Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







9 de out de 2010

4º TRIMESTRE - 03ª LIÇÃO - 17/10/10 - "A ORAÇÃO SÁBIA"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 03 - DATA: 17/10/2010
TÍTULO: “A ORAÇÃO SÁBIA”
TEXTO ÁUREO – II Cr 7:1
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: II Cr 6:12, 21, 36, 38-39
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/


I – INTRODUÇÃO:

• I Rs 8:22, 54 - As diversas atitudes de Salomão são mencionadas de modo especial: Primeiro, ficou de pé com as mãos estendidas; depois, ficou de joelhos. Essas posições revelam uma fé cheia de esperança, bem como profunda humildade e reverência. A confiança em Deus sempre aumenta a reverência (Hb 12:28-29). O homem que está mais baixo, ajoelhado diante de Deus, acha-se mais elevado, em posição de abençoar os outros (I Rs 8:55).

II – ASPECTOS POSITIVOS DA VIDA DE SALOMÃO:

• Primeiramente, Deus apareceu a este rei em sonhos; solicitou o pedido; Salomão pediu um coração compreensivo – I Rs 3:5, 9 - A resposta de Deus foi aprovadora: Concedeu discernimento e acrescentou bênçãos adicionais. Entretanto, uma condição foi apresentada junto com as bênçãos: “Se andares... e guardares... - I Rs 3:10-14.

• Salomão foi sucessor de Davi no trono de Israel com a idade de 20 anos, deixando enorme legado:

• (A) - Construiu a casa do Senhor – I Rs 3:1;

• (B) - Amou a Deus, andando como Davi, seu pai – I Rs 3:3;

• (C) - Ofereceu muitos sacrifícios ao Senhor – I Rs 3:4;

• (D) - Foi humilde em sua petição, pedindo um coração compreensivo – I Rs 3:9;

• (E) - Sua sabedoria foi a maior de todas, com grande discernimento judicial – I Rs 3:12, 16-28;

• (F) - Sua riqueza foi incontável – I Rs 3:13;

• (G) - Foi profundamente grato – I Rs 3:25;

• (H) - Organizou o reino – I Rs 4:7-19;

• (I) - Estabeleceu grande força armada – I Rs 4:24-28;

• (J) – Foi superior aos sábios – I Rs 4:29-31;

• (K) – Proferiu provérbios e discursos – I Rs 4:32-34;

• (L) - Desenvolveu grandes projetos de construções, destacando-se o Templo e a Casa da Floresta do Líbano (palácio de Salomão), que demorou 23 anos para serem edificados – I Rs caps. 5 e 6;

• (M) – Orou, dedicando o templo ao Senhor – I Rs 8:22-53;

III – CONTEÚDO DE UMA SÁBIA ORAÇÃO:

• II Cr 6:14-42 - Salomão age como mediador da aliança nessa cerimônia de dedicação. A oração intercessória é geralmente a função do profeta como mediador da aliança (Ex 32; I Sm 7:5).

• Perante o altar das ofertas queimadas, o rei permaneceu como suplicante com as mãos erguidas, uma atitude típica de oração (Is 1:15). Depois, ele se ajoelhou publicamente se humilhando perante o Senhor como o representante do povo (I Rs 8:54; II Cr 6:13).

• O conteúdo da oração reivindica as promessas da aliança, pede que as intercessões do Templo tenham acolhida, então acrescenta uma lista de calamidades e situações de emergência no país, para as quais a oração e arrependimento podem ser dirigidos ao Deus dos céus, que é o Senhor do Templo.

• (1) - II Cr 6:14-15 – Reconhecimento à fidelidade de Deus.

• (2) – II Cr 6:16-17 – Pedido para contínua fidelidade ou pela permanência da bênção sobre Israel.

• (3) – II Cr 6:18 – A onipresença de Deus.

• (4) – II Cr 6:19-21 – Súplica para que as orações feitas no Templo sejam respondidas.

• (5) – II Cr 6:22-23 – Súplica por justiça ou por julgamento justo.

• (6) – II Cr 6:24-25 – Súplica por perdão e libertação do cativeiro.

• (7) – II Cr 6:26-27 – Súplica por perdão e chuva dos céus.

• (8) – II Cr 6:28-31 – Súplica por perdão, quando houver fome, peste, guerra contra os inimigos e doença.

• (9) – II Cr 6:32-33 – Súplica pelas bênçãos sobre os gentios que buscarem o Deus de Israel e orarem no Templo.

• (10) – II Cr 6:34-35 – Súplica por ajuda em tempo de guerra, quando não tiver sido cometido pecado.

• (11) – II Cr 6:36-39 – Súplicas pela defesa de Israel em tempo de guerra (causada pelo pecado), pelo perdão e restauração do cativeiro.

• (12) – II Cr 6:40-42 – Súplica pela presença contínua de Deus e por Suas bênçãos.

IV - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

• Salomão deu um sublime testemunho: “NEM UMA SÓ PALAVRA FALHOU DE TODAS AS SUAS BOAS PROMESSAS” – I Rs 8:56 cf Js 23:14

• Nós falhamos, mas Deus não; nós O abandonamos, mas Ele nunca nos repeliu; as montanhas podem retirar-se e os outeiros podem ser mudados, mas Ele não se alterará nem recuará em Sua eterna bondade. Peçamos-Lhe, pois, que inclinemos nosso coração para Ele e estejamos reverentemente ante Sua majestosa presença, porquanto aquele que se ajoelha humildemente diante de Deus, é dotado com o poder de abençoar o povo em Seu nome.


FONTES DE CONSULTA:
• A Bíblia Vida Nova – Edições Vida Nova


• Fábio, Caio - 70 Esboços de A a Z – Editora Pró Logos


• A Bíblia de Estudo DAKE - CPAD


• Meyer, F. B. – Comentário Bíblico Devocional do Velho Testamento – Editora Betânia

• Comentário Bíblico Broadman - JUERP

Nenhum comentário: