Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







26 de set de 2010

4º TRIMESTRE - LIÇÃO Nº 01 - 03/10/2010 - "O QUE É ORAÇÃO"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 01 - DATA: 03/10/2010
TÍTULO: “O QUE É ORAÇÃO”
TEXTO ÁUREO – Ef 6:18
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: I Cr 16:8, 10-17; Jo 15:16
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/


I – INTRODUÇÃO:

• Orar é estender toda a nossa incapacidade e a de outros, em nome de Jesus, perante os olhos carinhosos de um Pai que tudo sabe, tudo entende, tudo acolhe e tudo responde. A oração é a respiração e o suspiro do espírito humano por Deus.

II – ORAR É UMA EXPERIENCIA DE INTIMIDADE COM DEUS:

• Leiamos Mt 6:5-8 e meditemos:

• (1) - ORAR É UMA RELAÇÃO DE INTIMIDADE A DOIS – Mt 5:6 - A ênfase no “secreto”: – Não exatamente em um local, mas uma atitude; é entre mim e Deus; Ele conhece o nosso coração.

• A ênfase da postura: – Não pela repetição, duração ou postura física.

• A ênfase do interior: – "Teu Pai que vê em secreto":

• (A) - Deus sabe de tudo que existe em nosso coração;

• (B) - Deus sabe que não estamos dizendo o que queríamos dizer;

• (C) - Quando estivermos diante dEle, estaremos em um momento de intimidade.


• (2) - A RECOMPENSA DO ORAR - Existe uma promessa direta e incondicional de Jesus; há promessa de recompensa. QUAL?!

• Deus promete recompensa em nossa vida de oração: – Quando temos a atitude correta e o coração correto, “Ele é capaz de fazer muito mais do que pensamos ...” – Ef 2:20

• Deus sabe o que precisamos antes mesmo que o expressemos, mas se alegra conosco quando oramos; como Pai, se alegra quando vamos a Ele.


III – ORAR COLOCA-NOS EM CONTATO COM UM DEUS SENSÍVEL AOS SEUS FILHOS:

• Leiamos Mt 7:7-12 e observemos:

• (A) - ORAR É UMA ATITUDE CONTÍNUA DE BUSCA POR DEUS – Mt 7:7-8 – "Pedir, buscar e bater..."

• Não constituem um processo, mas uma ênfase, uma continuidade – Sl 62:8;

• Não constituem uma ação de postura 24 horas, mas uma atitude de estar continuamente na presença de Deus. 

• Não constituem uma vã repetição da oração, mas um crescimento na intimidade com Deus, por meio de uma mente permeada por oração – I Ts 5:17.

• Isto afeta a forma como vemos televisão ou navegamos na Internet; como nos dirigimos às pessoas que nos perseguem e maltratam; isto afeta nosso comportamos no namoro ou quando estamos fazendo negociações, etc.

• (B) – ORAR É INTERAGIR COM DEUS – Ou seja, estaremos em um contexto de uma relação de um Pai amoroso com Seus filhos - Isto é graça. Deus interage conosco como um pai interage com seus filhos – Sl 81:10; Hb 4:14-16.

• Se não entendemos isto, perguntemos a nós mesmos: “Como ajo quando meu filho vem e amorosamente me pede algo que posso fazer?”. Na oração aprendemos a experimentar o melhor de Deus para conosco.

• (C) – ORAR É AGUARDAR A RESPOSTA DE DEUS, PELO SEU GANDE PODER – A promessa de Jesus é: “– Deus dará boas coisas”.

• As coisas boas são aquelas que tem a ver com o amor dEle para conosco; são aquelas coisas que glorificarão o nome dEle e nos trarão satisfação. Elas podem ou não incluir as coisas materiais que pedimos, mas nunca incluirá algo que venha fazer-nos mal. Por isso, fomos ensinados a orar de acordo com a vontade de Deus.

• O Senhor responde a um coração sincero que entra na presença dEle e diz: - “Ó Deus, é assim que estou, é isto que preciso; espero por Tua santa e soberana vontade”.


IV – ALGUMAS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A ORAÇÃO:

• (1) – A QUEM ORAR? - Nossas orações somente podem e devem ser dirigidas ao Deus Trino. Nós oramos ao Pai em nome do Senhor Jesus Cristo, através do ministério do Espírito Santo. Quando oramos ao Pai, as nossas orações são aceitas por Jesus Cristo e interpretadas a Deus, o Pai, pelo Espírito Santo (Romanos 8:26-27, 34).

• Orações dirigidas aos anjos, pessoas, objetos, ídolos ou qualquer outro ser, são falsas e não são ouvidas. Nós somente podemos nos aproximar de Deus através de Cristo Jesus, nosso Senhor, Salvador e Mediador (I Tm 2:5-6). Além disso o próprio Jesus disse que poderíamos orar em Seu nome - Jo 14:13.


• (2) – O QUE PEDIR? - A validade da oração não depende do tamanho dela e nem sequer de quem a pronuncia. Deus quer conceder as bênçãos espirituais a todos. No entanto, ao orarmos por bênçãos materiais, sempre precisamos deixar para Deus nos atender da maneira como Ele achar melhor e aceitarmos a resposta dEle. Neste caso, é prudente acrescentarmos a frase “se for da tua vontade”, pois podemos pedir coisas que venham a nos prejudicar ou ainda não chegou o tempo certo de tê-las (Lc 22:42; Tg 4:2-3).


• (3) – POR QUEM ORAR? - Deus quer que oremos por tudo e por todos (I Tm 2:1; I Sm 12:23). Para conseguirmos levar uma vida de oração como Deus quer, é bom, antes de fazermos qualquer coisa, pedirmos que Ele nos acompanhe e nos abençoe e, depois de termos feito algo, agradecermos a Ele por ter estado conosco.

• Assim, podemos orar por nosso trabalho, por nossos bens, por nós mesmos, pelos amigos e até pelos inimigos. Deus nos convida a invocá-Lo quando temos problemas e pede nosso louvor a qualquer tempo.


• (4) – POR QUE ORAR? – Vejamos alguns motivos:

• (A) - Porque Deus nos convida a orar;

• (B) - Porque Deus promete ouvir-nos;

• (C) - Por causa das necessidades nossas e dos outros;

• (D) - Por causa da gratidão pelas bênçãos recebidas.

• (E) - Porque a Palavra de Deus nos ordena a orar (Lc 18:1; At 6:4; Mc 14:38; Fp 4:6; Cl 4:2; I Tm 2:1-2).

• (F) - Para termos comunhão com Deus e dEle recebermos encorajamento e forças espirituais. Assim viveremos uma vida vitoriosa e manteremos intrepidez para um testemunho vibrante para Cristo.

• (G) - Porque a oração libera o grande poder de Deus para mudar o curso da natureza, das pessoas e nações.


• (5) – QUAL O COMPONENTE FUNDAMENTAL DA ORAÇÃO? - A maneira e o modo de se fazer oração vai ser muito característico e próprio de cada cristão, mas um elemento fundamental que precisamos ter ao orarmos é a fé (Tg 1:6; Hb 11:6). Para Deus responder nossas orações, devemos ter fé e pedirmos de acordo com a Sua vontade (Mt 9:29; 21:22; I Jo 5:14-15).


• (6) – ONDE ORAR? - Na verdade, podemos orar em qualquer lugar, a qualquer tempo. Podemos orar no carro, enquanto lavamos a louça ou enquanto caminhamos na rua.

• Podemos ainda orar:

• (A) - No leito de enfermidade - II Rs 20:1-2;

• (B) - No quarto - Dn 6:6, 10; Mt 6:6;

• (C) - No terraço de uma casa - At 10:9;

• (D) - Na hora da morte - At 7:59-60;

• (E) - Na hora do batismo nas águas - Lc 3:21-22;

• (F) - No templo - II Cr 6:21; Sl 134:2; Mt 21:13; At 2:46;

• (G) - Nas casas - II Rs 19:14-15; At 12:5, 12;

• (H) - Na prisão - At 16:25;

• (I) - Na hora da angústia - Dn 2:16-19 (grupo de oração na Bíblia);

• (J) - Num lugar deserto - Mc 1:35;


• Não devemos orar “para aparecer” ou chamar a atenção, como os hipócritas faziam no tempo de Jesus - Mt 6:5


• (7) – QUANDO ORAR? - Na verdade, deveríamos orar sempre (I Ts 5:17). Infelizmente, só nos lembramos de Deus nos momentos de dificuldades e angústia. Será que Deus precisa permitir uma dificuldade para que lembremos dEle? Claro que não!!

• Logo, nas alegrias, oremos para louvar e agradecer a Deus pelas bênçãos; nas dificuldades, louvemos a Deus também, pois sem Ele estas dificuldades seriam ainda piores. Coloquemo-nos em Suas mãos, buscando Sua ajuda e auxílio - Sl 50.15.

• Para nós, Jesus é um grande exemplo de oração: nos momentos mais críticos de Sua vida Ele orava (Lc 6:11; 22.42).


• (8) – QUEM PODE ORAR? - Qualquer pessoa. Porém, somente aqueles que andam pela fé e obedecem a Cristo podem esperar receber respostas às suas orações. Isto porque o contato com Deus começa quando recebemos Jesus como Salvador e Senhor em nossas vidas (Jo 14:6). Orar com um coração limpo é também vital para uma oração bem sucedida. Nós não podemos esperar que Deus responda as nossas orações se houver qualquer pecado não confessado ou se estivermos cultivando um espírito não perdoador (Sl 66:18; Mc 11:25).


V - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

• Embora a oração não possa ser reduzida a uma fórmula, certos elementos básicos devem ser incluídos em nossa comunicação com Deus. Estes elementos formam o acróstico: "CASA". Ou seja:

"C" – Confissão - Quando a nossa disciplina para orar começa com adoração, o Espírito Santo tem a oportunidade para revelar qualquer pecado em nossas vidas que necessita ser confessado.

"A" – Adoração - Adorar a Deus é cultua-Lo, louva-Lo, honra-Lo e exalta-lo em nosso coração, mente e lábios.

"S" – Súplica - Inclui a petição pelas nossas próprias necessidades e intercessão pelos outros. Oremos para que o nosso interior possa ser sempre renovado, sempre sensível e fortalecido pelo Espírito Santo. Oremos pelos outros: cônjuges, filhos, pais, vizinhos e amigos, nossa nação e autoridades. Oremos pela salvação das pessoas, por uma oportunidade diária de levar outros a Cristo e  pelo cumprimento da Grande Comissão.

"A" – Agradecimento - Uma atitude de agradecimento a Deus pelo que Ele é, pelas benevolências que gozamos e  por pertencermos a Ele, permite-nos reconhecer que Ele controla todas as coisas, não apenas as bênçãos, mas também os problemas e as adversidades. Quando nos aproximamos de Deus com um coração grato, Ele se torna forte em nós.


FONTES DE CONSULTA:


• Estudo Bíblico: “Viver a vida de oração que Jesus ensinou” – Lisânias Moura


• Tippit, Sammy – O Fator Oração - JUERP

Nenhum comentário: