Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







9 de jun de 2016

2º TRIMESTRE DE 2016 - LIÇÃO Nº 11 - 12/06/2016 - "A TOLERÂNCIA CRISTÃ"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ 
LIÇÃO Nº 10 - DATA 09/06/2016
TÍTULO: “A TOLERÂNCIA CRISTÔ
TEXTO ÁUREO – Rm 14.17
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Rm 14.1-6
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO








I – INTRODUÇÃO:



Vivemos dias onde as Igrejas são construídas sobre desinformações teológicas. Temos nos divorciado da rainha das ciências - a Teologia - por termos um caso com as ciências comportamentais: psicologia e sociologia. Sacrificamos a pureza doutrinária no altar de tolerância teológica. Que Deus tenha misericórdia de nós.



Romanos 14:



1) Diferenças de Opinião sobre Alimentos e Dias Especiais. 14:1-6.



1.        Em primeiro lugar, Paulo discute se o grupo de cristãos deveria receber em seu meio, para confraternizar, aquele que é fraco no conhecimento quanto, ao que significa ser cristão e viver uma vida cristã. O apóstolo declara que esse tal deve ser recebido, mas não com o propósito de alimentar contendas sobre dúvidas.



2. O cristão mais fraco é aquele que acha que só deve comer vegetais. O cristão mais forte é aquele que crê que pode comer tudo.



3. Aquele que come não deve constantemente desprezar aquele que não come. Aquele que não come não deve constantemente condenar aquele que come. O comer ou não comer certos alimentos, para o Cristão, não constitui em si mesmo uma questão moral. É simplesmente uma questão de preferência. Presentemente, entretanto, Paulo mostra que pode se transformar em uma questão moral.



4. O cristão mais fraco não deve condenar o servo de outro homem; essa é prerrogativa do Senhor. Aqui Paulo acrescenta que o Senhor tem a capacidade de fazê-lo firmar-se.



5. Depois Paulo começa a discutir a questão dos dias especiais. O cristão mais fraco faz diferença entre dia e dia. O cristão mais forte julga iguais todos os dias. O apóstolo aqui não toma partido, mas simplesmente insiste que cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente. Isto tacitamente dá a entender que cada um deve estabelecer a base de suas opiniões. Ambos os grupos, quer observem um dia ou não, quer comam ou não, devem dar graças a Deus. Para que não haja dúvidas quanto a sua devoção ao Senhor.



2) O Julgamento é Feito pelo Senhor, Não pelos Irmãos. 14:7-12.



7. Dando graças ao Senhor, somos lembrados que os crentes não podem viver ou morrer para si mesmos. Para eles, tanto a vida como a morte, estão focalizadas no Senhor. Em cada experiência eles são propriedade do Senhor.



9. Cristo morreu e ressuscitou para que Ele tivesse o senhorio sobre os mortos e vivos.



10. Se Cristo é o Senhor, por que então o cristão mais fraco deve condenar seu irmão? Se Cristo é o Senhor, porque o cristão mais forte deve desprezar seu irmão? Ambos, o cristão mais forte e o mais fraco – todos (nós) – compareceremos perante o tribunal de Deus. A E.R.C. diz, ante o tribunal de Cristo, mas todos os melhores manuscritos dizem aqui de Deus. Em II Co. 5:10, Paulo fala do "tribunal de Cristo". A modificação é de pouca importância, uma vez que o próprio Jesus nos disse que o Pai não julga ninguém, mas entregou "ao Filho todo o juízo" (veja Jo. 5:22, 23, 27, 29). Deus julga os homens no sentido de que os julga através do Seu Filho.



11,12. Paulo cita Is. 45:23, da LXX, para mostrar que todos os homens devem comparecer diante de Deus em juízo; depois conclui: Todos nós daremos conta de nós mesmos (a Deus). A Deus não consta do texto original.



3) Remoção de Pedras de Tropeço. 14:13-23.



13. Paulo insiste com seus leitores que deixem de se condenarem mutuamente, e em vez disso, tomai o propósito de não pordes tropeço ou escândalo ao vosso irmão.



14. O apóstolo mostra que ele se põe ao lado dos cristãos mais fortes. Ele sabe que nada é impuro em si mesmo. Mas para o homem que acha que algo é impuro, toma-se impuro.



15. Não obstante, o alimento não deve constituir a causa de se ferir os sentimentos de um irmão (entristecer). Tais sentimentos de amargura podem afastar um homem cada vez mais de Cristo. Por causa da tua comida não faças perecer. aquele a favor de quem Cristo morreu. Ao discutir a palavra "destruir" (apollumi), Arndt coloca Rm. 14:15 sob o título, "Com referência à destruição eterna" Conclui-se que questões amorais podem se tornar morais, caso destruam a comunhão de alguém com Cristo.



16. A liberdade cristã está nas boas coisas da fé cristã. Mas um cristão não deve agir de modo que esse bem seja blasfemado.



17-19. Observe que o reino de Deus é uma realidade presente. Está definido como vida cristã: honestidade na conduta, paz ou harmonia, e alegria. Esta é a esfera do Espírito Santo (cons. 8:9) que dá energia ao crente para ser agradável a Deus e aprovado pelos homens. Em lugar de entrarem em conflito, Paulo insiste com os crentes a buscarem aquilo que proporciona a paz e a edificação dos outros crentes.



20,21. Não destruas a obra de Deus por causa da comida. Embora todas as coisas sejam puras, mas é mau para o homem o comer com escândalo. Com escândalo para o quê ou para quem? Se for com escândalo para os escrúpulos de outra pessoa, então a referência do comer foi feita ao cristão mais forte. Se for com referência ao prejuízo próprio, então é o cristão mais fraco que está sendo mencionado. O contexto no versículo 21 favorece o primeiro caso. Ou se enfraquecer não consta de muitos e bons manuscritos mais antigos.



22,23. Fé. Antes, convicção. A fé que tens, tem-na para ti mesmo perante Deus. Bem aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova. Mas aquele que tem dúvidas, é condenado se comer, porque o que faz não provém de fé; e tudo o que não provém de fé é pecado. Aqui está muito claro que cada um deve ter um padrão de conduta. Tendo uma conduta correta, não haverá escrúpulos de consciência quanto ao comer; mas na conduta errada, com um padrão que resultou de uma maneira de viver do passado, resulta a condenação. Convicção é a certeza de que um padrão está certo. Sem uma base adequada para julgamento o crente pode estar convicto do pecado por causa de sua consciência, onde o pecado realmente não está envolvido. É altamente importante que o crente tenha um padrão correto para a sua consciência, e que ajude os seus companheiros crentes a alcançarem também esse padrão. Ele deve fugir de tudo que possa impedir o seu companheiro crente de alcançar um padrão correto, e tudo que separe seu companheiro crente da comunhão com Cristo.


                    

II - A BÍBLIA NOS DÁ INCONFUNDÍVEIS E CLARAS CARACTERÍSTICAS DE UMA PESSOA RENASCIDA:



§ (Jo 3:7) - Cristo exigiu o novo nascimento de Nicodemos. O que tinha este homem?



(A) - TINHA UMA BÍBLIA E CONHECIMENTO BÍBLICO - (Jo 3:2) - No entanto, não tinha nenhum sinal de renascimento.



(B) - PERTENCIA A UMA SINAGOGA (IGREJA) - Nicodemos tinha toda aparência exterior de quem pertencia a uma igreja, a uma religião. Mesmo assim, não era renascido!



-     Então, como posso saber se eu sou um renascido ou não, a ponto de alcançarmos a TOLERÂNCIA CRISTÃ?



1)        ELA SABE QUE É RENASCIDA - (Ef 1:13-14; Rm 8:16) - A certeza de salvação é a primeira alegre consequência do renascimento. Se alguém me perguntar: “Você é casado?”. Eu não posso responder: “Acho que sou”.



2)        A NOVA VIDA SE MANIFESTA - (I Jo 5:12 cf Mt 7:16) - O fato de uma pessoa ter renascido, não pode permanecer escondido. Quando uma criança acaba de nascer, o principal indicativo de que ela esteja viva é o fato de chorar. Se não chorar, provavelmente, nasceu morta. Quando nascemos de novo, nós choramos, isto é, a vida maravilhosa recebida torna-se evidente em nós, pelo testemunho e conduta (At 4:20).



3)        ASSISTÊNCIA AOS CULTOS (Sl 134:1) – É dever do cristão assistir assiduamente aos cultos na Igreja a que pertence. Quem assim não procede, é uma presa fácil às investidas de satanás. Além dos cultos noturnos, há reuniões de oração, estudos bíblicos e a Escola Bíblica Dominical, onde podemos estudar a palavra de Deus em classe, para nosso progresso no conhecimento da Palavra do Senhor (Sl 119:130 cf At 2:41-47).



4) SINCERIDADE (Js 24:14-15) – Responsabilidades do povo escolhido:



(a) Temer ao Senhor, isto é, honrar e respeitar Sua vontade em tudo; 



(b) Servir ao Senhor, isto é, dar-Lhe honestamente e com toda fidelidade aquilo que Ele quer; 



(c) Escolher ao Senhor, isto é, dar-Lhe o primeiro lugar na vida (Cl 1:18). A sinceridade é exigida daqueles que servem a Deus em verdade (Jó 2:3) – Um homem assim não se deixa torcer por quaisquer circunstâncias, nem é levado pelas aparências humanas (Jó 27:5 cf 31:6) – O crente que vive em sinceridade em qualquer prova a que for submetido, sairá vencedor (Pv 11:3; 20:7; 14:2 cf I Cor 5:7-8)



5) O RENASCIDO TEM UM ESPÍRITO DE VIGILÂNCIA E  ORAÇÃO - (Mt 26:41; Ef 2:1) - Um morto não se mexe. A oração é a respiração da alma. Uma pessoa só vive se respira; também só se tem vida espiritual quando se ora (Rm 8:26) - Quem não tem o Espírito de Deus, a este também falta o espírito de oração. Necessitamos exercer uma permanente vigilância em torno de nós mesmos, de nossas atividades e de tudo quanto se relaciona com nossa vida e práticas espirituais, a fim de evitarmos qualquer enfraquecimento na fé e assim uma vitória àquele que está sempre de espreita de nós (I Pe 5:8; II Cor 11:14-15; Tg 4:7-8) cf (Sl 24:3-6; Dt 4:7).  –



Quanto à ORAÇÃO, ela é ordenada (Is 55:6; Mt 7:7; Fp 4:6; I Cr 16:11; Lc 18:1)



6) O RENASCIDO TEM FOME DA PALAVRA DE DEUS - (Jo 6:48 cf Jo 5:39) - Quem recebeu vida de Deus, precisa de alimento divino (Is 34:16a) – Antes da conversão, gostávamos de ler romances, revistas em quadrinho, etc (Js 1:7-8) – Manejar bem a Palavra 



(a) O falar que é natural àquele que medita (Sl 1:2; 119:171); 



(b) O meditar, natural ao que ama a Palavra (Sl 119:47, 97, 167); 



(c) Obedecer – Natural ao que ama, medita e fala (Sl 119:101, 129); 


(d) O ser bem sucedido – Natural ao que obedece (Sl 119:165)



7) O RENASCIDO ESTÁ EXPOSTO À GRANDES TENTAÇÕES (DISPOSIÇÃO DE ÂNIMO PARA PRÁTICA DE COISAS CENSURÁVEIS)  e PROVAÇÕES (SITUAÇÃO AFLITIVA OU PENOSA) - (Jo 16:33) - Onde há vida, há luta. Satanás tentará de todas as maneiras afastar o renascido do Seu Senhor, pelo pecado. Os maiores adversários de Jesus foram os religiosos. Os renascidos serão desprezados pelos cristãos sem Cristo (I Cor 10:13; Tg 1:12) – As tentações que nos sobrevêm são de caráter humano: pela vista, ouvido, pensamento e tato (Mc 9:42-50)



Se a tentação for através dos olhos, devemos olhar em outra direção e pedir a Jesus que os purifique, a fim de não servirem de tropeço (Hb 12:3).



Se é o nosso pé, retirem-lo dali (Pv 1:10-15; 2:8; Is 30:21).



A BÍBLIA ENSINA QUE AQUELES QUE CRÊEM TERÃO VIDA DIFÍCIL (Mt 5:11-12; Jo 3:19; 15:18-19; II Tm 3:12; Mt 6:24)



8)        O RENASCIDO VENCE A TENTAÇÃO - Jesus Cristo venceu a satanás, o pecado, o mundo e a morte. Todos os renascidos são também vencedores em Cristo. É certo que mesmo tendo nascido de novo, a natureza pecaminosa não desaparece: sentimos a presença do pecado e nada pode contra o poder do pecado que é muito grande. Logo, como teremos vitória? (Rm 8:10 cf  Rm 7:15-25; I Cor 15:57 cf Jo 10:27-29)



9)        BATISMO EM ÁGUAS – (Mt 28:19) – Todos os que sinceramente creem em Jesus como Seu Salvador pessoal, estão no dever de fazerem-se batizar (At 2:38; 8:12-13, 36-39; 10:47-48)



10)   BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO (Jo 1:32-33 cf At 2:39) – Devemos aceitar essa promessa e buscá-la o mais cedo possível para nossa própria edificação na fé e maior vitória na vida espiritual (At 11:15-17). Não foi somente no Pentecoste (At 2:1-4; 8:14-17; 10:44-48; 19:1-7) – O batismo com o Espírito Santo era doutrina prática e comum a todos os crentes. Entretanto, infelizmente em cada século vem-se manifestando em meio à igreja universal uma tendência modernista que, de certo modo, afeta todas as denominações evangélicas. Referida tendência sempre procura tornar mais cômoda a vida cristã e mais aproximada do viver puramente mundano, crendo assim atrair maior número de fiéis à Igreja, quando o que acontece é o contrário – leva os crentes para o mundo. E um crente espiritual que viva cheio do Espírito Santo, torna-se um elemento ativo no meio ambiente em que vive, o que nem sempre agrada àqueles que almejam viver no pecado e não querem ser incomodados, sentindo-se molestados por quem quer que não combine com ele (I Pe 4:4) e um crente fervoroso no Espírito de Deus, condena o pecado onde quer que ele se manifeste, sem medir as consequências (Mt 3:7-8; Lc 3:7-20).



11)   TESTEMUNHO – (Sl 66:16; 71:15; 119:13-, 46; At 4:20; II Cor 4:13) –



(a)     - No lar (Ef 5:22-31; Cl 3:18-19; I Pe 3:1-11);



(b)    filhos (Ef 6:1-3);



(c)     Imposto (Is 43:10; At 5:20-21; 18:9-10; 22:14-15; Ez 3:16-19)



12)   CONTRIBUIÇÕES – II Cor 9:7, 13



13)   OBEDIÊNCIA – (Hb 13:7, 17 cf Gl 4:19; I Tm 5:18-19) – Porque são eles os elementos dados por Deus a Sua Igreja para a doutrinar em tudo o que concerne a Sua vontade para com ela.



14)   O RENASCIDO ESPERA COM ALEGRIA A VOLTA DE JESUS - (Lc 21:28 cf Jo 3:3 e Apc 22:20)



§ PARA FINALIZAR - I Jo 3:9; Is 64:6; Tt 3:5; cf Ez 33:11; Mt 18:3 e Jo 1:12




FONTES DE CONSULTA:


§  De Coração para Coração – CPAD –  A.P. Vasconcelos
§  Características do Novo Convertido – Chamada da Meia Noite – Wim Malgo