Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







3 de abr de 2011

2º TRIMESTRE DE 2011 - LIÇÃO DE Nº 02 - 10/04/2011 - "NOMES E SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 02 - DATA: 13/02/2011
TÍTULO: “NOMES E SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO”
TEXTO ÁUREO – Mt 3:16
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Jo 1:29-33; Rm 8:9-11, 14-15
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/






I – INTRODUÇÃO:

• Os nomes e os símbolos do Espírito Santo revelam Sua natureza divina, bem como aspectos de Sua Pessoa e obra. O grande número desses títulos exige de nós um estudo com muita reverencia e especial humildade.


II - NOMES DO ESPÍRITO SANTO QUE DESCREVEM SUA PRÓPRIA PESSOA:

• (1) - O ESPÍRITO – I Cor 2:10 – O termo grego “pneuma”, aplicado ao Santo Espírito, envolve tanto pensamento de “fôlego” como o de “vento”.

• (A) – Pensamento de FÔLEGO, temos as seguintes referencias bíblicas – Jo 20:22; Gn 2:7; Sl 104:30; Jó 33:4; Ez 37:1-10. – O Espírito é o hálito de Deus – a vida de Deus que dEle sai para vivificar.

• (B) – Pensamento de VENTO, temos as seguintes referencias bíblicas – Jo 3:6-8; At 2:1-4.


• (2) - O ESPÍRITO SANTO – Lc 11:13; Rm 1:4; Ef 1:13 cf I Pe 1:15-16; At 2:27 cf Is 6:3 – Assim como Deus é Santo e Jesus é Santo, também o Espírito Santo o é. Esta triunidade em santidade tem a sua expressão sublime em Isaías 6:3: “SANTO, SANTO, SANTO é o Senhor”.

• O Espírito Santo faz aparecer a santidade de Deus e transmite aos homens o poder santificador – Ex 3:2-5; Rm 1:4; II Ts 2:13.

• O caráter moral essencial do Espírito é salientado nesse nome. Ele é Santo em pessoa e caráter, e também é o Autor direto da santidade do homem.

• OBS: - A razão de o Espírito ser chamado de SANTO com mais frequencia que as demais Pessoas da Trindade, não é porque Ele seja mais santo que as outras duas, pois a santidade infinita não admite graus. Ele é assim oficialmente designado porque uma de Suas obras é santificar.


• (3) - O ESPÍRITO DE AMOR - II Tm 1:7 cf I Jo 4:8; Ef 3:19; Jo 13:1; 15:13 cf Rm 15:30; 5:5 – Assim como Deus é amor e Jesus é amor, o Espírito Santo também o é. Ele transmite o amor de Deus para nós.


• (4) - ESPÍRITO ETERNO – Hb 9:14 – Assim como a eternidade é atributo ou característica da natureza de Deus, semelhantemente a eternidade pode ser e é atribuída ao Espírito Santo como uma das distinções pessoais no Ser de Deus.


III - NOMES DO ESPÍRITO SANTO QUE DEMONSTRAM SUA RELAÇÃO COM DEUS:

• (1) - O ESPÍRITO DE DEUS – I Cor 3:16 – Esse nome retrata o Espírito Santo como Alguém que procede da parte de Deus. Ele é enviado pelo Pai e pelo Filho. Ele é o poder e a energia pessoais da Divindade.

• O Espírito é o executivo da Divindade, operando tanto na esfera física como na moral. Por intermédio dEle, Deus criou e preserva o Universo.

• Por meio do Espírito (o dedo de Deus – Lc 11:20), o Senhor opera na esfera espiritual, convertendo os pecadores, santificando e sustentando os crentes.


• (2) - O ESPÍRITO DE JEOVÁ – Is 11:2 – Este nome se refere ao Espírito Santo como Aquele por meio de Quem os profetas falavam.


• (3) - O ESPÍRITO DO SENHOR JEOVÁ – Is 61:1 – Este título mostra o Espírito Santo como o Agente por intermédio de Quem é exercida a soberania de Deus.


• (4) - O ESPÍRITO DO DEUS VIVO – II Cor 3:3 – O Espírito é aqui apresentado como Alguém que escreve ou traça a imagem de Cristo sobre as tábuas de carne, dos corações, e por meio de Quem o crente se torna uma epístola viva. Há nomes dados ao Espírito Santo que demonstram Sua identidade com a Divindade, salientando Sua natureza, Sua autoridade e Seu poder divino.


IV - NOMES DADOS AO ESPÍRITO SANTO QUE DEMONSTRAM SUA RELAÇÃO COM O FILHO DE DEUS:

• (1) - O ESPÍRITO DE CRISTO – Rm 8:9; At 2:36 – Esse nome mostra a relação do Espírito para com o Messias, o Ungido de Deus. O próprio Espírito é tanto a unção como Aquele que unge.

• Porque o Espírito Santo é chamado O Espírito de Cristo?:

• (A) – Porque Ele é o Espírito enviado em nome de Cristo – Jo 14:26.

• (B) – Porque Ele é o Espírito enviado por Cristo. O Espírito é o princípio da vida espiritual pelo qual os homens são nascidos no reino de Deus. Essa nova vida é comunicada e mantida por Cristo – Jo 1:12-13; 4:10; 7:38 -, que também batiza com o Espírito Santo – Mt 3:11.

• (C) – Porque Sua missão especial nesta época é a de glorificar a Cristo – Jo 16:14 -. Sua obra especial acha-se em conexão com Aquele que viveu, morreu, ressuscitou e ascendeu ao céu. Ele torna real nos crentes o que Cristo fez por eles.

• (D) – O Cristo glorificado está presente na Igreja e nos crentes pelo Espírito Santo. Ouve-se sempre que o Espírito veio tomar o lugar de Cristo, mas é mais correto dizer que Ele veio tornar real a Cristo. O Espírito Santo torna possível e real a onipresença de Cristo no mundo – Mt 18:20 – e Sua habitação nos crentes. A conexão entre Cristo e o Espírito é tão íntima, que se diz que tanto Cristo como também o Espírito habitam no crente e o crente está tanto “em Cristo” como “no Espírito” – Rm 8:9-10; Gl 2:20.


• (2) - O ESPÍRITO DE SEU FILHO – Gl 4:6 – O Espírito de Seu filho produz, no coração do crente, o Espírito filial, dando-lhe a certeza que é um dos filhos de Deus.


• (3) - O ESPÍRITO DE JESUS – At 16:6-7; Mt 28:19 – Este nome meramente salienta a relação do Espírito para com o homem Jesus.


• (4) - O ESPÍRITO DE JESUS CRISTO – Fp 1:19 cf At 2:32-33; Is 11:2 cf Hb 1:9 – Esse nome identifica o Messias divino com o homem Jesus e mostra a relação que o Espírito Santo sustenta com Ele, conforme aqui identificado. São dados nomes ao Espírito Santo que revelam Sua relação com o Filho de Deus em Seu estado pré-existente, durante Sua vida terrena e após Sua ressurreição.


V - NOMES DADOS AO ESPÍRITO SANTO QUE DEMONSTRAM SUA RELAÇÃO COM OS HOMENS:

• (1) - ESPÍRITO PURIFICADOR – Is 4:4 cf Mt 33:11 – Esse nome representa o Espírito Santo como Aquele que perscruta, ilumina e purifica da escória.


• (2) - O SANTO ESPÍRITO DA PROMESSA – Ef 1:13 cf At 1:4-5; 2:33 – Este nome se refere ao Espírito Santo como o cumprimento da promessa do Pai feita ao Filho. O Espírito também proporciona ao crente a certeza de que as promessas que Deus lhe tem feito são garantidas.

• O Espírito Santo é também assim chamado porque Sua graça e Seu poder são uma das bênçãos principais prometidas no A.T. (Ez 36:7; Jl 2:28). A prerrogativa mais elevada de Cristo, ou o Messias, era a de conceder o Espírito, e esta prerrogativa Jesus a reivindicou, quando disse: “Eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai” – Lc 24:49; Gl 3:14 – Jesus deseja batizar todos no Espírito Santo, para que a plenitude das operações do Espírito venha beneficiar a todos os crente.

• Este nome traz aos nossos corações a certeza de que tudo que o Espírito Santo faz é oferecido a todos, porque “... a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe; a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar” – At 2:39.


• (3) - ESPÍRITO DE GRAÇA E DE SÚPLICAS - Zc 12:10; Hb 10:29 – É por meio do Espírito que nos tornamos conhecedores da graça de Deus. Na qualidade de pessoa da Divindade que leva a término qualquer ato iniciado por Deus, o Espírito Santo leva avante a obra da graça iniciada na vida do crente.

• O Espírito Santo dá graça ao homem para que se arrependa, quando peleja com ele; concede o poder para santificação, perseverança e serviço. Aquele que trata com desdém o Espírito da Graça, afasta o único que pode tocar ou comover o coração, e, assim, se separa a si mesmo da misericórdia de Deus.

• O Espírito apresenta Jesus como crucificado (Gl 6:18), glorificando-O (Jo 16:14) e testificando da Sua graça (Hb 10:14-15; Rm 3:24; II Ts 2:5-7).

• O Espírito Santo purifica maravilhosamente as nossas orações. Ele tanto ora em nós – Rm 8:26-27 -, como também é a força da nossa oração. Assim, podemos orar em Espírito (I Cor 14:15; Jd 20).


• (4) - ESPÍRITO DA VIDA - Rm 8:2; Apc 11:11 – Quando o Espírito Santo nos leva a Cristo e à Sua graça, então o homem experimenta o grande milagre da sua vida: Nasce de novo pelo Espírito (Jo 3:6) e poderá agora reinar em vida, por um só Jesus Cristo (Rm 5:17).

• Um credo antigo dizia: “Creio no Espírito Santo, o Senhor e Doador da vida”. Logo, o Espírito Santo não é apenas o Espírito vivo, mas também é aquela Pessoa da Divindade cujo ofício especial é a criação e a preservação da vida natural e espiritual.


• (5) - ESPÍRITO DE ADOÇÃO DE FILHOS - Rm 8:15 – Quando a pessoa é salva, não somente lhe é dado o nome de Filho de Deus e adotada na família divina, mas também recebe dentro de sua alma, o conhecimento de que participa da natureza divina.

• Quando o pecador recebe Jesus, nasce de novo (Jo 1:11-13), recebe, pelo Espírito Santo, o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clama: “ABBA PAI” – Gl 4:7.

• “Como Cristo é nossa testemunha no céu, assim, aqui na terra, o Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” – Bispo Andrews.


• (6) - ESPÍRITO DA FÉ - II Cor 4:13 – Ele opera avivando nossa fé, e transmitindo ao nosso coração “a palavra da fé” – Rm 10:8, 17 -, fazendo com que a nossa fé não se apoie em sabedoria humana, mas no poder de Deus – I Cor 2:5.

• Quando o crente é corroborado pelo poder do Espírito Santo, o seu homem interior experimenta que Cristo habita pela fé no seu coração – Ef 3:26-27. É assim que fica cheio de fé – At 6:5; 11:24; Nm 14:24.


• (7) - ESPÍRITO DA GLÓRIA E DE DEUS - I Pe 4:13-14; Ef 3:16-19 cf Rm 8:16-17 – O Espírito Santo não somente é uma Pessoa gloriosa, mas, igualmente, é o Revelador das riquezas da glória de Deus para nós outros.

• O Espírito Santo é uma expressão da glória celestial – II Cor 3:18. Ele também revela a glória que se há de seguir – I Pe 1:11 -, e as riquezas da glória da sua herança nos santos – Ef 1:17-18; Cl 1:27. O Espírito Santo faz abundar a esperança – Rm 15:3 – da vinda de Jesus, que é “... o aparecimento da glória do grande Deus” – Tt 2:13.


• (8) – O ESPÍRITO SANTO, O CONSOLADOR - Jo 14:26; 15:26; 16:7 – Esse é o título dado ao Espírito Santo no Evangelho de João, capítulos 14 ao 17.

• Este nome expressa que o Espírito Santo transmite aos homens a consolação da parte de Deus, “... o Pai das misericórdias e o Deus de toda consolação” – II Cor 1:3

• Os discípulos haviam tomado sua última ceia com o Mestre. Os seus corações estavam tristes, pensando na partida de Jesus. Estavam oprimidos pelo sentimento de fraqueza e debilidade. Quem os ajudaria, quando Jesus partisse? Quem os ensinaria e os guiaria? Quem estaria com eles, quando pregassem e ensinassem? Como poderiam enfrentar um mundo hostil?

• Cristo aquietou todos estes temores infundados com a seguinte promessa: “EU ROGAREI AO PAI, E ELE VOS DARÁ OUTRO CONSOLADOR, PARA QUE FIQUE CONVOSCO PARA SEMPRE” – Jo 14:16

• O mesmo vocábulo grego aqui traduzido por CONSOLADOR é traduzido por ADVOGADO, ao referir-se a Cristo em I Jo 2:2.

• Significa CHAMADO PARA O LADO DE, ou ainda, QUE APARECE EM DEFESA DE, como faz um advogado em tribunal humano.

• Mas também está envolvido o pensamento de FORTALECEDOR, isto é, alguém que dá vigor e torna forte. Portanto, é exibida uma relação extremamente pessoal nesse nome. Em linguagem comum, poder-se-ia interpretar assim UM QUE FICA AO NOSSO LADO A FIM DE AJUDAR.


• (9) - ESPÍRITO DE PODER - II Tm 1:7 cf Sl 62:11 – O poder pertence a Deus. Por meio de Cristo, este poder está ao alcance dos que crêem – I Cor 1:24. Por meio do Espírito Santo, este poder nos é dado – At 1:8, e ficamos em contato com Aquele que diz o que está expresso em Is 45:7 e Lc 1:37.


• (10) - ESPÍRITO DE SABEDORIA E DE REVELAÇÃO - Ef 1:17 cf I Cor 2:10-12 – A onisciência do Espírito Santo é também manifestada através do Seu nome. Ele nos une a Cristo, em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência. Jesus foi feito sabedoria por nós e pelo Espírito Santo nos é dado conhecer até as profundezas de Deus – Cl 2:2-3; I Cor 1:30


• (11) - O ESPÍRITO DA VERDADE - Jo 15:26; 14:6, 17; 16:13 cf Jr 10:10; I Jo 4:6; 5:6 – Assim como Deus é a Verdade, Jesus é a Verdade, também o Espírito Santo o é. Ele veio para nos guiar em toda a verdade. Ele revela toda a verdade sobre Jesus e também sobre nós (Jo 16:8-10, 16-17; Sl 51:6)

• Assim como Deus é amor, o Espírito Santo é Verdade. Ele possui, revela, proporciona, introduz, testifica e defende a Verdade. Nesse sentido, Ele se opõe ao espírito do erro.

• O propósito da encarnação foi revelar o Pai; a missão do Consolador é revelar o Filho. Ao contemplar-se um quadro a óleo, qualquer pessoa notará muita beleza de cor e forma. Porém, para compreender o significado intrínseco do quadro e apreciar o seu verdadeiro propósito, precisará de um intérprete experiente.

• O Espírito Santo é o Intérprete de Jesus Cristo. Ele não oferece uma nova e diferente revelação, mas abre as mentes dos homens para verem o mais profundo significado da vida e das palavras de Cristo.

• Como o Filho não falou de Si mesmo, mas falou o que recebeu do Pai, assim o Espírito Santo não fala de Si mesmo, como se fosse fonte independente de conhecimento, mas declara o que ouviu daquela vida íntima da Divindade.


VI – SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO:

• Os seguintes símbolos são empregados para descrever as operações do Espírito Santo:

• (1) – FOGO – Is 4:4; Mt 3:11; Lc 3:16 – O fogo ilustra a purificação, a intrepidez ardente e o zelo produzido pela unção do Espírito. Ele é comparado ao fogo porque aquece, ilumina, espalha-se e purifica – Jr 20:9. Quando Isaías confessou qaue era homem de lábios impuros, a purificação veio pela figura do fogo de uma brasa - Is 6:5-7.

• O Espírito Santo convence e purifica a vida do pecador, fazendo-o deixar o pecado. Nosso Deus é um fogo consumidor - Hb 12:29

• O fogo, como símbolo do Espírito Santo, fala da Sua grande força em relação às diversas maneiras de Suas operação, para corrigir os defeitos da nossa natureza decaída e conduzir-nos à perfeição, que deve adornar os filhos de Deus. Mais do que isto, o fogo fala da ação purificadora do Espírito Santo.

• Como o fogo fazia o incenso subir em cheio agradável ao Senhor – Ex 30:7 -, assim o fogo do Espírito Santo faz com que a nossa oração suba ao Senhor com poder – Sl 141:2; Tg 5:15.

• Lc 12:49-50) - No Seu ensino, Jesus salientou de modo claro que, para que o fogo pudesse vir, era necessário que Ele antes fosse batizado “... por um certo batismo...”. Este batismo era o do sofrimento – Sl 69:1-2.

• Vemos na Bíblia que o fogo muitas vezes apareceu quando o sacrifício havia sido posto em cima do altar: No Carmelo (I Rs 18:33, 38-39); junto ao altar de Abraão (Gn 15:9-11); no primeiro sacrifício de Arão (Lv 9:8, 24); no altar de Gideão (Jz 6:20-21), etc.

• Desta forma, todos os símbolos reforçam a doutrina bíblica de que foi depois de Cristo ter sido feito maldição por nós, que a bênção de Abraão – a promessa do Espírito Santo – chegou (Gl 3:13-14).

• O fogo, além de queimar o sacrifício em cima do altar, tem ainda outras semelhanças importantes:

• O fogo ilumina. Assim, o Espírito Santo também e faz glorificar a Jesus. O Espírito também ilumina, descobrindo o pecado (Ef 1:17-18; Jo 16:14; Ef 5:13).

• O fogo queima. Faz com que o crente tenha condições de amontoar brasas de fogo sobre a cabeça do inimigo; faz arder as nossas lâmpadas (Rm 12:19-20; Mt 25:6-10).

• O fogo se une ao objeto por ele incendiado, ou seja, quando o Espírito se une ao crente, faz o mesmo ficar fervoroso (Sl 104:4; Jr 20:9; Lc 24:32).


• (2) – VENTO – Ez 37:7-10; Jo 3:8; At 2:2 – O vento simboliza a obra regeneradora do Espírito e é indicativo da Sua misteriosa operação independente, penetrante, vivificante e purificante.

• Jesus falou do vento como símbolo do Espírito Santo:

• “... O VENTO ASSOPRA PARA ONDE QUER...” (Jo 3:8) - Isto fala da ação soberana do Espírito Santo, isto é, Ele não se deixa ser dirigido pelos homens. A sua ação independe do querer ou não do homem. Quando os homens aprenderam a conhecer as leis da natureza que regem o vento, puderam aproveitar a força do vento para movimentar um moinho, um barco a vela, etc.

• Apesar de invisível, o vento é uma realidade poderosa. Não podemos tocá-lo nem compreendê-lo, mas podemos ouvir o seu ruído e sentir o seu assopro (Jó 4:15).

• O vento é incompreensível: ele assopra e não sabemos donde vem nem para onde vai (Jo 3:8).

• O vento é indispensável, pois a própria vida depende de que o vento esteja em movimento. Se o vento parasse totalmente, a própria vida expiraria, pois é o vento que renova o oxigênio do ar e dissipa a poluição do ar, que gravemente prejudica a saúde.

• O vento produz vida. Por isto o vento é indispensável para a polinização das flores, na lavoura, dando condições para a fecundação da flor, e, consequentemente, da frutificação. Assim, o Espírito vivifica (Jo 6:63; II Cor 3:8). Quando, na visão de Ezequiel, o Espírito assoprou sobre os ossos secos, eles se ajuntaram, foram vivificados e se levantaram (Ez 37:4-10). Será assim também com os corpos das duas testemunhas - Apc 11:11

• O vento é irresistível. O vento forte pode derrubar grandes árvores e fazer voar telhados de casas, etc. Assim também o vento do Espírito faz maravilhas!


• (3) – ÁGUA – Ex 17:6; Ez 36:25-27; 47:1; Jo 3:5; 4:14; 7:38-39 – O Espírito é a fonte da água viva, a mais pura e a melhor, porque Ele é um verdadeiro rio de vida – inundando as nossas almas e limpando a poeira do pecado. O poder do Espírito opera no reino espiritual, o que a água faz na ordem material.

• A água purifica, refresca, sacia a sede e torna frutífero o estéril. Ela purifica o que está sujo e restaura a limpeza. É um símbolo da graça divina que não somente purifica a alma, mas também lhe acrescenta a beleza divina. A água é um elemento indispensável na vida física; o Espírito Santo, na vida espiritual.

• O rio fala da sua nascente. Quando o profeta Ezequiel, em visão, viu os dois ribeiros correndo, viu que as águas vinham de debaixo da banda do Sul do altar, um símbolo que destaca que o rio do Espírito Santo nasceu do altar: O GÓLGOTA! (Ez 47:1, 9).

• O apóstolo João registrou um emocionante acontecimento ocorrido no Gólgota, quando os soldados furaram o lado de Jesus com uma lança: Saiu sangue e água (Jo 19:34). Isso simboliza que, como resultado da morte de Jesus, o mundo ganhou uma fonte purificadora (O SANGUE DE JESUS) e também um rio d’água (O ESPÍRITO SANTO), respectivamente.

• Um acontecimento simbólico temos quando Deus mandou Moisés ferir a rocha, então saíram águas (Ex 17:6). Quarenta anos depois, quando Moisés foi ordenado a tirar água da rocha, Deus mandou que “falasse à rocha” (Nm 20:8). Mas Moisés desobedeceu e feriu outra vez a rocha. Por esta desobediência, Moisés não teve permissão de levar o povo de Israel para dentro de Canaã (Nm 20:12-13). Deus queria, por meio de acontecimentos simbólicos, ensinar ao povo que, depois que a rocha fosse uma vez ferida, só se precisava “falar à rocha” para obter água. Ora, a Bíblia diz que a rocha ou pedra era Cristo (I Cor 10:4). Logo, hoje, não precisamos “ferir a Cristo”, mas apenas “falar a Ele” para obtermos o Espírito Santo.

• A água tem a função de matar a sede, lavar o sujo e alimentar as plantas. Traz vida e limpeza. Como a água faz as plantas produzirem o seu fruto, o Espírito Santo faz o crente produzir os frutos espirituais, que podem ser compreendidos como as bênçãos que alcançam outras pessoas (Is 58:11).

• Para santificar as nossas vidas, o Espírito Santo age como a água (Ez 36:25, 27).

• Continuando a idéia de água, vêm, às vezes, as figuras de chuva, orvalho e rios. Deus quer derramar Suas bênçãos em forma de chuva (Zc 10:1; Jr 5:24-25).

• Quando o crente está em pecado, o Espírito Santo se entristece e a bênção de Deus em forma de chuva deixa de vir - Os 10:12

• O orvalho é emblema da força do povo de Deus - Sl 110:3.

• Quando o povo de Deus está cheio do Espírito Santo, se apresenta voluntariamente para fazer tudo que for preciso no serviço do Senhor, demonstrando vida e paz, como orvalho que refresca e anima as plantas.

• A abundância da graça de Deus é comparada aos rios (Sl 1:3 cf Jo 7:38-39).

• OBS: O significado da expressão “ÁGUA VIVA” é que evidencia um contraste com as águas fétidas de cisternas e brejos; é água que salta, correndo sempre da sua fonte, sempre evidenciando vida. Se essa água for detida em um reservatório, interrompida sua corrente, separada da sua fonte, já não se pode dizer que é água viva. Os cristãos tem a “ÁGUA VIVA” na proporção em que estiverem em contato com a Fonte Divina em Cristo.


• (4) – SELO – Ef 1:13; II Tm 2:19; II Cor 1:21-22 – Essa ilustração exprime os seguintes pensamentos:

• (A) – Possessão – A impressão de um selo dá a entender uma relação com o dono do selo, e é um sinal seguro de algo que lhe pertence. Os crentes são propriedade de Deus, e sabe que o são pelo Espírito que em nós habita

• O seguinte costume era comum em Éfeso, no tempo de Paulo: Um negociante ia ao porto selecionar certa madeira e então a marcava com seu selo – um sinal de reconhecimento da possessão. Mas tarde, mandava seu servo com o selo, e ele trazia a madeira que tivesse a marca correspondente – II Tm 2:19


• (B) – A ideia de segurança também está incluída – Ef 1:13; Apc 7:3 – O Espírito inspira um sentimento de segurança e certeza no coração do crente – Rm 8:16 –. Ele é o penhor ou as primícias da nossa herança celestial, uma garantia da glória vindoura. Os crentes tem sido selados, mas devemos ter cuidado que não façamos alguma coisa que destrua a impressão do selo – Ef 4:30.

• O selo ou marca servia para tornar conhecido ou identificado aquilo que era selado. Deus conhece os que são dEle, porque têm o selo do Espírito Santo (II Tm 2:19; Jo 10:14)

• EM RESUMO: O selo é prova de propriedade, legitimidade, autoridade, segurança ou preservação. Estas palavras expressam a situação daqueles que foram selados pelo Espírito Santo.


• (5) – ÓLEO ou AZEITE – Este é, talvez, o mais comum e mais conhecido símbolo do Espírito Santo. Quando se usava o azeite no ritual do A.T., falava-se de utilidade, frutificação, beleza, vida e transformação. Geralmente era usado como alimento, iluminação, lubrificação, cura e alívio da pele. Da mesma maneira, na ordem espiritual, o Espírito fortalece, ilumina, liberta, cura e alivia a alma.

• Simbolizando o Espírito Santo, o óleo era usado nas solenidades consagratórias de profetas, sacerdotes e reis, em Israel. É considerado símbolo do Espírito Santo porque era usado nos rituais do A.T., correspondendo à operação real do Espírito Santo na vida do crente hoje.

• Jesus falou da unção com que o Seu Pai o havia consagrado para o ministério messiânico – Lc 4:18

• O óleo da santa unção era produzido a partir de azeitonas (Ex 30:24). A oliveira é um símbolo da divindade (Rm 11:24). O óleo era extraído das azeitonas por pisadas ou moagem (Mq 6:15).

• A extração do óleo das azeitonas simboliza o sofrimento de Jesus, quando foi “... moído pelas nossas iniquidades...”, para, assim, abrir a porta para a vinda do Espírito Santo (Is 53:5; Hb 2:10); (Gl 3:13-14; Jo 16:7; Lc 12:49-50; Jo 7:39).

• Era o mesmo óleo de oliveira usado para ungir a tenda da congregação, os objetos sagrados e os saceerdotes para realizarem seu serviço. Com esta unção eram considerados santificados (Ex 30:25-30).

• Quando o rei era investido no seu posto, recebia também a unção do azeite sagrado (I Sm 10:1; 16:13).

• O azeite era usado no castiçal com a finalidade de produzir luz (Ex 27:20). Assim, o azeite representa a luz para alumiar a casa de Deus e Seu povo.

• Como alimentação, o azeite tinha grande importância. Isso podemos ver na história da viúva de Serepta, que tendo em casa farinha e azeite, podia enfrentar três anos de seca (I Rs 17:12-14).

• Ainda o azeite era empregado como remédio. O bom samaritano aplicou azeite e vinho nas feridas do homem que encontrou na estrada (Lc 10:34). Isaías compara a condição de pecado a feridas e chagas, que não foram amolecidas com óleo (Is 1:6).

• O Espírito Santo ungiu a Jesus para realizar Seu ministério (Is 61:1; Lc 4:18). Agora, por dEle somos ungidos por Deus (II Cor 1:21-22).

• Como o sacerdote ungido com azeite se santificava, nós somos santificados pelo Espírito Santo (I Pe 1:2).

• O azeite era alimento e remédio; o Espírito Santo nos fortalece e dá poder.

Igualmente a unção representa a luz de Deus para crescermos no conhecimento da Sua vontade (I Jo 2:27).


• (6) – POMBA – Somo símbolo, a pomba significa brandura, doçura, amabilidade, inocência, suavidade, paz, pureza e paciência.

• Uma tradição judaica traduz Gn 1:2 da seguinte maneira: “O Espírito de Deus, como pomba, pousava sobre as águas”.

• Cristo falou da pomba como a encarnação da simplicidade, uma das belas características dos Seus discípulos.

• O Espírito Santo veio sobre os discípulos no dia de Pentecoste, em forma de fogo – Havia o que queimar. Sobre Jesus, no entanto, veio em forma corpórea de uma pomba – símbolo da pureza e da inocência de Cristo – Lc 3:21-22.

• A pomba simboliza a vida – Gn 1:1-2;

• A pomba simboliza a pureza – Gn 8:8-11;

• A pomba é uma das aves indicadas por Deus para ser sacrificada – Gn 15:9

• A pomba é um símbolo de paz;

• A pomba é portadora de mensagem (pombo-correio) – Apc 2:7

• O crente guiado pelo Espírito Santo tem a simplicidade das pombas, não procura salientar sua pessoa ou sua habilidade, dá toda honra e toda a glória a Deus, que tudo nos dá.


• (7) - PENHOR - O penhor significa prova ou garantia. É um objeto que se dá em segurança de uma dívida. O Espírito Santo em nós é uma garantia, constitui uma segurança na vida espiritual, pela certeza das promessas de Deus. Ele é mesmo nosso Pai, e Sua Palavra é realidade, vida e poder (I Cor 1:22; Ef 1:13-14).

• O servo de Abraão deu a Rebeca jóis de ouro, que tinham o sentido de um penhor (Gn 24:22). Era uma prova de que a riqueza de Isaque pertenceria a Rebeca, se ela aceitasse a proposta.

• O crente aceitou pela fé a promessa de Jesus e recebeu este penhor do Espírito Santo, como prova da riqueza de Sua herança espiritual - I Jo 1:24.


• (8) - ROUPA ou VESTIMENTA ou VESTES  ou VESTIDOS- Quando Adão pecou, descobriu que estava nu e procurou fazer uma roupa para cobrir sua nudez. Para isso, preparou uma faixa de folhas de figueira. Ouvindo a voz de Deus, escondeu-se entre as árvores, porque teve vergonha de aparecer. A roupa que ele fez não servia. Uma roupa digna do ambiente do céu só o próprio Deus podia conceder.

• A nossa justificação pela graça de Deus é comparada à roupa - Sl 132:9; Ez 16:8-10; Apc 19:7-8.

• Jesus falou aos discípulos, falando do Espírito Santo, que seriam revestidos de poder - Lc 24:49.

• Gideão teve de enfrentar inimigos mais fortes do que ele, e, para isso, o Espírito do Senhor o revestiu - Jz 6:34.

• Revestido do Espírito é quem está de acordo com a vontade de Deus - II Cor 5:1-5.

• Os crentes de Laudicéia pensavam que não lhes faltava nada. Mas Deus reprovou aquela Igreja - Apc 3:18.

• Assim, alguém pode se envaidecer com seu programa de trabalho, suas opiniões e seu relatório de atividades e, mesmo assim, não estar de acordo com o Espírito Santo de Deus.


VII – CONSIDERAÇÕES FINAIS:

• Jesus usava símbolos para explicar ao povo o que Ele era em favor dos homens: Pão da vida (Jo 6:35); Caminho (Jo 14:6); Pastor (Jo 10:14); etc.

• E a Bíblia usa símbolos para explicar o que a Palavra de Deus é para nós e como ela opera: Espada do Espírito (Ef 6:17); espada de dois gumes (Hb 4:12); uma lâmpada (Sl 119:105); um martelo e um fogo (Jr 23:29).

• Assim também, Jesus usou símbolos quando falava do Espírito Santo.

• Alguém disse: “As palavras são veículos inadequados para transmitirem a verdade. Quando muito, apenas revelam a metade das profundidades do pensamento”. 

• Assim, Deus achou por bem ilustrar com símbolos o que de outra maneira, devido à pobreza da linguagem humana, nunca poderíamos saber.




FONTES DE CONSULTA:

1) E. H. Bancroft, Teologia Elementar - Imprensa Batista Regular

2) Bergstén, Eurico, A Santa Trindade - CPAD

3) Olson, Lawrence, A Verdade Sobre a Trindade e o Batismo em Nome de Jesus - CPAD

4) Davis, John D., Dicionário da Bíblia - JUERP

5) Pearlman, Myer, Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – Editora Vida

6) Oliveira, Raimundo de, As Grandes Doutrinas da Bíblia - CPAD

7) Melo, Joel Leitão de, Sombras, Tipos e Mistérios da Bíblia - CPAD

Nenhum comentário: