer!

- Mas havia um segredo do avivamento nos tempos do rei Josias: Ele não apenas redescobriu a Palavra de Deus no templo, mas enterneceu seu coração, humilhou-se perante o Senhor e rasgou as suas vestes reais em sinal de verdadeiro arrependimento e contrição. Josias teve estas atitudes e mudou suas ações, e então o Senhor o ouviu.

- II Rs 23:1-3 – O rei convocou todo o povo e leu todo o Livro do Concerto, fazendo aliança. Todo o povo se colocou de pé e assumiu esse compromisso - Arrependimento, oração e um direcionamento de todas as pessoas a uma Nova Aliança com Deus: Não há outro caminho para o avivamento.

- OBS: Ficar em pé junto à coluna equivale hoje a ajoelhar-se no altar de Deus para vermos a manifestação viva da glória divina.

- II Rs 23:4-20 – Os resultados começaram a aparecer quando o sumo-sacerdote Hilquias, os outros sacerdotes e os guardas das portas colocaram para fora do Templo todos os utensílios que se haviam feito para aqueles deuses e os queimaram fora de Jerusalém.

- É assim também que o avivamento começa: Quando todos os líderes, auxiliares e membros expurgarem de nossas Igrejas os falsos deuses e sacerdotes que levam o povo para a idolatria.

• Da mesma forma que Josias, podemos começar um despertamento, se estivermos dispostos a realizarmos três coisas:

• (1) - NÃO RETROCEDERMOS - (II Rs 21:19-24; 22:1-2) – O nome JOSIAS significa JEOVÁ APÓIA. Realmente este rei resolveu viver com o apoio divino desde o princípio. Ele não retrocedeu, dando início a um despertamento no meio do povo de Deus (Is 56:10; Hb 10:38).

• (2) – TERMOS INTEGRIDADE E HONESTIDADE NAS FINANÇAS DA CASA DO SENHOR – (II Rs 22:3-7) – Aquele dinheiro devia ser utilizado para diversas coisas na casa de Deus e a responsabilidade era do Sumo-Sacerdote. Hoje nós vemos muitos querendo mandar nas finanças da Igreja; sentem-se donos do dinheiro que é trazido à casa do Senhor pelo povo de Deus; sentam-se em cima do dinheiro e determinam o que deve ou não ser feito, gastando em coisas sem utilidade e passageiras. Josias não somente fez destruir todos os ídolos, mas também arrancou dentre a liderança do povo de Deus a raiz de todo o mal: A avareza (Pv 28:16).

• (3) - VOLTARMO-NOS À PALAVRA DE DEUS – (II Rs 22:8) – O último rei justo, Ezequias, tinha morrido 65 anos antes da reforma do rei Josias. Isto explica o estado de negligência e o esquecimento do Livro da Lei. 

- O sumo-sacerdote Hilquias, disse: “ACHEI O LIVRO DA LEI NA CASA DO SENHOR”. É provável que ele soubesse da existência do Livro, mas admite-se que, por muitos anos, qualquer Leitura de um Livro que condenasse os pecados nacionais, seria punida com pena de morte. QUANDO O PECADO REINA NO TEMPLO, É PORQUE A BÍBLIA ESTÁ PERDIDA DENTRO DA CASA DE DEUS!

III - DEUS NOS CONCLAMA AO GEMIDO, AO CLAMOR E AO CHORO:

• CLAMOR - O sentido básico desta palavra é GRITAR POR SOCORRO EM TEMPO DE AFLIÇÃO. É usada quase que exclusivamente com referência a UM GRITO, UM CLAMOR DE UM CORAÇÃO ANGUSTIADO, NECESSITADO DE ALGUM TIPO DE AJUDA.

• Ex 2:23-25 - Israel gemia pela opressão no Egito. Quatrocentos anos se passaram e já reinava um novo Faraó que desconhecia a história dos israelitas. O povo então: Suspirou, Clamou e Gemeu.

• E Deus ouviu o gemido e o clamor de Israel, viu atentamente a aflição do Seu povo, conheceu as dores e a opressão dos israelitas e desceu para livrá-los das mãos dos egípcios – Ex 3:7-9.

• Vejamos outros exemplos bíblicos de gritos e clamores dirigidos ao nosso Deus e que alcançaram respostas:

• (1) - DOS CEGOS - Mt 9:27-31;

• (2) - DOS TEMEROSOS E EM GRANDE PERIGO - Mt 14:22-33;

• (3) - DE UMA MÃE PREOCUPADA - Mt 15:21-28;

• (4) - DOS DOMINADOS PELOS DEMÔNIOS - Mc 5:1-20; e

• (5) - DE UM PAI PELO SEU FILHO - Mc 9:14-27

• Há também um outro chamado de Deus. Analisemos:

• “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu: ... há... TEMPO DE CHORAR... - Ec 3:1, 4a - Este é o chamado de Deus para nos colocarmos no lugar das pessoas sofredoras por meio das orações intercessórias.

• Relacionemos algumas razões pelas quais devemos chorar pela situação atual do mundo:

• (1) - A HUMANIDADE ABANDONOU A DEUS:

- As nações se esqueceram de Deus (Sl 9:17);

- O mundo não quer aceitar o conhecimento de Deus (Rm 1:28);

- O mundo mostra desprezo pela bondade, tolerância e paciência constantes de Deus (Rm 2:4); e

- O mundo se endurece por causa dos juízos de Deus e por colherem o que semeiam (Rm 2:5; Apc 16:21).

• (2) - O PECADO SE MULTIPLICA:

- Os perversos pioram cada vez mais, enganando e sendo enganados (II Tm 3:13);

- Os pecados descritos em II Tm 3:1-5 estão em evidência;

- Os pecados grosseiros da perversão sexual, estupro e pornografia endurecem a consciência do mundo;

- O terrorismo, o sadismo e crueldade calculada alcançam proporções incalculáveis; e

- A guerra está cada vez mais terrível e a paz parece constantemente precária.

• (3) - COMO IGREJA ESTAMOS INATIVOS, FRACOS e ESPIRITUALMENTE ADORMECIDOS - Rm 3:11-12 cf Pv 10:5:

- Temos nome de estar vivos, mas, com frequencia, estamos espiritualmente mortos (Apc 3:1);

- Falta-nos o poder que deveria dar ao mundo nosso testemunho de espiritualidade e piedade (II Tm 3:5);

- Há um afastamento da sã doutrina e os falsos cultos se multiplicam (II Tm 4:3-4);

- Nossa condição espiritual é muitas vezes semelhante à Igreja de Laodicéia (Apc 3:17);

- Perdemos o entusiasmo da primeira Igreja pelo testemunho e conversão de almas; e

- Ficamos perturbados com os pecados espalhafatosos do mundo, mas estamos sempre agindo como ele, pensando como ele, imitando a ele.

• (4) - PORQUE A VINDA DO SENHOR ESTÁ PRÓXIMA E A NOSSA TAREFA TÃO INCOMPLETA:

- Devemos nos lembrar que cada pessoa que não aceita a Jesus como Salvador irá passar a eternidade no inferno.

• (5) - PORQUE A NATUREZA GEME – Rm 8:22:

• Ela não tem culpa do estado de maldição em que está hoje; teve seu estado original alterado (Rm 8:20).

• As dores de parto que a terra sente é o aguardo de novos céus e terra. No milênio, todas as características originais serão restauradas (Apc 21:1).

• (6) - PORQUE A IGREJA GEME – Rm 8:23:

• Gememos esperando a libertação desse corpo, da carne; queremos e precisamos fazer o bem, mas nem sempre conseguimos – Rm 7:19.

• Gememos, pois queremos deixar esse tabernáculo, esse corpo mortal, inclinado ao pecado, para recebermos nosso novo corpo. Nesse corpo corruptível há uma centelha de Deus, que almeja e deseja somente Ele - I Cor 15:53.

• Gememos esperando nossa adoção, como plenos filhos de Deus. É difícil sabermos que somos filhos, mas não temos ainda os direitos adquiridos dessa filiação - I Jo 3:2.

• (7) - PORQUE O ESPÍRITO SANTO GEME – Rm 8:26:

• Em último estágio, vemos o Espírito gemendo, suspirando pelas nossas fraquezas e fracassos. É um nível de gemido intenso e profundo, sentindo dores. É um gemido diferente dos demais.

• Gemidos Inexprimíveis - Que não se consegue entender por palavras, gestos e fisionomias. Não há ninguém nesse mundo que consiga entender Seu lamento, Sua voz silenciosa: Só Deus sabe qual é a intenção do Espírito ao interceder pelo Seu povo – Rm 8:27a.

IV - OS QUE CHORARAM:

- (1) - Jó testemunhou - Jó 30:25;

- (2) - Moisés e outros filhos de Deus choraram sobre o pecado do povo - Nm 25:6;

- (3) - Davi testemunhou ter chorado e jejuado pelo povo de Deus - Sl 69:10;

- (4) - Isaías chorou pela necessidade de seu povo - Is 16:9;

- (5) - Deus disse ao rei Josias - II Rs 22:19;

- (6) - Quando Esdras chorou pelo povo, todos choraram e oraram - Ed 10:1;

- (7) - Quando soube da situação de seus irmãos, Neemias sentou-se e chorou por eles e por Jerusalém - Ne 1:4;

- (8) - Jeremias ficou conhecido como o profeta pranteador por causa do grande peso de oração que sentia carregar pelo seu povo - Jr 8:21; 9:1; 13:17; 14:17; Lm 2:11; 3:48-51;

- (9) - Paulo, o apóstolo-missionário, era também conhecido pelo seu ministério de lágrimas - At 20:18-19, 31; II Cor 2:4;

- (10) - O profeta Eliseu, o homem de Deus que chorou – II Rs 8:7-11.

- “Ainda assim, agora mesmo diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto... Chorem os sacerdotes, ministros do SENHOR, entre o alpendre e o altar, e digam: Poupa o teu povo, ó SENHOR, e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que as nações façam escárnio dele; porque diriam entre os povos: Onde está o seu Deus?” – Jl 2:12, 17.

- Este tem sido o chamado de Deus a todos nós, principalmente os líderes cristãos, para orarmos com lágrimas pelo Seu povo. Por que?!

- (A) - Nossa época é semelhante à enfrentada por Isaías – Is 22:12; e 

- (B) - O nosso Deus vê e registra nossas lágrimas – Sl 56:8.

- Assim como o homem de Deus, os profetas de hoje devem conclamar o povo santo do Senhor ao arrependimento, à humilhação, às lágrimas, à oração e ao jejum, e não à superficialidade; 


V - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

- O avivamento começou com o povo de Deus seguindo a unção espiritual de seus líderes, culminando com a restauração de sua Aliança com Deus.

- As mesmas coisas que geraram um grande avivamento no tempo do rei Josias produziram o avivamento pentecostal do início deste século. E, com certeza, essas mesmas coisas serão indispensáveis para que um grande despertamento espiritual aconteça entre nós.

- As Assembléias de Deus nasceram no fogo do avivamento – um avivamento que envolvia oração, confissão, comunhão, uma vida poderosa no Espírito Santo e obediência à Palavra de Deus.

- Quando o povo de Deus adapta-se à maneira de viver do mundo e aparta-se da obediência aos retos caminhos de Deus, Ele os chama ao arrependimento, à confissão da sua pobreza espiritual e à busca da Sua face. A vontade de Cristo é que cada igreja examine o seu estado espiritual à luz do NT e seus padrões (Apc 2 - 3).

- CHOREMOS AOS PÉS DO SENHOR, PORQUANTO NÃO HÁ AVIVAMENTO SEM QUEBRANTAMENTO; NÃO HÁ AVIVAMENTO SEM QUE PRIMEIRO RESTAUREMOS A AUTORIDADE DA PALAVRA DE DEUS.


FONTES DE CONSULTA:


1) Harris, R. Laird, Archer, Gleason L. e Waltke, Bruce K.- Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento, Edições Vida Nova.

2) Brinke, George - Mil Esboços Bíblicos de Gênesis a Apocalipse - Editora Evangélica Esperança.

3) Duewel, Wesley L. - Toque o Mundo Através da Oração - Editora e Distribuidora Candeia.

4) A Bíblia Vida Nova - Edições Vida Nova

5) A Bíblia de Estudo Pentecostal - CPAD

6) Pfeiffer, Charles F. e Harrison, Everett F. – Comentário Bíblico Moody – Imprensa Batista Regular

3 de abr de 2010

LIÇÃO Nº 02 - 11/04/2010 - "OS PERIGOS DO DESVIO ESPIRITUAL"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO 02 - DIA 11/04/2010
TÍTULO: “OS PERIGOS DO DESVIO ESPIRITUAL”
TEXTO ÁUREO – Jr 2:13
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Jr 2:1-7, 12-13
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e.mail: geluew@yahoo.com.br
http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/


I - INTRODUÇÃO:

- “APOSTASIA” = RENÚNCIA VOLUNTÁRIA À FÉ; É NEGAR A FÉ E RENUNCIAR A VERDADE TAL COMO SE RECEBEU NO PRINCÍPIO.

- Por exemplo: Jo 6:60-71 - Judas foi eleito apóstolo depois de uma noite inteira de oração; foi escolhido dentre muitos outros. Porém, abriu asas na direção do diabo e se tornou sua presa e possessão. Renunciou à fé e seguiu o caminho da morte, por suicídio.

II – SEM VIGILÂNCIA, A IGREJA É TRAGADA PELA APOSTASIA:

- A IMPORTAÇÃO DO ALTAR DE DAMASCO - II Rs 16:10-18 

- O rei Acaz gostou do Altar da Idolatria que viu em Damasco. Achou-o maior e mais bonito. O Altar de Jerusalém era pequeno, não tão bonito e tão rico quanto o de Damasco.

- O rei entendeu que era tempo e necessário mudar o modelo do Altar de Jerusalém. Mas, cuidar do altar não era assunto da competência do rei. Segundo a Palavra de Deus, o altar era assunto dos Sacerdotes. Do rei, era o trono, a coroa. 

- Quando pessoas como o rei Acaz, sem temor de Deus, sem conhecimento da Bíblia, porém, importantes, com muito dinheiro, com poder político, com prestigio social, começam a intervir em assuntos doutrinários, exigindo mudanças para importar o Culto de Damasco, a apostasia  (negação da fé e renúncia à verdade tal como se recebeu no princípio) acontece, culminando com a Secularização da Igreja. Da firmeza do Obreiro, dependerá a mudança, ou não, do altar. Copiar o Altar da Idolatria é uma “questão louca e sem instrução” - II Tm 2:15, 23.

-  Reparemos como sacerdote Urias era apóstata ou seja, estava negando a fé e renunciando à verdade tal como havia recebido no princípio: Deus já havia dito a Moisés:


- "Conforme tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo e para modelo de todos os seus móveis, assim mesmo o fareis" - Ex 25:9 

- "Atenta, pois, que o faças conforme o seu modelo, que te foi mostrado no monte" - Ex 25:40

- O sacerdote Urias estava a serviço do rei Uzias. Sendo sacerdote, tinha obrigação de conhecer A Palavra de Deus e ele conhecia! Sabia que o Altar de Jerusalém fora feito conforme o modelo mostrado por Deus a Moisés, lá no Monte. Esta Palavra não tinha sido mudada!

- Não é o tamanho do Altar, não é sua beleza, não é o seu valor que impressionam a Deus. O que Deus quer é que a adoração, o sacrifício ou o culto sejam feitos na obediência à Sua Palavra. O Altar de Jerusalém podia ser menor, menos bonito, menos rico que o de Damasco, mas estava de acordo com a vontade e a Palavra de Deus. O sacerdote Urias nunca devia ter aceitado as ordens do rei Uzias. Altar é função do sacerdote, não do rei! Porém, o sacerdote Urias mostrou-se fraco, um homem interesseiro, um sacerdote à serviço do rei Acaz (II Rs 16:11-12).

- II Rs 16:15-16 - Dois altares: um para o povo e outro para o rei! - Esta foi mais uma ordem que o rei deu ao sacerdote: ele obedeceu e cumpriu!! Apostatou: negou a fé e renunciou à verdade tal como se recebeu no princípio! Urias, um sacerdote muito obediente ao rei Acaz!! Urias, um sacerdote muito desobediente à Palavra de Deus!!!

- O Altar de Damasco = Apostasia e Secularização da Igreja - O que o rei Acaz queria parecia nobre, coisa de um homem de Deus. Ele encontrou em Damasco um Altar maior, mais bonito e desejou um igual na Casa de Deus, em Jerusalém. O Altar que lá havia era menor, com menos aparência. O desejo dele de mandar fazer um igual não seria o de fazer o melhor para Deus? Contudo, esta é uma prática que o inimigo tem usado hoje, causando apostasia e secularizando a Igreja (II Tm 3:5). 

- Ainda há apostasia e secularização na Igreja quando seus sacerdotes agem como agiu o sacerdote Urias. Ele foi medroso, talvez subserviente por visar seus interesses pessoais e materiais. Esqueceu-se que foi chamado para ser Sacerdote de Deus, e tornou-se sacerdote do rei Acaz. O rei deu ordens para mudar o altar e ele mudou. Mas ele sabia que aquela mudança contrariava A Palavra de Deus. Quando o homem de Deus se curva diante das imposições de “poderosos” (crentes ou não), as portas da Igreja são abertas para a apostasia, acontecendo, daí, a secularização.

- A Igreja é apóstata e se torna secularizada quando falta autoridade espiritual aos homens de Deus. O sacerdote Urias não teve autoridade para impedir que o rei Acaz oferecesse sacrifícios, pois isto era proibido aos reis. O sacerdote nada fez para impedir que o Culto a Deus fosse profanado, ou porque teve medo do rei, ou porque não queria perder as mordomias do Palácio que devia desfrutar.


-  Meditemos em um belo exemplo a ser seguido: I Rs 18:26-32:

O profeta Elias teve uma grande oportunidade de mudar o Altar do Senhor, mas não o fez! Os profetas de Baal saltaram sobre o altar, destruindo-o; não houve resposta de Baal aos clamores dos seus profetas. 

- Porém, quando chegou a vez do homem de Deus, ele não inovou em nada: 

- (1) - não fez um altar de ouro, ou de prata, ou de cobre, ou de diamantes, que seria mais bonito... mais belo... enfim, seria o melhor para Deus; 

- (2) - também não fez um altar com mil pedras, ou treze pedras, ou dez pedras. Ou seja, nem maior e nem menor;

- (3) - tampouco fez um altar de tijolos, o que irritaria Deus - "... POVO QUE DE CONTÍNUO ME IRRITA ABERTAMENTE... QUEIMANDO INCENSO SOBRE ALTARES DE TIJOLOS" - Is 65:3

- Elias conhecia as Leis do Senhor e, apenas, seguiu-as e as cumpriu: "... REPAROU O ALTAR DO SENHOR, QUE ESTAVA QUEBRADO... TOMOU DOZE PEDRAS, CONFORME O NÚMERO DAS TRIBOS DOS FILHOS DE JACÓ, AO QUAL VEIO A PALAVRA DO SENHOR... E COM AQUELAS PEDRAS EDIFICOU O ALTAR EM NOME DO SENHOR..." - I Rs 18:26, 30-32.  

- Elias conhecia as leis concernentes à edificação de altar, quais sejam:


- (A) - Devia ser feito de terra ou pedras não lavradas - Ex 20:24-25; Dt 27:1-6;


- (B) - Não podia ter degraus, para que não aparecesse a nudez do ofertante - Ex 20:26; 


- (C) - Às vezes, podiam ser utilizadas rochas naturais - Jz 6:19-21; 13:19-20; e


- (D) - Às vezes, podia ser construído de uma só grande pedra - I Sm 14:33-35.

- Elias conhecia e cumpria a Palavra do Deus Vivo e Verdadeiro! ELE NÃO RENUNCIOU A VERDADE TAL COMO SE RECEBEU NO PRINCÍPIO; ELIAS NÃO APOSTATOU.



-  De igual modo, não queiramos inventar ou inovar na obra de Deus; simplesmente, aprendamos, guardemos e cumpramos a Palavra do Senhor!

III - DESCRIÇÃO DOS LÍDERES APÓSTATAS:

- Jd 3-19 – O tom da carta de Judas é polêmico, pois ele repreende os falsos mestres apóstatas que enganam crentes instáveis e corrompem a mesa do Senhor.

- Judas estava preocupado com o fato de os cristãos poderem afastar-se da verdade por causa dos mestres enganadores de falsas doutrinas, ou seja, aqueles que, embora tendo negado a fé, ficaram ainda como membros da Igreja - Jd 4.

- Neste livro, encontramos as CARACTERÍSTICAS DOS APÓSTATAS:

- (1) Tem a carne contaminada (prostituição) - Jd 7

- (2) Rejeitam a dominação (não aceitam governo na Igreja) - Jd 8

- (3) Não tem temor (pecam voluntariamente) - Jd 10

- (4) Tipificam três personagens perigosos:

- (4.1) Caim (homicida – I Jo 3:15);

- (4.2) Balaão (o que põe tropeços para os filhos de Deus, ensinando a prostituição); e

- (4.3) Coré (o que se rebela contra a liderança colocada por Deus) - Jd 11

- (5) Não gostam de Pastor; apascentam-se a si mesmos; são nuvens sem águas (espiritualmente artificiais); são árvores murchas (não dão frutos) - Jd 12;

- (6) São ondas bravias do mar, que espumam suas próprias sujidades; estrelas errantes - Jd 13

- (7) São murmuradores; descontentes; andam segundo as suas paixões; suas bocas vivem propalando grandes arrogâncias e são oduladores dos outros, por motivos interesseiros - Jd 16

IV – PASSOS QUE LEVAM À APOSTASIA:

- O crente, por sua falta de fé, deixa de levar plenamente a sério as verdades, exortações, advertências, promessas e ensinos da Palavra de Deus (Mc 1:15; Lc 8:13; Jo 5:44, 47; 8:46)

- Quando as realidades do mundo chegam a ser maiores do que as do reino celestial, o crente deixa paulatinamente de aproximar-se do Senhor através de Cristo (Hb 4:16; 7:19, 25; 11:6)

- Por causa da aparência enganosa do pecado, a pessoa se torna cada vez mais tolerante: não ama a retidão, nem odeia a iniquidade (I Cor 6:9-10; Ef 5:5; Hb 1:9; 3:13)

- Por causa da dureza do seu coração e da sua rejeição dos caminhos de Deus, o servo do Senhor não faz caso da repetida voz e repreensão do Espírito Santo. Como resultado, entristece-O, extingue o Seu fogo e profana o Seu templo (Hb 3:8, 10, 13; Ef 4:30 I Ts 5:19-22; Hb 3:7-11; I Cor 3:16)

- Finalmente, o Espírito Santo se afasta daquele que antes era um servo de Deus (Jz 16:20; Sl 51:11; Rm 8:13; I Cor 3:16-17; Hb 3:14)

V - EXORTAÇÕES EM VISTA DA APOSTASIA FUTURA:

- (1) Devemos evitar os falsos mestres apóstatas, porque:

- (1.1) Já surgiu uma vã profissão de religião, combinando a completa falta de poder com um nível baixo de moralidade (II Tm 3:1-5)

- (1.2) Os ministros desta religião caracterizam-se por sua falta de princípios e oposição à verdade (II Tm 3:6-9)

- (2) Devemos permanecer fiéis às nossas convicções, recordando-nos:

- (2.1) Da lição de que o sofrimento faz parte da vida do cristão neste mundo (II Tm 3:11-13)

- (2.2) Das lições aprendidas da vida santa de um servo de Deus (II Tm 3:10, 14)

- (2.3) Das lições que aprendemos das Santas Escrituras (II Tm 3:16-17)

- (3) Devemos cumprir inteiramente o nosso dever de evangelizar, pregando a Palavra com infatigável paciência, adaptando o seu ensino a qualquer capacidade, pregando, exortando e reprovando, pareçam as oportunidades favoráveis ou não (II Tm 4:1-2). E isso devemos fazer por dois motivos:

- (3.1) O povo tem-se tornado impaciente a respeito da doutrina sã e a tem rejeitado (II Tm 4:3-4)

- (3.2) O nosso ministério se findará. Logo, devemos confiar em que outro continuará a obra do Senhor tanto quanto possível (II Tm 4:5-6)

VI – CONSIDERAÇÕES FINAIS:

- Se a apostasia continuar sem freio, o indivíduo chegará, finalmente, ao ponto em que não seja possível um recomeço, não havendo mais possibilidade de arrependimento e de salvação (Hb 6:3-6; 10:26; Dt 29:18-21; I Sm 2:25; Pv 29:1)

- Desta forma, a única salvaguarda contra o perigo da apostasia extrema está nas admoestações do Espírito Santo: Hb 3:7-8, 15.



FONTES DE CONSULTA:


1) A Bíblia Responde - Escola Bíblica do Ar - Pastor David Gomes

2) Através da Bíblia Livro Por Livro - Editora Vida - Myer Pearlman

3) Sintetizando a Bíblia - CPAD - José Apolônio da Silva

4) A Bíblia de Estudo Pentecostal – CPAD

5) O Futuro Glorioso do Planeta Terra – Editora Betânia – Arthur E. Bloomfield

6) Estudo Bíblico: “A Secularização da Igreja” – Professor Antônio Sebastião da Silva

7) Estudo Bíblico: “A Secularização da Igreja” – Prof. Dr. Caramuru Afonso Francisco