Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







13 de mar de 2013

1º TRIMESTRE DE 2013 - LIÇÃO Nº 11 - 17/03/2013 - "OS MILAGRES DE ELISEU"


ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ 
LIÇÃO Nº 11 - DATA: 17/03/2013 
TÍTULO: “OS MILAGRES DE ELISEU”
TEXTO ÁUREO – II Rs 8.4
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: II Rs 9.9-14
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/




I – INTRODUÇÃO:

Milagre é o "extraordinário", "sobrenatural", "excepcional"; se fosse algo corriqueiro e comum, então não seria milagre!

II – O QUE É MILAGRE?:

A definição mais simples é: uma interfe­rência de uma lei divina superior, nas leis naturais, mediante poder sobrenatural. Um milagre divino vai além da compreensão e capacidade intelectual e científica do homem.

Segundo o pastor D.Y.Cho, "A palavra milagre refere-se ao marcante e surpreendente evento que acontece pela direta intervenção de Deus, sem seguir as conhecidas leis da natureza. Um milagre é a suspensão temporária de leis comuns da natureza e a intervenção de um poder sobrenatural".

Termos descritivos dos mi­lagres de Jesus. Há quatro termos originais, sendo que três deles aparecem juntos em At 2.22. Os quatro termos são os seguintes:

(A) - Maravilha ("Teras" em At 2.22) - significa algo ex­traordinário, estranho, fora do co­mum. A maravilha, pois, apela à imaginação do homem, falando do poder sobrenatural de Jesus.

(B) - Prodígio ("Dunamis" em At 2.22) - significa poder real. O milagre tipo prodígio de­monstra o poder de Deus, e apela à nossa admiração, pasmo, reverência. É o exercício do poder divino na esfera deste mundo humano e natural.

(C) - Sinal ("Semeion"  em  At 2.22) - significa marca, sinal, prova. O milagre com este nome é um meio autenticador divino e apela à nossa razão. Como sinal fala do reino espiritual superior de Deus, cujas verdades são simboliza­das por estes sinais reveladores. Portanto, este termo destaca o as­pecto teológico e doutrinário do mi­lagre divino. O Evangelho de João - O Evangelho do Filho de Deus -, sem­pre chama os milagres de Jesus de sinais, isto é, provas da Sua divinda­de e da obra divina que Ele veio rea­lizar.

(D) - Obras ("Erga" em textos como Jo 5.20; 7.3; 10.25; 15.24) - "Erga" vem de "ergon" que signifi­ca obra, trabalho, produto, opera­ção. Este termo aplicado por Jesus aos Seus milagres, fala deles como parte da Sua obra redentora em favor do homem, testemunhando ao mesmo tempo dEle como o enviado do Pai.

III - PRINCÍPIOS BÍBLICOS PARA OBTENÇÃO DE UM MILAGRE:

Leiamos II Rs 4.1-7, e meditemos:

(1) - O MILAGRE DEVE SER BUSCADO EM DEUS – II Rs 4.1 - Ela foi até o profeta de Deus. Temos facilidade em cremos nos milagres do passado (Bíblia), e na vida de outras pessoas, mas temos dificuldade em cremos nos milagres para nossa própria vida e no tempo presente. Cremos no Deus "EU SOU", e não "Eu Era".

(2) – O MILAGRE PARA ACONTECER TEM DE HAVER UM DESPOJAMENTO (ENTREGA) – II Rs 4.2 - Vasilhas vazias - Pessoas não são abençoadas por causa dos preconceitos, incredulidade e orgulho.

(3) - O MILAGRE É PRECEDIDO DA APARÊNCIA DO RIDÍCULO E ABSURDO – II Rs 4.3 - Ela teve que se expor, assim como, todos aqueles que desejam do Senhor receber um milagre.

(4) - O MILAGRE É PRECEDIDO DE RESISTÊNCIA (PESSOA E DOS OUTROS) – II Rs 4.3 - Ela bateu a porta dos vizinhos. Certamente foi criticada. Os milagres sempre sofreram oposições. "Contra fatos não há argumentos". "Para o verdadeiro crente, nenhum milagre é necessário, para aqueles que duvidem sempre, nenhum milagre é sufuciente." - Mt 12:38-41.

(5) - O MILAGRE É IMPULSIONADO POR FÉ – II Rs 4.5 - Ela creu na Palavra de Deus. Se não tivesse crido, não teria havido milagre. Os milagres não são essenciais para a salvação, mas para a vida do cristão.

(6) - O MILAGRE REQUER OBEDIÊNCIA – II Rs 4.5 - É preciso confiar no que Deus está dizendo. Algumas coisas não são para serem entendidas, mas cridas e obedecidas.

(7) - O MILAGRE É LIMITADO PELA FÉ DO HOMEM E NÃO PELO PODER DE DEUS – II Rs 4.6 - Qual o tamanho de sua fé? Qual o tamanho de sua vasilha? Uma mina de azeite jorrava enquanto havia vasilhas. Ela deve ter dito aos seus filhos: "Que pena! Por que não fui mais longe? Por que não arrumei mais vasilhas?”

IV – ALGUNS PROPÓSITOS DOS MILAGRES:

(1) - Edificar a fé dos crentes - I Ts 1:5.

(2) - Revelar o poder de Deus aos incrédulos – Jo 11:42.

(3) - Manifestar a natureza divina do cristianismo.

V – UM RESUMO DAS OBRAS E ATOS MILAGROSOS DE ELISEU:

(1) – A ABERTURA DO RIO JORDÃO – II Rs 2.13-14 – Com o desaparecimento de Elias, Eliseu rasgou suas próprias roupas em duas partes e tomou para si o manto caído de Elias. Retornando ao rio Jordão, ele enfrentou sua primeira crise. Com o grito - "Onde está o Senhor, o Deus de Elias?" ele bateu nas águas com o manto e as águas se abriram. Quando ele veio a Jericó, os filhos dos profetas reconheceram que o espírito de Elias repousava sobre ele. Eles o encontraram e fizeram reverência a ele, mas eles insistiram que enviasse um grupo para procurar por Elias.

(2) - A PURIFICAÇÃO DA NASCENTE DE ÁGUA – II Rs 2.19-22 - O povo de Jericó reclamou com Eliseu por causa da qualidade da água, então ele jogou uma tigela de sal dentro da nascente e declarou que o Senhor tinha transformado a fonte. A narrativa afirma que a água "tem sido saudável até os dias de hoje", e a fonte de Eliseu ainda é uma a fonte importante de boa água para o povo ao redor de Jericó.

(3) - A MALDIÇÃO DAS CRIANÇAS – II Rs 2.23-24 - Enquanto ia de Jericó para Betel, Eliseu foi ridicularizado por alguns garotinhos que zombaram de sua calvície. Ele os "amaldiçoou no nome do Senhor. E duas ursas saíram da floresta e matou quarenta e dois dos garotos".

(4) - A DERROTA DE MOABE – II Rs 3.1-27 – Jeorão, rei de Israel, Josafá, rei de Judá, e o rei de Edom, se juntaram numa campanha militar contra Mesa, rei de Moabe. Marchando pelo deserto de Edom, os exércitos não encontraram água e estavam perto do desespero. Josafá desejou consultar um profeta do Senhor e foi informado de que Eliseu estava presente. A princípio Eliseu recusou aconselhar Jeorão, mas depois de ouvir um músico, o profeta foi autorizado pelo Senhor a predizer que a terra seria cheia com água e que os aliados derrotariam os moabitas (w. 16-19). Na manhã seguinte a predição foi cumprida.

(5) - O ÓLEO DA VIÚVA – II Rs 4.1-7 - Uma pobre viúva reclamou com o profeta porque um credor estava para escravizar seus dois filhos. Quando Eliseu descobriu que a mulher tinha só um jarro de óleo, ele instruiu-a a tomar emprestados muitos vasos dos vizinhos, e então ir para dentro de sua casa com seus filhos e encher todos os vasos, usan­do o único jarro de óleo, para que pudesse pagar seu débito e viver com a renda que sobrasse.

(6) - O FILHO DA SUNAMITA – II Rs 4.8-37 - Uma mulher rica de Suném propôs a seu marido que eles deveriam construir em sua casa um quarto para uso dos profetas. Como pagamento por esta bondade, Eliseu predisse que, por volta de um ano, o casal teria um filho. Alguns anos de­pois, a criança, de repente, ficou doente e morreu. A mulher foi ao Monte Carmelo para ver "o homem de Deus", que enviou seu servo, Geazi, para colocar seu bordão sobre a face da criança, mas isto não teve nenhum efeito. Eliseu então foi a casa, orou, e se deitou sobre o corpo da criança, que retomou vida e estava novamente com sua mãe.

(7) – A MORTE NA PANELA – II Rs 4.38-41 - Durante a fome, o profeta foi a Gilgal e ordenou a seus servos que preparassem comida para os filhos dos profetas. Quando um dos homens, na ignorância, colocou coloquíntida (abóbora venenosa) na panela, Eliseu jogou farinha dentro da mistura e o conteúdo da panela tornou-se inofensivo.

(8) - A MULTIPLICAÇÃO DOS PÃES E DAS SEMENTES – II Rs 4.42-44 - Um homem de Baal-Salisa trouxe vinte pães de cevada e algumas cabeças de algumas espigas, as quais Eliseu disse para seu servo colocar diante de cem homens. Embora o servo protestasse, finalmente obedeceu e houve alimento suficiente e alguma sobra.

(9) - A CURA DE NAAMÃ – II Rs 5 - Naamã, o comandante do exercito sírio, era um leproso. Uma garota israelita cativa, que servia na família de Naamã, sugeriu à esposa daquele comandante que o profeta em Samaria poderia curá-lo. O rei da Síria enviou Naamã a Israel, com uma carta de apresentação ao rei de Israel. O rei israelita entrou em pânico, mas Eliseu ouviu o problema e curou o comandante le­proso através de sete mergulhos no Rio Jordão. Naamã então reconheceu o Deus de Israel; porém, Geazi não pôde resistir e requisitou uma recompensa pela cura e foi punido, tornando-se leproso.

(10) - O MACHADO FLUTUANTE – II Rs 6.1-7 -  En­quanto construíam novos prédios perto do Jordão para os filhos dos profetas, um dos homens perdeu a lâmina de um machado emprestado, na água. O profeta jogou um pedaço de pau dentro da água e a lâmina do machado flutuou e foi recuperada.

(11) – ONISCIÊNCIA E ONIPRESENÇA DIVINAS – II Rs 6.8-10 - Em diversas ocasiões quando os sírios e os israelitas estavam na guerra, Eliseu salvou o rei israelita por avisá-lo qual era a localização dos sírios.

(12) - O EPISÓDIO DE DOTÃ – II Rs 6.11-23 - Os sírios tentaram capturar o profeta em Dota, mas o Senhor o protegeu com carruagens de fogo. Quando o Senhor deixou os soldados cegos, Eliseu os trouxe a Samaria, onde recuperaram a visão. Com o conselho de Eliseu, o rei de Israel fez uma grande festa para eles e então os libertou.

(13) - FOME E FESTA EM SAMARIA – II Rs 6.24 -7.20 - Cercada pelo exército de Ben-Hadade, da Síria, Samaria sofreu tal fome que muitas mulhe­res lançaram mão do canibalismo. Quando o rei propôs executar Eliseu, o profeta predisse o que haveria no dia seguinte. Durante a noite os sírios fugiram desordenadamente e quatro leprosos descobriram que o campo Sírio fora abandonado; eles anunciaram as boas novas à cidade, cujos habitantes logo tiveram abundância.

(14) - A PROPRIEDADE DA SUNAMITA – II Rs 8.1-6 -  Durante uma fome de sete anos em Israel, a sunamita morou temporariamente na Filístia, e, com seu retorno, desejava reaver sua casa e terra. A mulher e seu filho apelaram ao rei enquanto, Geazi relatava sua história anterior ao rei, que assegurou a restauração de sua propriedade.

(15) - ELISEU E HAZAEL – II Rs 8.7-15 e I Rs 19.15 - Ben-Hadade ficou doente e enviou Hazael ao profeta para perguntar sobre sua recuperação. A resposta de Eliseu indicava que Hazael se tornaria rei da Síria; Hazael venceu seu mestre doente e tornou-se rei.

(16) - ELISEU E JEÚ – II Rs 9.1-3 cp I Rs 19.16 - Eli­seu enviou um dos filhos dos profetas de Ramote-Gileade para ungir Jeú, como rei de Israel.

(17) - ELISEU E JEOÁS – II Rs 13.14-19 - Durante a sua doença final, o profeta demonstrou em uma profecia simbólica que Jeoás derrotaria os sírios.

(18) - A RESSURREIÇÃO DE UM HOMEM – II Rs 13.21 - Um corpo apressadamente jogado dentro da sepultura de Eliseu, quando inimigos se aproxi­mavam, ressuscitou ao tocar os ossos do profeta.

VI – CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Hb. 13:8 - Meu caro irmão, não se desespere diante da situação caótica em que está tua vida; saibas que Deus pode hoje ainda transformar tua crise em um profundo milagre, que vai tornar-te vitorioso. Que os teus ouvidos espirituais estejam abertos e atentos para ouvires a voz do nosso Deus dizendo: “Não temas! Crê somente!”. 

Deus não mudou, nem se aposentou. É necessário crer não apenas no milagre, mas Naquele que realiza o milagre. Amém.


FONTES DE CONSULTA:
Lições Bíblicas – CPAD – 4º Trimestre de 1982 – Comentarista: Geziel Gomes
Lições Bíblicas – CPAD – 2º Trimestre de 1985 – Comentarista: Antônio Gilberto
Jesus Continua Sendo Maior – Obra Missionária Chamada da Meia-Noite – Wim Malgo
Espada Cortante Volume Um - CPAD - Autor: Orlando S. Boyer
Enciclopédia da Bíblia – Editora Cultura Cristã – Merrill C. Tenney
Estudo Bíblico: “Princípios bíblicos para a obtenção de um milagre” – Rev. Ismael Andrade Leandro Jr.

3 comentários:

Zecarlos Mendes disse...

A paz doSenhor,
em ralaçao o titulo da liçao n 11 OS MILAGRES DE ELISEU, entendo que os milagres NAO sao de Eliseu nao, e sim do nosso Deus e Pai todo poderoso, amem?

GERALDO CARNEIRO FILHO disse...

Prezado irmão em Cristo, Zecarlos Mendes.

A paz do Senhor.

Obrigado pelo seu comentário aqui postado.

Realmente, os milagres são realizados por Deus. O título usado utiliza-se, apenas, de uma força de expressão, conforme falado no nosso dia a dia.

Eliseu foi o instrumento ou canal usado por Deus para realização dos milagres.

Que o nosso Deus permaneça abençoando a vida do prezado irmão em Cristo, de forma grandiosa.

Pastor Geraldo Carneiro Filho


Anônimo disse...

muito bom que Deus os Abensoi