Loading...

COMENTE

Caro Leitor,

Caso queira, na parte final de cada um dos Subsídios, você tem a liberdade de fazer seu comentário. É só clicar na palavra "comentários" e digitar o seu. Não é preciso se identificar. Para isto, após o comentário, click em "anônimo" e pronto. Que Deus continue abençoando sua vida, em nome de Jesus.







4 de jan de 2010

LIÇÃO Nº 02 - 10/01/2010 - "O CONSOLO DE DEUS EM MEIO À AFLIÇÃO"

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM ENGENHOCA – NITERÓI - RJ
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
LIÇÃO 02 - DIA 10/01/2010
TÍTULO: “O CONSOLO DE DEUS EM MEIO À AFLIÇÃO”
TEXTO ÁUREO – II Cor 1:3
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: II Cor 1:1-7
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e.mail: geluew@yahoo.com.br




  • I – INTRODUÇÃO: 
  • A Segunda Carta aos Coríntios começa e termina com CONSOLAÇÃO. Por isso, tem sido chamada de “EPÍSTOLA DO CONSOLO”, posto que nela está registrado um elevado número desta palavra (II Cor 1:3-7; 7:4, 6-7, 13; 13;11). 
  •  
  • CONSOLAR significa colocar-se ao lado de uma pessoa, encorajando-a e ajudando-a em tempos de aflição (sofrimento).
  •  
  • Deus desempenha incomparavelmente esse papel, pois Ele enviou o Espírito Santo, que é chamado "O CONSOLADOR" (Jo 14.16).
  •  
  •  II - CONSOLADORES INFELIZES: 
  • A pergunta fundamental no livro de Jó é:
  • - “POR QUE DEUS PERMITE QUE OS JUSTOS SOFRAM?”; 
  •  
  • Os amigos de Jó ficaram sabendo de seu sofrimento; combinaram ir juntamente condoer-se dele e consolá-lo - Jó 2:11; 
  •  
  • Jó ficou alegre em ver os seus amigos e poder compartilhar suas aflições. Mas eles não compreenderam. 
  •  
  • Parafraseando os personagens constantes naquele Livro, cada um deles tentou emitir alguma explicação para esclarecer o sofrimento do justo. Vejamos: 
  •  
  • (1) - A ESPOSA DE JÓ – Olhando desanimada para o quadro e numa voz de desespero, exclamou: 
  • - “ALGUMA COISA ESTÁ ERRADA. SUA RELIGIÃO É UM FRACASSO! JÓ, AMALDIÇOA A DEUS E MORRE!”;  
  •  
  • (2) – ELIFAZ acrescentou: 
  • - “DEUS NUNCA ERRA! JÓ, O QUE É QUE VOCÊ FEZ PARA QUE ISSO ACONTECESSE?”; 
  •  
  • (3) - BILDADE disse: 
  • - “JÓ, DEUS É JUSTO! CONFESSE O SEU PECADO!”;
  •  
  • (4) - ZOFAR falou em seguida: 
  • - “DEUS É SÁBIO, JÓ. ELE CONHECE O HOMEM”;  
  •  
  • (5) - ELIÚ disse uma palavra um pouco mais sábia: 
  • - “JÓ, DEUS É BOM. ERGA O SEU OLHAR E CONFIE NELE; ELE É DEUS!” 
  •  
  • (6) - JÓ clamou das cinzas: 
  • - “NÃO POSSO COMPREENDER! NÃO ME PARECE CORRETO!”;  
  •  
  • Jó tentou explicar, mas foi mal compreendido e acabou perdendo os amigos.
  •  
  • Por outro lado, a filosofia dos amigos de Jó estava errada! As palavras deles não ajudaram. Ofereceram explicações baseadas nas opiniões deles, e não na verdade que vem de Deus. Onde o Senhor não tinha falado, eles ousaram falar. O resultado não foi consolo e ajuda, e sim perturbação e desânimo. 
  •  
  • Assim, na questão do sofrimento, SÓ DEUS COMPREENDE; SÓ ELE TEM A RESPOSTA!

  • III – JEOVÁ, O JUSTO CONSOLADOR: 
  •  
  • Quando sofremos, é natural perguntarmos: "Por que?".
  •  
  • Jó fez isso – Jó 3:11-12, 20, 23-24.
  •  
  • Habacuque fez a mesma coisa – Hc 1:3.
  •  
  • Milhões de pessoas têm feito a mesma pergunta.
  •  
  • É interessante e importante observarmos que Deus não responde a todas as nossas perguntas. Do começo ao fim do livro de Jó, não encontraremos uma resposta completa de Deus à pergunta do sofredor.
  •  
  • Durante a boa parte da história, Deus deixou Jó e seus amigos ponderarem o problema. E Quando o Senhor falou no fim do livro, ele não explicou o porquê. Analisemos: 
  •  
  • Jó 38:1 – A voz de Jeová veio de um redemoinho, revelando-se gloriosamente.
  •  
  • Numa série de aproximadamente 60 perguntas, Deus está realmente dizendo: “QUEM PODE PERMITIR TODAS ESTAS COISAS SENÃO EU?”.
  •  
  • Jeová explicou a Jó que quando o homem vê a Deus, alguma coisa sempre lhe acontece.
  •  
  • Quando Isaías se viu como realmente era, caiu por terra e exclamou: “... Ai de mim, que vou perecendo! Porque eu sou um homem de lábios impuros... e os meus olhos viram o rei, o Senhor dos Exércitos!” – Is 6:1-5.
  •  
  • Jó 40:4-5 - Como acontece conosco muitas vezes, Jó veio à presença do Senhor e não reagiu: NÃO PODIA ARGUMENTAR COM DEUS! 

  • Jó 42:2-6 – Sem poder argumentar com o Senhor, Jó caiu em terra e arrependeu-se no pó e na cinza.
  •  
  • Este é o único lugar em que podemos aprender as lições de Deus para a questão das aflições dos justos: PROSTRADOS REVERENTEMENTE DIANTE DO SENHOR E COM A BOCA FECHADA!

  • IV – POR QUE DEUS PERMITE SOFRIMENTOS NA VIDA DO CRISTÃO?: 
  •  
  • O apóstolo Paulo usa os seus próprios sofrimentos como ilustrações, para que possamos entender as razões de Deus permitir sofrimentos na vida do crente. São elas: 
  •  
  • (1) - PARA QUE CONHEÇAMOS AS POSSIBILIDADES DE DEUS - Quando estamos debaixo da luta, temos a possibilidade de descobrir que a graça de Deus é suprimento mais que suficiente para qualquer circunstância da vida. Descobrimos que há conforto, socorro e provisão de força para toda aflição; descobrimos a natureza do nosso Deus – II Cor 1:2-3; 
  •  
  • (2) - PARA QUE OUTROS POSSAM SER CONSOLADOS – II Cor 1:4 – Quando murmuramos, estamos testemunhando que Deus é infiel, que as Escrituras não são verdade, que não teremos do Senhor socorro e fortalecimento. Neste caso, somos instrumentos do abatimento da fé. Mas, quando enfrentamos as lutas na força do Senhor, somos testemunho vivo de que Deus nos consola e sustenta. 
  •  
  • (3) - PARA NOS ENSINAR A NÃO CONFIARMOS EM NÓS MESMOS, MAS EM DEUS – II Cor 1:8-9 - Esta talvez seja uma das maiores razões por que Deus envia-nos sofrimentos. É para quebrar nosso espírito duro e obstinado, que insiste em viver pelos seus próprios ditames e recursos. 
  •  
  • (4) - PARA QUE O SENHOR SEJA LOUVADO PELA RESPOSTA ÀS ORAÇÕES - Os sofrimentos nos ensinam que somos membros de uma família, fazemos parte do corpo de Cristo e necessitamos uns dos outros. Aprendemos com ele a orar uns pelos outros, pois será em reposta a estas mesmas orações que Deus enviará a Sua bênção e trará livramento! Ele será louvado por todos que participaram do nosso sofrimento. 
  •  
  • (5) - PORQUE OS CRISTÃOS SÃO SERES HUMANOS - O fato de sermos cristãos não quer dizer que estejamos isentos de doenças, padecimentos, desastres naturais, tragédias e a morte. Alguns são milagrosamente salvos ou curados; outros, passam pelo fogo do padecimento; 
  •  
  • (6) - PORQUE, MESMO CRENTES, AINDA PECAMOS E DESOBEDECEMOS A DEUS - I Cor 11:28-32; I Pe 4:17-19; Hb 12:5-11. 
  •  
  • (7) - PORQUE A IGREJA NÃO É UM ABRIGO CRISTÃO CONTRA O SOFRIMENTO - Se os crentes estivessem isentos do sofrimento, os não cristãos viriam correndo para a porta da Igreja como se ela fosse um abrigo contra o sofrimento. A popularidade do Cristianismo está crescendo; muitos não cristãos acham que, por motivos comerciais ou políticos, devem pertencer à Igreja e fazer uma profissão de fé que não está de acordo com a vida que levam. Mas quando o sofrimento e a perseguição caem sobre nós, há uma diferença. 
  •  
  • (8) - PORQUE DEUS USA O SOFRIMENTO PARA NOS DISCIPLINAR (Apc 3:19) - Para nos tornarmos aquilo que Deus quer que sejamos, temos que ser homens de fé e de sofrimento (Hb 2:10). Se Ele alcançou a perfeição pelos sofrimentos, como podemos esperar fugir? (Hb 11:33-40) - Temos que nos dar conta de que,  quando Deus permite que tais coisas aconteçam, existe um motivo que acabará sendo do conhecimento do indivíduo - Hb 12:11; Sl 119:67,71; 
  •  
  • (9) - PORQUE HÁ UMA VANTAGEM A SE TIRAR DO SOFRIMENTO - Podemos tirar vantagem da experiência do sofrimento, suportando-o pacientemente e aprendendo com ele, ao invés de lutar contra ele (Jó 23:10 cf I Pe 1:7); 
  •  
  • (10) - PORQUE O SOFRIMENTO NOS MANTÉM HUMILDES E DE JOELHOS - O sofrimento aumenta nossa vida de oração. Nada nos porá de joelhos mais depressa do que os sofrimentos; 
  •  
  • (11) - PORQUE O SOFRIMENTO NOS ENSINA A PACIÊNCIA - (I Pe 2:20) - Deus está no controle dos acontecimentos e temos que ser submissos e pacientes à vontade de dEle.

  • V - DEPOIS DO SOFRIMENTO, VÊM AS BÊNÇÃOS:  
  •  
  • Os que dizem que os filhos de Deus não sofrem, são falsos mestres que não conhecem e não aceitam a palavra do Senhor: Jó perdeu tudo; Jeremias foi preso; João Batista foi decapitado; Estevão foi apedrejado; Paulo sofreu naufrágio e prisões e Jesus foi crucificado. 
  •  
  • O sofrimento desta vida é temporário; o de Jó foi intenso, mas não durou para sempre. É bem provável que ele lembrou, durante o resto da vida, daquelas experiências doloridas. Mas a crise passou e a vida continuou. Deus restaurou as posses dele em porções dobradas - Jó 42:10-17; 
  •  
  • A mesma coisa acontece conosco. Enfrentamos alguns dias muito difíceis, mas as tempestades passam e a vida continua. Em Cristo Jesus, nós temos uma grande vantagem: uma esperança bem definida de perseverança e consolação - Hb 12:1-3 
  •  
  • Os problemas da vida não sugerem falta de fé e não são provas de algum terrível pecado na nossa vida. Jó foi fiel a Deus no período do seu sofrimento, sendo abençoado sobremaneira. A fidelidade de Jó precisa calar nosso coração: Jó 1:20-22 cf  Tg 1:2-4.

  • VI - CONSIDERAÇÕES FINAIS: 
  •  
  • Nenhum de nós saberá o motivo total do sofrimento dos fiéis. Se os crentes que nos antecederam não foram isentos, por que nós seríamos?! 
  •  
  • O apóstolo Paulo aprendeu, nas suas muitas aflições, que nenhum sofrimento, por severo que seja, poderá separar o crente dos cuidados e da compaixão do seu Pai celeste - Rm 8.35-39.
  •  
  • Divinamente inspirado, ele escreveu um hino de louvor a Deus, retratando que O SSENHOR DEUS NÃO EXPLICA TODAS AS COISAS! - Rm 11:33-36; 
  •  
  • Por fim, meditemos em uma das declarações feitas pelo Senhor Jesus: 
  • - “O QUE EU FAÇO, NÃO O SABES TU AGORA, MAS TU O SABERÁS DEPOIS” – Jo 13:7. 
  •  
  • Quando nos curvamos à vontade de Deus, encontramos o caminho do Senhor. Esta é a vitória da fé submissa. Curvemo-nos, para obedecer; inclinemo-nos, para vencer.


FONTES DE CONSULTA:

1)       Revista Maturidade Cristã – 1º Trimestre de 1997 – CPAD – Comentarista: Raimundo F. de Oliveira.



2)       Lições do sofrimento - Ely X. de Barros


3)       Lições Bíblicas – 1º Trimestre de 1996 – CPAD - Comentarista: Geremias do Couto


4)       Conhecendo Deus através do sofrimento - Neuber Lourenço


5)       Lições Bíblicas – 2º Trimestre de 1996 – CPAD - Comentarista: Valdir Bícego.


6)       Por que Deus permite sofrimentos na vida do cristão - Paschoal Piragine Jr.


7)       Lições Bíblicas – 4º Trimestre de 1996 - CPAD – Comentarista: Antônio Gilberto.


8)       Lições Bíblicas – 2º Trimestre de 1982 – CPAD – Comentarista: Eurico Bérgsten.


9)       A Segunda Vinda de Cristo - Editora Record - Billy Graham




2 comentários:

miro disse...

QUERIDO PASTOR GERALDO VOU COMEÇAR A INTERCEDER PARA QUE DEUS LHE DE VIDA LONGA POIS SEUS COMENTÁRIOS DAS LIÇÕES TEM SIDO UMA BENÇÃO NA MINHA VIDA . SOU PROFESSOR DA ESCOLA BÍBLICA EM MINHA CIDADE SÃO JOSÉ SC TENHO USADO SEUS COMENTARIO PARA INRIQUECER AINDA MAIS MINHAS AULAS PARABENS ME IDENTIFICO MUITO COM SUAS ESPLANAÇÕES QUE NOSSO PAI LHE ABENÇOE RICAMENTE UM GRANDE ABRAÇO, ATENCIOSAMENTE
VALDEMIRO CORDEIRO
SÃO JOSÉ SC 10-01-2010
MIRO.CORDEIRO@YAHOO.COM.BR

GERALDO CARNEIRO FILHO disse...

Prezado irmão Miro Cordeiro,

Bendigo o santo nome do nosso Deus pelas palavras de incentivo, posto que toda honra, glória e louvor pertencem a Ele.
Que o nosso Deus também continue derramando suas grandiosas bênçãos sobre o seu honrado ministério do ensino da Palavra.
Lembro ao irmão em Cristo que sempre procuro disponibilizar o subsídio das aulas, no mais tardar, na terça feira anterior à aula. Isto porque facilita os professores a terem um pouco mais de tempo para estudarem e procederem a outras pesquisas e, assim, prepararem suas aulas.
Um abraço e continue na Paz de Cristo.

PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO