Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







2 de jan de 2011

1º TRIMESTRE - LIÇÃO Nº 02 - 09/01/2011 - "A ASCENSÃO DE CRISTO E A PROMESSA DA SUA VINDA"

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 02 - DATA: 09/01/2011
TÍTULO: “A ASCENSÃO DE CRISTO E A PROMESSA DE SUA VINDA”
TEXTO ÁUREO – At 1:8
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: At 1:1-5
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/


I – INTRODUÇÃO:

• Cristo ressuscitou dentre os mortos para nunca mais morrer (Ap 1.18). Em certo ponto do tempo, (cerca de 40 dias após sua ressurreição), deixou de ser visto pelos homens. Fez a sua ascensão aos lugares celestiais, deixando a convivência terrena com os seus discípulos, e entrou na augusta e santíssima presença de Deus Pai, assentando-se à Sua destra, para interceder por nós (Hb 1.1-3; 7.22-25; 8.1-6).


II - A ASCENSÃO DO SENHOR:

• A ascensão de nosso Senhor, após ter passado quarenta dias com Seus discípulos depois da Sua ressurreição, foi o selo da aprovação do Pai à Sua missão na Terra. Comprovou-se que, de fato, Ele era e é o Messias, o Salvador dos homens.

• (l) – DESCRIÇÃO DA ASCENSÃO DE JESUS - Os quatro evangelistas são breves quando descrevem a ascensão de nosso Senhor Jesus Cristo à presença do Pai. O testamento dos apóstolos, entretanto é unânime em afirmar que Jesus "foi recebido em cima no céu", e "assentou-se à destra da majestade nas alturas" (Mc 16.19; Lc 24.51; At 1.9,11; Hb 1.3; Ap 3.21).

• (2) – SELO DE APROVAÇÃO AO TRABALHO DE CRISTO – Hb 1:3 - A ascensão de Cristo foi a grande evidência da aprovação final de Deus à Sua missão terrena perfeitamente consumada no Calvário. Deus, assim, confirma que aceitou o Seu sacrifício, aplicou a Sua obra e continua a aplicá-la resgatando os homens da escravidão do pecado. Por tudo isso, o Pai demonstrou o Seu apreço elevando a Jesus Cristo, àquele lugar que lhe pertence por direito, à Sua mão direita.


III - AO AUSENTAR-SE, JESUS PROMETEU ENVIAR O ESPÍRITO SANTO:

• (1) – O CONSOLADOR É PROMETIDO – Jo 16:7 - O evangelho de Lucas começa com a narrativa da encarnação de Cristo e termina com a Sua ascensão. Este último evento era condição necessária para o cumprimento da promessa da vinda do Espírito Santo, porque o Espírito de Deus não poderia vir enquanto Jesus não ascendesse para o pai. Dessa forma, Lucas deixou registrado como essa promessa teve cumprimento logo depois da ascensão de Cristo (At 2.1-4). Entretanto, o retorno de Jesus ao Pai não ocorreu enquanto não foram tomadas certas providências no sentido de dar continuação à Sua obra de redenção da humanidade. Para tanto, Ele comissionou seus apóstolos para a obra de evangelização, continuada pela Igreja por eles representada, pois, para esse mister, seriam, brevemente, batizados com O Espírito Santo, conforme lhes havia prometido (Lc 24.49; At 1.5).

• (2) - A NOTÍCIA DA ASCENSÃO HAVIA ENTRISTECIDO OS DISCÍPULOS – Jo 16:7 - Jesus falou para seus discípulos acerca de sua partida. Ele encarecia a necessidade de ir, porque sua partida traria aos seus o prometido Consolador, com a missão de convencer o mundo do pecado, da justiça e do juízo. Jesus então observa que a declaração da sua volta ao Pai deixa pesarosos os seus discípulos (Jo 16.16). Ele, porém, volta a afirmar que se ausentará fisicamente, até à Sua volta, porém sua presença espiritual será constante e percebia através das obras do Espírito Santo, que estará para sempre com a Igreja, fortalecendo-a e consolando-a até que Ele volte (Mt 28.20; Jo 14.1-3; 16.5-22; l Co 11.26 cf Fp 3.20, 21; l Ts 4.13-17).

• (3) - A ASCENSÃO E A BÊNÇÃO DO SENHOR JESUS - Nosso Senhor não voltaria ao Pai sem que primeiro abençoasse os seus discípulos, cumprindo assim o desejo de seus corações, conforme registrou Lucas quando descreveu a ascensão de Jesus (Lc 24.50-51). Cristo ascendeu ao céu deixando contentes os seus seguidores, pois, com inefável amor, levantou as mãos, e abençoou seus discípulos, tal como o sumo sacerdote abençoava o povo, após fazer a expiação pelos pecados do mesmo (Lv 9.22). A última vez que os discípulos viram a Jesus, Ele estava com as mãos levantadas abençoando seu povo, e até hoje, continua abençoando.


IV – A GLORIFICAÇÃO DE CRISTO:

• A ascensão e glorificação de Cristo devem ser diferenciadas uma da outra. Primeiro, por ascensão de Cristo, queremos dizer Sua volta ao céu em Seu corpo ressurreto; segundo, por exaltação ou glorificação, queremos dizer o ato do Pai pelo qual Ele concedeu ao Filho ressurreto e assunto ao céu, a posição de honra e de poder à Sua própria destra. O escritor da epístola aos Hebreus fala dessa glorificação (Hb 2.9).

• (1) – CONFIRMADA PELO PAI - Os anjos prostram-se adorando e servindo ao Filho de Deus e Ele se assenta a direita do Pai. Ele é digno de assentar-se do "lado direito" do trono porque cumpriu cabalmente a missão recebida do Pai. Portanto, esse lugar lhe pertence, e não a qualquer outra criatura. Sentado no céu, Cristo é também nosso intercessor; pois embora sua obra tenha se consumado, na terra, em seu aspecto redentivo, não se consumou, contudo, no aspecto sacerdotal. O fato de que Ele ali intercede por nós (Hb 7.21-28), é um pensamento que nos consola e nos sustém. A Bíblia diz que Ele assentou-se à "mão direita da Majestade". No original grego temos "megalosume", que significa, "grandeza", "magnificência". Tudo isso personifica a pujança majestática que há em sua glória junto do Pai.

• (2) – TESTEMUNHADA PELOS ANJOS - A aparição dos "dois varões vestidos de branco" foi súbita, e a aproximação deles nem foi notada pelos discípulos. Suas formas eram semelhantes às que foram vistas na entrada do sepulcro vazio, por Maria Madalena, quando ali esteve na manhã da ressurreição, resplandecentes e de belíssima aparência. Então eles falaram aos discípulos dizendo: "Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu há de vir assim como para o céu o vistes ir" (At 1.9-11).

SETE ESBOÇOS BÍBLICOS SOBRE A ASCENSÃO DE CRISTO:

PRIMEIRO ESBOÇO: 

"O SIGNIFICADO DA ASCENSÃO DE CRISTO"

• Algumas passagens da Escritura esclarecem o significado da ascensão. Ela foi necessária para que:

• 1. O Espírito Santo viesse a este mundo - Jo 16:5-7; At 2:33.

• 2. O Senhor oferecesse o sacrifício consumado a Deus - Hb 9:12, 24; 1:2-3 - Aqui descobrimos que o Senhor, após ter consumado a purificação dos pecados, assentou-
se à destra de Deus e agora intercede por nós - Hb 1:3; 7:25.

• 3. Levar-nos, pela fé, aonde agora está - Jo 12:26 - Pela fé fomos transportados para o reino do Filho - Cl 1:13.

• 4. Fosse exaltado como Salvador e Príncipe. Do trono concede ao Seu povo arrependimento - At 5:30-32.

• 5. Atuasse no céu como cabeça da igreja. Deus colocou-O como cabeça sobre todas as coisas. Agora formamos uma unidade com Ele. Ele é o cabeça e nós somos Seu corpo - Ef 1:19-23.

• 6. Recebesse a adoração merecida. Porque o Filho se humilhou tanto, que o Pai exaltou-O sobremaneira - Fp 2:8-11.

• 7. Sempre víssemos o Autor e Consumador da fé. Ali está a fonte do nosso poder, a saída da necessidade - Hb 12:2.


SEGUNDO ESBOÇO: 

"UM GRANDE DIA" - Lc 24:50-53.

• A ascensão de Cristo coloca-nos num campo de absoluta vitória. O dia da ascensão foi um dia de:

• 1. Bênção - Jesus ergueu Suas mãos, abençoou os Seus discípulos e lhes deu a última missão - Mc 16:15, 16.

• 2. Contemplação da Sua glória - Ela foi vista uma vez por três discípulos - Mt 17:1-8 - Aqui, porém, subiu ao céu diante de muitos olhares. Os apóstolos ficaram tão atônitos, que Deus precisou enviar anjos para consolá-los - At 1:10.

• 3. Adoração - O milagre encheu seus corações de adoração - Lc 2:20, 29, 30, 38; Mt 2:11; Lc 24:52.

• 4. Grande alegria - Geralmente, em despedidas, há lágrimas - At 20:37. Mas, os corações estavam cheios de alegria, pois sabiam que pertenciam ao Senhor e que Ele logo voltaria.

• 5. Comunhão permanente - Lc 24:53; Jo 17:21 - Eles estavam sempre juntos no templo.


 TERCEIRO ESBOÇO: 

"A ASCENSÃO DE CRISTO" - Lc 24:50-52.

• O Senhor havia vencido a morte e sepultura e após a Sua ressurreição Ele andou por 40 dias na terra e se manifestou frequentemente Muitas coisas que não entenderam antes de Sua morte, Ele ainda queria lhes esclarecer. Neste dia, acompanha-lo-iam pela última vez. Prestemos bastante atenção à conduta do Senhor.

• l. Mãos abençoadoras - Muitas vezes, os discípulos viram o Senhor levantando Suas mãos para abençoar. Nesta ocasião, abençoou-os com autoridade especial. Esta bênção foi plena. Como se dissesse;

• a) "Tudo o que é meu eu lhes dou" - Lc 15:31.

• b) "Eu lhes dou minha vida, meu sangue, meu Espírito, meu poder e também minha glória” – Ef 2:1-10

• c) Esta bênção foi a conclusão mais lógica de Sua vida na terra, pois veio ao mundo para abençoar e salvar e, desta forma, deixou o mundo.


• 2. Mãos feridas - As marcas dos pregos tornaram-nO inconfundível com outra pessoa.

• a) Aquelas mãos traspassadas mostram o alto preço que pagou por nossa redenção. Ele valorizou-nos grandemente.

• b) Aquelas mãos feridas falavam em alta voz. Somente Suas feridas foram capazes de curar-nos os profundos ferimentos que o pecado causou – Is 53:5


• 3. Mãos dirigentes - As mesmas mãos que nos tiraram do lamaçal do pecado, dirigem-nos continuamente

• a) Elas conduzem Sua igreja. Ele anda no meio dos candeeiros de ouro - Ap 2:1.

• b) Preparam-nos o lar celestial - Jo 14:2.

• c) Veremos estas mãos no arrebatamento. Então O veremos assim como Ele é - l Jo 3:2.

• d) Naquelas mãos Israel reconhecerá o Seu Senhor - Zc 12:10; Ap 1:7.


4. As consequências práticas.

• a) Profundamente tocados por este último gesto de Jesus os discípulos adoraram-no

• b) Somente uma nuvem separou-os do Seu Senhor amado.

• c) O olhar para Jesus encheu-os de grande alegria - Sl 34:5.

• d) Eles voltaram para testemunhar dEle.


QUARTO ESBOÇO: 

"UM DIA INESQUECÍVEL" - At 1:9-11.

• Observemos a ascensão sob três aspectos.

• 1. A obra visível de Cristo na terra havia terminado.

• a) Foi uma obra maravilhosa, difícil e singular para a qual Ele veio ao mundo.

• b) Está consumada, apesar dos obstáculos criados por Satanás - Jo 17:4.

• c) Foi realizada para nós e agora podemos provar seus frutos.


• 2. A obra celestial e invisível de Cristo começou:

• a) Em Sua reconciliação - 2 Co 5:18,19; 2 Jo 2

• b) Ao entrar no céu, não com mãos vazias, mas com o maior sacrifício, obtendo uma eterna redenção - Hb 9:11 ss.

• c) Em Sua intercessão - Hb 7:24 ss.; 9:24; l Jo 2:1

• d) No repartir de bênçãos - Ef 4:7 ss.

• e) No ir para nos preparar lugar - Jo 14:2,3,19,20.

• f) Em Sua obra disciplinadora: conduz ao arrependimento - At. 5:31.


• 3. A ascensão de Cristo anuncia Sua vinda.

• a) Os anjos falam a respeito deste assunto - At 1:11 - Ele também a confirmou - Jo 14:3

• b) Como cabeça de Sua igreja Ele atrai os Seus membros até si. Nessa ocasião Ele preparará aos Seus membros uma verdadeira ascensão. Ele transformará Seus corpos e os apresentará sem mácula diante do Pai - Fp 3:20,21; l Ts 4:17; Ef 5:27

Perguntemo-nos seriamente olhando para o passado:

- O que a obra de Cristo realizou em nós?

- Seu ministério celestial é nossa consolação?

- Estamos preparados para encontrá-lO com alegria?


QUINTO ESBOÇO: 

"A VOLTA DE CRISTO PARA A CASA DO PAI" - At 1:10-12

• Jesus Cristo voltou ao céu para encher todas as coisas - Ef.4:10; Hb.7:26.

• 1. A razão da ascensão de Cristo - Faz parte da Sua exaltação por Deus - Fp 2:9-11. Voltou ao céu para:

• a) Preparar-nos lugar - Jo 14:3.

• b) Cumprir Sua promessa - Jo 16:7.

• c) Preparar Seu povo para a glória celestial - Ef 5:25-27.

• d) Para exercer Seu ministério de Sumo Sacerdote - l Jo 2:l; Hb 4:14-16; 7:11 ss.

• e) Conceder arrependimento e perdão a Israel - At 5:31.


• 2. O que Sua ascensão nos ensina?

• a) Que temos um amigo e irmão, que intercede por nós - Hb 4:16.

• b) Que devemos nos preparar para a eternidade - Fp 2:12; Cl 3:1-4.


SEXTO ESBOÇO: 

"EU VOU PARA O PAI" - Jo 14:12, 28; 16:16, 17, 28.

• Jesus disse estas palavras em Suas mensagens de despedida.

• 1. O exemplo bíblico e a promessa da ascensão.

• a) Ela é pré-figurada no dia da expiação - Lv 16; Hb 9:7, 11, 12, 23-26.

• b) Foi prometida nos Salmos - Sl 68:18; 110:l.

• c) Foi prometida pelo profeta Daniel - Dn 7:13-14

• d) E pelo Senhor Jesus - Jo 14:1-4; 20:17


2. Detalhes sobre a ascensão:

• a) O tempo: 40 dias após Sua ressurreição. Permaneceu junto com Seus discípulos até lhes dar o ensino necessário para cumprirem sua missão - Jo 16:12.

• b) O lugar: o Monte das Oliveiras. Coisas importantes aconteceram nos montes:

- Pregou o sermão da montanha;

- Foi transfigurado no Monte Tabor;

- Morreu no Gólgota;

- E voltou ao céu do Monte das Oliveiras.


• c) O modo de Sua ascensão: foi visível a todos os presentes.

• d) O lugar para onde foi: junto do Pai - Jo 14:12; Ef l:20; Hb l:3; 6:20.


• 3. A grande finalidade da ascensão.

• a) Jesus voltou ao céu para proclamar a obra consumada - Jo 17:l-4; 19:28, 30.

• b) Voltou como vencedor - Hb l:3; 2:14; 2 Tm l:10.

• c) Como representante do Seu povo - Jo 20:17.

• d) Lá, Ele intercede por nós - Rm 8:34.

• e) Voltou para enviar o Espírito Santo - Jo 14:26; 16:7.

• f) Para ser o nosso advogado - l Jo 2:l.

• g) Para exercer toda autoridade - Mt 28:18.

• h) Para receber Seus santos - At 7:55-60.


SÉTIMO ESBOÇO: 

"PÉROLAS DA ASCENSÃO" – Ef 4:8-13

• Davi previu em espirito e descreveu a ascensão de Cristo nos Salmos 24 e 68. Os Evangelhos relataram sobre ela como fim de Sua vida terrestre (Mc 16:19; Lc 24:50-52). Paulo falou no texto sobre ela, apesar de não ter sido uma testemunha ocular.

• 1. O fato de Cristo ter sido assunto:

• Deve encher-nos de alegria, pois garantiu nossa ida ao céu. Hb 6:17-20


• 2. O triunfo da ascensão.

• a) Seu regresso ao céu foi a maior prova da vitória final.

• b) Ele reconquistou o mundo.

• c) Venceu sobre Satanás - Jo 12:31; 16:11; Cl 2:15

• d) Venceu sobre a morte - I Cor 15:55; Hb 2:14-15

• e) Voltou com grande despojo, levando cativo o cativeiro - Ef 4:8


• 3. O Consolador - a grande dádiva do Cristo glorificado. Foi prometido aos discípulos e serve para o aperfeiçoamento dos santos - Jo 16:7; Ef 4:13

• Concedeu uns:

• a) Para apóstolos - Mt 10.

• b) Para evangelistas, com o objetivo de chamar pecadores.

• c) Para pastores e mestres, para pastorear o rebanho.

• d) E tem dádivas até para apóstatas. Ele chama-os de volta através dos Seus - Sl 68:18



FONTES DE CONSULTA:

• Lições Bíblicas CPAD – 3º trimestre de 1989 – Comentarista: Severino Pedro da Silva

• Brinke, Georg - Mil Esboços Bíblicos de Gênesis a Apocalipse – Editora Evangélica Esperança

Nenhum comentário: