Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







4 de mar de 2016

1º DE TRIMESTRE DE 2016 - LIÇÃO Nº 10 - 06.03.2016 - MILÊNIO - UM TEMPO GLORIOSO PARA A TERRA -

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ 
LIÇÃO Nº 10 - DATA 06/03/2016
TÍTULO: “MILÊNIO – UM TEMPO GLORIOSO PARA A TERRA”
TEXTO ÁUREO – Apc 20.04
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Apc 20.1-6
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO



I – INTRODUÇÃO:



Nesta lição estudaremos acerca do maior e mais esplendoroso reino neste mundo, o reino milenial.



Já os patriarcas, os profetas, os sacerdotes e reis esperavam o Milênio.



Quando lemos a Bíblia com atenção, somente podemos ficar admirados pela freqncia com que se fala desse futuro reino.



Somente no Antigo Testamento podemos encontrar aproximadamente cinquenta profecias a respeito. Somente no capítulo 20 do livro do Apocalipse encontramos por seis vezes a expressão “mil anos”.




Do início ao fim da Bíblia se trata de mostrar que o Senhor será Rei, e que todas as coisas são d’Ele, por meio d’Ele e para Ele. Esta lição estará mostrando uma visão geral do que será o Milênio, o governo de Cristo.




II - O QUE É O MILÊNIO:



1) - É o maravilhoso reinado de Cristo NA TERRA, por mil anos (Apc 20.1-6).



2) - Cristo reinará sobre as nações (Zc 14:9) e OS SANTOS REINARÃO COM ELE (Dn 7:18, 22, 27; Apc 20:4).



3) - Será um período real, concreto, em que Cristo reinará COM A SUA IGREJA - Apc 20.4, 6; Lc 1.32-33; Dn 2.44-45



(3.1) A Igreja glorificada (Apc 19.11-21), juntamente com a Igreja martirizada (Apc 20.4), reinará com Cristo por mil anos. Sua morada será na Jerusalém celeste (Apc 21.2; Hb 12.28). Será uma cidade que virá dos céus (Apc 21.20) e ficará nos ares, acima da Jerusalém terrestre.



Segundo o pastor Antônio Gilberto, "os salvos virão à Terra sempre que quiserem, isto tem como base bíblica o fato de Jesus, após estar ressuscitado, passou quarenta dias entre os seus. Teremos um corpo semelhante ao de Cristo ressurreto, que se locomovia sem limitações - Lc 24.15, 31; Jo 20.19, 26; Fp 3.21.



1. Definição - Será um Reino estabelecido aqui na terra pelo Senhor Jesus logo após a volta triunfal de Cristo e o término da Grande Tribulação, com duração de mil anos.



O termo deriva-se do grego “chilliad” e do latim “mellenium”, e aponta para o futuro governo sobre a terra, exercido pelo “Príncipe da Paz” durante mil anos. Durante esse período Satanás será preso no abismo (Ap 20.2) a fim de que Cristo realize na terra um Reino de justiça e paz. Será o reinado do céu estabelecido aqui na terra, inaugurando uma nova dispensação espiritual.



É de conhecimento de todos os estudiosos da Bíblia que há sete dispensações espirituais:



1) - A DA INOCÊNCIA, que foi o período em que o homem viveu em plena comunhão com Deus lá no Éden;



a da consciência, que vai da queda do homem ao dilúvio;



(2) - A DO GOVERNO HUMANO, que vai do dilúvio a chamada de Abraão;



(3) - A PATRIARCAL, que vai da chamada de Abraão ao êxodo;



(4) - A DA LEI, que vai de Moisés a Cristo;



(5) - A DA GRAÇA, que vai da crucificação de Cristo até a Sua segunda vinda;



e a dispensação milenial, que é o governo de Cristo por mil anos.



Nessa época Jerusalém será o centro de adoração para todos os povos e a Capital religiosa do mundo (Jr 3.17; Zc 14.14-21). Assim o Reino do Messias será universal.



2. O Milênio e o Reino de Deus (Mt 6.10a) - O Milênio será a resposta aos milhões de orações do povo de Deus através dos tempos: “venha o Teu reino!”



O Reino de Deus refere-se ao governo divino sobre toda a criação. Este termo é usado apenas quatro vezes em Mateus (12.28; 24.21, 31, 43). No entanto o mesmo evangelista utilizou também a expressão “Reino dos Céus”, isto por 32 vezes e é mencionado sempre nas passagens que têm conotação escatológica com o Reino Milenar de Cristo. Talvez Mateus utilizou mais o termo “Reino dos Céus” devido à relutância dos judeus em não querer pronunciar o nome sagrado de Deus. No total, a palavra “reino”, é usada cerca de 60 vezes pelo evangelista.



O Senhor Jesus Cristo veio, a fim de estabelecer o reino prometido aos judeus, porquanto nasceu como Rei dos judeus (Mt 2.2). No entanto, o evangelista João afirma que Ele veio para o que era seu, mas os seus não o receberam (Jo 1.11). Caso os judeus o tivessem recebido, Ele estabeleceria esse reino (Mt 23.37-39), porém, rejeitaram-no e crucificaram-no.



O Espírito Santo usou os apóstolos a fim de que eles pregassem as “boas novas” do Reino (At 2.14), “primeiro aos judeus” (At 3.26; Rm 1.16,17), mas estes o rejeitaram, e os discípulos se voltaram para os gentios (At 13.46; 18.6; 28,28). Assim, Deus está visitando os gentios, para tirar dentre eles um povo para o Seu nome, a Igreja (At 15.14), a fim de reinar com Ele futuramente nesse Reino.



Ora, por assim dizer, a Igreja substituiu religiosamente falando, Israel como nação. Então, para Israel o reino foi simplesmente adiado. Portanto, este povo não está fora do Reino.



O Milênio é, portanto, o nível final para o completo restabelecimento do Reino de Deus.




III – QUANDO SERÁ O MILÊNIO




Existem três posições interpretativas quanto a época do Milênio:



1) Amilenistas - Simplesmente ignoram o Reino milenial de Cristo aqui na terra (o “a” inicial significa “não”). Eles espiritualizam todas as referências relativas ao reinado de Cristo e as aplicam no seu reinado espiritual no coração dos cristãos. Segundo eles, Satanás foi preso desde o Calvário e está inoperante durante toda dispensação da Igreja. Para eles os mil anos não têm significados literal. Dentro da mesma corrente, ensinam que o fato de Satanás ser preso refere-se somente ao poder da sua pessoa, e por isso seu poder não tem efeito naquele que crê. Tais conceitos nós refutamos em nome de Jesus, porque a Bíblia afirma que o diabo, após ser preso não poderá enganar mais as nações (Ap 20.3), e elas, no entanto, estão sendo enganadas!



2) Pós-milenistas - Estes ensinam que Jesus virá após o Milênio (“pós” significa “depois”), e que este será uma extensão da dispensação da graça. Segundo este conceito, Satanás será preso depois desse período, e então Cristo virá. Eles acreditam ainda que a paz e justiça universais serão obtidas gradualmente pela Igreja, ao invés de ser obtida na volta triunfal de Cristo. No entanto, duas guerras mundiais neste século, juntamente com o aumento na onda de crimes, sequestro e violência, assim como a ameaça de um holocausto nuclear, mostra-nos o grande engano da interpretação pós-milenista.



3) Pré-milenistas - A posição pré-milenista ensina que Cristo virá antes do Milênio (“pré” significa “antes”), quando então estabelecerá o Seu Reino sobre a terra. Ou seja, os seus intérpretes crêem em um reinado literal de Cristo sobre o prometido trono de Davi, em que Ele reinará juntamente com os remidos da era da Igreja sobre o remanescente salvo e reunido de Israel e das nações gentias justas. Os pré-milenistas não confunde Israel com a Igreja, na dispensação da graça com a era milenar. Para eles, a ordem dos eventos proféticos no futuro, é: o arrebatamento, a Grande Tribulação, a volta triunfal de Cristo, o reino milenar de Cristo sobre a terra, o juízo final e a nova Jerusalém celestial.



Portanto, o Milênio só será estabelecido depois da Grande Tribulação, com a volta triunfal de Cristo, com o propósito de estabelecer o Milênio. Esta é a interpretação mais fundamentada na Bíblia, das três que foram apresentadas.




IV – QUEM ESTARÁ NA TERRA DURANTE O MILÊNIO:



Haverá um grupo de pessoas distintas que estarão participando do Milênio, estes serão os crentes glorificados, consistindo dos santos do Antigo e do Novo Testamento, da Igreja glorificada, e dos santos advindos da Grande Tribulação. Estes estarão reinando com Cristo durante todo o Seu reinado aqui na terra, que estará sendo habitada por dois tipos de povos, os judeus e os gentios.



1) Os judeus - Entre a família de nações milenares, a nação de Israel ocupará o lugar central (Dt 32.8-10).



O anjo revelou a Maria, mãe de Jesus, que Ele estava destinado, como o Messias prometido, a reinar sobre o trono de Davi (Cl 1.32,33). É verdade que a Igreja recebeu as bênçãos espirituais dadas primeiramente aos judeus (Ef 1.18; 3.6; 1Pe 2.9,10); mas esse fato não muda o propósito de Deus para aquele povo (Is 61.1 a 62.4; 66.7-24; Rm 11.13-28). Assim, com respeito ao Milênio, as promessas divinas aos judeus são irrevogáveis, e eles as estão aguardando. Os judeus serão a cabeça federativa do governo de Cristo. Por que? A sede do governo milenial será a Palestina, e Jerusalém será a capital do mundo (Is 2.2; 60.3). Esses judeus que participarão do Milênio, serão os salvos saídos da Grande Tribulação.



2) Os gentios - Na volta triunfal de Cristo, haverá um juízo das nações gentias, citados por Mateus como as nações das “ovelhas” e dos “bodes” (Mt 25.31-36). As nações das ovelhas (os gentios) são julgadas aptas para a bênção do reino com base no tratamento dos “irmãos” (Israel) do Senhor. Alguns textos bíblicos deixam claro que haverá gentios na terra milenar (Ap 20.7,8; Is 2.1-5; 11.5-10; 60.1-5; Zc 14.16-21). Na visão do profeta Daniel foi revelado que o Cristo teria domínio sobre um reino que abrangeria todas as nações (Dn 7.13,14).



Os gentios que participarão do Milênio, serão pessoas que terão se negado a adorar a besta durante a Grande Tribulação, por força da pregação do evangelho do Reino, pregado pelas duas testemunhas (Ap 11.3) a fim de levar as pessoas a adentrarem no Reino Milenar, e a não adorar a besta. Assim, por sua fidelidade, muitos gentios não morrerão com as pragas da consumação da ira divina nem na batalha do Armagedom (Ap 14.9,10). Por isso muitos gentios subsistirão no Milênio.




V – OBJETIVOS DO MILÊNIO



Exaltar a Cristo (Ap 19.11-16) - João, em sua visão na ilha de Patmos, vê Jesus descendo do céu para implantar o Milênio, montado em um “Cavalo Branco” que era uma expressão de honra, pois o cavalo branco era um animal de montaria real e bélica. A cor desse cavalo fala de vitória e exaltação.



Era comum, nos antigos tempos, que depois de uma conquista, os generais romanos participassem de uma parada triunfal, montados em cavalos brancos na frente de uma posição de inimigos capturados. Assim, o fato de Jesus aparecer montado em um cavalo dessa cor indica que esta será a ocasião dele ser exaltado no mundo.



Cada cristão relembra com gozo o fato de Jesus ter vindo a este mundo como criança e nascido em uma humilde manjedoura para identificar-se conosco em todas as coisas. Lembramo-nos com gratidão e louvor ter Ele morrido por nossos pecados, derramando o seu sangue sobre a cruz. Mas Deus o ressuscitou para nossa justificação. Agora, Ele voltará em glória, e assumirá Sua posição de exaltação como Rei no Milênio.



3) Manifestar o Reino de Deus na sua plenitude. A terra será regida, não por monarquia, nem por democracia, nem por autocracia, mas sim por uma teocracia, isto é, o próprio Deus regerá o mundo na pessoa do Seu Filho, o Senhor Jesus Cristo (Lc 1.32,33; Dn 7.13,14). Todas as formas de governo que já existiram e as que existem são falhas. Umas mais, outras menos. Mostrando assim que elas não são perfeitas. Mas Cristo quando reinar será diferente, pois este será um período de completa glória divina no Seu domínio, governo, justiça e reino (Is 9.6; Sl 45.4; Is 11.4; Sl 72.4; Dt 18.18,19; Is 33.21,22; At 3.22).



“O reino de Deus tem um aspecto tanto presente como futuro. É uma realidade presente no mundo hoje (Mc 1.15; Lc 18.16,17; Cl 1.13; Hb 12.28), mas o governo e o poder de Deus não predominam plenamente em todos e em tudo. A obra e a influência de Satanás e dos homens maus continuarão até o fim desta era (1Tm 4.1; 2Tm 3.1-5; Ap 19.19 a 20.10). A manifestação futura da glória de Deus e do seu poder e reino ocorrerão quando Jesus voltar para julgar o mundo (Mt 24.30; Lc 21.27; Ap 19.11-20; 20.1-6)”



4) Mostrar que este mundo pode ser administrado com justiça e equidade. “O milênio, ainda, servirá de prova de que Deus é a verdade (Dt 32.4; Jr 10.10), porque, mediante o reino milenial de Cristo, Deus mostrará ao homem de que o único caminho para a justiça, a paz, a fraternidade e a felicidade é a obediência à Sua Palavra. Durante toda a história, embora o homem tenha, muitas vezes, falado em praticar a justiça, em buscar a paz, a fraternidade e a felicidade, em sua contínua rebelião contra Deus, tentou construir doutrinas, filosofias e modos de vida que trouxessem estes valores tantas vezes desejados sem que recorresse a Deus. No entanto, através do milênio, depois de o homem ter levado a Terra, dentro de sua autossuficiência decorrente de sua natureza pecaminosa, ao caos total, o Senhor provará, com fatos, que não há outro caminho a seguir senão o da obediência a Deus e à Sua Palavra. Através do milênio, portanto, Deus provará ao homem de que nada que seja feito sem Deus pode ser justo, fraterno, pacífico ou feliz”. 



5) Deixar bem claro que os reinos deste mundo pertencem a Cristo (Ap 11.15) - Quando Deus criou o homem Ele entregou a administração deste mundo em suas mãos (Gn 1.27-30; Sl 115.16), mas infelizmente, por causa do pecado, o homem entregou esta autoridade nas mãos do diabo; é por isso que a Bíblia diz que “o mundo está no maligno” (1Jo 5.19), como também se explica o fato de o diabo ter dito para Jesus, quando o tentava, que o poder e a glória do mundo lhe tinha sido entregue (Lc 4.5,6), pois se aquele fato não fosse verdade aquilo não seria uma tentação. Claro que o domínio de Satanás sobre os homens está sendo de uma forma restrita. Mas a visão do apóstolo João narrada aqui é que “os reinos do mundo vieram a ser de nosso Senhor e do seu Cristo”. O reino de Deus no mundo estará para ser exercido, não de uma forma limita, mas de forma completa. Satanás, durante a Grande Tribulação, estará querendo ocupar o lugar de eminência, mas até o pouco de poder que tem, será arrancado de suas mãos.




V – COMO SERÁ O MILÊNIO



A Bíblia nos dá várias declarações das bênçãos e da glória derramada na terra durante o Milênio. Bênçãos estas, tanto materiais como espirituais. Vejamos:



1) Haverá um grande derramamento do Espírito Santo (Zc 12.10) - Sendo o Milênio o reino do Messias, e sendo o Espírito Santo aquele que glorifica a Cristo (Jo 16.14), é de se esperar um sublime e incomparável derramamento do Espírito. Principalmente também, porque as condições espirituais durante esse período serão bastante favoráveis. Haverá, portanto, uma realização plena na profecia de Joel 2.28,29, quando o Espírito Santo será derramado em toda Sua plenitude sobre Israel e sobre as demais nações (Ez 36.25-27).



2) Haverá um grande conhecimento da Palavra de Deus (Is 2.3) - O conhecimento do Senhor será universal durante o Milênio (Is 11.9; Jr 31.34; Zc 8.22,23). Tal qual hoje prevalece o mal e muitas nações jazem nas trevas da idolatria, naquele tempo a justiça prevalecerá e todas as nações conhecerão o nome do Senhor (Ml 1.11). Esse conhecimento será obtido através de um grande movimento missionário a ser realizado pelos judeus remanescentes (Is 66.19). Este tratar-se-á do Evangelho Eterno.



3) Será um tempo de paz universal (Mq 4.3) - Durante esse período não haverá mais os poderosos armamentos bélicos e nucleares com os quais ameaça-se as nações. Haverá um desarmamento total (Is 2.4). A história do mundo tem sido uma história de guerras cada vez mais devastadoras. As Nações Unidas, organização mundial, que tem por objetivo promover a paz entre as nações não tem conseguido seu objetivo. As frequentes conferências de paz também não conseguem por mais nobres que sejam esses esforços. Na verdade, a preciosa paz tão almejada só será obtida quando reinar aqui na terra o “Príncipe da Paz” (Is 9.6).



4) Será uma era de abundante saúde física e mental (Is 35.3-6) - No que tange à saúde humana, diz a Palavra de Deus que “morador nenhum dirá: Enfermo estou” (Is 33.24). Os principais fatores contribuintes para isso serão abundantes, tais como: A presença divina, mudanças climáticas redução do efeito do pecado, ausência do diabo e de seus demônios e melhor nutrição pela fartura que haverá. Alguns dos defeitos físicos serão corrigidos (Is 35.5,6; Zc 13.1). Também as doenças de caráter psíquico e as perturbações mentais serão banidas (IS 65. 23). Moléstias como o câncer e a AIDS já não ceifarão vidas como acontece nos dias de hoje (ver Is 30.26).



5) Será uma era de prosperidade segurança e vida longa (Is 65.22) - A ciência e o progresso atingirão o seu apogeu e alcançarão o fim a que se propuseram. Todos possuirão casas (Is 65.21). Hipotecas, aluguéis e dívidas de casas serão coisas do passado (ver Mq 4.4; Zc 14.4,10). O hebraísmo constante dessas últimas referências denota prosperidade geral.



O grande profeta messiânico fala a respeito da longevidade que haverá nesse tempo (Is 65.20). Uma vez que o mal estará detido, a vida física, durante o Milênio, não estará tão reduzida como hoje. É verdade que as pessoas não estarão isentas da morte. Mas viverão muito mais. Os homens em todas as épocas têm estado preocupados com o sonhado “Elixir da vida” e os laboratórios têm procurado uma droga que dê ao homem o prolongamento da vida física. No Milênio, porém, os homens terão vida longa como a das árvores (Is 65.22).



6) Será um período de plena recuperação ecológica da terra (Is 35.1,2) - “Das palavras do Criador em Gênesis 3.17, fica evidenciado que o pecado trouxe sobre a terra uma maldição: ‘...maldita é a terra’. Essa maldição é já a segunda causada pelo pecado, pois em 3.14 já havia sido pronunciada a primeira que recaiu sobre a serpente: ‘...maldita serás mais que toda a besta, e mais que todos os animais do campo’.




“A primeira maldição trata da modificação do caráter e da estrutura da serpente”:




“A segunda, porém, trata da mudança operada na própria terra. Durante a Era Milenar esta e outras maldições impostas por Deus serão removidas (Is 55.13). Assim tanto o reino vegetal como a própria estrutura terrestre serão modificados por ocasião do retorno de Cristo à Terra com poder e grande glória.
“Os cientistas contemporâneos esperam uma modificação na estrutura terrestre e dos polos dentro dos próximos anos. Eles asseveram que se houvesse estudo suficiente, poder-se-ia predizer quando a terra terá seus polos modificados. Alguns mais corajosos, chegaram até fixar uma data, isto é: o ano 2000 – na virada do século. Nós, que cremos na Palavra profética e nas determinações de Deus, sabemos ser isso possível a qualquer momento”.



“Mas sem dúvida alguma, isso se dará na introdução do Milênio. Cremos que na antiguidade já tenha havido fatos semelhantes. Cidades antigas completas têm sido encontradas sob o nível do mar. Supomos que o Dilúvio foi numa dessas ocasiões, quando massas terrestres inteiras deslizaram e os polos sofreram uma modificação profunda em suas posições”.



7) Israel habitará seguro, e estará de posse de todo o território que o Senhor prometera a Abraão. A terra que o Senhor prometeu a Abraão em Gênesis 15.18, na verdade, nunca foi ocupada em sua totalidade pelos seus descendentes, nem mesmo durante o próspero reinado de Davi e Salomão. Esse território vai do Mediterrâneo ao rio Eufrates (ver também Gn 17.8; Êx 23.31). o extenso território será repartido em doze faixas iguais e paralelas, uma para cada tribo de Israel (Ez 48). Atualmente, a maior parte da terra é um deserto seco e estéril. A fim de restaurá-lo, Deus fará fluir de sob o templo milenar um volumoso rio (Ez 47.1-12), o qual juntamente com as copiosas chuvas que cairão, fará esse deserto florescer (Is 35.1). Haverá grande aumento de população, tornando a nação forte (Is 60.22). Para cumprir essas profecias, Israel precisará ocupar um território bem maior do que o que hoje possui. E isso se cumprirá no Milênio. Nessa época, de Jerusalém sairão tanto as diretrizes religiosas como as leis civis para o mundo. Desta forma Israel estará segura.




VI - Conclusão



Não reinarão com Cristo no Milênio aqueles que se envolvem com o mundo e negligenciam a Palavra de Deus. Os verdadeiros crentes em Jesus estarão livres de qualquer condenação; estarão sim, reinando com Cristo no Milênio. Que Deus nos dê de Sua graça, para permanecermos firmes e desfrutarmos de todas as bênçãos celestiais desse glorioso reino divino.
Bibliografia:
Comentário de Caramuru Afonso;
O Milênio, CPAD;
O Plano divino através dos séculos, CPAD;
O calendário da profecia, CPAD;
A vitória final, CPAD;
Apocalipse, versículo por versículo, CPAD;
Escatologia – doutrina das últimas coisas, CPAD;
Estudos sobre o Apocalipse, CPAD;
Todas as Profecias da Bíblia, VIDA;
As grandes doutrinas da Bíblia, CPAD;
BEP, CPAD;
Lições bíblicas, CPAD.