Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







7 de ago de 2011

3º TRIMESTRE DE 2011 - LIÇÃO Nº 07 - 14/08/2011 - "A BELEZA DO SERVIÇO CRISTÃO"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 07 - DATA: 14/08/2011
TÍTULO: “A BELEZA DO SERVIÇO CRISTÃO”
TEXTO ÁUREO – Jo 13:14
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Jo 13:12-17; At 2:42-47
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/



I – INTRODUÇÃO:

. O servo desempenha as tarefas normais numa casa de família e está sempre à disposição de seus membros. Pertence a uma classe social inferior e só faz o que lhe é ordenado. A Bíblia caracteriza o homem e a mulher de Deus como servos. Compete-nos, pois, ser suficientemente humildes para ministrarmos continuamente na qualidade de servos, àqueles a quem o Senhor nos enviar.


II - ESTAMOS PRONTOS A SER SERVOS?:

. O Antigo Testamento menciona dois tipos de servos:

. (1) - OS TRABALHADORES - Recebiam salário e tinham certos direitos; e


. (2) - OS ESCRAVOS - Não tinham direitos, não recebiam salário e não podiam reclamar coisa alguma.


. No N. T., a expressão "servo", no grego, não é "trabalhador", mas "escravo".


. Isso mostra que não temos quaisquer direitos; somos propriedade absoluta do Senhor, para sermos tratados e usados como bem Lhe parecer.


. Outrossim, isso também mostra que nossa servidão a Jesus deve expressar-se em nossa servidão ao nosso semelhante - II Cor 4:5 - O Senhor considera como falta de disposição para servi-Lo, a nossa falta de disposição para servir outros, em circunstâncias difíceis e humilhantes; essa falta de disposição nos coloca fora da comunhão com Ele.



III - CINCO MARCAS DE UM ESCRAVO:

. Lucas 17.7-10 - "Qual de vós, tendo um servo ocupado na lavoura ou em guardar o gado, lhe dirá quando ele voltar do campo: Vem já e põe-te à mesa? E que antes não lhe diga: Prepara-me a ceia, cinge-te, e serve-me, enquanto eu como e bebo; depois comerás tu e beberás. Porventura, terá de agradecer ao servo por ter este feito o que lhe havia ordenado? Assim tam­bém vós, depois de haverdes feito tudo quanto vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer."


. Pelo texto acima, podemos observar:


. (1) - O ESCRAVO TEM DE ESTAR DISPOSTO A RECEBER UMA ORDEM APÓS A OUTRA, SEM ESPERAR QUALQUER CONSIDERAÇÃO - Após um dia de trabalho ár­duo, o servo da parábola teve de ir preparar a refeição do seu senhor imediatamente, e além disso servi-lo — e tudo isso antes que ele mesmo (o escravo) comesse. Ele simplesmente obedeceu, nada esperando, senão isso mesmo.


. Como nós somos diferentes! Murmuramos e ficamos amargurados em nos­so coração, quando coisa semelhante se requer de nós! Mas no momento em que começamos a murmurar, estamos agindo como se tivéssemos direitos, e um escravo não tem nenhum!


. (2) - AO FAZER TUDO, O ESCRAVO DEVE ESTAR DISPOSTO A NÃO ESPERAR PALAVRAS DE AGRADECIMENTO - Quantas vezes servimos alguém, ficamos ofendidos e nos queixamos amargamente porque nos­so trabalho foi aceito naturalmente e não nos agradeceram. Mas um escravo tem de estar pronto a isso. Trabalhadores poderão esperar alguma coisa; escra­vos, não.


. (3) - TENDO FEITO TUDO, O ESCRAVO NÃO DEVE ACUSAR SEU SENHOR DE EGOÍSMO - Ao ler a passagem, não podemos deixar de sentir que o senhor foi um tanto egoísta e sem consideração, mas o escravo não o acusou disso. Ele existe para servir os interesses de seu senhor, e o egoísmo ou qualquer outra atitude de seu senhor não entra em suas cogitações.


. E nós? Talvez permitamos que outros "abusem" de nós, e é possível que nos sujeitemos a fazer algo sem receber agradecimento. Mas, no íntimo, acusamos o outro de egoísmo. Entretanto, essa não é a atitude de um escravo. Ele deve descobrir no egoísmo alheio apenas uma oportunidade a mais de se identificar de novo com o seu Senhor como o servo de todos.


. (4) - APÓS FAZER TUDO, NÃO HÁ LUGAR PARA ORGULHO OU AUTO-ELOGIOS - Devemos confessar que somos servos inúteis, isto é, que em nós mesmos não temos valor nenhum, seja para com Deus ou para com os homens. Precisamos confessar repetidamente que "em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum", e que, se alguma coisa fizemos, nenhum agradecimento se deve a nós.


. (5) - O ESCRAVO DEVE RECONHECER QUE O QUE FEZ E SUPORTOU NO CAMINHO DA MANSIDÃO E DA HUMILDADE, NADA MAIS FOI DO QUE SEU DEVER - O nosso "EU" recebe o golpe fatal com este quinto e último passo. Deus fez o homem antes de tudo para que ele fosse escravo Seu. O pecado do homem consiste simplesmente em sua recusa de se tornar escravo de Deus. Sua restauração, então, só se pode dar pelo regresso à posição de escravo. O homem, portanto, nada faz que tenha merecimento especial, quando se dispõe a to­mar essa posição, visto que foi criado e remido para esse fim específico.


. Parece-nos dura e ameaçadora essa descida íngreme? Podemos estar certos de que é o único caminho para subir. Foi o caminho pelo qual o Senhor Jesus alcançou o Trono, e é o caminho pelo qual nós também alcançaremos a posição de poder espiritual, autoridade e uma vida de frutos espirituais. Aqueles que trilham essa vereda são almas radiantes, felizes, transbordantes da vida do seu Senhor. Descobrem que a verdade — "Aquele que se humilhar será exaltado" — se aplica a eles tanto como ao seu Senhor. Onde a humildade era antes uma intrusa indesejável, para ser tolerada somente em ocasiões raras, ela agora se tornou a esposa da sua alma, com a qual se casaram para sempre.



IV - QUALIDADES DO SERVO FIEL E PRUDENTE:

. Mt 24:45-47 - As qualidades do servo fiel e prudente estão explicitadas nesta parábola. Tão-somente desejamos destacá-las para que sejam elas mesmas ressaltadas e sirvam de exemplo para nossas vidas:


. (1) - FIDELIDADE - Segundo o dicionário Aurélio, é a "qualidade ou caráter de fiel; lealdade; firmeza; constancia nas afeições, nos sentimentos; perseverança; observancia rigorosa da verdade; exatidão".


. O Senhor Jesus, no contexto do Sermão, referia-se à necessidade da vigilancia quanto à Sua vinda, e proferiu para os Seus próprios discípulos mensagens de alerta no tocante ao que era esperado de Seus servos.


. (2) - PRUDENCIA - "É a qualidade de quem age com moderação, comedimento, buscando evitar tudo o que acredita ser fonte de erro ou dano" (Dic. Aurélio).


. O servo que tinha a maior confiança do seu senhor, devia ter esta qualidade, indispensável para cuidar da casa - Pv 9:10; 16:16.


. (3) - CONSTITUÍDO PELO SEU SENHOR - Mt 24:45b:


. (3.1) - O servo não se constitui a si mesmo - Ele foi constituído pelo dono da casa, seu patrão, para assumir a responsabilidade de um mordomo. Ele não passou por cima dos outros para alcançar aquela posição; não fez política entre os seus pares; não cobiçou sua posição, o cargo ou a função.


. (3.2) - O servo não foi constituído pelos outros - Não houve eleição para que o mordomo fosse escolhido pelos seus conservos. Tomar conta da casa do senhor era função absoluta de confiança pessoal.



V - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

. O Novo Testamento é bem claro quanto ao fato de o Senhor Jesus esperar que tomemos a posição humilde de servos. Isto não representa um dever que podemos ou não assumir, conforme nos pareça melhor. É a própria essência daquele novo relaciona­mento que o discípulo tem de assumir para com Deus e seu semelhante, se ele deseja experimentar em sua vida comunhão com Deus e um certo grau de santi­dade. Quando compreendemos a humilhação e o esva­ziamento pessoal que se requer de alguém para realmente ser servo, torna-se evidente que somente aqueles que estão preparados para viver constantemente à sombra do Calvário, na contínua contempla­ção da humildade e do quebrantamento do Senhor Jesus por amor de nós, estarão dispostos a assumir essa posição.


FONTES DE CONSULTA:

. O Guia do Pastor – Ralph M. Riggs – Editora Vida

. A Senda do Calvário - Roy Hession - Editora Betânia

. Lições Bíblicas CPAD - 4º Trimestre de 1994 - Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima

Um comentário:

Anônimo disse...

Trabalho abençoado,pois através desse estudo conhecemos melhor a Deus, sendo a melhor escola do mundo. Escola Biblica.