Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







15 de nov de 2011

4º TRIMESTRE DE 2011 - LIÇÃO Nº 08 - 20/11/11 - "O COMPROMISSO COM A PALAVRA DE DEUS"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 08 - DATA: 20/11/2011
TÍTULO: “O COMPROMISSO COM A PALAVRA DE DEUS”
TEXTO ÁUREO – Ne 10:29
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Ne 10:28-33
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br


 


I – INTRODUÇÃO:
 

É urgente rompermos com o estilo de vida deste presente século e assumirmos, com temor e tremor, o que nos prescreve o Livro dos livros, porquanto...


... "A Bíblia é o Livro de todos os séculos, de todos os povos e de todas as idades". (César Cantu)



II - O LIVRO DOS LIVROS - MANUAL INDIVIDUAL DO CRISTÃO:


Após experimentarem um genuíno e profundo avivamento, os judeus firmaram o solene compromisso de obedecer rigorosamente a Palavra de Deus. Isto porque a Bíblia é indispensável à vida de cada filho de Deus neste mun­do. Ela deve ser lida cotidianamente, examinada, estudada e amada de forma profunda. Ela é o nosso manual para todas as situações; é o guia seguro e infalível que nos conduz a uma vida vitoriosa e abundante. Vejamos abaixo:



(1) - BÍBLIA, O MANUAL PARA NOSSA CONDUTA – Nela descobrimos o padrão divino: Ela nos indica o verda­deiro modo de viver, e, quando a observamos, o nosso ca­minho prospera - II Tm 3.10; Js 1.8.



(2) - BÍBLIA, O MANUAL PARA NOSSO RELACIONAMENTO COM DEUS - É ela que nos fixa as diretrizes: Fala sobre o per­dão (Mt 6.12-15; Lc 11.4); sobre a adoração (Jo 4.23,24; Fp 3.3); sobre a oração da fé (Jo 14.12; Tg 5.17) e sobre nossa comunhão com Deus (I Co 1.9; I Jo 1.6,7).



(3) - BÍBLIA, O MANUAL PARA NOSSA ESPERANÇA DA VIDA FUTURA - A verdadeira motivação vem também das Escrituras, Hb 6.18,19; At 28.20; Cl 1.5,6,23,27; Ap 22.12 - Usemos este bendito manual como peregrinos do Senhor, até chegarmos ao desejado porto celestial.



(4) - BÍBLIA, O MANUAL DO CRISTÃO NO LAR - Deus tem cuidados especiais com a família. As grandes provi­dências salvadoras de Deus sem­pre incluem a família, Gn 7.1; At 16.30-31, etc.


(5) - BÍBLIA, O MANUAL DAS CRIANÇAS – Sl 127:3; Pv 22:6; Mt 19:14-15



(6) - BÍBLIA, O MANUAL DOS FILHOS - A Bíblia está cheia de conselhos e exortações aos filhos, visando a sua felicidade e o prolongamento de seus dias aqui na terra: Êx 20.12; Lv 19.3,32; Dt5.16; Ef6.1-3; Cl 3.20; I Tm 3.4; Lc 18.20; Mt 15.4; Mc 10.19; Pv 1.8,9; os filhos também são exortados a buscarem ao Senhor, louvando-O e obedecendo os Seus mandamentos, Sl 148.12,13; Pv 3.1-3; 6.20-25.


(7) - BÍBLIA, O MANUAL DOS JOVENS - Cada jovem cristão deve reconhe­cer que a Bíblia é um livro para a juventude - I Jo 2.14 – Ela está repleta de vidas jovens, fonte de inspiração para a mocidade de todos os tempos. A Bíblia apresenta advertências, exortações, conselhos, mandamentos e mensagens diretamente aos jovens: Tt 2.6; I Tm 4.12; Pv 4.23; Lc 15.11-23; Ec 12.1; Pv 10.1; I Jo 2.13-17; Pv 31.1-3.



(8) - BÍBLIA, O MANUAL DOS ESPOSOS - A Bíblia defende o casamen­to. O primeiro, foi efetuado pessoalmente pelo Pai (Gn 2.24; Mt 19.4,5). O primeiro milagre, Je­sus o efetuou em uma festa de ca­samento (Jo 2.11). Eis algumas palavras da Escri­tura para os maridos cristãos: Ef 5.28; Ec 9.9; Cl 3.19; I Pe 3.7; I Tm 5.8; I Co 11.3.



(9) - BÍBLIA, O MANUAL DAS ESPOSAS - A seriedade com que a Bíblia expõe o matrimônio chega ao ponto de ilustrá-lo como um retrato do rela­cionamento de Cristo com a Igreja. Eis aí alguns textos que Deus oferece às esposas: Ef 5.22,31; Pv 31.10-30; Gn 2.18,20; Sl 128.3; Pv 19.14; I Co 14.34,35; Cl 3.18; Tt 2.5; I Pe 3.1,6; Gn 18.6; Pv 14.1.



(10) - BÍBLIA, O MANUAL DAS MULHERES NOVAS - As senhoras recém-casadas também são favorecidas com mensagens específicas da Bíblia (Tt 2.4,5) - Elas devem estar prepara­das em humildade para aprender; devem ser prudentes, castas e moderadas. Isto envolve o cuidado no falar, o espírito simples e a dedicação ao lar.



(11) - BÍBLIA, O MANUAL DAS MULHERES IDOSAS - A Bíblia põe uma grande responsabilidade nos ombros das senhoras idosas (Tt 2.3,4) - Muitas recém-casadas têm destruído o seu lar por causa de conselhos ímpios e levianos de senhoras mais idosas.



Mas também é verdade que muitas senhoras, como verdadei­ras santas de Deus, têm sido amigas, conselheiras e ajudadoras, evitando, com suas experiências, gra­ves problemas na casa de Deus!



(12) - BÍBLIA, O MANUAL DAS VIÚVAS - Deus é amigo das viúvas. As igrejas devem cuidar "das que são verdadeiramente viúvas"- I Tm 5.3-13; Dt 10.18; Sl 68.5; 146.9; Pv 15.25; Jr 49.11; At 6.1-7; Tg 1.27; I Tm 5.3.



(13) - BÍBLIA, O MANUAL DO OBREIRO - Não se admite um verdadeiro obreiro sem que a Bíblia Sagrada seja uma prioridade em sua vida (Js 1.7,8). Ele deve ler a Bíblia diariamente, fazendo dela "o pão nosso de cada dia"; deve pesquisá-la mais que todos os compêndios seculares. Ela é a fonte principal de seu conhecimento e a base de suas mensagens.


Os conselhos, a doutrina, as exortações e o ensino do Obreiro devem todos fundamentar-se na Palavra. Ele deve aceitá-la integralmente. Ele deve crer com perseverança no que ela afirma - Tt 2.1; II Tm 4.2.


A recomendação de Deus sobre este assunto é abundante: Dt 6.6-9; SI 37.30,31; Is 59.21; Mt 12.35; Ef 4.29; Lc 11.28.


Ao prestar contas do seu ministério, Jesus orou ao Pai e disse:

"Porque lhes dei as palavras que tu me deste..." Jo 17.8 

Que cada Obreiro possa dizer o mesmo.



(14) - BÍBLIA, O MANUAL DA IGREJA - Enquanto a Igreja estiver neste mundo, há de depender da Bíblia Sagrada, porque:


(A) - Ela é a base de nosso conhecimento, I Jo 2.2; I Jo 5.13.


(B) - Ela é a base de nossa iluminação, Sl 119.105.

(C) - Ela é a base do nosso consolo, I Ts 4.18.



(D) - Ela é a base de nossa vitalidade, Mt 4.4.


(E) - Ela é a base de nossa boa conduta, II Tm 3.16.


(F) - Ela é a base de nossa santificação, Sl 119.9.



(G) - Ela é a base de nossa sabedoria, I Co 1.18-24; Sl 19.7.

 
(H) - Ela é a base de nosso conforto, Rm 15.4.

 
(I) - Ela é a base de nossa vitória, Ef 6.17.



III – UM POVO SEPARADO:


Dt 7:2-4 cf I Cor 7:39 - Deus continua não aceitando a mistura entre justos e ímpios; entre o mundo e a Igreja. Por isso, o casamento com descrente tem gerado crises na família. A Palavra de Deus ensina que o casamento do cristão deve ser "no Senhor", isto é, segundo o ensino da Palavra do Senhor. O casamento de crente com descrente afeta negativamente o casal, os genitores, os parentes e os filhos, caso os tenham.


II Cor 6:14 - Num Casamento Cristão o jugo desigual tem que ser evitado - Esta questão do “jugo desigual” que, antigamente, era levada muito a sério, caiu de importância, sendo aceito ou tolerado.


No Casamento, o jugo desigual pode existir entre os próprios Crentes.



É sabido, de acordo com A Palavra de Deus, que entre os membros de Igrejas locais existem os crentes salvos, as virgens prudentes, o trigo, os peixes bons e as árvores boas, que produzem frutos bons. Porém, existem também os crentes não salvos, as virgens loucas, o joio, os peixes ruins e as árvores ruins, que produzem frutos ruins. Assim, só Deus, que conhece os corações, poderá, em resposta à oração, livrar os filhos de um jugo desigual dentro da própria Igreja. Para casar-se, portanto, mesmo que entre crentes, não se pode dispensar a oração.


Os crentes devem separar-se das associações com o mundo - Ex 23:1-2; Dt 12:30; Jo 15:19; 17:16; At 2:40; II Cor 6:17; Ef 5:11; II Ts 3:6


Advertencias bíblicas contra o mundanismo - Mt 16:26; Lc 21:34; Cl 3:2; Tt 2:12; Tg 4:4; I Jo 2:15


O trágico resultado da mistura (Os 7:8-16)


A separação é uma ordem divina (Js 23:1-13)


A vida separada glorifica a Deus (Dt 28:1-13)


IV - O CUIDADO COM O TEMPLO DO SENHOR:


Os israelitas amavam o Santo Templo, pois era o lugar em que adoravam ao Senhor. Por causa disso, comprometeram-se a ofertar, voluntária e regularmente, os dízimos da terra, para a manutenção do culto divino – Ne 10:32-38.


Poluição da Casa de Deus - II Cr 33:1-7; 36:11-14; Jr 7:1-17; Ez 8; 44:5-8; Sf 3:1-5


Devemos ter reverencia pelo Templo - Lv 19:30; I Tm 3:14-15; Hb 12:28; Sl 89:7; 93:5

Devemos ter amor à Casa de Deus (I Cr 29:3; Sl 26:8; 27:4; 65:4; 84:1-4; 100; 122:1)


O exemplo de Cristo (Lc 4:16; Jo 7:14)


O exemplo dos apóstolos (Lc 24:52-53; At 2:46-47; 3:1)


Outras referencias bíblicas (Mc 11:15-19; Is 56:6-7; Zc 14:21; Ml 3:1-2)



V - OFERTAS PARA MANUTENÇÃO DA CASA DE DEUS:


Leiamos II Cr 31:2-21:


(1) - OS TURNOS DEVERIAM ESTAR EM SEUS LUGARES - Cada qual tinha sua função, conforme a natureza do serviço, sacerdotes e levitas, cada qual no seu lugar. As contribuições também eram destinadas cada uma ao seu fim, de modo a não se misturar dízimos com ofertas pacíficas. Ezequias mesmo fazia grandes ofertas das suas fazendas (II Cr 31:3)


(2) - O POVO FOI CONVIDADO A CONTRIBUIR LIBERALMENTE - (II Cr 31:4-10) - Os sacerdotes e levitas partilhavam das ofertas e dos sacrifícios e com isso se mantinham. Além disso, os dízimos eram seus, bem como as primícias (II Cr 31:5). O povo de Judá e Benjamim correspondeu com muita liberalidade, de modo a se fazerem montões e montões à porta do templo (II Cr 31:6). Em sete meses ajuntaram tanto que não havia mais lugar para guardar tanta coisa. Os próprios sacerdotes confessaram que tinham comido à farta e ainda havia sobras em abundância (II Cr 31:10)


(3) - NOVAS ORDENS PARA O SUSTENTO DO CULTO - (II Cr 31:11-19) - Então o rei Ezequias mandou construir depósitos para guardar as ofertas de azeite, vinho e cereais, de maneira que estas coisas não ficassem amontoadas no templo, ficando como intendentes dos suprimentos o levita Conanias e Simei, seu irmão. Havia ainda outros funcionários subalternos, filhos de Coré. Este trabalho estendeu-se às cidades dos sacerdotes, onde eram feitos os depósitos (II Cr 31:15), pois em Jerusalém, no templo, não haveria espaço bastante para guardar tanta dádiva, especialmente nos tempos das colheitas de trigo, cevada, azeite, vinho, etc.


(4) - DEUS SE AGRADOU DO SERVIÇO - (II Cr 31:20-21) - Deus colocou o seu “De acordo” na organização de Ezequias, e tudo prosperou, pois o povo estava de coração voltado para o serviço do mesmo Deus.


Assim, baseados na Palavra de Deus, analisemos o seguinte:



Quanto ao sustento remunerado do ministério e daqueles que dão tempo integral à obra de Deus, é isto uma recomendação bíblica. Vejamos:


(1) - Paulo recebeu salário de determinadas igrejas para servir aos crentes em Corinto (II Cor 11:8)

(2) - O ministro do evangelho que dá tempo integral à igreja, é digno do seu salário (I Tm 5:18)


(3) - Paulo ensinou  à igreja de Corinto a sustentar os pregadores do evangelho (I Cor 9:4-14)


(4) - Timóteo foi advertido por Paulo a não cuidar dos negócios seculares para se sustentar (II Tm 2:4)


(5) - Pedro disse que a única ocupação dele e de seus companheiros de ministério era a oração e a pregação (At 6:4)



(6) - Os apóstolos de Jesus viviam das ofertas que recebiam (Jo 12:6 cf Jo 13:29)



VI - DEUS CONTINUA CUIDANDO DO SUSTENTO DE SEUS SERVOS:


Leiamos I Rs 17:1-16 e analisemos:


(1) - Há Igrejas que não conseguem sustentar seus líderes. Mas estes, como uns heróis da fé, continuam fazendo a obra do Senhor, porque sabem que foram chamados pelo Deus Sustentador e Provedor de todas as coisas.



(2) - No tempo em que Elias iniciou o seu ministério, havia fome na terra. Foi ele mesmo quem transmitiu ao rei Acabe a mensagem de Deus que não cairia chuva sobre a terra.



(3) - As águas nos rios se secaram e a fome reinava. Porém, Deus sempre se responsabilizou pela vida e pelo sustento de Seus servos



(4) - Elias alcançou as provisões materiais de Deus quando obedeceu às Suas ordens. Foi milagre de Deus tanto o providenciar o pão e carne, como o impedir que os corvos comessem tal comida.


(5) - Quando as águas do ribeiro Querite se secaram, Deus mandou Elias para Zarefate, onde também, por meio de um milagre, o sustentou, usando uma pobre viúva.


Logo, Deus cuida daqueles que O servem com sinceridade, sustentando-os, pois continua sendo O DEUS DA PROVIDÊNCIA! - Sl 33:18-19; 34:9


(A) - Ele é um excelente Pai - Mt 6:32 - “...VOSSO PAI CELESTIAL BEM SABE...”


(B) - Mt 6:26 - A expressão “OLHAI” significa “OBSERVAI BEM”, “APRENDEI BEM”.

(B.1) - Quando as aves estão em movimento, indica que Deus está vivo e, se Ele é vivo, está se movimentando em direção às nossas necessidades.



(C) - Mt 10:29 cf Lc 12:6 - Em Mateus se compram DOIS PÁSSAROS por apenas UM CEITIL;

(C.1) - Em Lucas, compram-se CINCO PÁSSAROS por DOIS CEITIS.

(C.2) - Isso significa que UM DESSES PÁSSAROS FICOU SEM VALOR DIANTE DOS HOMENS.

(C.3) - É exatamente sobre esse “PÁSSARO SEM VALOR ou ESQUECIDO” QUE RECAI O CUIDADO DE DEUS.

(C.4) - O Criador de todas as coisas afirmou “NENHUM DELES ESTÁ ESQUECIDO”



(D) - Lc 12:7 - Ele conta até os nossos cabelos!



(E) - Lc 22:35 - “E perguntou-lhes: Quando vos mandei sem bolsa, alforje, ou alparcas, faltou-vos porventura alguma coisa? Eles responderam: NADA” .


Confiemos no Senhor! Tenhamos compromisso com a Palavra de Deus! Só então poderemos responder da mesma maneira que os discípulos responderam a esta pergunta feita por Jesus.



VII - CONSIDERAÇÕES FINAIS:


Em resumo de tudo que foi exposto, podemos dizer:

 
"A Bíblia contém a mente de Deus, o estado do homem, o caminho da salvação, a condenação dos pecadores e a felicidade dos cristãos. As doutrinas da Bíblia são santas; suas histórias são verdadeiras e suas decisões são imutáveis. Leiamos a Bíblia para sermos sábios; creiamo-la para sermos salvos; pratiquemo-la para sermos santos. Ela é o mapa do viajante, o bordão do peregrino, a bússola do piloto, a espada do soldado e o manual do cristão" (A.J. Disbio).


FONTES DE CONSULTA:


Lições Bíblicas Maturidade Cristã - Edições CPAD - 2º Trimestre de 1987 - Comentário: Elienai Cabral

O Crente e a Prosperidade - Edições CPAD - Autor: Severino Pedro da Silva

Estudo Nos Livros de Crônicas, Esdras, Neemias e Estes - JUERP - Autor: Antônio Neves de Mesquita

Revista Educação Crista - Volume IV - Dinheiro Para a Igreja

Lições Bíblicas Maturidade Cristã - Edições CPAD - 3º Trimestre de 1981 - Comentário: Eurico Bergstén

Teologia Sistemática - Doutrina da Igreja e Doutrina dos Anjos - Edições CPAD - Autor: Eurico Bergstén

Estudo Bíblico “Adoração a Deus” – Pastor José Antônio Corrêa

Lições Bíblicas – CPAD – 4° Trimestre de 1980 – Comentarista: Geziel Gomes

4 comentários:

Rosival disse...

Irmão geraldo gostei do seu comentário sobre a lição, apenas faço duas observações: A configuração das letras ficaram muito grande e isso dificulta um pouco a compreenção do texto, sugiro também que os tópicos e subtópicos coincidam com os da lição bíblica assim subsidiará melhor aos professores

Anônimo disse...

pastor eu gostei muito das explicaçoes voce estar de parabens, obs.a letra eu achei otimo o tamanho obrigado. prf. maria

GERALDO CARNEIRO FILHO disse...

Prezados Irmãos em Cristo, Rosival e Maria.

Em nome de Jesus, muito obrigado pelas observações e considerações.

Quanto ao tamanho da fonte, aproveitamos a oportunidade para passarmos algumas dicas aos irmãos que tenham dificuldade para leitura:

(1) - Quando uma página da internet está aberta na tela do computador, talvez o "nível de zoom" do computador esteja muito alto. Isso faz com que as fontes fiquem totalmente disformes na tela do computador, dificultando a leitura do texto.

(2) - Para alterá-lo (com a página da internet aberta na tela do computador), vá ao ícone localizado no canto direito do monitor (talvez o mesmo esteja marcando 100% ou mais)

(3) - Clique na "seta indicada para baixo" e escolha um menor ou maior percentual de zoom, conforme o caso.


Relativamente aos tópicos e subtópicos, procuraremos adotar a sugestão do prezado irmão Rosival.


Porém, como é um subsídio à lição da EBD e não uma cópia, há necessidade de serem acrescentados outros tópicos e subtópicos diferentes dos contantes da revista da CPAD, sem, contudo, alterarmos ou sairmos do conteúdo ou do tema abordado na lição.

Mais uma vez, muito obrigado pelas observações e sugestões, e que o nosso Deus continue derramando Suas ricas bênçãos sobre as vidas e ministérios dos amados irmãos em Cristo Jesus.

Permaneçamos na Paz do Senhor.

Humberto Queiroz disse...

Querido e amado Pr. Geraldo Carneiro Filho a Paz do Senhor!

Como sempre seus artigos sobre as lições da Escola Bíblica Dominical, são de muita importação para o conteúdo da lição, continue assim, sendo esse homem de Deus que o senhor é...

Há! Só lembrando:

“O importante não é o que os outros pensam ao seu respeito Pr. Geraldo Carneiro Filho e sim o que Deus pensa.”