Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







23 de jun de 2014

2º TRIMESTRE DE 2014 - LIÇÃO Nº 13 - 29/06/2014 - "A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ 
LIÇÃO Nº 13 - DATA: 29/06/2014 
TÍTULO: “A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS”
TEXTO ÁUREO – Ef 3.10
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Ef 3.8-10; I Pe 4.7-10
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/



I - INTRODUÇÃO:




A multiforme sabedoria de Deus manifesta-se na Igreja por meio da intervenção sobrenatural do Espírito Santo e a partir dos dons de Deus necessários ao crescimento espiritual dos crentes, que devem utilizá-los com humildade e fidelidade, não buscando os interesses próprios, mas, sobretudo, o amor, pois sem amor de nada adianta possuir dons.





II - OS DONS ESPIRITUAIS:




É intenção de Deus trabalhar por meio da Igreja entre o primeiro e o segundo advento de Cristo. Ele escolheu a Igreja para ser a Sua agência e cumprir Seus propósitos no mundo atual. Vejamos alguns deles abaixo:




(1) - O PRIMEIRO OBJETIVO DA IGREJA É A EVANGELIZAÇÃO DO MUNDO - Da mesma maneira que Jesus Cristo veio para buscar e salvar o perdido, assim também a extensão de seu corpo nesta era, a Igreja, deve compartilhar desse interesse - Mt 18.11 cf Mt 28.19-20.




Uma das características da primitiva Igreja de Jerusalém é que ela continuou a crescer. Mesmo sob perseguição, a Igreja Primitiva espalhava a mensagem do Evangelho, por onde quer que seus membros fossem dispersos - At 2.47; 8.4.




A Igreja primitiva também era caracterizada pela ênfase à Palavra falada - l Co 1.21 -. E, assim, a obra da Grande Comissão continua a ser realizada.




A experiência pentecostal é dada aos crentes, tendo o Evangelismo como seu principal objetivo (At 1.8).




O poder do Espírito Santo, ao descer sobre os crentes, expressa-se não somente no falar em línguas como a evidência física inicial ou externa, mas em poderosos atos sobrenaturais, que confirmam o testemunho verbal dos fiéis (Mc 16.15,16; Hb 2.4).




Os dons do Espírito, tal como a profecia, também são meios pelos quais o Espírito Santo costuma convencer os pecadores (l Co 14.24,25).




(2) - O SEGUNDO OBJETIVO DA IGREJA É MINISTRAR A DEUS - Uma frase repetida com frequência na Epístola aos Efésios, especialmente em seu primeiro capítulo, acerca do propósito dos seres humanos dentro do universo divino, é que sejamos para o "louvor de sua [de Deus] glória". Fomos criados para adorar e Deus proveu a Igreja, o corpo coletivo dos crentes, como instru­mento especial de adoração.




A Igreja espiritual que adora é um poderoso arsenal de poder que Deus emprega em sua guerra contra as hostes das trevas. De fato, qualquer que seja a necessidade da Igreja, o Espírito tem algum dom para satisfazê-la.




(3) – O TERCEIRO OBJETIVO DA IGREJA É EDIFICAR UM CORPO DE SANTOS, NUTRINDO-OS, A FIM DE QUE SE CONFORMEM À IMAGEM DE CRISTO - O evangelismo é a conquista de novos convertidos; a adoração é a Igreja voltada para Deus; a nutrição é o desenvolvimento dos novos convertidos em santos maduros. Deus preocupa-se grandemente em que os recém-nascidos cresçam na graça (Ef 4.11-16; cf. l Co 12.28; 14.12).




Paulo enfatiza repetidamente o anelo de Deus pela maturidade espiritual dos crentes (l Co 14.12; Ef 4.11-13; Cl 1.28,29).




Como pode alguém saber que está crescendo à imagem de Cristo? Como pode uma Igreja medir seu sucesso ao produzir a maturidade cristã em seus membros?




Gálatas 5.22-26 oferece um belo conjunto de virtudes chamado "o fruto do Espírito": amor, alegria, paz, paciência, bondade, benignidade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Os que exibem tais carac­terísticas de caráter são declarados como quem está cum­prindo a lei ou instrução de Cristo. Precisamos tomar parte ativa nisso.




Leiamos 2 Pedro 1.5-11 - A tarefa da Igreja não terminará enquanto não ajudar seus membros a crescerem espiritualmente, a fim de que os vários dons do Espírito equilibrem-se à exibição dos vários aspectos do fruto do Espírito (l Co 13).




O Espírito Santo fala, ainda, por meio dos dons espirituais, dos quais seis transmitem a sabedoria e a mensagem de Deus (I Cor 12.8-11).





III – O PROPÓSITO DE DEUS COM A IGREJA:




Ef 3.11 – Vamos verificar cinco propósitos distintos que Deus deseja realizar por meio da Igreja:




(1) – DEUS ESCOLHEU A IGREJA PARA SER A SUA MORADA – I Cor 3.16; Ef 2.22 – O Senhor quer habitar no meio dos homens, e, nesta dispensação, Ele se manifesta pelo Seu Espírito. Por isso, é importa que a Igreja esteja cheia do Espírito Santo – Jo 16.14-15; II Cor 3.8 cf At 2.4; Ef 5.18.




O Senhor também deseja falar aos homens – Apc 2.7, 11 – Hoje, Ele faz ouvir a Sua voz por meio do Espírito Santo que fala pela Palavra, vivificando-a (II Sm 23.2; Jo 6.63; II Cor 3.6), e fala também por meio de Seus ministros, usando-os (Hb 2.3-4; I Pe 1.12 cf II Cr 36.15).




(2) – A IGREJA É O LUGAR ONDE O CRENTE CULTUA A DEUS – I Pe 2.9; Apc 1.6 – Conforme o Seu propósito, Deus escolhe a Igreja para ser o Seu sacerdócio nesta nova dispensação – I Pe 2.5 -. É verdade que são sacrifícios diferentes daqueles oferecidos no A.T.. A nós, os sacerdotes do Novo Pacto, cabe-nos, agora, oferecer ao Senhor sacrifícios de louvor por tudo quanto Ele fez e faz por nós – II Cr 29.31; Hb 13.15.




Devemos também oferecer a Deus nossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável, que é o nosso culto racional. Foi esse o sacrifício que os crentes em Macedônia ofereceram a Deus – Rm 12.1 cf II Cor 8.5.




(3) – A IGREJA É O LUGAR ONDE O CRENTE É GUIADO À BOA DOUTRINA – Conforme Seu propósito para com a Igreja, Deus determinou que ela fosse o Seu instrumento para proporcionar a cada crente o cuidado, a proteção, e a orientação espiritual de que carece. Esse propósito é evidenciado de modo nítido através de dois símbolos aplicado à Igreja:




(A) - Rebanho (At 28.20 cf Sl 74.1; 78.52; 95.7; 100.2); e




(B) - Lar ou Família (Ef 2.19-20)




(4) – A IGREJA É UM MISTÉRIO PORQUE É O ÓRGÃO PELO QUAL JESUS CONTINUA A SUA OBRA – Quando a Bíblia fala sobre o propósito eterno de Deus sobre a Igreja, e como ele foi revelado, diz que se trata de um mistério – Ef 3.3-6; 5.32 -. O mistério está em que, embora Jesus tenha voltado ao céu, pode, pessoalmente, continuar a obra por meio da Igreja.




(5) – A IGREJA É A COLUNA E FIRMEZA DA VERDADE - I Tm 3.15 – Toda a obra de Deus está fundamentada na verdade, pois Deus é a Verdade (Jr 10.10), Jesus é a Verdade (Jo 14.6) e o Espírito Santo é o Espírito da Verdade, que nos guiará a toda verdade (Jo 16.13).




Deus não entregou a defesa e a pregação desta alta responsabilidade à Política, à Cultura, tampouco à Sociedade; Ele escolheu a Sua Igreja para essa nobre missão. Diante disso:




(A) – A Igreja precisa manter atitude firme e não ceder diante dos ataques à sã doutrina.




(B) – A Igreja deve, em tudo, praticar a verdade, seja em palavras ou ações – I Cor 4.6; II Cor 1.19; II Jo 4.




(C) – A Igreja deve, em tempo e fora de tempo, ser defensora do Evangelho, assim como foram os apóstolos – At 24.5; Fp 1.16.




(D) – Somente Jesus tem o poder de tornar os vencedores  colunas – Apc 3.12.





IV - CONSIDERAÇÕES FINAIS:




A Igreja tem uma vocação que se dirige para o alto - Fp 3.14.




Hebreus 3.1 lembra que somos santos irmãos, "participantes da vocação celestial".




Efésios 1.3-4 declara: - "Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo, como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis di­ante dele em caridade".




A Bíblia não está se referindo à predestinação, mas dizendo que a Igreja foi escolhida como um corpo predestinado a ser santo. Todos os que preferem crer tornam-se parte da Igreja e compartilham de seu destino. Na Igreja, "a posição do crente e suas bênçãos são espirituais, celestiais e eternas".


FONTES DE PESQUISA E CONSULTA:

Doutrinas Bíblicas – Uma Perspectiva Pentecostal – CPAD – William W. Menzies e Stanley M. Horton
Teologia Sistemática – A Doutrina da Igreja e dos Anjos – CPAD – Eurico Bergstén

Nenhum comentário: