Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







1 de fev de 2010

LIÇÃO Nº 06 - 07/02/2010 - "O MINISTÉRIO DA RECONCILIAÇÃO"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI – RJ
LIÇÃO Nº 06 – DIA 07/02/2010
TÍTULO - “O MINISTÉRIO DA RECONCILIAÇÃO”
TEXTO ÁUREO – II Cor 5:18
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE – II Cor 5:14-15, 17-21
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e.mail: geluew@yahoo.com.br



· Por estar mais adequado ao tema da lição, procuramos focalizar, apenas, um dos objetivos indicados pelo comentarista: – “Conscientizar-se que o ministério da reconciliação consiste na proclamação da obra expiatória do Senhor Jesus Cristo” – Pág. 43 (Revista do Professor).
I – INTRODUÇÃO:
. EXPIAÇÃO é o ato pelo qual Deus restaura o relacionamento de harmonia e unidade entre Ele e os seres humanos. Através da graça expiatória de Deus e de Seu perdão, restaura-se nosso relacionamento com Ele, apesar de nosso pecado; é o processo da reunião de duas partes que antes estavam alienadas, para que formem uma unidade. 
II – EXPIAÇÃO NO A. T.:
· Visto que a morte de Jesus é descrita em linguagem que lembra os sacrifícios do A. T., um conhecimento dos termos sacrificiais ajuda grandemente na sua interpretação. Assim, vejamos a TIPOLOGIA DE JESUS NOS SACRIFÍCIOS DO A.T.  
· II.1 - PRIMEIRO SACRIFÍCIO - HOLOCAUSTO ou OFERTA QUEIMADA:
· Lv 1:1-17; 6:8-13; 7:8; 8:18-21; 16:24;
·  Toda oferta deveria ser queimada.

· ELEMENTOS:
· Bode;
· Carneiro ou Cordeiro;
· Ave do sexo masculino (rola ou pombinho para o pobre) – As posses do indivíduo determinavam o tipo de oferta;
· Boi
· Tudo sem defeito

· PROPÓSITOS:
· Ato voluntário de adoração;
· Expiação pelos pecados involuntários em geral;
· Expressão de devoção;
· Compromisso e Completa entrega (submissão) a Deus;
· Obtenção do favor divino;
· Consagração pessoal para a obra de Deus.

· TIPOLOGIA:
· Cristo, nosso sacrifício perfeito, que Se entregou voluntariamente e Se ofereceu imaculado a Deus para fazer Seu inteiro agrado (Hb 9:14; Fp 2:6-8)
· A perfeita obediência de Cristo (Mt 27:35-36; Ef 5:2; Hb 7:26; I Jo 2:6);

· II.2 - SEGUNDO SACRIFÍCIO - OFERTAS DE MANJARES ou OBLAÇÃO:
·  Lv 2:1-16; 6:14-23; Sl 16
· Uma oferta de homenagem que significava uma promessa de leal obediência a Deus.

· ELEMENTOS:
· Grão;
· Flor de farinha;
· Azeite de oliveira;
· Incenso;
· Bolos asmos assados, ou fritos, ou cozidos;
· Sal;
· Sem fermento e sem mel

· PROPÓSITOS:
· Ato voluntário de adoração ou ações de graça;
· Reconhecimento e obtenção da bondade e das provisões de Deus;
· Devoção a Deus;
· Consagração dos bens;
· Dádiva de gratidão a Deus

· TIPOLOGIA:
· Destaca-se a perfeita humanidade de Cristo, ressaltando-se a entrega de Sua vida por todos nós (I Jo 2:6; I Tm 2:5; Jo 13:1)
· II.3 - TERCEIRO SACRIFÍCIO - SACRIFÍCIOS PACÍFICOS ou OFERTAS PACÍFICAS:
·  Lv 3:1-17; 7:11-34; 22:18-30; Sl 85;
· Fala da inteira dedicação da parte do ofertante e da paz com Deus usufruída por aquela que oferecia tal oferta.

· ELEMENTOS:
· Novilho ou cordeiro ou cabra (macho ou fêmea), sem defeito, tomado do rebanho, conforme as posses do indivíduo;
· Variedade de bolos 

· PROPÓSITOS:
· Ato voluntário de adoração;
· Ação de graças e comunhão ou júbilo público, posto que incluía uma refeição de toda a comunidade;
· Gratidão a Deus;
· Comunhão com Deus;
· Desobrigação de votos;
· Reconciliação

· TIPOLOGIA:
· Cristo, mediante a cruz, restaurou a comunhão do crente com Deus; Ele é a nossa Paz, pois fez cessar a guerra (Ef 2:14; Cl 1:20; Fp 4:6-7; I Pe 3:11)
· II.4 - QUARTO SACRIFÍCIO - OFERTA PELO PECADO:
·  Lv 4:1-25; 5:1-13; 6:24-30; Sl 22
· Este tipo de sacrifício era necessário para expiar pecados específicos.
· O grau da culpa e a qualidade da oferta variavam de acordo com a posição e a responsabilidade do pecador.
·  O pecado do sumo-sacerdote era o mais grave, porque era ele quem representava a nação inteira diante de Deus.

· ELEMENTOS:
· Para o sumo-sacerdote e a congregação: Um bezerro ou novilho;
· Para os líderes ou príncipes: Um bode;
· Para qualquer pessoa do povo: Uma cabra ou um cordeiro;
· Para os pobres: Uma rola ou dois pombinhos;
· Para os muito pobres: A décima parte de uma efa de flor de farinha

· PROPÓSITOS:
· Para expiação de pecado específico e involuntário;
· Confissão de pecado;
· Perdão de pecado;
· Limpeza da imundícia;

· TIPOLOGIA:
· Prefigura a crucificação de Cristo fora da cidade de Jerusalém (Hb 13:10-13); Ele se fez pecado por nós  (Is 41:24; At 3:17; I Cor 2:8 cf II Cor 5:21)
· II.5 - QUINTO SACRIFÍCIO - OFERTA DE CULPA ou SACRIFÍCIO PELO SACRILÉGIO ou SACRIFÍCIO DE RESTITUIÇÃO:
· (Lv 5:14-16; 6:7; 7:1-7)
· Este sacrifício indica ao homem a sua culpabilidade e a sua necessidade de ser salvo do julgamento.

· ELEMENTO:
· Somente carneiro sem mácula.
· PROPÓSITOS:
· Para expiação de pecados involuntários que requeriam restituição;
· Culpa por tirar das coisas sagradas ou por alguma perda ao santuário;
· Limpeza da imundícia;
· Fazer restituição, acrescida de 20% ou a quinta parte ("o quinto") - Lv 6:5.

· TIPOLOGIA:
· Cristo, mediante Seu sacrifício, pagou a culpa dos pecados dos crentes (Rm 3:24-26; 5:20; Gl 3:13; Hb 9:22) cf (Is 53:7; Jo 1:29; Apc 5:6) cf (Sl 69:9, 20-21, 31).

. Assim, todos os sacrifícios não somente eram proféticos em relação a Cristo, mas também serviam para preparar o povo de Deus para a dispensação melhor, que seria introduzida quando o Verbo de Deus se fizesse carne.
 
III – A EXPIAÇÃO NO N.T.:
· Após a ressurreição e a ascensão de Jesus, os discípulos sempre afirmaram que a morte de Cristo fora divinamente ordenada como o meio da expiação. Assim, A MORTE DE CRISTO É:

· (A) – EXPIAÇÃO – Expiar o pecado significa levá-lo embora, de modo que ele é afastado do transgressor – Hb 2:17, 9:14, 26, 28; 10:12-14;

· (B) – PROPICIAÇÃO – Propiciar é aplacar a ira de um Deus santo pela oferenda de um sacrifício expiatório. Cristo é descrito como sendo essa propiciação – Rm 3:25; I Jo 2:4; 4:10.

· (C) – SUBSTITUIÇÃO – Os sacrifícios do A.T. eram substitutos por natureza. O altar representava o pecado; a vítima era o substituto do israelita para ser aceita em seu favor. Cristo, sendo O Filho de Deus, pode oferecer um sacrifício de valor eterno e infinito. Havendo assumido a natureza humana, identificou-se com o gênero humano e, assim, sofreu o castigo que era nosso, a fim de que pudéssemos escapar – II Cor 5:21; I Pe 2:24

· (D) – REDENÇÃO – Tanto no A.T. quanto no N. T., a palavra redimir significa tornar a comprar por um preço; livrar da servidão por preço; comprar no mercado; retirar do mercado. O fato da redenção destaca o alto preço da salvação. O Senhor Jesus é um Redentor e Sua obra expiatória é descrita como uma redenção – Mt 20:28; Gl 3:13; 4:5; Tt 2:14; I Pe 1:18; Apc 5:9; 14:3.

· (E) – RECONCILIAÇÃO – Por meio das Escrituras, vemos que é Deus (A PARTE OFENDIDA), quem tomou a iniciativa em prover expiação pelo homem. Ainda que Sua Majestade tenha sido ofendida pelo pecado do homem, Sua santidade, naturalmente, deve reagir contra o pecado. Contudo, Ele não deseja que o pecador pereça – Ez 33:11. Paulo não disse que Deus foi reconciliado com o homem, mas, sim, que Deus fez algo a fim de reconciliar consigo o homem – Rm 5:10; II Cor 5:18-19; Cl 1:21

IV – A EFICÁCIA DA EXPIAÇÃO:
· Vejamos os efeitos que a obra expiatória de Cristo tem para o homem:
 

· (A) – PERDÃO DA TRANSGRESSÃO – Jesus pagou a dívida que nós não podíamos saldar e assegurou a remissão dos pecados – Jo 1:29; 5:24; Ef 1:7; Hb 9:22-28; Apc 1:5.

· (B) – LIVRAMENTO DO PECADO – O crente é liberto não somente da culpa dos pecados, mas também pode ser liberto do poder do pecado. Havendo morrido para a antiga vida de pecado, a pessoa nasce de novo, para uma nova vida: nasce da água (experimentando a purificação) e nasce do Espírito (recebendo a vida divina) – Jo 3:5; Tt 3:5-7.

· (C) – LIBERTAÇÃO DA MORTE – Hb 9:2 – Cristo morreu por nossos pecados, submetendo-se não somente à morte física, mas também à morte que significa a pena do pecado. Isso explica a exclamação: -“DEUS MEU, DEUS MEU, POR QUE ME DESAMPARASTE?”. Essas são palavras de Um que efetuou um ato que implica separação divina; esse ato consumou-se quando Ele levou os nossos pecados – II Cor 5:21.

· (D) – O DOM DA VIDA ETERNA – Rm 6:23; Jo 3:14-16 – Isso significa vida no favor de Deus e comunhão com Ele. Morto em transgressões e pecados, o homem está fora do favor de Deus; pelo sacrifício de Cristo, o pecado é expiado e o homem é restaurado à plena comunhão com Senhor – Rm 6:22; Tt 1:2; Apc 22:4.

· (E) – A VIDA VITORIOSA – Lc 10:17-20; Jo 12:31-32; 14:30; Cl 2:15; Hb 2:14-15; Apc 12:11 – Cristo venceu satanás por nós! Da mesma forma, os crentes tem a vida vitoriosa enquanto tiverem em suas vidas Aquele que venceu o diabo!

V – CONSIDERAÇÕES FINAIS:
· O ato de reconciliação é uma obra consumada e realizada em benefício dos homens. À vista de Deus, o mundo inteiro está reconciliado. Essa, em essência, é a mensagem do Evangelho. Cabe a nós, servos de Deus, que temos O Ministério da Reconciliação, proclamarmos que a morte de Cristo foi uma obra consumada de reconciliação de todo o gênero humano com Deus e efetuada independente de nós, a um custo inestimável - Sl 49:6-8.

FONTES DE CONSULTA:
· Conhecendo as Doutrinas da Bíblia - Editora Vida - Myer Pearlman
. O Novo Dicionário da Bíblia - Editora Vida
. Levítico Introdução e Comentário - Editora Mundo Cristão - R. K. Harrison
.  BEP - CPAD

 

Nenhum comentário: