Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







6 de dez de 2011

4º TRIMESTRE DE 2011 - LIÇÃO Nº 11 - 11/12/11 - "O DIA DA ADORAÇÃO E SERVIÇO A DEUS"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 11 - DATA: 11/12/2011
TÍTULO: “O DIA DA ADORAÇÃO E SERVIÇO A DEUS”
TEXTO ÁUREO – At 20:7
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Ne 13:15, 17; At 20:7-12
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br







I – INTRODUÇÃO:


Sabemos que a guarda do sábado era um sinal da aliança de Deus com Israel. Na Nova Aliança, porém, a morte vicária de Jesus fez com que as exigências cerimoniais da lei fossem canceladas. Para os cristãos, o domingo é o dia de adoração e serviço a Deus.

II. DEUS ORDENA A GUARDA DO SÁBADO:


(1) - Uma ordenança divina para os israelitas:

(a) - Trata-se de uma ordenança contida no Decálogo (Êx 20.1-8; 31.13).

(b) - No sétimo dia da semana, o povo de Israel, além de repousar de seus trabalhos, se consagrava para servir e adorar ao Senhor.

(c) - Semelhantemente, a Igreja adotou, desde o primeiro século, um dia no qual se dedica a Deus e à sua obra: o domingo, dia da ressurreição do Senhor (At 20.7; Mc 16.2,9; 1 Co 16.2; Ap 1.10).


(2) - Um sinal entre Deus e o seu povo:

(a) - Deus ordenou a guarda do sábado como um sinal de seu pacto e de seu relacionamento com Israel (Êx 16.26-29; 31.12-17).

(b) - Não guardar o sábado significava quebrar a aliança mosaica (Is 56.4-6; Êx 31.15).

(c) - Hoje, não cultuar a Deus no domingo — considerado “o dia do Senhor” — ou em outro dia aprazível não denota quebra de pacto com o Senhor, mas revela negligência (Ef 5.14-16).


(3) - Os propósitos divinos da guarda do sábado:

(a) - Proporcionar um dia de repouso (Êx 16.29,30; Ne 13.19). O termo “sábado” (hb. shãbath) designa, literalmente, “interceptar”, “interromper”. Implica uma cessação completa de uma atividade (cf. Gn 2.1-3). Nenhum trabalho devia ser realizado pelos israelitas no sábado (Êx 16.23; 35.2,3; Jr 17.22; Mc 16.1). O comércio estava proibido (Am 8.5).

(b) - Propiciar um dia de adoração e serviço (Lv 23.3; 25.4; Nm 28.9; Dt 5.12; Ez 46.3,12; Lc 4.31; 13.10).

(c) - Levar o povo a se lembrar de que Deus os libertara da escravidão do Egito (Dt 5.15).

(d) - O repouso do sábado tipifica o nosso repouso futuro (Hb 4.4,9,10).


III. O DESCUMPRIMENTO DA LEI MOSAICA NO TEMPO DE NEEMIAS:


(1) - O desrespeito pela guarda do sábado:

(a) - Houve iniquidade, nos dias de Neemias, pois cada israelita sabia que não devia violar a lei mosaica e que isso lhes traria todo tipo de maldições (Lv 26.13-33).

(b) - Nós, hoje, além de dedicarmos pelo menos um dia para adorar e servir ao Senhor, devemos cultuá-lo continuamente (Sl 34.1; 1 Ts 5.17). Não confunda reunião coletiva com culto individual. Este é contínuo; nunca termina.


(2) - A ganância dos mercadores:

(a) - Neemias protestou contra os negociantes que profanavam o sábado (Ne 13.20,21).

(b) - Muitos maus e falsos obreiros, hoje, violam os mandamentos de Deus por causa da ganância e mercadejam a Palavra do Senhor (2 Co 2.17, ARA; 1 Tm 6.10; 2 Pe 2.1,2).


(3) - Neemias proíbe o comércio no sábado:

(a) - Ele ordenou o fechamento dos portões desde a sexta-feira, ao pôr-do-sol, até o fim do sábado. Também ameaçou os comerciantes e os afugentou (Ne 13.19-21).

(b) - Como servos do Senhor, devemos fechar alguns “portões”, para que o Inimigo e seus agentes não nos façam pecar contra Deus (Ef 4.27; 1 Pe 5.8).

 IV. A GUARDA DO SÁBADO EM O NOVO TESTAMENTO:


Pelo testemunho das Escrituras, podemos observar que dos dez mandamentos registrados em Ex 20, o Novo Testamento ratifica apenas nove, excetuando o quarto mandamento, que trata da guarda do sábado. Desta forma, o Novo Testamento repete, pelo menos:

(A) – 50 vezes o dever de adorar só a Deus;

(B) – 12 vezes a advertência contra a idolatria;

(C) – 4 vezes o dever do filho honrar a seus pais;

(D) – 6 vezes a advertência contra o homicídio;

(E) – 12 vezes a advertência contra o adultério;

(F) – 6 vezes a advertência contra o falso testemunho;

(G) – 9 vezes a advertência contra a cobiça.

(H) – Nenhuma vez a guarda do sábado

Vejamos mais:

(1) - A essência do dia de descanso:

(a) - Precisamos de pelo menos um dia semanal de descanso, a fim de cuidar do “templo do Espírito Santo” (1 Co 3.16,17; 6.19,20).

(b) - Deus prioriza o espírito, mas valoriza o corpo (1 Ts 5.23; 1 Tm 2.9; 4.8,16).


(2) - Jesus e o dia de descanso:

(a) - O Senhor Jesus é o Senhor do sábado (Mc 2.26-28).

(b) - Jesus disse que o sábado foi feito por causa do homem, e não este por causa daquele (Mc 2.27). Logo, temos domínio sobre o sábado.

(c) - Nesse período da graça, não precisamos guardar o sábado de descanso, como os israelitas, mas devemos reservar pelo menos um dia para nosso repouso.


V - O CRISTÃO DEVE GUARDAR O SÁBADO?


É possível se cumprir a lei sem se guardar o sábado? A resposta a esta pergunta é dada quando estudamos a vida e o ministério terreno de Jesus. Ele mesmo disse: M5 5:17-18.

Ainda mais: podemos meditar nas seguintes observações, que designamos como RAZÕES POR QUE NÃO GUARDO O SÁBADO:

(1ª) - Não há nenhuma menção na Bíblia de alguém guardar o Sábado antes da Lei de Moisés. Segundo alguns comentaristas, no único livro canônico escrito antes de Moisés (o livro de Jó), não aparece. Jó era tão justo que Deus lança no rosto de Satanás — então guardar o Sábado não fazia parte da justiça de Deus, na época.

(2ª) - A marcha de Elim a Sim (uns 35 km, no deserto) se deu num sábado. O sábado seguinte foi o primeiro a ser guardado (Ex. 16:1-35 cf Ne 9:13-14.

(3ª) - O Sábado era um sinal entre Deus e Israel; nunca foi imposto aos Gentios (Ex. 31:12-17, Ez 20:10-12).

(4ª) - A própria Lei era uma aliança entre Deus e Israel (Ex. 19:5, 20:2), aceita pelo povo (Ex. 24:3), e que nada tinha a ver com os Gentios.

(5ª) - Jeremias 31:31-33 fala de uma nova aliança, escrita nos corações, não em tábuas de pedra.

Leiamos as seguintes passagens bíblicas e reparemos:

II Cor. 3:3,6-8 e Heb. 8:10,13 (‘envelheceu’) – Aqui fica claro que o Evangelho de Cristo tem a ver com essa nova aliança. A “nova” torna a primeira obsoleta.

Hb 7:12 (mudou) - se o sacerdócio mudou, necessariamente mudou a lei também.

Hb 7:18 (‘ab-rogado’)

Hb 7:22, 28 (‘depois da lei’);

Hb 8:6 - 9:5 e 10:9 (‘tira o primeiro’).


(6ª) - Em Marcos 2:27-28, Jesus, que é Senhor/Dono do Sábado, esclarece: o Sábado veio a existir por causa do homem, não o contrário. Na condição de Senhor/Dono, Jesus pôde mudar as regras, ou mesmo anular. Aliás, são vários os textos que levam a entender que o Dono do Sábado de fato o aboliu, pelo menos no que diz respeito à Igreja — Atos 15:24-29; Gal. 2:11-19; 3:10-13,19,24-25; 4:24-5:1; 5:18; Ef. 2:15; Col. 2:14.

(7ª) - Jesus não menciona o Sábado no Cenáculo, tampouco nas aparições após Sua ressurreição. Aliás, não consta em nenhum mandamento proferido por Jesus a Seus discípulos. Ou seja: JESUS CRISTO NUNCA ORDENOU A NINGUÉM QUE GUARDASSE O SÁBADO - Jo 5:16-18

Em João 15:10 Ele disse: “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor.” - Então podemos permanecer no amor de Cristo sem guardar o Sábado, pois não consta entre os Seus mandamentos.

(8ª) - O caráter moral de Deus não muda.

Em 1 Cor. 6:9-10, Efésios 5:5 e Apoc. 21:8 encontramos relações dos tipos de pessoa que não entrarão no Reino de Deus. Aí estão pecados relacionados a cada um dos dez mandamentos, exceção feita ao quarto (guardar o Sábado).

Logo, guardar o Sábado não é mais condição para entrar no Reino, exatamente por não ser uma questão moral.

(9ª) - Além do Senhor Jesus ressurreto aparecer aos Apóstolos reunidos no domingo pelo menos duas vezes, algumas passagens bíblicas apontam para um uso rotineiro do domingo por parte dos Cristãos - Atos 20:7, 1 Cor. 16:2 e Apoc. 1:10.

(10ª) - O Concílio que houve em Jerusalém, relatado em Atos 15, tratou exatamente da questão de, até que ponto os cristãos gentílicos deveriam obedecer a lei de Moisés. Reparemos que a questão da guarda do Sábado ficou fora; não consta na lista das quatro coisas que foram cobradas.

At 15:28 - “Pareceu bem ao Espírito Santo” - A decisão foi de inspiração divina, e portanto de autoridade divina. Se o Espírito Santo não cobra mais o Sábado, quem entre nós tem autoridade para cobrá-lo?

(11ª) - A igreja primitiva guardava o domingo e não o sábado - At 26:6-7; I Cor 16:1-2.

(12ª) - Os grandes acontecimentos do cristianismo não se deram no sábado, mas no domingo - Mt 28:1-10; Mc 16:9-11; Lc 24:13-35; Jo 20:1, 11, 19, 26; (Lv 23:16 cf At 2:1-13); At 2:14, 41; Apc 1:10

(13ª) - O apóstolo Paulo diz que ninguém deve julgar alguém que não guarda o sábado, porque todos os dias são iguais - Rm 14:4-6; Cl 2:16-17. Logo, o sábado não pode ser norma; a escolha do dia fica a critério de cada indivíduo.

VI- CONSIDERAÇÕES FINAIS:


De forma bem sintetizada, podemos tecer as seguintes considerações finais:

(A) - Igreja não está sob o jugo da lei mosaica (Rm 6.14; Jo 1.17). Dos dez mandamentos mencionados em Êxodo 20, nove deles são repetidos no Novo Testamento — alguns foram modificados por Jesus (Mt 5.21-28). Entretanto, não há menção à necessidade de observar a guarda do sábado. Observemos o quadro abaixo:



1° MANDAMENTO - Ex 20:2-3



NO NOVO TESTAMENTO - I Cor 8:4-6; At 17:23-31



2° MANDAMENTO - Ex 20:5-6



NO NOVO TESTAMENTO - I Jo 5:21



3º MANDAMENTO - Ex 20:7



NO NOVO TESTAMENTO - Tg 5:12

4º MANDAMENTO - Ex 20:8-11

 


NO NOVO TESTAMENTO - ????????????




5º MANDAMENTO - Ex 20:13



NO NOVO TESTAMENTO - Ef 6:1-3



6º MANDAMENTO - Ex 20:13



NO NOVO TESTAMENTO - Rm 13:9


7º MANDAMENTO - Ex 20:14



NO NOVO TESTAMENTO - I Cor 6:9-10



8º MANDAMENTO - Ex 20:15



NO NOVO TESTAMENTO - Ef 4:28



9° MANDAMENTO - Ex 20:16



NO NOVO TESTAMENTO - Cl 3:9; Tg 4:11



10º MANDAMENTO - Ex 20:17



NO NOVO TESTAMENTO - Ef 5:3


 
  
(B) - Guardamos o domingo, por assim dizer, como um dia de adoração, estudo da Palavra e evangelização, etc. (At 20.7; 1 Co 16.2). Mas o domingo nunca teve para o cristianismo o mesmo peso que o sábado observado pelos israelitas. Afinal, o cristianismo não é cerimonialista (Gl 4).


(C) - Depois do brado da vitória na cruz (Jo 19.30), as exigências cerimoniais da lei mosaica foram definitivamente canceladas (Cl 2.14-16).


Assim:


Se alguém quer observar sábado, pode;

Se alguém quer observar domingo, pode;


Se alguém quer observar quarta-feira, pode; etc.

Contudo, segundo Heb. 10:25, havemos de nos reunir regularmente e, para esse efeito, tem que haver consenso, obviamente. Desde a ressurreição de Cristo, o consenso geral das igrejas ditas cristãs tem sido reunir-se aos domingos. É o dia do Senhor, que comemora a nova criação, a nova aliança e deve ser considerado o dia para adoração e serviço a Deus.

 
FONTES DE CONSULTA:

Lições Bíblicas CPAD – 1º Trimestre de 1986 – Comentarista: Raimundo Ferreira de Oliveira

Estudo Bíblico: “Sábado X Domingo” - Dr. Gilberto Pickering

Subsídio para a lição EBD - 4º trimestre de 2011 – Elaboração: Moises Lopes - SECRETARIA GERAL ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - SUMARÉ/SP

2 comentários:

Ademir disse...

Querido Irmão,
Fiquei muito feliz por encontra sua pagina com uma explicação muito clara e natural sobre o tema mencionado, que Deus continua levantando amantes da santa Palavra do Mestre.
Ademir

GERALDO CARNEIRO FILHO disse...

Prezado Irmão Ademir,

Continue, também, o nosso Deus, guiando-o em todos os seguimentos da sua vida, mormente a sua vida espiritual. Continue Ele derramando, sobre o prezado irmão e os seus, Sua ricas bençãos dos altos céus.

Muito agradecido, em nome de Jesus.

Permaneça na Paz do Senhor.