Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







8 de ago de 2012

3º TRIMESTRE DE 2012 - LIÇÃO Nº 07 - 12/08/2012 - "A DIVISÃO ESPIRITUAL NO LAR"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 07 - DATA: 12/08/2012
TÍTULO: “A DIVISÃO ESPIRITUAL NO LAR”
TEXTO ÁUREO – I Pe 3.1
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Cor 7.12-16
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/

I – INTRODUÇÃO:

- Feliz o lar onde marido e mulher comungam a mesma fé; onde ambos são crentes fiéis a Cristo. Há, entretanto, casos em que apenas um dos cônjuges crê no evangelho. No entanto, veremos que o nosso Deus anseia que todos os lares, independentemente de serem evangélicos ou não, apliquem os ensinamentos contidos em Sua santa e gloriosa Palavra: A Bíblia Sagrada.


II A INFLUÊNCIA ESPIRITUAL DO CÔNJUGE CRENTE:

- Leiamos I Cor 7.12-16

(1) - A IMPORTÂNCIA ESPIRITUAL DA MULHER CRISTÃ - Paulo destaca a influência espiritual da mulher cristã nestas palavras: "O marido descrente é santificado pela mulher". Em tais circunstâncias ela deve confiar que não está lutando só; Deus está interessado em dar-lhe a vitória (At 16.31).

(2) - A INFLUÊNCIA DO MARIDO CRENTE - Do mesmo modo, a mulher descrente pode ser santificada pelo marido. A condição aqui é a mesma. O marido tem que exercer a sua influência espiritual andando conforme as Escrituras. Neste particular, tanto homem como mulher têm conseguido grandes vitórias, levando seus lares à felicidade da salvação em Cristo.

(3) - OS FILHOS BENEFICIADOS - Não podemos elogiar a "espiritualidade" dos cônjuges crentes que, levados por fanatismos, escandalizam os filhos e os afastam do evangelho, tornando o lar um tremendo fracasso. O processo para a santificação dos filhos é o mesmo, visto que eles dependem da genuína influência espiritual dos pais para levá-los a Cristo. Assim, pela pregação do evangelho, pela paciência e pelo exemplo de fé e obediência a Deus os pais santificam seus filhos (At 16.32-34).

(4) - A ATITUDE DO CÔNJUGE CRENTE NO LAR - Em um lar onde uma só pessoa é crente, esta deve considerar-se como a única luz, no velador, com a missão de iluminar o seu ambiente. Por isso, a atitude do crente deve ser a de quem tem uma missão a cumprir, uma luta a vencer, uma vitória a conquistar. O que não deve acontecer é o crente acomodar-se e tornar-se infrutífero (Jo 15.16; Mc 4.18,19).

A propósito, podemos observar dois fatos:

(A) – Um lar constituído legalmente não deixar de ser um lar, pelo fato do marido e mulher não serem cristãos.

(B) – A expressão: “marido descrente é santificado pela mulher”, não significa que contato ou convívio, em si, transmita santidade da mulher ao marido, e, sim, que a fé e o comportamento da mulher crente podem despertar no marido o desejo de aceitar a Cristo, e assim ser santificado. É a maneira de ganhar sem palavras – I Pe 3.1-2.


III - OS DEVERES DO MARIDO, CRENTRE OU NÃO CRENTE:

(1) - AMAR A ESPOSA COMO CRISTO AMOU A IGREJA - (Ef 5:25). O amor de Cristo para com a Igreja é o padrão do amor que o marido deve a sua esposa. Jesus amou a Sua Igreja...

- voluntariamente - Gl 2:20

- profundamente - Jo 15:13

- sacrificialmente - Jo 19:1, 16-18

- com amor eterno - Jr 31:3 cf Jo 17:26

- Não havendo amor, o marido pode abusar de sua autoridade, levando a esposa a um complexo de inferioridade que pode conduzi-la a aflições e amarguras. É o amor a base peculiar das afeições, da confiança e da fidelidade (I Jo 4:18 – A esposa deve estar presa ao marido, não pelo temor ou pelas ameaças, mas pelo amor e pela gentileza).

(2) - NÃO SE IRRITAR CONTRA ELA - Cl 3:19 - Isso quer dizer que os maridos não devem ficar impacientes com as suas esposas, não provocá-las ou ficar irado contra elas

(3) - COABITAR COM ENTENDIMENTO, DANDO HONRA À MULHER - I Pe 3:7 - A vida do casal deve ser pacífica, onde prevalecem o diálogo, a paciência, a compreensão, a estima e a dignidade (Am 3:3)

(4) - CONSULTAR A ESPOSA - Gn 31:3-8, 14-16 - Jamais o marido deve tomar decisões sem antes consultar a esposa. A prática deste gesto demonstra amor, prudência e sabedoria.

(5) - ASSISTI-LA MATERIAL E ESPIRITUALMENTE - Ef 5:28-29 – A palavra ALIMENTAR = NUTRIR, como quem cria filhos. Assim sendo, o homem deve tratar sua esposa tal como cuida de si mesmo ou de uma criança sua, a quem alimenta e nutre (tratamento de saúde, vestimenta e calçados, casa, alimentação, dar-lhe dinheiro); (ajudá-la em oração, levá-la à Igreja, animá-la a participar de atividades na Igreja e estudarem juntos a Palavra de Deus)

(6) - PROTEGÊ-LA FÍSICA E MORALMENTE – O marido não deve considerar-se apenas o senhor do lar, e, sim, o protetor, a começar pela esposa.

PROTEÇÃO FÍSICA: - É claro que, acima de tudo, a vida e a saúde de qualquer pessoal dependem de Deus, o Autor da vida. Porém, de outras maneiras, dependem também do trato do marido, especialmente assegurando à esposa um ambiente de paz, tranqüilidade e alegria. Estes são fatores de vida, saúde e até de beleza (Pv 15:13).

PROTEÇÃO MORAL: - Vai desde o encorajamento que o esposo proporciona à esposa, até aos modos de defender a sua honra. Isto pode consistir em ocultar as suas faltas e destacar as suas virtudes. Como Cristo purifica e santifica a Sua Igreja perdoando-lhe as faltas e imperfeições, com os mesmos sentimentos e virtudes deve o esposo praticar para com sua esposa.

(7) - DAR-LHE CARINHO - Gn 26:8 cf Pv 5:18; Ec 9:9 - A falta de carinho entre o casal torna a vida monótona, sem graça e infeliz

(8) - VIVER COM ELA ATÉ QUE A MORTE OS SEPARE - Mt 19:3-9 - Casamento é coisa muito séria. Deus não está interessado nas desculpas que alguém possa dar quando parte para uma separação matrimonial. Problemas tais como: incompatibilidade de gênios, idade, saúde, ciúmes e etc, podem ser plenamente resolvidos, desde que haja lugar para Cristo e a Sua Palavra dentro do lar, na vida do casal.


IV - OS DEVERES DA ESPOSA, CRENTE OU NÃO CRENTE:

(1) - SER SUBMISSA AO MARIDO COMO AO SENHOR - Ef 2:22

III.1 - O QUE É SUBMISSÃO:

- A palavra SUBMISSÃO é formada de duas palavras: “SUB” = DEBAIXO DE; e “MISSÃO” = VOCAÇÃO ou PROFISSÃO.

- Logo, uma das melhores definições da palavra SUBMISSÃO é É A ADESÃO ESPONTÂNEA DA VONTADE DE ALGUÉM À DE OUTREM.

- Assim, a esposa tem que estar consciente de que A SUA ADESÃO ESPONTÂNEA ESTEJA CONTRIBUINDO PARA A MISSÃO DE SEU MARIDO.

- Não é apenas a mulher que deva submeter-se - Esta ordem é dada ao marido, à esposa, aos pais, aos filhos, aos empregados e aos patrões - Ef 5:1-2, 11-17


III.2 - O QUE NÃO É SUBMISSÃO:

- Não é que a mulher seja inferior ao homem - Gl 3:26-28 cf I Pe 3:7 - Tanto o esposo quanto a esposa são herdeiros da mesma graça.

- Não é que a mulher seja incapaz de realizar grandes coisas - Elas eram líderes (Jz 4:4; Mq 6:4); profetisa do Senhor (II Rs 22:16-20); enfrentavam emergências (I Sm 25:18-35); praticavam a filantropia (At 9:36); colaboravam e cooperavam com a obra do Senhor (Rm 16:1-2, 6, 12; I Tm 5:10; I Cor 16:14-20; Fp 4:1-3);

- Não é que a mulher deva ficar em silêncio - Tt 2:3-5; Cl 3:15-17 - Um dos principais fatores de um casamento feliz é uma boa comunicação entre marido e esposa.

(2) - SER AUXILIADORA NOS SENTIDOS AFETIVO, SOCIAL, PROFISSIONAL e ESPIRITUAL - (Gn 2:18) - AUXILIADORA ou AJUDADORA = Alguém que está ao lado para completar, ajudar, complementar e apoiar.

- O papel da mulher é ampliado pela palavra IDÔNEA = SEMELHANTE A ELE, isto é, alguém que concorda mental, física e espiritualmente.

- (Pv 12:4; 14:1; 18:22). A esposa auxiliadora é...

- laboriosa (Pv 31:13, 19, 24);

- ajuizada (Pv 31:16, 18)

- forte fisicamente (Pv 31:17)

- boa dona de casa (Pv 31:15, 21, 27)

- sábia e boa mãe (Pv 31:26)

- caridosa (Pv 31:20)

- boa esposa (Pv 31:11-12, 23, 28)

- temente a Deus (Pv 31:30)


V - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

- Atualmente, a família não está recebendo o devido respeito por parte de alguns segmentos da sociedade. O casamento é, por muitos, desprezado, e a família, como instituição divina, sofre mais do que nunca forte oposição por parte de satanás. Mas, se a família cristã quiser continuar unida e vitoriosa, deverá manter-se dentro dos parâmetros estabelecidos por Deus; precisará ter larga visão dos propósitos divinos e revestir-se de otimismo. Não devemos deixar satanás triunfar nesta batalha.

- Que o Espírito Santo nos acompanhe e nos dê sabedoria dos altos céus para assimilarmos os propósitos de Deus para com a família e o lar (cristãos ou não), nesta hora de crise!



FONTES DE CONSULTA:

1) Retratos de Família - Editora Sepal - Jaime Kemp

2) A Bíblia de Estudo Pentecostal - Edições CPAD

3) A Bíblia Shedd - Edições Vida Nova

4) A Bíblia de Estudo Vida - Editora Vida

5) Lições Bíblicas CPAD – 3º Trimestre de 1987 – Comentarista: Estêvam Ângelo de Souza